sábado, 4 de maio de 2019

[Resenha] Por favor, ignore Vera Dietz

|
Autora: A. S. King
Páginas: 288
Editora: Novo Século
Vera Dietz e Charlie Kahn foram melhores amigos desde crianças até completarem 17 anos. Mas agora Charlie está morto. E morreu de uma maneira horrível e misteriosa. E morreu brigado com Vera.A vida não tem sido fácil desde então. Vera não sabe direito como agir, como pensar, o que sentir. Sua mãe foi embora quando ela tinha apenas 12 anos, e seu pai é adepto da filosofia de ignorar os problemas até que eles desapareçam por mágica.
Mas Vera precisa fazer suas entregas no Templo da Pizza. Precisa abrir o coração para o amor. Precisa concluir o Ensino Médio. Precisa colecionar palavras para a aula de Vocabulário. Precisa entender o que realmente aconteceu com Charlie.
Precisa seguir em frente.


Por favor, ignore Vera Dietz, da A. S. King, é o segundo livro que eu leio da autora. Minha primeira experiência com a escrita da King foi com Todo mundo vê formigas, um livro muito marcante, e desde então eu estava louca para conferir outras obras dela. E, pelo que pude perceber, a autora gosta de trazer assuntos importantes e reflexivos, mais uma vez me vi mergulhada em um enredo profundo.

Vera e Charlie eram melhores amigos desde crianças, até o dia em que não eram mais. Charlie está morto, porém, a amizade deles terminou muito antes disso. Vera sabe de algo sobre a morte do ex amigo, e isso a esta sufocando desde então. A relação de Vera com o pai não é das mais fáceis, principalmente por ele pensar que é só ignorar um problema que ele desaparece. Sem ninguém para conversar e se abrir, Vera acaba afundando cada vez mais, e acha na bebida um refúgio, mesmo seu pai - um ex alcoólatra - dando vários avisos de que esse é um caminho sem volta. 

Um outro aluno praticando bullying na escola? Ignore-o. Uma garota espalhando boatos? Ignore-a. O professor do oitavo ano belisca o bumbum da sua amiga? Ignore. O professor machista de Geometria dizendo que as garotas não deviam fazer faculdade porque tudo que farão na vida é parir bebês e engordar? Ignore-o. Ouviu dizer que uma garota da sua sala está sendo violentada pelo padrasto e teve que ir para a clínica? Ignore. Ouviu dizer que ela está trazendo os comprimidos da mãe para a escola e vendendo-os para pagar pelo aborto? Ignore. Ignore. Ignore. Ignore. Cuide da sua própria vida. Não crie tumulto e seja discreto.

A narrativa vai nos mostrando como era a amizade de Charlie e Vera, e até mesmo o motivo dos dois terem se separado. Sabemos que o pai de Charlie agredia sua mãe, e nunca deixava o garoto fazer nada que fosse 'de mulher'. O pai de Vera nunca quis chamar a polícia, porque achava que só iria piorar as coisas. E a própria Vera tinha sua dose de problemas, e sempre teve vergonha de as outras pessoas saberem que sua mãe trabalhava em um bar como stripper.


A trama toca em assuntos delicados como: pedofilia, alcoolismo, violência doméstica e bullying, e a autora conseguiu desenvolver bem todos esses temas, fazendo o leitor refletir e sentir empatia por aquelas situações/pessoas, no entanto, eu não consegui me apegar muito aos personagens. Achei a construção deles dentro desse enredo meio superficial, de certa forma, e acho que em parte foi por colocar todo um mistério em cima da morte de Charlie e no final continuarmos na dúvida do que aconteceu.

O que eu gostei no enredo é que a narrativa não é feita apenas por Vera, mas também por seu pai, Charlie e até mesmo o Templo, um local que os dois amigos frequentavam, e eu achei bem diferente. Essa é uma leitura que nos mostra que muitas vezes ignorar algo não é a solução. Se você tiver oportunidade de mudar algo ruim, mude. Não ignore. 

