quarta-feira, 13 de junho de 2018

[Resenha] O francês que caiu do céu

|
Autor: Wagner Grillo
Páginas: 156
Editora: Scortecci
Neste livro, Wagner Grillo apresenta uma coletânea de contos em que temas públicos misturam-se ao universo de nossas fixações mais íntimas. Os textos são ora fantásticos, ora reais, expõe a condição humana de uma sociedade sem respostas para os que se consideram corretos. Sexualidade, miséria, arte, memória, medo. Ao usar as atividades diárias como base essencial para os seus textos, o autor associa fato e ficção mostrando paixões e taras que talvez muitos preferissem esconder.






O francês que caiu do céu é um livro de contos, e apesar de adorar este tipo de leitura, eu nunca li nada com a temática que o autor colocou em sua obra: a natureza humana em seu pior. Com críticas sociais e trazendo muita realidade em sua escrita, o autor trata sobre assuntos polêmicos de forma muito marcante.

Até a metade do livro eu ainda não tinha decidido se havia gostado da leitura. Mas, conforme fui avançando nos contos, percebi que tudo o que foi mostrado é nossa realidade: corrupção, tráfico de drogas, adultério, ambição e sexo. São assuntos que vemos muito ultimamente nos jornais. E talvez por isso eu tenha ficado indecisa quanto gostar ou não da leitura, afinal, nunca é bom ler esse tipo de situação.

O primeiro conto, A morta viva, conta a história de Eduardo, que perdeu seu grande amor, e desde então também a vontade de viver. Sua mãe decide chamar seu primo, que foi seu grande companheiro na infância, para tirá-lo dessa situação, o desfecho dessa história é surpreendente. E o final não é feliz.

Outro conto marcante é O conquistador, onde mostra um homem casado e com filhos traindo sua esposa. No final, há uma reviravolta surpreendente, e que mais uma vez mostra a traição e ambição do ser humano.

Cada história é muito envolvente, mas terminam rapidamente, deixando o leitor com aquele gostinho de quero mais. Se você gosta de textos que mostram a crueldade e te fazem sentir certa repulsa, esse livro é um prato cheio. O francês que caiu do céu é uma obra que te faz questionar e pensar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário