segunda-feira, 8 de outubro de 2018

[Resenha] Eu perdi o rumo

|
Autora: Gayle Forman
Páginas: 272
Editora: Arqueiro
Freya perdeu a voz no meio das gravações de seu álbum de estreia. Harun planeja fugir de casa para encontrar o garoto que ama. Nathaniel acaba de chegar a Nova York com uma mochila, um plano elaborado em meio ao desespero e nada a perder.
Os três se esbarram por acaso no Central Park e, ao longo de um único dia, lentamente revelam trechos do passado que não conseguiram enfrentar sozinhos. Juntos, eles começam a entender que a saída do lugar triste e escuro em que se acham pode estar no gesto de ajudar o próximo a descobrir o próprio caminho. 





Eu perdi o rumo, da Gayle Forman, é o terceiro livro que eu leio da autora e o meu favorito até agora. A história não é daquelas que te faz chorar horrores ou com grandes reviravoltas, mas com sua escrita única Gayle nos apresenta personagens que poderiam muito bem ser alguém próximo da gente, e de forma sincera e delicada, a autora vai explorando a vida desses três personagens. No fim, essa é uma leitura que faz o leitor refletir, muito. Você já perdeu algo que te deixou sem rumo? Nessa história você vai encontrar alguém que perdeu a voz, um a casa e outro o amor. 

Harun, Nathaniel e Freya são três jovens que nunca se encontraram antes. Eles não fazer ideia da existência um do outro, e muito menos imaginam que cada um deles possui seus próprios dramas para lidar. A história dos personagens faz o leitor ter um turbilhão de emoções. Cada uma delas é tão bem explorada em poucas páginas, que o leitor quando menos espera já se apegou a esses três jovens.

Freya é uma cantora de sucesso, graças aos seus vídeos no Youtube ao lado da irmã. Prestes a gravar seu álbum a garota perde a voz. Ela simplesmente não consegue mais cantar da mesma forma de antes, e o medo de ficar ainda mais sozinha, sem seus fãs, a deixa desesperada. Seu relacionamento com o pai e a irmã é algo que o leitor vai entendendo ao longo do tempo, e percebendo o motivo de Freya se sentir tão solitária.

Harun é muçulmano, e a simples ideia de contar para sua família conservadora de que é gay não chega nem a passar por sua cabeça. Por esse motivo o garoto que ele ama acaba se afastando. Harun precisa seguir os costumes que deixam seus pais tão orgulhosos, mas nesse caminho ele perde um pouquinho de si mesmo. 

E por último temos Nathaniel, o personagem que mais nos faz sofrer com sua história. Após a separação dos pais, sempre foi ele e seu pai, uma sociedade de dois como o pai brincava. E o garoto sempre aceitou isso da melhor forma possível, mesmo quando tudo ficava difícil e pesado de carregar. Mesmo quando um terrível acidente acabou o fazendo ter que se afastar da mãe. Nathaniel está em Nova York para se encontrar.


Nathaniel é um personagem sofrido, e sua história de vida mostra os motivos. Mas, depois dele meu coração pesou muito por Harun, que precisa esconder quem é da própria família, e que vem de uma cultura muito rígida e que o faz pensar que está errado. Eu só queria pegar cada um deles, dar um abraço e guardar num potinho. :(

Depois de Freya cair em cima da ponte, bem em cima de Nathaniel, e ter Harun como testemunha, a vida deles mudará completamente. Os três acabam encontrando uns nos outros a força de vontade de achar o rumo de volta. Eles só precisam de um empurrão e de alguém para afastar a solidão e o sentimento de derrota.

Eu perdi o rumo tem a narrativa intercalada entre os três personagens com flashbacks de cada um deles. Eu gostei muito da leitura, a autora tem uma escrita muito envolvente, e o enredo consegue tocar o leitor. O final não é nada muito surpreendente, na verdade dá aquele gostinho de quero mais, e te faz pensar em mil possibilidades. Recomendo!

11 comentários:

  1. Oi, Andressa! :D
    Nunca tinha visto este livro ainda, mas gostei muito de conhecê-lo por meio da sua resenha. A capa não me chamaria muito a atenção, mas a história dos três jovens que se encontram e compartilham seus problemas é interessante para refletirmos como nascem as amizades em situações inesperadas. Achei legal a autora ter colocado um personagem muçulmano LGBT porque não é comum vermos esse tipo de representatividade relacionada a uma cultura tão rígida. Gostei do seu post e adoraria ler o livro. Beijos!

    Jéssica Martins
    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. já vi esse livro por aí, mas é a primeira resenha que leio, e se já queria ler antes, agora fiquei mais curiosa ainda pra saber que final é esse que deixa com gosto de quero mais!
    ótima resenha! tenho muita curiosidade de ler algo da autora :D

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  3. Quando eu vi o lançamento desse livro eu fiquei morrendo de curiosidade e estava esperando sair alguma resenha para poder comprar. Gostei muito de saber que é o seu preferido da autora até agora e isso me anima ainda mais para ler. Achei a premissa totalmente interessante e a leitura para ser intensa em alguns momentos, adorei ver a tua opinião e conhecer mais sobre a trama.

    ResponderExcluir
  4. Olá! Eu nunca li nada dessa autora, e confesso que tenho bastante curiosidade de conhecer a escrita dela. Achei super legal essa mistura de personagens e suas histórias que ela colocou no livro, e Nathaniel é o que me deixou mais curiosa. Espero ler em breve e gostar tanto quanto você! Obrigada pela resenha!

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  5. Oi, Andressa.
    Ainda não tive a oportunidade de ler nenhum livro dessa autora e, depois de ler a sua resenha, não sei se suas histórias são do tipo que me cativam. Não consigo mais me identificar com personagens jovens e acabo não curtindo tanto livros assim! Uma pena!
    A edição parece linda!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  6. Olá, Andressa!

    Acho que é a primeira vez que leio uma resenha dessa história. Realmente parece um livro super envolvente. Fico imaginando como eu me sentiria no lugar desses personagens. Sei o que é perder algo importante, seja uma pessoa querida ou algo que fazia parte de mim, da minha vida. Sei o quanto é difícil. E fico imaginando a situação do personagem muçulmano tendo que esconder seu amor, suas escolhas, parte de si mesmo por causa do julgamento dos outros. As pessoas me causam asco, sabe? Tão preocupadas em apontar o dedo para o outro em vez de tomarem conta da própria vida. Pessoas religiosas que querem impor regras, doutrinas quando Jesus Cristo só se importava com o interior das pessoas, com o coração, o amor, o perdão, a compaixão. Foi isso que Ele ensinou, mas as pessoas se fixam em regras estúpidas.

    Acho que iria gostar muito desse livro! :)

    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bom?
    Já tive alguns contatos com os livros da autora e confesso que simplesmente não consigo me conectar com sua escrita. No entanto, este livro tem uma premissa que chamou muito minha atenção! Três personagens tão marcados por suas perdas, tendo seus caminhos cruzados e se apoiando para que tenham força para seguir em frente. Curti também saber sobre esses flashbacks que nos ajudam a vislumbrar melhor o passado dos personagens. Enfim, acho que vou dar uma nova chance a autora! rs Adorei demais sua resenha ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi Andressa,
    Nunca li nada da autora. Sempre achei que a escrita dela seria lenta e cansativa, mas preciso ler algo pra não ficar apenas no achismo. Como você disse que este é o seu favorito, vou dar uma chance à Perdi o Rumo. Gostei da sinopse por focar na amizade dois personagens. Gostei muito da sua resenha!
    Beijos,
    André | Garotos Perdidos

    ResponderExcluir
  9. Oii tudo bem??

    Já li quase todos os livros da Gayle e amooo muito, apenas um dia é meu favorito e acabei lendo a versão de ambos, e saber que nesse agora ela intercala entre os personagens me deixou mais ansiosa para lê-lo.
    Adorei a resenha e estou sentindo a necessidade desse livro pra ontem.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  10. Eu sou muito fã da Gayle Forman e com certeza este livro já está na minha lista de aquisições para a black Friday. Acho que é a primeira vez que ela escreve sob três pontos de vista e achei o tema central da narrativa bem interessante.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá, Andressa.

    O livro realmente parece ser ótimo, já li um livro da autora e adorei. Também acho que eu me identificaria mais com a história de Nathaniel, fiquei curiosa para saber mais sobre ele. Ótima resenha!

    ResponderExcluir