12 comentários:

  1. Olá.

    Eu ficaria extremamente curiosa para saber a respeito da morte de Charlie, parece até que ela tem uma dose de culpa e afunda de vez por isso.
    A autora aborda muitos temas importantes nesse livro, foi bom saber que ela conseguiu desenvolver isso tudo de uma forma boa.
    Gostei de sua resenha, pela capa eu não leria o livro, mas suas considerações aguçou minha curiosidade!

    ResponderExcluir
  2. Tudo bem?
    Eu li esse livro tem um tempo já. Gosto da escrita da autora, e curti a leitura, espera mais em alguns pontos, mais ainda assim, foi uma leitura proveitosa.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oii, tudo bem?

    Achei bem interessante a premissa do livro. Pedofilia, alcoolismo, violência doméstica e bullying são temas difíceis de comentar, fico feliz em saber que a autora tenha conseguido desenvolvê-los bem. Acho esse tipo de leitura muito importante, principalmente por fazer com que os leitores reflitam sobre os assuntos abordados.
    Vou colocar o livro na lista de desejados, obrigada por compartilhar!!

    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  4. Lamento que você não tenha apreciado tanto os personagens, que os tenha considerado superficiais. Confesso que eu fiquei muito interessada no livro, justamente por ele tocar em temas tão importantes, tão necessários de serem jogados nas caras das pessoas para ver se através de um livro é possível pelo menos despertar a empatia necessária para que as pessoas não ignorem o que acontece ao seu redor. Para que consigam olhar para a outra pessoa e ajudar.

    ResponderExcluir
  5. Nossa, esse livro deve ser bem interessante e reflexivo, pois nos traz muitos assuntos delicados e gosto desse tipo de literatura que me deixa preso na trama. Excelente dica.

    ResponderExcluir
  6. Oi, esse livro está há algum tempo na minha lista de desejados. Acho super importante ele abordar esses temas delicados e trazer essa mensagem sobre não ignorar algo que pode ser mudado, pena que não curtiu tanto os personagens.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Olá! Não conhecia a autora, e vim a saber dos livros dela por essa resenha. Gostei da temática do livro e saber que a autora abordou temas tão complexos com responsabilidade é bom, porque se ela só mencionasse sem se aprofundar ou mesmo sem concluir sem maiores explicações, ficaria sem sentido jogado na história. Quero saber porque a amizade dos dois acabou, a causa da morte do Charlie e como ela faz para se erguer e acabar com a culpa e lidar com a vida dela depois de tanta coisa. Obrigada pela resenha!

    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Achei o título tão criativo e compraria o livro apenas por ele, apesar da proposta da história ser bem interessante também. Marquei ele como desejado no Skoob e vou dar uma chance. Agradeço por apresentar a autora que não conhecia.

    ResponderExcluir
  10. Oie, essa autora faz muito sucesso no booktube, minha primeira experiência com ela foi com Os dois mundos de Astrid Jones, eu amei demais porque ela toca no assunto da bissexualidade, li também Por favor ignore Vera e apesar de ter ficado perdida em alguns pontos, a obra realmente é muito tocante.

    ResponderExcluir
  11. Olá! Eu fiquei curiosa com essa leitura. Eu acho muito legal trazer temas como esses, mas eu acho que o envolvimento com o personagem é importante para se tratar desses assuntos, eu gosto de me apegar aos personagens rsrs, espero que isso não atrapalhe a história. Dica anotada!

    ResponderExcluir
  12. parece ser uma leitura intrigante, e que realmente aborda temas pesados e que devem ser discutidos e combatidos... naõ conhecia a autora mas fiquei curiosa para conhecer a sua escrita...
    anotei a dica, e quem sabe eu encontre na bienal desse ano aqui em PE...
    bjs...

    ResponderExcluir