sábado, 20 de outubro de 2018

[Resenha] Bem safado

| 1 comentários
Autora: Lauren Blakely
Páginas: 240
Editora: Faro Editorial
Série: Big rock, 3
O empreiteiro Wyatt é bem-sucedido, inteligente, engraçado, bem... servido, mas nada organizado! Para lidar com a burocracia do negócio e ajudar na expansão de sua empresa, ele contrata a super eficiente Natalie.
Os dois tem uma forte atração sexual, mas mantêm a relação apenas no âmbito profissional.... SEMPRE LEVO AS MULHERES À LOUCURA, SEJA NAS OBRAS QUE CUIDO OU DEBAIXO DOS LENÇÓIS.Isso até eles se verem num bar de Las Vegas e receberem uma notícia desastrosa. Para salvar a noite eles resolvem curtir tudo que a cidade do pecado tem a oferecer... desde uma certa montanha-russa até uma capela para casamentos rápidos. E o problema é que o que aconteceu em Vegas, não ficou em Vegas...E a cada dia me sinto mais tentado a mudar o status do meu relacionamento com a Natalie. Não sei se a trato como minha ex-esposa ou se coloco um anel de verdade no dedo dela.


Bem safado é o terceiro livro da série Big Rock, da autora Lauren Blakely. Eu simplesmente não consigo enjoar dessa série. As histórias seguem sempre o mesmo padrão, mas mesmo assim é impossível não se apaixonar pela história de cada personagem, assim como a personalidade de cada um. Fora que, a escrita da autora é muito envolvente. Então, pode mandar mais Lauren!

terça-feira, 16 de outubro de 2018

[Resenha] Tudo aquilo que nos separa

| 3 comentários
Autora: Rosie Walsh
Páginas: 336
Editora: Record
Imagine a seguinte situação: você conhece um homem, vocês passam sete dias maravilhosos juntos, e você fica apaixonada. E o que é melhor: o sentimento é recíproco. Você nunca teve tanta certeza de algo na vida.
Então, quando ele parte numa viagem de férias agendada há muito tempo e promete te ligar para o aeroporto, você não tem nenhum motivo para duvidar disso. Mas ele não liga. Seus amigos dizem que você deve desencanar, que deve esquecer o cara, mas você sabe que eles estão errados. Eles não sabem de nada. Algo de ruim deve ter acontecido, deve haver um motivo sério para explicar o silêncio dele.
O que você faz quando finalmente descobre que tem razão? Que existe um motivo ― e que esse motivo é a única coisa que vocês não compartilharam um com o outro? A verdade.


Eu recebi Tudo aquilo que nos separa na caixa do V.I.B (very important book), e quando eu vi a caixinha de lenços e o título fiquei imediatamente interessada na leitura. Eu peguei o livro para ler sem tentar descobrir sobre o que se tratava, e no fim, foi uma leitura muito surpreendente. A trama não é um suspense policial, mas a autora conseguiu me enganar bonito em algumas partes, eu fiquei chocada com as revelações que surgiram e que eu estava imaginando de outra forma. Esse foi um dos melhores livros que eu li neste ano, a história é dramática e com acontecimentos que gradativamente vão explorando mais os personagens, deixando o leitor extremamente curioso para saber como tudo vai terminar.

domingo, 14 de outubro de 2018

[Resenha] Poseidon

| 2 comentários
Autora: Anna Banks
Páginas: 288
Editora: Novo Conceito
Série: O legado de Syrena, 1
Além da beleza fora do comum, com seu cabelo quase branco e seus olhos cor de violeta, Emma chama a atenção por ser um pouco desajeitada.
Ela não se sente muito à vontade em lugar nenhum... e não sabe que sua misteriosa origem é a fonte dessa sensação.
Galen, príncipe dos Syrenas, vasculha a terra procurando uma garota especial, capaz de se comunicar com os peixes — e que poderá salvar seu reino. Quando ele se encontra com Emma, a conexão é imediata: embora não saiba, Emma parece ter o dom que Galen procura. Mas, então, por que ela não conseguiu salvar sua melhor amiga do ataque do tubarão?
Cabe ao príncipe convencer a teimosa Emma a enfrentar sua real natureza e aceitar o desafio. E nada pode impedi-lo de alcançar seu objetivo.


Poseidon é o primeiro livro da série O legado de Syrena, da Anna Banks. Eu adoro qualquer tipo de mitologia, e essa me chamou ainda mais a atenção por ter como foco sereias. Eu li poucos livros com esses seres mitológicos, e no final fiquei bem satisfeita com a história que a autora criou. Ela mescla mitologia com romance, transformando a leitura em algo leve, jovem e descontraído. Esse primeiro volume, no entanto, é bem introdutório. Conhecemos os personagens e lendas que cercam as syrenas e temos poucas reviravoltas na narrativa, mesmo assim, a leitura se mostrou muito prazerosa.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

[Resenha] Pobre não tem sorte, 2

| 0 comentários
Autora: Leila Rego
Páginas: 341
Editora: All Print
Série: Pobre não tem sorte, 1
Mariana Louveira precisou cair do salto (parcelado em várias vezes no cartão) para aprender que a vida pode não ser lá tão glamorosa como sempre quis, e que sentimentos valem muito mais do que uns óculos Prada. Tarde demais! Mari é abandonada pelo noivo Edu horas antes do casamento.Sem casório, Mari só encontra uma solução: ir para São Paulo em busca de seus sonhos, ao lado da amiga Clara.
Agora, a nossa protagonista, munida de um Bilhete Único, precisa arregaçar as mangas de um de seus terninhos chiques e batalhar por uma oportunidade.
Em uma história pra lá de gostosa e divertida, Leila Rego narra todas as aventuras de Mariana em Sampa, desde as entrevistas de emprego, até as baladas mais malucas e cheias de confusão.
E, no vir das mudanças, será que ela finalmente vai esquecer Edu e dar a volta por cima? As dificuldades da vida valem mesmo como aprendizado?

1. Pobre não tem sorte, 1

Pobre não tem sorte, 2 é a continuação da história de Mariana Louveira. Eu li o primeiro livro há muitos anos, e lembro que me diverti muito com a leitura. Leila Rego tem uma escrita leve e fácil de se envolver. Eu peguei esse livro já aguardando muitas risadas, e não me decepcionei. A personagem é daquelas sem noção que acaba nos conquistando eternamente. Eu gostei muito de poder continuar essa história, eu lembrava de pouca coisa do livro anterior, mas a autora consegue colocar o leitor no rumo nas primeiras páginas, e logo consegui relembrar algumas coisas.

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

[Resenha] Eu perdi o rumo

| 8 comentários
Autora: Gayle Forman
Páginas: 272
Editora: Arqueiro
Freya perdeu a voz no meio das gravações de seu álbum de estreia. Harun planeja fugir de casa para encontrar o garoto que ama. Nathaniel acaba de chegar a Nova York com uma mochila, um plano elaborado em meio ao desespero e nada a perder.
Os três se esbarram por acaso no Central Park e, ao longo de um único dia, lentamente revelam trechos do passado que não conseguiram enfrentar sozinhos. Juntos, eles começam a entender que a saída do lugar triste e escuro em que se acham pode estar no gesto de ajudar o próximo a descobrir o próprio caminho. 





Eu perdi o rumo, da Gayle Forman, é o terceiro livro que eu leio da autora e o meu favorito até agora. A história não é daquelas que te faz chorar horrores ou com grandes reviravoltas, mas com sua escrita única Gayle nos apresenta personagens que poderiam muito bem ser alguém próximo da gente, e de forma sincera e delicada, a autora vai explorando a vida desses três personagens. No fim, essa é uma leitura que faz o leitor refletir, muito. Você já perdeu algo que te deixou sem rumo? Nessa história você vai encontrar alguém que perdeu a voz, um a casa e outro o amor. 

domingo, 7 de outubro de 2018

[Resenha] Uma noiva para Winterborne

| 1 comentários
Autora: Lisa Kleypas
Páginas: 336
Editora: Arqueiro
Série: Os Ravenels, 2
Rhys Winterborne conquistou uma fortuna incalculável graças a sua ambição ferrenha. Filho de comerciante, ele se acostumou a conseguir exatamente o que quer - nos negócios e em tudo mais.
No momento em que conhece a tímida aristocrata lady Helen Ravenel, decide que ela será sua. Se for preciso macular a honra dela para garantir que se case com ele, melhor ainda.
Apesar de sua inocência, a sedução perseverante de Rhys desperta em Helen uma intensa e mútua paixão.
Só que Rhys tem muitos inimigos que conspiram contra os dois. Além disso, Helen guarda um segredo sombrio que poderá separá-los para sempre. Os riscos ao amor deles são inimagináveis, mas a recompensa é uma vida inteira de felicidade.

1. Um sedutor sem coração

Uma noiva para Winterborne é o segundo livro da série Os Ravenels, da autora Lisa Kleypas. Neste volume o foco é em um casal diferente do primeiro livro, mas mesmo assim aconselho a ler a série na ordem, para não perder nada. Bem, como eu esperava, meu ranço com Rhys Winterborne não permaneceu neste livro, ainda bem! No anterior eu simplesmente fiquei com muito raiva das atitudes idiotas dele, principalmente por serem direcionadas para a personagem mais meiga da série: Helen Ravenel. Rhys ainda tem algumas atitudes babacas, porém, algumas são justificáveis e acabamos amolecendo nosso coração para ele.

