terça-feira, 20 de novembro de 2018

[Resenha] A caçadora de dragões

|
Autora: Kristen Ciccarelli
Páginas: 398
Editora: Seguinte
Série: Iskari, 1
Quando era criança, Asha, a filha do rei de Firgaard, era atormentada por sucessivos pesadelos. Para ajudá-la, a única solução que sua mãe encontrou foi lhe contar histórias antigas, que muitos temiam ser capazes de atrair dragões, os maiores inimigos do reino. Envolvida pelos contos, a pequena Asha acabou despertando Kozu, o mais feroz de todos os dragões, que queimou a cidade e matou milhares de pessoas — um peso que a garota ainda carrega nas costas. Agora, aos dezessete anos, ela se tornou uma caçadora de dragões temida por todos. Quando recebe de seu pai a missão de matar Kozu, Asha vê uma oportunidade de se redimir frente a seu povo. Mas a garota não vai conseguir concluir a tarefa sem antes descobrir a verdade sobre si mesma — e perceber que mesmo as pessoas destinadas à maldade podem mudar o próprio destino.


A caçadora de dragões é o primeiro livro da série Iskari, da autora Kristen Ciccarelli. Essa é uma fantasia young adult, com uma ambientação medieval e um desenvolvimento muito empolgante, eu pelo menos adoro livros com dragões, e o universo criado pela autora está muito bacana de explorar. Há muitas lendas, principalmente que envolvem esses seres místicos, e de forma gradativa a narrativa vai nos apresentando um pouco sobre eles e o relacionamento com os humanos.

Asha é a filha do rei, e mesmo tento essa posição, ela é temida por seu povo. Quando era criança, ela atraiu um dos mais terríveis dragões: Kozu, que destruiu uma cidade inteira e matou milhares de pessoas. Marcada tanto física quanto mentalmente, Asha é chamada de Iskari (que conforme as lendas, seria uma pessoa que atrai a morte e destruição; uma posição que não a orgulha completamente), e agora com dezessete anos, é uma caçadora de dragões. Seu objetivo é se vingar e matar quantos dragões for possível, inclusive Kozu.

"Aonde Namsara levava risadas e amor, Iskari levava destruição e morte."

Ela está prometida para um comandante, que foi quem salvou sua vida quando era criança, mas não tem intenção nenhuma de se casar com ele. Jarek é um homem odioso, que adora maltratar seus escravos. Seu pai não pode negar o casamento para o comandante, mas caso Asha consiga enfim matar Kozu, e se redimir com seu povo, ela poderá desfazer o noivado. E é isso que a faz continuar sua busca pelo temível dragão.

Há muitos anos ficou proibido contar histórias antigas, pois são elas que atraem os dragões e os fortalecem, além de, acabar matando quem as conta. Mesmo assim, Asha sabe que a única forma de fazer com que Kozu surja, no entanto, é continuar contando essas histórias. Nesse meio tempo, ela acaba se aproximando de Torwin, um dos escravos de Jarek, a quem ela ajuda a escapar de um terrível castigo.


Figaard tem uma estrutura social bastante rígida, skrals (escravos) não podem tocar os draksors (mestres), ou muito menos olhar em seus olhos. Há castigos terríveis para skrals que não cumprem as regras, e dependendo do draksor, há até mesmo pena de morte. Essa aproximação entre Asha e um skarl, principalmente o skral do comandante (seu noivo!), é algo muito arriscado, mas a garota percebe que ele é uma das únicas pessoas que pode confiar, além de seu irmão e sua prima.

Asha é uma personagem que pode ser temida, e até mesmo pode ser considera uma bad ass, no entanto, ela se mostra alguém com inseguranças e fraquezas. Mas, nada disso a desmerece, pelo contrário, só mostra o quanto ela é real e humana. Ela é uma das personagens mais complexas dessa trama, exatamente por não saber direito quem é. Ela foi rotulada como alguém que é uma destruidora, mas ela nunca quis isso. 

A caçadora de dragões tem uma mitologia incrível, e a cada capítulo há uma das lendas antigas, apresentando um pouco mais o relacionamento dos dragões com os humanos e como isso se perdeu durante os anos. A trama é extremamente fluída, a autora não perde muito tempo descrevendo as cenas e ambientação (talvez nem todos gostem disso), o que tornou a leitura dinâmica. Há diversas reviravoltas durante a narrativa, e algumas revelações acabam deixando a leitura ainda mais empolgante.

Eu não lia um livro com dragões há um bom tempo, e adorei poder conferir essa trama. A autora criou um universo muito interessante e com uma complexidade na dose certa; nem muito bobo e nem muito difícil de entender. Um ponto, entretanto, que não me agradou muito (e eu vi que outras pessoas também não) é o 'vilão'. Sim, ele é malvado e tudo mais, mas suas ações não são muito justificadas, o que acabou o deixando fraco dentro do enredo. 

Essa edição está muito bonita, eu realmente gostei bastante da capa, as cores combinaram entre si, e apesar de simples, ela consegue ter um grande significado para a trama. Estou ansiosa para ler a continuação, eu realmente não sei muito bem o que esperar. Recomendo essa fantasia para aqueles que gostam de uma boa história com dragões e personagens femininas fortes. 

6 comentários:

  1. Olá!
    É legal ver que a história tem bons elementos misturando fantasia, mitologia deixando a leitura atraente e fluida.
    Para os amantes de enredos com dragões parece ser uma ótima pedida, apesar do vilão deixar um pouquinho a desejar.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro e confesso que não sou la muito fã de historias com ambientação medieval. Além disso, sempre fujo de series kkkkk
    Mas pela sua resenha deu para ver que se trata de um bom enredo, acho interessante histórias sobre dragões, mas não costumo ler, então fiquei curiosa para saber mais sobre essa. Além disso, gostei de saber que a autora não perde muito tempo descrevendo cenas, pois assim a leitura é mais dinâmica mesmo e eu prefiro desse jeito. Enfim, gostei da dica de leiura, vou marcar o nome do livro.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  3. Oi, Andressa! Eu já li esse livro e curti muito! O nome já me chamou a atenção e quando vi que no começo ela caçava realmente os dragões (e algumas cenas são descritas), eu ficava com o coração na mão, porque eu torcia muito por eles! hahaha
    Quero ler a continuação, mas parece até que a história teve um final bem fechado. Será que vai tratar exclusivamente de outros personagens?
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?

    Primeiro quero elogiar essa foto, a composição ficou muito boa e achei linda. Segundo, eu tenho vontade de ler esse livro, desde o lançamento me desperta curiosidade e após ler a sua resenha fiquei com mais vontade ainda. Dica anotada!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Olá ♥
    Estou com esse livro aqui para ler. Minhas amigas que leram ficaram apaixonadas com o enredo, que por sinal parece ser algo muito bem desenvolvido. Tem muito tempo que não leio nada que envolva dragões. A capa desse livro é algo que me deixa maravilhada, acho que é por que tenho um fascínio por capas pretas e vermelhas. Sua resenha está maravilhosa me deu até vontade de já dar inicio a essa leitura. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Essa capa é linda! Amei sua resenha, já li umas criticas sobre ele, mas não é muito do meu gênero e confesso que não me ariscaria nessa leitura, mas é uma ótima dica para quem curte esse gênero.

    ResponderExcluir