terça-feira, 21 de agosto de 2018

[Resenha] Um pedido às estrelas

|
Autora: Priscille Sibley
Páginas: 320
Editora: Benvirá
Após um grave acidente, Elle sofre um trauma cerebral irreversível, mas em seu ventre cresce uma vida. Apesar da fragilidade da situação, há uma possibilidade de ela dar à luz o tão aguardado filho. No entanto, com a mesma força com que desejou um filho, Elle se opunha a manter uma vida artificialmente. Se ela pudesse decidir, o que falaria mais alto? Escrito com sensibilidade e compaixão, Um pedido às estrelas é uma emocionante história que levanta profundas reflexões sobre vida e morte, fé e ciência, e ilumina o poder do amor para ferir... e curar.





Um pedido às estrelas é um dos livros que eu coloquei na minha meta de 2018 - de livros que eu já quero ler desde antes de ter na estante -, e que eu me arrependo profundamente de não ter lido antes. Pela sinopse eu já sabia que a história seria dramática e emocionante, mas na verdade, ela é muito mais do que isso. Ela fala muito sobre questões éticas e morais, que fazem você refletir bastante. A autora fala sobre a vida e a morte de forma sensível e envolvente. Parecia muito que era uma história real, de alguém próximo, de tão profundo que ela foi no desenvolvimento do enredo e dos personagens.

Matt é um neurocirurgião, que certo dia recebe a paciente mais delicada de sua carreira, aquela que irá mudar sua vida: Elle, sua esposa. Elle bateu a cabeça após cair de uma escada, e antes mesmo de fazer os exames Matt percebe que ela nunca mais vai acordar. Elle teve morte cerebral e está sobrevivendo através de aparelhos. 

Matt e Elle são amigos desde crianças. Ele acompanhou o sofrimento de Elle com sua mãe, que tinha câncer e passou meses sofrendo dores, enquanto o pai se negava a deixá-la partir. Desde então ela sempre deixou clara sua decisão de que nunca iria querer passar pelo mesmo que sua mãe. E Matt resolve respeitar essa decisão, ele vai desligar os aparelhos.

No entanto, o sofrimento de Matt apenas começou. Ele descobre que Elle estava grávida quando caiu, e que o bebê continua vivo. Ele agora precisa decidir entre seguir o que sua esposa desejava ou deixar o que ela mais queria acontecer: ela ter um filho. Matt e Elle passaram anos tentando ter filhos, mas sem sucesso, Elle, por conta de uma doença autoimune sempre abortava. A decisão que Matt precisa tomar é ainda mais difícil.


Ele decide então deixar Elle viva até o bebê nascer, pois sabe que essa seria a decisão da esposa. Só que Matt não contava que sua mãe iria ser contra essa decisão, e com um documento que Elle deixou em sua responsabilidade para desligar os aparelhos caso não houvesse mais saída, viria a lutar contra seu próprio filho no tribunal.

É então que começa o sofrimento. De um lado temos um marido que está sofrendo pela esposa naquela condição, mas que precisa que seu filho nasça; o problema é que não há garantia de que ele consiga chegar até o final da gestação, com Elle daquele jeito qualquer coisa pode dar errado. E do outro lado temos uma mãe que considerava Elle sua própria filha, e por mais doloroso que seja estar contra seu filho, precisa continuar com o desejo da nora. 

Eu realmente senti muita raiva de a maioria das pessoas não perceber que era uma vida que estava em jogo. E que Elle não estava sofrendo como sua mãe. Ela já estava morta. Matt precisar ir para o tribunal para decidir deixar sua esposa ligada aos aparelhos foi algo cruel demais. Mas, ao mesmo tempo parece que lutar pela vida de seu filho foi algo que não o deixou desabar após a morte da esposa. Ele tinha um propósito, e plena convicção de que sua mulher iria preferir sofrer a deixar seu filho nem ter uma chance de nascer.

A história é bastante reflexiva, e aberta a muitas possibilidades. Talvez nem todos que leiam a obra concordem com a decisão de Matt. Eu entendo que é como se ele estivesse decidindo pelo corpo de Elle, mesmo após ela deixar clara sua opinião sobre o assunto. Porém, Elle nunca pensou na possibilidade de estar grávida caso isso ocorresse. Então são escolhas delicadas e difíceis, e na trama percebemos que muitos julgaram sem se colocar no lugar daquelas pessoas.

Um pedido às estrelas ,me arrancou várias lágrimas, e eu realmente fiquei impactada com tudo o que eu li. É uma história tão triste, mas que ao mesmo tempo fala sobre esperança. Eu gostei bastante da leitura, apesar de todo drama ela foi bastante fluída. Recomendo a obra!

15 comentários:

  1. Esse livro tem uma história linda e triste, claro.
    Realmente ler um livro que as pessoas não entendem a vida que tem em jogo é revoltante.. Eu acho que essa leitura iria me deixar arrasada, sério, acho que esse livro trás muitas questão para o ser humano num todo.

    ResponderExcluir
  2. É uma história muito bonita e reflexiva.
    Não consegui entender como a mãe dele brigou por isso, mas a autora conduziu de uma forma muito bacana e que permitiu o crescimento do personagem.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Caramba, eu imagino quão emocionante a história seja. Realmente é uma questao delicada e nesse caso eu estaria ao lado de Matt, algo que eles lutaram tanto, que era o sonho da esposa também, nada mais justo né? Esse livro sempre está tão baratinho que na proxima vez que encontrar uma promoção vou dar uma chance!

    ResponderExcluir
  4. Bom, o livro parece ser realmente muito emocionante. Fiquei tentada a ler, mas existe um erro grave aí... Pelo menos até onde eu sei, um médico não pode atender nenhum parente, pois o lado sentimental aflora e etc... Entendo que se trata apenas de uma ficção, mas é importante, mesmo nas ficções, ser o mais condizente possível com a realidade.
    Mas ainda assim parece uma obra linda

    Xoxo,
    Abby
    Blog Linhas Tortas

    ResponderExcluir
  5. Oi, Andressa.
    Nossa, eu não conhecia o livro, mas já fiquei interessada na leitura. Parece ser uma obra muito emocionante e envolvente. Acho que pode ser um livro que me agradaria bastante e quero poder ler em breve, espero gostar porque criei altas expectativas.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Esse livro deve ser um mergulho profundo em vários questionamentos. Sem dúvidas é uma leitura para derramar algumas lágrimas, confesso que fiquei bem curiosa sobre o que será decidido nesse momento tão delicado da personagem.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  7. Que resenha maravilhosa! Enquanto você falava da história meus olhos iam se enchendo de lágrimas. Estou muito emocionada e ainda nem li o livro. Imagina quando ler!

    Senti muita raiva da mãe do Matt. Era morte cerebral, pelo amor de Deus! Será que ela não podia simplesmente cuidar da porcaria da própria vida e deixar o Matt fazer o possível para que seu filho, fruto do amor que existia entre ele e a esposa, nascesse?! As pessoas amam se meter na vida dos outros. Opinar, decidir. Quando poderiam simplesmente tomar conta da droga da própria vida! Sim, estou com muita raiva. É inaceitável uma coisa dessa. Como você mesma disse, por mais triste que fosse, Elle estava morta. Seu filho, não. Ele tinha uma chance.

    Quero muito ler a história, mas sei que irei chorar demais. :(

    ResponderExcluir
  8. Oi.

    Eu não conhecia esse livro, acredita? Mas eu adorei a sua resenha e suas considerações finais sobre o Matt. É muito complicado tudo isso, não sei se sou capaz de julgar ou formar uma opinião, porque tem coisa que a gente só sabe quando passa. Enfim, adoro livros com esse tom reflexivo e acho que vou me debulhar em lágrimas assim como você. Anotei a dica!

    beijos :)

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bom?
    Eu não conhecia o livro até então, mas só posso dizer que já quero! Eu sei que vou chorar, sei que vou sofrer durante a leitura, mas preciso ler esse livro. Só lendo sua resenha já estou com raiva da mãe de Matt e super concordo com a decisão dele de não desligar os aparelhos até o bebê nascer. Já sei que esse é um livro que vai me fazer sofrer ao mesmo tempo que me deixará com raiva, mas a única coisa que eu posso fazer é ler ele!

    Beijos!
    https://www.manuscritoliterario.com.br

    ResponderExcluir
  10. Gostei muito da obra, só tendo em foco o que você falou sobre ela . Percebi que o enredo é de tirar o fôlego e deve ser emocionante a cada linha , fiquei muito querendo ler esse livro . Confesso que pela capa ele não me convenceu, mas suas impressões mudaram minha opinião inicial . Bexus @prefirolercomcalma

    ResponderExcluir
  11. Oi Andressa,
    Eu tenho vontade de ler esse livro desde que ele foi lançado, mas sabe quando o tempo passa e a gente deixa pra lá? Foi isso que aconteceu. A história é muito profunda e bastante reflexiva. Eu acho que teria a mesma atitude do Max e espero que ele consiga salvar seu filho, mesmo que perca a esposa.
    Vou tentar encaixar entre as próximas leituras, pois é uma obra muito interessante.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bom?

    Eu ainda não li esse livro, nem sabia do que a trama se tratava. Porém, eu tinha achado a capa bonita e pensei que se fosse uma obra de romance. Ledo engano. Sei que pode ser um livro pesado e que isso irá me afetar psicologicamente, mas é diferente de tudo o que já li e sempre tento sair da minha zona de conforto. Acredito que é uma incrível obra para eu refletir e ver se tomaria as mesmas decisões dos personagens - é uma carga bem grande e não sei o que eu faria no lugar deles, se concordaria com a mãe/sogra ou com o marido. Então, depois da sua resenha, planejo ler essa obra o mais rapidamente possível.

    Enfim, adorei a resenha e agradeço a indicação :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bom?
    Caramba, que trama forte! Eu via a capa desse livro e sempre pensei em um romance água com açúcar, no entanto, nunca imaginei que fosse uma história que tratasse de perdas, desejos, ética e moral. Fiquei com o coração apertado aqui só de pensar em tudo o que o personagem teve que passar para tentar trazer seu filho ao mundo. Já anotei a sugestão, espero poder ler em breve ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Olá Andressa!!!
    Eu não conhecia o livro e nem a autora, e realmente fica difícil se colocar na situação que o personagem está pois ao mesmo tempo que ele está lutando pelo bebê tem a questão da vontade da esposa dele. Sinceramente eu no lugar do personagem faria a mesma coisa e sei que é uma decisão complicada, mas nunca se foi pensado se tivesse um bebê então acho que compreendo o mesmo.
    O livro realmente vai trazer uma trama complexa e que fará as pessoas refletirem em relação a isso, e sim pelo jeito é mais uma leitura a se colocar na lista para ler.
    Adorei a resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Olá Andressa,
    já na sinopse é possível notar a carga dramática que essa história carrega. Fiquei extremamente comovida com a sua descrição da história. Concordo com você, achei cruel Matt ter que lutar na justiça para manter o filho vivo, mesmo com toda a situação atípica. Fico feliz que de alguma forma essa busca dele o tenha mantido firme e lhe tenha dado um propósito. Espero sinceramente que tenha dado tudo certo no final porque já inclui esse livro na minha lista de desejados e não quero sofrer mais que o extremamente necessário rs.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir