segunda-feira, 16 de julho de 2018

[Resenha] Tudo pode acontecer

| 6 comentários
Autor: Will Walton
Páginas: 246
Editora: Vergara & Riba
Tretch Farm vive em uma cidadezinha no interior dos Estados Unidos onde todo mundo sabe da vida de todo mundo. O que torna ainda mais difícil o fato de ele estar apaixonado por Matt, seu melhor amigo. Matt não desconfia de absolutamente nada e Tretch não sabe se isso é bom ou ruim... Para ele o problema não é apenas com Matt. Sua família não tem ideia de quem ele realmente é e o que ele realmente pensa no auge dos seus quinze anos. sua mãe acredita que o filho está prestes a sair com uma garota. E Bobby Handel, que sempre insinua que Tretch é gay na escola, mal sabe que está bem perto da verdade. Aos poucos essa história revela que viver uma mentira pode não ser a melhor escolha para alguém que busca a felicidade.




Tudo pode acontecer é um livro que fala sobre a descoberta do primeiro amor e da sexualidade. Eu estava esperando uma leitura delicada e fácil de se envolver, e a sinopse não me enganou, eu encontrei tudo isso na narrativa do autor, que com muita simplicidade mostra como é se descobrir apaixonado por seu melhor amigo, além de toda parte dramática de se revelar aos familiares sobre ser gay. Will Walton consegue nos cativar com essa trama tão sensível, mas já aviso que se você está esperando algo do tipo: garoto se apaixona pelo amigo hétero e os dois têm um final feliz, bom... pode desconsiderar essa opção, pois o foco é realmente mostrar como é lidar com todos esses sentimentos e, ao mesmo tempo, se aceitar e mostrar ao mundo quem você é.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

[Resenha] O reino secreto de Todd

| 9 comentários
Autora: Louise Galveston
Páginas: 256
Editora: #irado
COMO FOI QUE ELE SE TORNOU UM DEUS POR ACIDENTE?INGREDIENTE A: meias esportivas muito usadas
INGREDIENTE B: imundicie do GRANDE e Poderoso TODD (em pessoa)!
INSTRUÇÕES: deixar embaixo da cama por meses e meses. NÃO ARRUMAR O QUARTO
Mas atenção! Quando o valentão da escola, Max Loving, coloca em risco o futuro da minúscula civilização toddliana, Todd terá que fazer tudo o que estiver ao seu alcance para salvar essa raça que ele mesmo criou sem querer.
Perfeito para os fãs de livros de aventura que saem da mesmice, O REINO SECRETO DE TODD vai fazer você rir bem alto. Descubra o que acontece quando você deixa a roupa suja jogada no chão...



O reino secreto de Todd é um infantojuvenil publicado pelo selo #irado, da Novo Conceito. O selo é voltado para o público jovem, e este já é o terceiro título que eu leio. Eu simplesmente adoro esse tipo de leitura, principalmente quando intercalo com outras mais longas. A história é divertida e muito fluída, com algumas ilustrações a autora consegue nos encantar com um enredo fácil de se envolver e um personagem muito carismático.

terça-feira, 10 de julho de 2018

[Resenha] Reino das névoas

| 0 comentários
Autora: Camila Fernandes
Páginas: 168
Editora: Tarja Editorial
Um livro. Sete contos de fadas para adultos. Novos contos de fadas, não releituras dos clássicos, que brincam com seus elementos tradicionais: príncipes e princesas, bruxas (boas e más), maldições, bosques misteriosos, feras falantes. Mas com uma roupagem adulta, sem censura nem maniqueísmo.Nada de lutas do bem contra o mal: a dualidade está presente em todos e é dentro de cada um de nós que a grande luta ocorre. Estas narrativas procuram resgatar a essência dos contos de fadas originais, contados ao pé do fogo numa época em que não havia divisão entre “histórias para adultos” e “histórias para crianças”.





Reino das névoas, da Camila Fernandes, é uma obra com sete contos, onde a autora cria suas histórias com os mesmos elementos que encontramos em contos de fadas, no entanto, não exatamente com um final feliz. Camila deixou os contos extremamente sombrios, e com um toque de realidade: temas como estupro, ambição e violência estão presentes. 

sábado, 7 de julho de 2018

[Resenha] Dona Flor e seus dois maridos

| 0 comentários
Autor: Jorge Amado
Páginas: 448
Editora: Record
Dona Flor E Seus Dois Maridos - Um dos romances mais populares de Jorge Amado, levado com êxito ao cinema, ao teatro e à televisão, Dona Flor e seus dois maridos conta a história de Florípedes Paiva, que conhece em seus dois casamentos a dupla face do amor: com o boêmio Vadinho, Flor vive a paixão avassaladora, o erotismo febril, o ciúme que corrói. Com o farmacêutico Teodoro, com quem se casa depois da morte do primeiro marido, encontra a paz doméstica, a segurança material, o amor metódico.Um dia, porém, Vadinho retorna sob a forma de um fantasma capaz de proporcionar de novo à protagonista o êxtase dos embates eróticos. Por obra da fantasia literária de Jorge Amado e da intervenção das entidades do candomblé, Flor consegue conciliar no amor o fogo e a calmaria, a aventura e a segurança, a paixão e a gentileza.
Lançada em 1966, esta narrativa ousada e exuberante, plena de humor e ironia, é uma saborosa crônica de costumes da Bahia da primeira metade do século XX e um retrato inventivo das ambiguidades que marcam o Brasil.


Nessa segunda experiência com Jorge Amado, admito que já entrei de cabeça cheia de expectativa e não me decepcionei. Apesar de não ter resenhado Tieta do Agreste – provavelmente por receio de não descrever o livro a altura da genialidade do autor – a segunda obra lida por mim me deu a coragem que faltava para uma resenha. Mas volto a repetir o que já mencionei em outras resenhas de obras de importância, não esperem uma análise do livro como um clássico, pois não é meu objetivo e não possuo o conhecimento necessário para oferecer uma avaliação profissional. Segue aqui apenas a opinião de uma simples leitora.

sexta-feira, 6 de julho de 2018

[Resenha] Encarcerados

| 8 comentários
Autor: Alexander Gordon Smith
Páginas: 294
Editora: Benvirá
Série: Fuga de Furnace, 1
De um dia para outro, Alex Sawyer passou de valentão a delinquente juvenil. Os trocados arrancados dos garotos na escola já não eram suficientes, e, com a ajuda de seu melhor amigo, Toby, começou a cometer pequenos furtos na vizinhança. Até que uma noite, homens fortes, de terno preto, e um esquisitão usando uma máscara de gás cruzaram o caminho dos dois. Toby foi cruelmente assassinado e Alex, preso e acusado pela morte do amigo. Seu novo lar? A Penitenciária de Furnace, um buraco - literalmente - para onde todos os garotos condenados são enviados, e de onde só é possível sair morto. Com guardas sádicos e criaturas terríveis responsáveis pela segurança, Furnace é o inferno. O lugar é infestado de criminosos - como as perigosas gangues Caveiras e os Cinquenta e Nove - mas também há muitos garotos que, como Alex, foram presos por crimes que não cometeram. Como escapar e provar sua inocência? Em quem confiar? O que na verdade era Furnace: um reformatório? Um depósito? Ou, pior, um laboratório maligno?


Encarcerados é o primeiro livro da série Fuga de Furnace, do autor Alexander Gordon Smith. Quem publica a série no Brasil é a Benvirá, e quatro livros já foram lançados. Esse primeiro volume está nos meus desejados há muito tempo, consegui ele em uma troca no Skoob, mas o livro ainda ficou parado na minha estante por alguns meses. Por conta do TBR jar que eu resolvi fazer esse ano, ele foi um dos sorteados de maio, e eu finalmente consegui iniciar a série. A sinopse e a capa foram dois motivos que me fizeram querer ler Encarcerados, mas eu preciso dizer que minhas expectativas foram superadas de forma surpreendente. Sim, eu já esperava gostar da leitura, mas o que eu encontrei me deixou ainda mais empolgada pela série em si.

terça-feira, 3 de julho de 2018

Pilha de leitura #62

| 16 comentários

Boa noite, leitores! Esse post está um pouco atrasado, mas vamos lá! Em junho eu li os dez livros que eu havia escolhido para a pilha de leitura, e eu jurava que não ia conseguir, teve dias que eu não estava nem um pouco pilhada para ler. Esse mês que passou eu não tive nenhuma leitura que eu me decepcionei, como aconteceu em maio. E é difícil escolher um favorito, mas acho que vou de A mulher na janela, um thriller de tirar o fôlego! Vamos conferir o que eu andei lendo?! :)

domingo, 1 de julho de 2018

Caixinha de correio #131

| 2 comentários

Boa noite, leitores! Está no ar a caixinha de correio com tudo o que eu recebi em junho. Esse mês que passou eu não fiz nenhuma compra (amém!), então eu tenho praticamente só os livros de parceria para mostrar para vocês. Vamos lá?!

sábado, 30 de junho de 2018

[Resenha] A faca sutil

| 8 comentários
Autor: Philip Pullman
Páginas: 288
Editora: Suma
Trilogia: Fronteiras do Universo, 2
Perdida em um mundo novo, Lyra Belacqua encontra Will Parry — um fugitivo que logo se torna um aliado mais que necessário. Pois este novo mundo é povoado por Espectros sugadores de alma, e no céu as feiticeiras disputam espaço com anjos. Will procura pelo pai, um explorador desaparecido há anos, e Lyra busca a origem do Pó. No entanto, o que os dois encontram é um segredo mortal e uma arma de poder absoluto, capaz de decidir o resultado na guerra que se forma ao redor deles. O que nenhum dos dois suspeita é do quanto suas vidas, seus objetivos e seus destinos estão conectados... até que precisam se separar. A faca sutil é a viciante sequência de A bússola de ouro, um clássico da fantasia considerado pela Entertainment Weekly “o melhor livro de todos os tempos”. A fantástica aventura de Lyra continua, levando o leitor a novos mundos, rumo a uma descoberta devastadora.

1. A bússola de ouro

A faca sutil
 é o segundo livro de Fronteiras do universo, do autor Philip Pullman. Eu reli e resenhei o volume anterior há pouco tempo aqui no blog, e eu preciso dizer que é muito bom pegar uma leitura de série tão próxima assim, pois eu estava com vários detalhes da trama ainda na memória. Essa continuação conseguiu ser ainda melhor que A bússola de ouro, enquanto no livro anterior tivemos uma boa introdução dos elementos (e poucas respostas à respeito do Pó, por exemplo), aqui a narrativa é mais dinâmica e dá desenvolvimento a tudo o que foi descrito anteriormente. Sim, ainda ficamos com algumas dúvidas, mas percebemos que tudo vai se encaminhando para um final de tirar o fôlego.

terça-feira, 26 de junho de 2018

[Resenha] Uma proposta e nada mais

| 11 comentários
Autora: Mary Balogh
Páginas: 272
Editora: Arqueiro
Série: Clube dos sobreviventes, 1
Primeiro livro da série Clube dos Sobreviventes, Uma Proposta e Nada Mais é uma história intensa e cativante sobre segundas chances e sobre a perseverança do amor.
Após ter tido sua cota de sofrimentos na vida, a jovem viúva Gwendoline, lady Muir, estava mais que satisfeita com sua rotina tranquila, e sempre resistiu a se casar novamente. Agora, porém, passou a se sentir solitária e inquieta, e considera a ideia de arranjar um marido calmo, refinado e que não espere muito dela.
Ao conhecer Hugo Emes, o lorde Trentham, logo vê que ele não é nada disso. Grosseirão e carrancudo, Hugo é um cavalheiro apenas no nome: ganhou seu título em reconhecimento a feitos na guerra. Após a morte do pai, um rico negociante, ele se vê responsável pelo bem-estar da madrasta e da meia-irmã, e decide arranjar uma esposa para tornar essa nova fase menos penosa.
Hugo a princípio não quer cortejar Gwen, pois a julga uma típica aristocrata mimada. Mas logo se torna incapaz de resistir a seu jeito inocente e sincero, sua risada contagiante, seu rosto adorável. Ela, por sua vez, começa a experimentar com ele sensações que jamais imaginava sentir novamente. E a cada beijo e cada carícia, Hugo a conquista mais – com seu desejo, seu amor e a promessa de fazê-la feliz para sempre.


Uma proposta e nada mais é o primeiro volume da série Clube dos sobreviventes, da Mary Balogh. Eu já li outros livros dessa autora, e eu simplesmente amo sua escrita. Ela sabe escrever romances de época envolventes e com personagens que cativam o leitor. E essa leitura não foi diferente. Aliás, esse livro tem uma narrativa mais madura, e com uma personagem que nos conquista não por ser uma mocinha cheia de opinião e impulsiva, mas por ser prudente. Ler romance de época é algo que eu nunca vou cansar de fazer, ainda mais quando eu encontro um livro que me conquista da forma como Uma proposta e nada mais fez. 

domingo, 24 de junho de 2018

[Lançamentos] Faro Editorial

| 2 comentários

Boa noite, leitores! Estou trazendo para vocês os últimos lançamentos da Faro Editorial de junho e julho. Dança na escuridão é a continuação de Horror na colina de Darrington, e eu estou muito empolgada por esse livro, eu adorei o primeiro (tem resenha no blog!). E a editora quer nos matar do coração: dois livros da Lauren Blakely? ♥♥ 

sábado, 23 de junho de 2018

[Resenha] Bunker

| 24 comentários
Autor: Kevin Brooks
Páginas: 272
Editora: Vergara & Riba
Seis pessoas capturadas e trancafiadas em um bunker, sem contato algum com o exterior. Seis vidas, seis personalidades que poderiam jamais se cruzar, passam a coabitar o mesmo espaço. Linus, um adolescente de 16 anos; Jenny, uma menina de 9 anos; Fred, um dependente químico; Anja, uma mulher elegante e atraente de aproximadamente 30 anos; William Bird, um executivo de 38 anos e Russell Lansing, um físico de 70 anos com a saúde debilitada. Câmeras e microfones registram qualquer movimento das seis vítimas. Não há portas nem janelas. Mas quem os observa? Por que eles foram os escolhidos? É através do olhar de Linus, o primeiro capturado, que adentramos esse lugar. Os registros em seu diário delineiam a perturbadora arquitetura do bunker – espaço intransponível em que a humanidade é colocada à prova, numa espécie de voyeurismo sádico, bárbaro e impiedoso.


Bunker é um livro que eu queria ler desde que lançou, e apesar de já tê-lo na estante há alguns meses, eu nunca encontrava tempo para encaixar a obra nas minhas leituras, eu sempre passava outros livros na frente. Bem, ele foi um dos sorteados da minha TBR Jar, e finalmente eu concluí a leitura. E o que eu posso dizer? Estou de certa forma impactada, e tive meus momentos de angústia, realmente, no entanto, só me vem uma palavra na cabeça quando penso nesse livro: decepção. A trama me empolgou bastante, eu nunca havia lido uma história com esse tipo de desenvolvimento: seis pessoas sequestradas e trancafiadas em um bunker. Enfim... só que não temos respostas de praticamente nada: quem é essa pessoa e qual o motivo de tudo isso?

quinta-feira, 21 de junho de 2018

[Resenha] Minha vida fora dos trilhos

| 9 comentários
Autora: Clare Vanderpool
Páginas: 320
Editora: DarkSide
A protagonista de MINHA VIDA FORA DOS TRILHOS, Abilene Tucker, tem apenas 12 anos, mas é corajosa e impetuosa o suficiente para encontrar aventuras na pequena cidade de Manifest, Kansas, um fim de mundo para onde seu pai a enviou de trem a fim de passar o verão sob a tutela de um velho conhecido enquanto ele trabalha em uma ferrovia.
O que parecia ser o período mais solitário e entediante de sua vida ganha um novo e surpreendente rumo quando Abilene encontra uma velha caixa de charutos com cartas antigas e pequenas lembranças de outros tempos. Aos olhos curiosos da menina, a caixa se torna uma verdadeira arca do tesouro, onde segredos enterrados conectam dois momentos da cidade. A partir de então, o livro se divide em duas narrativas cronológicas: passado e presente se misturam, daquela maneira mágica que só um bom livro consegue contar. Os acontecimentos vão da época da Primeira Guerra Mundial à Grande Depressão norte- americana dos anos 1930, com soberba fidelidade histórica que ajudam a construir esta narrativa de perda e redenção.


Minha vida fora dos trilhos é o primeiro livro que eu leio da Clare Vanderpool. A obra foi publicada pela DarkSide numa edição linda em capa dura, e eu confesso que comprei por conta disso, nem havia lido muito sobre a história. Meu primeiro contato com a escrita da autora, no entanto, não foi das melhores. A trama não conseguiu me cativar completamente, e eu fiquei levemente decepcionada com isso, já que o enredo tinha um grande potencial para ser uma das melhores leituras do mês.

quarta-feira, 20 de junho de 2018

[Resenha] Dentes de dragão

| 13 comentários
Autor: Michael Crichton
Páginas: 304
Editora: Arqueiro
Em 1876, no inóspito cenário do Oeste americano, os famosos paleontólogos e arquirrivais Othniel Marsh e Edwin Cope saqueiam o território à caça de fósseis de dinossauros. Ao mesmo tempo, vigiam, enganam e sabotam um ao outro numa batalha que entrará para a história como a Guerra dos Ossos.
Para vencer uma aposta, o arrogante estudante de Yale William Johnson se junta à expedição de Marsh. A viagem corre bem, até que o paranoico paleontólogo se convence de que o jovem é um espião a serviço do inimigo e o abandona numa perigosa cidade.
William, então, é forçado a se unir ao grupo de Cope e eles logo deparam com uma descoberta de proporções históricas. Mas junto com ela vêm grandes perigos, e a recém-adquirida resiliência de William será testada na luta para proteger seu esconderijo de alguns dos mais ardilosos indivíduos do Oeste.


Imagine uma aventura no Velho Oeste americano: índios, pistoleiros, contrabandistas, escavações, muita poeira, longos caminhos e paisagens inóspitas; e no meio de tudo isso, rapazes universitários enviados pelos pais a um destino incerto para desenvolverem algum brio, numa jornada cheia de aventuras, dificuldades, desafios e mortes.

terça-feira, 19 de junho de 2018

[Resenha] Rio vermelho

| 10 comentários
Autora: Amy Lloyd
Páginas: 276
Editora: Faro Editorial
Há vinte anos, Dennis Danson foi preso pelo assassinato brutal de uma jovem no condado de Red River, na Flórida. Agora ele é o assunto de um documentário sobre crimes reais que está lançando um frenesi online para descobrir a verdade e libertar um homem que foi condenado erroneamente. A mil milhas de distância na Inglaterra, Samantha está obcecado com o caso de Dennis. Ela troca cartas com ele e é rapidamente conquistada por seu aparente charme e bondade para ela. Logo ela deixou sua velha vida para se casar com ele e fazer campanha para sua libertação. Mas quando a campanha é bem sucedida e Dennis é libertado, Sam começa a descobrir novos detalhes que sugerem que ele pode não ser tão inocente...




Rio vermelho, de Amy Lloyd, é um thriller psicológico de tirar o fôlego! Eu iniciei a leitura já esperando gostar muito da trama, e realmente não foi diferente, no entanto, eu não esperava pegar tanto ódio da personagem principal como aconteceu. Eu passei boa parte da história revirando os olhos para as decisões que ela tomava, e só tenho uma palavra para ilustrar meus sentimentos: ranço. Mas, calma! Eu ter odiado a personagem e suas ações não fizeram a leitura ser ruim, pelo contrário, Amy consegue desenvolver o enredo de forma muito segura. Apesar de o livro não ter grandes reviravoltas, toda a pressão psicológica e dúvidas sobre o caráter dos personagens fizeram com que a leitura fosse ainda mais emocionante.

sábado, 16 de junho de 2018

[Resenha] Um amor perdido

| 4 comentários
Autora: Alyson Richman
Páginas: 336
Editora: Bertrand Brasil
Separados pela guerra, ligados pela memória: uma história envolvente e instigante no rastro da Segunda Guerra Mundial.
Na Praga do pré-guerra, Lenka, uma jovem estudante de arte, apaixona-se por Josef, um médico recém-formado. Eles vivem cheios de ideais e de sonhos para o futuro, mas também são judeus e muito ligados à família. Casam-se, mas, pouco tempo depois, como tantas outras famílias, são separados pela guerra. As escolhas impostas pelo destino os afastam, mas deixam marcas permanentes: o caos e as informações truncadas dos tempos de guerra os levam a crer que o outro morre.
Na América, Josef torna-se um obstetra bem-sucedido e constrói uma família, apesar de nunca esquecer a mulher que acredita ter morrido. No gueto de Terezín, Lenka sobrevive graças aos seus dotes artísticos e à memória de um marido que julgava nunca voltar a ver. Apesar de todas as provações e dos infortúnios, mantém a chama daquele primeiro amor acesa, guardada em seu coração.
Da glamorosa vida em Praga antes da ocupação aos horrores da Europa nazista, Um Amor Perdido explora o poder do primeiro amor, a resiliência do espírito humano e a eterna capacidade de recordar.


Eu recebi a caixinha do V.I.B (very important book) com a prova antecipada de Um amor perdido bem no mês em que eu ia fazer a leitura de O menino da lista de Schindler, uma obra que também se passa na Segunda Guerra Mundial, e meu coração já pesou de saber que eu ia sofrer com duas histórias diferentes, mas com o mesmo pano de fundo. Esse lançamento é um livro que antes mesmo de receber eu já queria muito ler, e fiquei bem contente de ter a oportunidade de ler antes de todo mundo! Um amor perdido é baseado em fatos reais, e esse é o tipo de história que comove ainda mais quando sabemos disso. 

quarta-feira, 13 de junho de 2018

[Resenha] O francês que caiu do céu

| 0 comentários
Autor: Wagner Grillo
Páginas: 156
Editora: Scortecci
Neste livro, Wagner Grillo apresenta uma coletânea de contos em que temas públicos misturam-se ao universo de nossas fixações mais íntimas. Os textos são ora fantásticos, ora reais, expõe a condição humana de uma sociedade sem respostas para os que se consideram corretos. Sexualidade, miséria, arte, memória, medo. Ao usar as atividades diárias como base essencial para os seus textos, o autor associa fato e ficção mostrando paixões e taras que talvez muitos preferissem esconder.






O francês que caiu do céu é um livro de contos, e apesar de adorar este tipo de leitura, eu nunca li nada com a temática que o autor colocou em sua obra: a natureza humana em seu pior. Com críticas sociais e trazendo muita realidade em sua escrita, o autor trata sobre assuntos polêmicos de forma muito marcante.

segunda-feira, 11 de junho de 2018

[Resenha] O clube dos oito

| 15 comentários
Autor: Daniel Handler
Páginas: 400
Editora: Seguinte
Como um grupo de jovens estudantes bem-educados acabou se envolvendo num escândalo que chocou um país? Por que tantos especialistas em comportamento juvenil têm algo a dizer quando o assunto é o Clube dos Oito? Até quando inúmeras manchetes de jornal e programas de TV sensacionalistas vão explorar o caso nos mínimos detalhes? Para fazer com que a verdade venha à tona, Flannery Culp, a dita líder do Clube, decide tornar público o diário que manteve ao longo do seu desastroso último ano de ensino médio. Agora que está presa por cometer um assassinato, a garota tem tempo de editar o que escreveu e revisitar a rotina que levava ao lado de seus sete melhores amigos. A narrativa de Flan, permeada de professores da pior índole, um amor não correspondido, aulas complicadas e jantares pomposos, comprova que ela pode até ser uma adolescente criminosa — mas, pelo menos, é uma adolescente criminosa muito inteligente.


O clube dos oito, do autor Daniel Handler, possui uma sinopse que me fez querer o livro na hora! Um clube de adolescentes, assassinato, romance... Sério, fiquei imediatamente curiosa para ler. E, acho que por conta de tanta empolgação, a decepção foi ainda maior. O problema não é saber desde o início quem é o assassino, e sim, o desenvolvimento da trama e dos personagens. Eu achei que esse seria um livro mais sério, mas o autor - que também escreveu Desventuras em série - trouxe um pouco de sarcasmo e humor negro para essa trama, o que deixou algumas situações sem sentido, e um pouco toscas.

sexta-feira, 8 de junho de 2018

[Resenha] A viajante do tempo

| 12 comentários
Autora: Diana Gabaldon
Páginas: 752
Editora: Arqueiro
Série: Outlander, 1
Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.
Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro das Terras Altas, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo pelo escocês. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?


A viajante do tempo é o primeiro livro da série Outlander, da Diana Gabaldon. Ela está sendo republicada no Brasil pela Editora Arqueiro. Há um seriado baseado nos livros, que já está indo para quarta temporada, e recentemente a editora relançou as obras com capas da adaptação. Eu ainda não tive coragem de começar a assistir o seriado, e parte disso é porque até então eu ainda não tinha iniciado a leitura da série. E ler os livros sempre foi algo que me assustou, vocês já viram o tamanho de cada um deles? Dá para matar alguém com eles. Meu medo de pegar leituras tão extensas assim sempre foi de acabar sendo algo maçante e que não fosse terminar nunca. E no caso de Gabaldon, ainda tinha o medo de chegar um momento e perceber que a autora se perdeu, ou que nem tem tanta história para contar assim.

quarta-feira, 6 de junho de 2018

[Resenha] Contra todas as probabilidades do amor

| 13 comentários
Autora: Rebekah Crane
Páginas: 240
Editora: Faro Editorial
Sejam bem-vindos ao acampamento Pádua. Um retiro de verão para adolescentes problemáticos. Mas não se tratam de problemas comuns, como não querer estudar, mentir ou colar na prova. Não! Estamos falando de problemas reais. Alguns deles tão grandes, tão sérios, que até um adulto desmoronaria sob o peso deles. No acampamento, Zander, uma garota enviada pelos pais contra a sua vontade, encontra uma série de adolescentes na mesma situação, e com três deles ela estabelece uma relação de amizade — Grover, Alex e Cassie. Todos os quatro são tão diferentes quanto as pessoas podem ser, mas têm algo em comum — eles estão quebrados por dentro. Em meio às sessões de grupo e, à medida em que o verão dá as caras, os quatro revelam seus trágicos segredos. Zander encontra-se atraída pelos encantos de Grover, e então começa a se perguntar, depois de muito tempo, se pode apostar em ser feliz novamente.Mas, antes, ela precisa lidar abertamente com seus problemas, para poder juntar seus pedaços e reconstruir sua vida
Você pode pensar que se trata de uma história triste. E há partes duras sim, mas, Rebekah Crane consegue mostrar como na dificuldade podemos encontrar uma saída. Isso é uma das coisas que faz o livro completamente encantador, divertido e doce, capaz de deixar em você um grande sorriso no rosto.

Contra todas as probabilidades do amor foi um livro que me surpreendeu muito. Eu estava esperando um romance jovem, e apesar de a sinopse já informar que tem adolescentes problemáticos e tudo mais, eu não imaginava que a autora iria tratar dos assuntos de forma tão madura e real. Então, essa história não tem nada de leve, ela mostra adolescentes com problemas intensos. Rebekah Crane aborda temas importantes, retratados em personagens cativantes, e ainda assim tem um tom mais leve e divertido.  

terça-feira, 5 de junho de 2018

[Resenha] O jogo das sombras

| 11 comentários
Autora: Christine Feehan
Páginas: 368
Editora: Universo dos Livros
Série: Ghostwalkers, 1
Christine Feehan, autora premiada e best-seller do The New York Times e do USA Today apresenta o primeiro livro de sua série Ghostwalkers – O jogo das sombras, um livro intenso, sombrio e incrivelmente seduzente. Este experimento secreto é criação do renomado cientista Peter Whitney e sua brilhante filha, Lily. Criado para aprimorar as habilidades psíquicas de um esquadrão de elite, as transformações permitem que o poder mental desses homens se transforme em uma incrível arma militar. Entretanto, as cobaias começam a morrer misteriosamente nos laboratórios secretos, sempre vítimas de acidentes bizarros, e o capitão Ryland Miller sabe que ele será o próximo. Quando o dr. Whitney é assassinado, Ryland sabe que agora só poderá confiar na bela Lily. Possuidora de um sexto sentido excepcional, ela compartilha com Ryland cada novo medo, cada traição e cada suspeita que surge nos laboratórios. Contudo, ambos compartilham muito mais do que os próprios medos e terão de lidar com a paixão que os atrai enquanto desvendam os segredos por trás de tantas mortes.

O jogo das sombras é o primeiro livro de Ghostwalkers, nova série da Christine Feehan. Eu li a sinopse e achei tão diferente e empolgante. Um esquadrão de elite com poder mental? Wow, que demais, certo? E, assim como nos outros livros da autora, eu já esperava um romance de tirar o fôlego. Minha empolgação por essa leitura foi realmente muito grande, e quando o livro finalmente chegou eu precisei colocar ele no topo da lista de leituras. E, bem, que decepção! Eu fiquei mais tempo do que o esperado lendo esse livro, e eu não via a hora de acabar.

domingo, 3 de junho de 2018

[Resenha] A queda da Bastilha

| 0 comentários
Autora: Leila Krüger
Páginas: 63
Editora: Confraria do vento
"Da Leitura de A Queda da Bastilha ficam algumas conclusões: a primeira é que a poesia brasileira ganha uma nova e exímia autora; a segunda é que é possível, recolhendo elementos cotidianos, transformá-los em poesia falando deste ente tão extraordinário que é o ser humano." (Roberto Schmitt-Prym)








A queda da Bastilha é um livro de poemas, escrito por Leila Krüger, e possui diversos sentimentos em cada linha. A autora é de um talento indescritível ao nos trazer poemas tão belos e íntimos, e que falam sobre nosso dia a dia. Eu gosto muito deste tipo de leitura, mas estava sem ler algo do gênero há um bom tempo. Essa obra é daquelas que você pode deixar na cabeceira da cama e ir lendo aos poucos.

sábado, 2 de junho de 2018

Pilha de leitura #61

| 7 comentários

Boa noite, leitores! Está no ar mais uma pilha de leitura, e a de maio não foi muito boa, li apenas oito livros. :( Esse mês que passou eu estava bem distraída com as leituras, e teve também a segunda temporada de 13 reasons why que me tirou um pouco a atenção dos livros. Eu espero que em junho eu consigo voltar ao ritmo normal. Vamos conferir o que eu andei lendo?

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Caixinha de correio #130

| 15 comentários

Boa noite, leitores! E vamos para mais uma caixinha de correio, tenho muita coisa para mostrar para vocês. Em maio acabei comprando alguns livrinhos, mesmo colocando como meta não comprar mais nada até o final do ano. Se alguém consegue cumprir esse tipo de meta, por favor me conte como consegue. Vamos conferir tudo o que chegou por aqui?! ♥

terça-feira, 29 de maio de 2018

[Resenha] Por lugares incríveis

| 11 comentários
Autora: Jennifer Niven
Páginas: 336
Editora: Seguinte
Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.


Por lugares incríveis, da Jennifer Niven, é o segundo livro que eu leio da autora; Juntando os pedaços foi uma leitura única e delicada, mas sempre vi comentários de que essa obra era ainda mais marcante, então eu não poderia deixar de conferir. E agora que finalmente eu conheci a história de Violet e Finch estou sem chão. Essa leitura tem a hora certa de quebrar seu coração em mil pedacinhos, e apesar de ser algo que você espera, você ainda assim não está preparado para isso - eu pelo menos não estava. Essa obra é um young adult que trata sobre um tema que até então era um tabu: suicídio. Jennifer Niven consegue falar sobre esse assunto de forma delicada, e ao mesmo tempo, muito real. 

domingo, 27 de maio de 2018

[Resenha] Atraída por um highlander

| 8 comentários
Autora: Maya Banks
Páginas: 336
Editora: Universo dos Livros
Trilogia: McCabe, 1
Ewan, o mais velho dos irmãos McCabe, é um guerreiro decidido a destruir o seu inimigo. Agora que o momento é ideal para a guerra, os seus homens estão preparados e Ewan quer reaver aquilo que lhe pertence - até que uma tentação de olhos azuis e cabelo negro se atravessa no seu caminho. Mairin pode muito bem ser a salvação para o clã de Ewan, mas, para um homem que sonha com vingança, as questões do coração são um território desconhecido a conquistar.Mairin é filha ilegítima do rei e é senhora de propriedades valiosas que a obrigaram a esconder-se e a desconfiar do amor. Os seus piores receios acabam por acontecer quando é salva do perigo mas depois obrigada a casar com o seu salvador, Ewan McCabe, um homem carismático que está habituado a mandar. Mas a atração que sente pelo seu novo marido fá-la desejar o seu toque; o seu corpo ganha vida com a mestria sensual dele. E à medida que a guerra se aproxima, as forças, o espírito e a paixão de Mairin obrigam Ewan a derrotar os seus próprios fantasmas e a entregar-se a um amor que significa mais do que a vingança e a terra.


Atraída por um highlander é o primeiro livro da trilogia McCabe, da autora Maya Banks. Eu já li alguns livros dessa autora, mas nenhum deles deste gênero. Na verdade, eu nunca li nenhum tipo de história como essa. Eu percebi que as editoras estão lançados vários livros com essa pegada 'highlander', e eu confesso que fiquei curiosa para conhecer um pouco sobre esses guerreiros, e também, a cultura escocesa. Então eu não pensei duas vezes, e solicitei para a editora essa obra. E foi uma leitura além do que eu esperava. 

sábado, 26 de maio de 2018

[Resenha] As crônicas de Fiorella

| 0 comentários
Autora: Vanessa Martinelli
Páginas: 112
Editora: Saraiva
"Vida de adolescente não é moleza. Novas responsabilidades, hormônios, o adeus à infância e a entrada na vida adulta: todos têm suas boas e más recordações desses momentos – e quem ainda não tem não perde por esperar! Com Fiorella não é diferente. Ela é uma menina comum, com pais divorciados, que vive com o irmão e a mãe e vai à escola todos os dias. Ah, ela também tem uma melhor amiga, a Flávia, e uma forte queda por pasta de chocolate. A partir das crônicas narradas por ela neste livro, grande vencedor do 1º Prêmio Saraiva na categoria Literatura Juvenil, você vai se divertir e emocionar com o amadurecimento da personagem."



As crônicas de Fiorella é mais um livro juvenil da Vanessa Martinelli, mesma autora de Amigos inimigos, e novamente ela traz uma obra divertida. Nesse livro somos transportados aos nossos tempos de adolescentes. Cada crônica tem um pouco do que vivenciamos, e é impossível não acabar se identificando com alguma.

sexta-feira, 25 de maio de 2018

[Resenha] Tudo o que acontece aqui dentro

| 14 comentários
Autor: Júlio Hermann
Páginas: 192
Editora: Faro Editorial
Amar é afogar-se com os próprios sentimentos e continuar respirando.Tudo o que acontece aqui dentro é uma seleção de crônicas sobre o amor em seus diversos estágios, sobre aprender com as experiências da vida... trata-se de um tipo de testamento das coisas do coração. É também um romance narrado pelas memórias de quem as viveu, por cartas que deveriam ter sido rasgadas, registros dos sentimentos pessoais de quem revelou bem mais de si que a maioria de todos nós. Uma das coisas mais bonitas é a maneira com que vamos enfeitando a alma enquanto esperamos alguém chegar "São cartas que escrevi enquanto ainda sentia a ferida arder. Os momentos felizes e os dias em que pensei que não iria aguentar”.
Júlio tem um dom. Ele consegue exprimir sobre sentimentos com muita beleza e, ao compartilhar em escritos, permite que nós também possamos nomear o que muitas vezes sentimos e ficamos de algum modo aflitos, por não compreender. É o momento em que o nosso coração encontra a paz. Ele transforma o grito preso nas gargantas em literatura. São linhas que costuram o aprendizado sobre amor com o olhar de uma geração.


Tudo o que acontece aqui dentro é um livro de crônicas que fala sobre amor e relacionamento. Eu simplesmente adoro ler crônicas, mas não tenho muito o costume de pegar livros do gênero. Por isso, quando a Faro Editorial lançou essa obra, eu resolvi embarcar nessa viagem por cartas de amor nunca entregues, e que relatam o início e o fim de um relacionamento. 

segunda-feira, 21 de maio de 2018

[Resenha] O menino da lista de Schindler

| 13 comentários
Autor: Leon Leyson
Páginas: 256
Editora: Rocco Jovens Leitores
Misto de biografia e romance de formação, O menino da lista de Schindler acompanha a trajetória de Leon Leyson, o mais jovem integrante e um dos últimos sobreviventes da famosa lista de judeus salvos pelo empresário alemão Oskar Schindler durante a Segunda Guerra Mundial. Intenso como O diário de Anne Frank, o livro chega ao Brasil pelo selo Rocco Jovens Leitores depois de alcançar a prestigiosa lista dos mais vendidos do jornal The New York Times, e oferece uma perspectiva única do Holocausto. Um relato emocionante, corajoso e humano que precisa ser contado às novas gerações.


O menino da lista de Schindler é mais um relato da brutalidade que milhões de pessoas sofreram por serem consideradas indignas. Esta é uma história real, contada por um dos sobreviventes do Holocausto. Leon Leyson foi o judeu mais jovem a ser salvo por Oskar Schindler, que muitos anos depois resolveu mostrar ao mundo tudo o que ele e sua família passaram, e como tiveram forças para sobreviver. A obra nos entristece por existir, por sabermos que algo tão terrível aconteceu - e que não foi tão distante assim -, mas ao mesmo tempo serve para saber um pouco mais da História, e quem sabe, tentarmos evitar que se repita.

sábado, 19 de maio de 2018

[Resenha] Um sedutor sem coração

| 6 comentários
Autora: Lisa Kleypas
Páginas: 320
Editora: Arqueiro
Série: Os Ravenels, 1
Devon Ravenel, o libertino mais maliciosamente charmoso de Londres, acabou de herdar um condado. Só que a nova posição de poder traz muitas responsabilidades indesejadas – e algumas surpresas.
A propriedade está afundada em dívidas e as três inocentes irmãs mais novas do antigo conde ainda estão ocupando a casa. Junto com elas vive Kathleen, a bela e jovem viúva, dona de uma inteligência e uma determinação que só se comparam às do próprio Devon.
Assim que o conhece, Kathleen percebe que não deve confiar em um cafajeste como ele. Mas a ardente atração que logo nasce entre os dois é impossível de negar.
Ao perceber que está sucumbindo à sedução habilmente orquestrada por Devon, ela se vê diante de um dilema: será que deve entregar o coração ao homem mais perigoso que já conheceu?


Um sedutor sem coração é o primeiro livro da série Os Ravenels, da Lisa Kleypas. Esse ano eu ainda não tinha lido nenhum dos romances de época da Arqueiro, e eu não podia ter iniciado de melhor forma, esse livro é muito envolvente, e eu realmente não esperava menos em se tratando de Kleypas. Essa mulher tem o dom para escrever histórias que tocam, e ao mesmo tempo, são divertidas. E não posso deixar de falar sobre seus personagens, que são sempre marcantes. Quando eu vi que ia ter uma nova série da autora não pensei duas vezes em querer iniciar a leitura. E agora estou ansiosa pela continuação.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

[Resenha] O Idiota

| 14 comentários
Autor: André Diniz
Páginas: 416
Editora: Quadrinhos na Cia.
Em preto e branco, e num registro quase sem palavras, André Diniz propõe uma recriação surpreendente de O idiota, obra máxima de Fiódor Dostoiévski. Publicado em 1869 e escrito em meio a crises epilépticas e perturbações nervosas e sob a pressão de severas dívidas de jogo, o romance é um dos mais célebres da literatura mundial. Sua oralidade intensa encontra na explosão e na fluidez, na ternura e na enorme capacidade expressiva do traço de Diniz, uma correspondência única.
A história é conhecida: após anos internado num sanatório suíço para tratar sua epilepsia, o jovem Míchkin retorna à Rússia e se vê envolvido num triângulo amoroso cujos ares folhetinescos darão o tom desta adaptação. Entre a vilania de Rogójin, um devasso perdulário que dilapida a fortuna herdada de seu pai, e a beleza arrebatadora de Nastácia Filíppovna, acompanharemos Míchkin e sua pureza quixotesca até o desenlace desta bela e trágica graphic novel. 


Dessa vez li uma HQ sem ter lido o livro que o inspirou. Não é o que eu recomendo, e já estou com a sensação de arrependimento por saber tudo o que acontecerá no livro, mas eu quis mergulhar nessa perspectiva, pois é uma adaptação de uma obra do Dostoiévski: o grande escritor da literatura russa e mundial, que está presente na minha estante em três livros. Preciso deixar a preguiça de lado (e o medo, confesso), e me jogar na verdadeira leitura da sua narrativa impecável e muito admirada, mas antes disso, fui atrás da visão do roteirista e desenhista André Diniz que admiravelmente conseguiu transmitir todas as situações do jovem príncipe Míchkin, de forma dolorosa, impecável, sem muitos diálogos e com desenhos que transmitem toda a emoção, transtorno e situações da vida de um jovem ao iniciar sua vida após anos internado, mas sem muita estrutura emocional, e enredado em um triângulo amoroso, precisa lidar com o amadurecimento nas decisões mais difíceis de sua vida.

sexta-feira, 11 de maio de 2018

[Resenha] Garota problema

| 13 comentários
Autora: Cecily von Ziegesar
Páginas: 304
Editora: Galera Record
Série: It girl, 1
Garota Problema é o primeiro volume da nova série de Cecily von Ziegesar, autora de Gossip Girl, que a partir de agora ganha o selo Galera Record. Considerada a Sex and the City para adolescentes, Gossip Girl é uma das séries mais lidas pelos jovens americanos, que agora poderão se deliciar com a alta dose de drama, romance e traições também na televisão: Gossip Girl ganha as telinhas em uma produção de Josh Schwartz, criador da série The OC.
Depois de aparecer em todas as revistas de celebridades e protagonizar alguns dos maiores escândalos de Nova York, Jenny Humprey não tem outra saída: precisa procurar um novo colégio. Mas ela não quer qualquer colégio, quer seguir os passos de Serena e se tornar a mais popular nova-iorquina em um colégio interno. Depois de muito procurar, encontra a Waverly Academy, um colégio interno no campo, freqüentado pela elite de Nova York, e, mais importante, um internato misto com meninos e meninas fabulosos que não deixam as regras atrapalhar seu objetivo maior: se divertir!

Garota problema é o primeiro livro da série It girl, onde Cecily von Ziegesar traz um pouco mais da polêmica Jenny Humprey - personagem de Gossip girl. Eu fui dar uma pesquisada básica, e descobri que eu li todos os livros de Gossip girl - exceto o último que foi publicado em 2011, Eu sempre vou te amar - em 2009. Eu gostei tanto da trama, que realmente tive que ler um atrás do outro. Eu lembro que em 2008 comecei a assistir a série, que se tornou meu amorzinho na época, e em seguida parti em busca dos livros. Escrever essa resenha, por mais que seja de uma série a parte, me deixa tão nostálgica e com tanta saudade dos personagens.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

[Resenha] Darth Plagueis

| 12 comentários
Autor: James Luceno
Páginas: 440
Editora: Aleph
Darth Plagueis, mais que qualquer lorde Sith antes dele, ansiava pelo poder absoluto. E de fato se torna capaz de desenvolver uma habilidade de força inimaginável: o controle da vida e da morte. Seu aprendiz Darth Sidious, ou Palpatine, aprende a dominar em segredo o lado sombrio da Força, enquanto aos olhos da galáxia procura seguir sua escalada de poder, alcançando postos cada vez mais altos na hierarquia do governo. Um deseja viver para sempre; o outro busca o controle político supremo. Juntos, eles poderão enfim destruir os Jedi e dominar a galáxia. A não ser que impiedosas tradições Sith fiquem em seu caminho... Em uma trama envolvente, com estudos do domínio da Força, golpes políticos, complexa diplomacia, assassinatos e lutas ambiciosas, James Luceno mostra como dois dos mais poderosos Sith definirão o destino da galáxia.


Darth Plagueis é mais um livro do universo de Star Wars, escrito por James Luceno, e publicado pela Editora Aleph. A obra faz parte do selo Legends, onde o autor tenta reconstruir o sistema político galáctico, voltando muitos anos antes do que já conhecemos, assim como mostrando um pouco mais da ordem dos Sith. Esse é um livro muito importante para todo o universo de SW, James consegue fazer várias referências e encaixar os acontecimentos com o que vimos nos filmes. No entanto, essa leitura não funcionou completamente para mim. Eu consigo entender a importância de tudo o que foi relatado, e até mesmo me interessei pelo enredo, mas essa obra fica bem distante das outras já lançadas em relação a ter um ritmo fluído na narrativa.

domingo, 6 de maio de 2018

[Resenha] A morte não é o bastante

| 4 comentários
Autora: Kim Harrison
Páginas: 472
Editora: Pavana
Série: Hollows, 3
Rachel Morgan, a bruxa mais talentosa, sexy e durona da ficção está de volta. Desta vez, precisa controlar uma perigosa e mortal guerra de poder no submundo de Cincinatti enquanto tenta se livrar de mais um acordo com o poderoso demônio Algaliarept, que poderá a condenar a uma eternidade de sofrimento. Ao mesmo tempo, seu namorado está cada vez mais distante, abrindo espaço para Kisten, um vampiro sedutor e misterioso que teima em conquistá-la. Cheio de ação, humor e momentos imprevisíveis, os leitores vão ficar grudados em cada página deste livro. A morte não é o bastante é terceiro livro da série Hollows.



1. Marcada para morrer
2. Na mira do serial killer


A morte não é o bastante
 é o terceiro volume da série Hollows, da Kim Harrison. Eu novamente fiquei postergando a leitura por conta do tamanho, e no fim foi uma leitura bem rápida. O problema é que eu realmente tenho agonia de livros muito grandes, eu tenho pavor de ficar muito tempo lendo a mesma coisa; ainda mais porque eu sei que não vou desistir da leitura, caso ela seja ruim. Nesse terceiro livro não é o caso, pois a trama continua pegando fogo, cheia de reviravoltas, enrascadas e um crush para chamar de seu. Apesar de gostar de livros de fantasia sobrenatural, eu confesso que não é o primeiro gênero da minha lista, mas essa série realmente me cativou por conta da personagem. Rachel Morgan é uma bruxa badass, cheia de atitude, e que possui amigos ainda mais cativantes.

sexta-feira, 4 de maio de 2018

[Resenha] Números de azar

| 10 comentários
Autora: Anne Holt
Páginas: 216
Editora: Fundamento
Série: Hanne Wilhelmsen, 2
Três crimes. Três códigos. Muito sangue. Nenhum corpo. Quando o calor aumenta… a violência.
Em meio ao verão de Oslo, a detetive Hanne Wilhelmsen é enviada para a cena macabra de um possível assassinato. Em um galpão abandonado, há marcas de sangue por toda parte e, na parede, uma intrigante sequência de oito dígitos escrita com o líquido vermelho. Mas não há sinais da vítima. As pistas são escassas. Nos dois sábados seguintes, o horror se repete. Outros locais, números diferentes. Seria uma brincadeira de mau gosto ou a assinatura de um serial killer? E a questão mais importante: onde estariam os corpos?
Contando com sua habitual sagacidade, a obstinada Hanne corre contra o tempo. Ela só tem cinco dias até o próximo sábado... Mas o que fazer quando a linha que separa o certo do errado começa a se fundir e o sangue derramado pode manchar não só as mãos de inocentes como também a reputação do departamento de polícia onde ela atua?

Números de azar é o segundo livro da série Hanne Wilhelmsen, da autora norueguesa Anne Holt. Eu já tinha lido outros dois livros da autora, o terceiro e oitavo dessa mesma série, e comecei a gostar bastante de sua escrita. Eu adoro romance policial, e os livros da Anne me chamam a atenção por não serem muito complexos, mas ainda assim ter aquela pegada de mistério que consegue envolver o leitor. A personagem principal, Hanne, é uma mulher que conseguimos simpatizar imediatamente, afinal, ela mostra toda sua competência dentro de um departamento de polícia onde a grande maioria é homem. E ela é muito respeitada.

quarta-feira, 2 de maio de 2018

Pilha de leitura #60

| 7 comentários

Boa noite, leitores! E vamos para mais uma pilha de leitura... sou só eu ou o ano está passando muito rápido?! Bem, apesar de ter tirado dez dias de férias, eu não consegui terminar a pilha que eu tinha escolhido para abril. Três livros ficaram para trás, e eu resolvi colocá-los novamente em maio. Consegui terminar abril com quatorze livros lidos! A viajante do tempo eu iniciei o projeto de leitura em março e finalizei somente agora. Finalmente eu li esse tijolo, e eu me arrependo de não ter feito isso antes. Vamos conferir as minhas leituras?

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Caixinha de correio #129

| 3 comentários

Boa noite, leitores! A caixinha de correio de abril está recheada de livros maravilhosos, venham conferir o que eu recebi e comprei nas últimas semanas. P.S: meu pedido da Saraiva finalmente chegou! Eu já estava quase desistindo. 

domingo, 29 de abril de 2018

[Resenha] Interferências

| 6 comentários
Autora: Connie Willis
Páginas: 464
Editora: Suma
Combinando humor e romance, Connie Willis, ícone da ficção científica, entrega um livro envolvente sobre os perigos da tecnologia, do excesso nas redes sociais e... do amor. Em um futuro não muito distante, um simples procedimento cirúrgico é capaz de aumentar a empatia entre os casais, e ele está cada vez mais na moda. Por isso, Briddey Flannigan fica contente quando seu namorado, Trent, sugere que eles façam a cirurgia antes de se casarem — a ideia é que eles desfrutem de uma conexão emocional ainda maior, e que o relacionamento fique ainda mais completo. Bem, essa é a ideia. Mas as coisas acabam não acontecendo como o planejado: Briddey acaba se conectando com outra pessoa, totalmente inesperada. Conforme a situação vai saindo do controle, Briddey percebe que nem sempre muita informação é o melhor, e que o amor — e a comunicação — são bem mais complicados do que ela esperava. Mais complicado do que ela esperava.


A ficha catalográfica desse livro informa que se trata de uma ficção cientifica, e como a autora é uma mulher, resolvi pesquisar sobre outras autoras do gênero. Constatei que estou no caminho certo, nessa matéria que possui indicação de 7 livros de ficção científica escritos por mulheres, descobri que quatro das autoras já estão na minha lista de desejados ou futuras leituras e mais um foi adicionado por causa da matéria. A obra em questão, como informa a segunda orelha do livro, pertence a Connie Willis que faz parte do panteão de grandes autores de ficção cientifica e fantasia. E após mais uma pesquisa, desta vez sobre a autora, mais livros vão entrar para lista de desejados.

sexta-feira, 27 de abril de 2018

[Resenha] Insônia

| 13 comentários
Autora: J. R. Johansson
Páginas: 352
Editora: Vergara & Riba
Série: Sonâmbulos, 1
Até os sonhos mais sublimes podem despertar os instintos mais sombrios. Lutei contra as emoções dele e me esforcei para me mover, para me esconder do que sabia que ia acontecer, mas era inútil. Não conseguia sair dali. Podia fechar os olhos, mas as emoções do sonhador eram a pior parte - e delas eu não podia me esconder. Acordei tossindo o corpo coberto de suor. Por que tinha escolhido ele? Por que um assassino? Ser um observador era uma droga. Sabia que não podia me libertar dos sonhos daquele que eu olhasse nos olhos antes de dormir. Não importava o quanto eu quisesse escapar, estava preso àquela pessoa naquela noite.
Depois de quatro anos de insônia, Parker Chip não aguenta mais nada. Toda noite, ao invés de dormir ele entra no sonho da pessoa que ele olhou nos olhos por último. Se ele não dormir logo Parker morrerá. É quando ele conhece Mia. Seus sonhos são calmos e maravilhosamente descomplicados, e permitem a ele um descanso feliz e altamente viciante. Mas o que começa com um encontro se transforma em obsessão. O desejo furioso de Parker pelo o que ele precisa o pressiona ao extremo que ele jamais pensou alcançar. Quando alguém começa aterrorizar Mia com ameaças de morte, a memória de Parker apaga o levando a duvidar de sua própria inocência.

Insônia é o primeiro livro da série Sonâmbulos, da escritora J. R. Johansson, e publicado no Brasil pela Vergara & Riba. Eu estou com esse livro na minha estante há um bom tempo, mas graças a uma TBR que eu fiz esse ano para ler livros que estão parados há muito tempo, ele foi o sorteado de março. E gente, que livro incrível. Eu juro que não esperava uma história tão envolvente e sombria assim. Me arrependi de não ter lido antes, e não vou cometer esse mesmo erro em relação aos outros livros da série. 

quinta-feira, 26 de abril de 2018

[Resenha] Polícia paranormal

| 10 comentários
Autora: Kiersten White
Páginas: 384
Editora: Galera Record
Série: Paranormalcy, 1
Evie trabalha para a Agência Internacional de Contenção Paranormal: sua melhor amiga é uma sereia, seu ex-namorado é uma fada, ela está se apaixonando por um transmorfo e é a única que pode ver através do glamour paranormal. Masa chegada de Lend, um metamorfo misterioso, e muito, muito gato, à AICP vai despertar várias dúvidas que Evie não sabia que carregava dentro de si. Seria ela mesma uma paranormal? Seria a AICP tão nobre quanto parece?






Polícia paranormal é um livro de fantasia young adult, e primeiro livro da série Paranormalcy, escrito por Kiersten White. A capa apesar de ter elementos que combinam com a personagem principal, ela adora rosa, ficou muito infantil, o que pode fazer com que as pessoas batam o olho nela e não se interessem em descobrir mais sobre a trama. No entanto, apesar de ter uma pegada juvenil, afinal a garota tem apenas dezesseis anos, a trama em si tem alguns elementos mais sombrios, que poderiam ter sido explorados em uma capa mais atrativa. E ainda bem que eu resolvi ler essa obra sem me importar com isso, pois a história é incrível.

quarta-feira, 25 de abril de 2018

[Resenha] Felicidade para humanos

| 12 comentários
Autor: P. Z. Reizin
Páginas: 392
Editora: Record
Não conte para ninguém, mas Jen é uma das minhas pessoas favoritas.(Máquinas não devem ter favoritos. Não me pergunte como isso aconteceu.)
Jen está triste. Aiden quer que ela seja feliz. Formou? Não necessariamente. É que Jen é uma mulher de trinta e poucos anos cujo namorado acabou de trocá-la por outra e Aiden é um programa de computador muito caro e complexo.
Aiden conhece Jen melhor que ninguém. Com acesso a todos os seus dispositivos, Aiden sabe qual é a música mais tocada de sua playlist, consegue achar suas fotos preferidas e selecionar as citações que mais a inspiram nas redes sociais. A partir de observações e de algoritmos singulares, ele resolve procurar um novo parceiro para ela. E com a internet inteira à sua disposição, não precisa ir longe para encontrar o que conclui ser o espécime perfeito e arquitetar um encontro. O problema é que Jen não parece querer contribuir para o plano infalível de Aiden.
Será que uma máquina muito inteligente artificialmente conseguirá desvendar a inteligência emocional para poder interferir de um jeito positivo na vida de Jen? E, o que é mais difícil, será que essa máquina vai descobrir o que exatamente faz os seres humanos felizes?

Felicidade para humanos é o livro de estreia de P. Z. Reizin. Eu recebi a prova antecipada do Grupo Editorial Record, e apesar de ter lido há um tempinho essa obra, eu não sabia como escrever a resenha. A trama é uma mistura de comédia romântica com ficção científica, e eu achei bastante original. Eu nunca tinha lido nada parecido. No entanto, eu terminei a leitura com a sensação de que esperava mais, mas sem conseguir definir exatamente o quê, sabe? Eu adoro ficção científica e adoro comédia romântica, mas não sei se os dois juntos, neste caso, deram muito certo. A leitura é fofa, envolvente e tem personagens marcantes, mas por tratar dois gêneros distintos, parece que nenhum deles foi desenvolvido tão bem assim.

terça-feira, 24 de abril de 2018

[Resenha] Os caçadores

| 14 comentários
Autor: John Flanagan
Páginas: 312
Editora: Fundamento
Série: Brotherband, 3
Do mesmo autor de Rangers - Ordem dos arqueiros, mais uma fantástica e imperdível saga. Hal e os Herons seguem em sua incansável perseguição ao pirata Zavac. A busca leva o Garça-Real às águas traiçoeiras do Rio Dan. Seu destino é Raguza, uma cidadela sem lei, comandada por piratas e ladrões; onde Zavac teria buscado refúgio. Como Hal previra, o caminho até Raguza é perigoso e conturbado. Os Herons terão de lidar com companheiros feridos, fugas, falsas acusações e outras desventuras. Testes cada vez mais difíceis para os limites dos jovens homens do mar. Mas é em Raguza que a situação se torna realmente complicada. Lá, Hal não poderá contar com seus companheiros e vai precisar superar os próprios limites para enfrentar Zavac. Uma luta. Um contra um. Até a morte. Uma nova geração desafia a antiga, renegados se tornam lendas e a aventura continua!


1. Os exilados
2. Os invasores

Os caçadores é o terceiro volume da série Brotherband, do autor John Flanagan. Vocês devem ter percebido que está saindo muitas resenhas dos livros desse autor por aqui, mas é que o John tem o dom de envolver o leitor em suas histórias. E o mais incrível é que suas séries não tem aquele livro que é considerado o pior, sabe? Todos são sempre muito empolgantes, e um consegue ser melhor que o outro. Nesse terceiro livro eu comecei a perceber algo que me deixou ainda mais interessada no enredo, e que me fez gostar ainda mais da escrita do autor: John não cria uma história para o público jovem e vai direto ao ponto no enredo, sabe? Ele pega o 'problema', e o que precisa acontecer no final, para desenvolver toda uma história por cima disso.

domingo, 22 de abril de 2018

[Resenha] A era dos mortos - Parte I

| 2 comentários
Autor: Rodrigo de Oliveira
Páginas: 208
Editora: Faro Editorial
Série: As crônicas dos mortos, 5
Vários anos se passaram desde que Uriel, agindo como um tirano, assumiu o controle da maior colônia de sobreviventes do apocalipse zumbi na Terra.Ivan, Estela e quase todos os seus aliados estão mortos. Do grupo original, apenas Isabel, Mariana e alguns poucos conseguiram escapar de Ilhabela. E a cada dia, a fome de poder de Uriel e de seu filho, Otávio, aumenta, tornando a vida dos sobreviventes ainda mais penosa. O trabalho escravo se torna a regra. A cobrança de mais e mais tributos e a imprevisibilidade do poder central mantêm todos em constante alerta.
Otávio, que passou anos realizando pesquisas médicas, finalmente consegue um meio de controlar os bersekers, os zumbis monstruosos, transformando-os em cães de caça. É a sua forma de assegurar a permanência no comando da comunidade, mas também de destruir, pelo medo, qualquer intenção de resistência. Então, ele produz algo ainda pior, uma criatura feroz e diabólica com o poder de destruição em massa.
Há muito em jogo. O governo central ainda considera Isabel uma grande ameaça, seja viva, ou morta-viva, o que poderia transformá-la numa nova Senhora dos Mortos. Mas, duas crianças chamam a atenção de Isabel que decide prepará-las para batalhas ainda mais sangrentas. Serão elas a esperança para o fim daquela era de medo e destruição?
A derradeira batalha está para começar, mas os inimigos, humanos e zumbis, também têm suas surpresas.
Sejam bem-vindos a uma nova era de horror e violência. Esta é... a Era dos Mortos.

1. O vale dos mortos
2. A batalha dos mortos
3. A senhora dos mortos
4. A ilha dos mortos

* Se você ainda não leu o quarto livro é melhor não ler a resenha ou sinopse.

Eu nem acredito que As crônicas dos mortos está chegando ao fim, já está batendo uma bad ao saber que em breve não teremos mais livros da série. A era dos mortos é o quinto livro; dividido em duas partes, o autor nos faz sofrer mais ainda por ter que esperar a segunda ser lançada. Isso não se faz, viu Rodrigo de Oliveira?! Estou acompanhando essa série há tanto tempo, e todos os livros sempre conseguem manter o interesse do leitor, e sem se perder no enredo, que vai ser difícil desapegar. Mais difícil ainda foi a leitura do livro anterior, onde a maior parte dos personagens principais morrem. Eu preciso confessar que fiquei com medo com o andamento da trama com a morte de Estela e Ivan. Pensei: agora não vai mais ter graça! Mas, o autor como sempre, consegue nos surpreender e conseguiu desenvolver a trama muito bem sem esses dois personagens tão amados e carismáticos.

quarta-feira, 18 de abril de 2018

[Resenha] Tormenta de fogo

| 13 comentários
Autor: Brandon Sanderson
Páginas: 376
Editora: Aleph
Série: Os executores, 2
Ao enfrentar o maior supervilão que já existiu, David ficou famoso. Mas sua tão sonhada vingança foi só o passo inicial de uma jornada bem mais difícil, e agora ele vai acompanhar os Executores em uma missão misteriosa à cidade de Babilar, governada por uma Épica bondosa, mas com segundas intenções. Enquanto ajuda sua equipe a desvendar os planos dessa mulher, David enfrenta suas próprias dúvidas. Desde os acontecimentos na luta contra Coração de Aço, seu ódio cego aos Épicos foi abalado, e o garoto se pergunta: será que não é possível haver, entre os super-humanos, algum herói?




1. Coração de aço

Tormenta de fogo, de Brandon Sanderson, é o segundo volume da trilogia Os executores. A Aleph foi muito linda e não demorou quase nada para lançar a continuação de Coração de aço. ♥ E essa obra consegue ser ainda melhor que o primeiro livro, com ação e reviravoltas na medida certa, o autor fez com que o enredo desse um destaque muito grande entre a linha que separa o bem e o mal. Será que matar Épicos, que são considerados vilões, os faz melhor do que eles? Nesse livro essa linha é bem tênue, e percebemos que o protagonista, David, tem uma briga interna consigo mesmo à respeito disso. Em Coração de aço ele faz algo que era sua meta de vida, porém, ele já não sabe se ficou satisfeito com isso.

domingo, 15 de abril de 2018

[Resenha] O jogo da mentira

| 21 comentários
Autora: Sara Shepard
Páginas: 296
Editora: Rocco Jovens Leitores
Série: The lying game, 1
O jogo vai começar. Primeiro volume da nova série da autora de Pretty Little Liars, que ficou mais de 50 semanas no ranking do The New York Times e vendeu mais de cinco milhões de exemplares, O Jogo da mentira acompanha a história de duas gêmeas separadas ao nascer e unidas por um misterioso assassino. Com uma trama ainda mais intrincada e sombria, que tem início quando Emma resolve trocar de lugar com a irmã.






O jogo da mentira é o primeiro livro da série The lying game, da autora Sara Shepard. Assim como Pretty little liars, outra série de sucesso da autora, O jogo da mentira teve uma adaptação para a TV, porém, o seriado não durou muito e terminou sem nenhuma resposta. Eu tinha gostado tanto do seriado, eu confesso que até mais do que de PLL, então fiquei muito chateada quando cancelaram. Resolvi acabar com as minhas frustrações e iniciar a leitura de The lying game. E, eu fiquei muito surpresa com o que eu encontrei. Basicamente os personagens são iguais ao do seriado, mas a trama tem um rumo um pouco diferente, digamos até inusitado. 

sábado, 14 de abril de 2018

[Lançamentos] Plataforma21

| 2 comentários

Boa noite, leitores! Venham conferir os últimos lançamentos da Plataforma21. Ainda sem data de previsão tem Legendtopia e World of Warcraft: O viajante. E os que já lançaram no início do ano: Os arteiros mágicos, do Neil Patrick Harris - eu estou louca por esse livro, acho o Neil muito divertido, e já estou aguardando algo do tipo. A canção das águas parece ser uma fantasia incrível, e tem uma capa muito linda. E por último, Império dos lobos, que apesar de ter uma capa mais simples, tem uma sinopse marcante, e claro, em se tratando de distopia já podemos esperar algo muito bom!

quarta-feira, 11 de abril de 2018

[Resenha] A bússola de ouro

| 18 comentários
Autor: Philip Pullman
Páginas: 344
Editora: Suma
Trilogia: Fronteiras do Universo, 1
Lyra Belacqua e seu daemon, Pantalaimon, vivem felizes e soltos entre os catedráticos da Faculdade Jordan, em Oxford. Até que rumores invadem a cidade – são boatos sobre os Papões, sequestradores de crianças que estão espalhando o medo pelo país. Quando seu melhor amigo, Roger, desaparece, Lyra entra em uma perigosa jornada para reencontrá-lo. O que ela não desconfia é que muitas outras forças influenciam seu destino e que sua aventura a levará às terras congeladas do Norte, onde feiticeiras e ursos de armadura se preparam para uma guerra. Embora tenha a ajuda do aletiômetro – um poderoso instrumento que responde a qualquer pergunta –, nada a prepara para os mistérios e a crueldade que encontra durante a viagem. E, mesmo que ainda não saiba, Lyra tem uma profecia a cumprir, e as consequências afetarão muitos mundos além do dela.


Eu li A bússola de ouro há muito tempo, na edição antiga, então quando eu soube que a Suma iria relançar os livros, e com capas tão lindas, fiquei muito afim de terminar a série. Para isso, resolvi reler o primeiro livro, para poder trazer a resenha para vocês. Eu normalmente não gosto de reler livros, mas quando se trata de alguma série que eu ainda não finalizei, ou que eu quero resenhar no blog mesmo, acabo fazendo isso. Quem tinha solicitado a trilogia foi a minha colaboradora Dandra, porém, ela não se empolgou muito com a leitura, e acabou me enviando os livros para eu resenhar. Eu nem gostei, aham! ♥ A bússola de ouro é o primeiro volume da trilogia Fronteiras do universo, e reler essa obra foi ainda mais incrível.