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

[Resenha] Não confie em ninguém

| 5 comentários
Autor: Charlie Donlea
Páginas: 352
Editora: Faro Editorial
O destino de Grace Sebold toma um rumo inesperado durante uma tranquila viagem com onamorado. O rapaz é assassinado... e ela é condenada pelo crime. Depois de dez anos na prisão, surge a chance de Grace provar sua inocência ao conhecer a cineasta Sidney. Em um documentário que exibe as falhas do processo, a cineasta questiona se a condenação foi fruto de incompetência policial ou se a jovem foi vítima de uma conspiração. Antes do término das filmagens, o clamor popular leva o caso ser reaberto, mas um novo fato provoca uma reviravolta: Sidney recebe uma carta anônima afirmando que ela está sendo enganada pela assassina. A cineasta começa a investigar o passado de Grace e quanto mais se aprofunda na história, mais dúvidas aparecem. No entanto, agora, o que está em jogo não é apenas a repentina fama e carreira, mas sua própria vida.


Não confie em ninguém é um dos últimos lançamentos da Faro Editorial, escrito pelo incrível Charlie Donlea, que já possui outros livros publicados pela editora aqui no Brasil. Eu estou a cada livro mais apaixonada pela escrita desse autor, eu juro! Eu amo um bom thriller, e Charlie tem uma capacidade enorme de escrever histórias desse tipo, que atrai e pega você totalmente de surpresa. Eu gosto de todas as obras que eu já li dele, mas esse é de longe o melhor livro até agora. Charlie ganhou muitos pontos comigo ao dar um final ousado e inesperado.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Pilha de leitura #65

| 1 comentários

Boa noite, leitores! E vamos para mais uma pilha de leitura... Em setembro eu li, com muito custo, os oito livros que eu tinha separado. Ultimamente o sono tem me vencido e não consigo ficar muito tempo lendo de noite. :( Mas, pelo menos consegui ler todos os livros da pilha. Vamos conferir quais foram as minhas leituras?

domingo, 30 de setembro de 2018

Caixinha de correio #134

| 1 comentários

Boa noite, leitores! Esse mês a caixinha de correio não está tão recheada (meu cartão agradece), mas tem só livro lindo, e é isso o que importa. ♥ Vamos conferir o que eu recebi em setembro?

sábado, 29 de setembro de 2018

[Resenha] Ele

| 4 comentários
Autoras: Elle Kennedy e Sarina Bowen
Páginas: 256
Editora: Paralela
Série: Him, 1
James Canning nunca descobriu como perdeu seu melhor e mais próximo amigo.
Quatro anos atrás, seu tatuado, destemido e impulsivo companheiro desde a infância simplesmente cortou contato.
O maior arrependimento de Ryan Wesley é ter convencido seu amigo extremamente hétero a participar de uma aposta que testou os limites da amizade deles.
Agora, prestes a se enfrentarem nos times de hóquei da faculdade, ele finalmente terá a oportunidade de se desculpar. Mas, só de olhar para o seu antigo crush, Wes percebe que ainda não conseguiu superar sua paixão adolescente.
Jamie esperou bastante tempo pelas respostas sobre o que aconteceu com seu relacionamento com Wes, mas, ao se reencontrarem, surgem ainda mais dúvidas.
Uma noite de sexo pode estragar uma amizade? Essa e outras questões sobre si mesmos vão ter que ser respondidas quando Wesley e Jamie se veem como treinadores no mesmo acampamento de hóquei.


Ele é o primeiro livro da série Him, escrito por Elle Kennedy e Sarina Bowen. Eu já conhecia a escrita da Elle com a série Amores improváveis, por isso fiquei muito empolgada por esse livro. Outro ponto que me interessou em querer ler esta obra foi o fato de que é um romance gay, uma temática que li poucos livros até agora. Ele é um livro que possui diversas cenas de sexo, então já aviso que se você não curte muito esse tipo de leitura (independente da orientação sexual dos personagens), talvez acabe não curtindo tanto a história, pois as autoras usam e abusam dessas cenas.

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

[Resenha] Corte de espinhos e rosas

| 11 comentários
Autora: Sarah J. Maas
Páginas: 434
Editora: Galera Record
Série: Corte de espinhos e rosas
Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar um féerico transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação.
Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira que ela só conhecia através de lendas , a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... Ou Tamlin e seu povo estarão condenados.


Corte de espinhos e rosas é o primeiro livro da série de mesmo nome, e é meu primeiro contato com a escrita da Sarah J. Maas. Eu adoro livros de fantasia, mas ainda não tinha tido oportunidade de ler nada dessa autora. Algum tempo atrás recebi esse livro da editora, mas ele acabou ficando esquecido na estante, até eu colocá-lo na TBR desse ano, e finalmente consegui ler o primeiro livro dessa série. Eu sempre tive muita curiosidade para conhecer o trabalho da Maas, pois a grande maioria só tece elogios a escrita dela. Então, ao mesmo tempo que eu ficava cada vez mais empolgada para embarcar na leitura, batia certo receio de eu acabar não gostando, pois eu já tenho um histórico de livros que foram super hype não me agradarem tanto assim. Mas, ainda bem, não foi o que aconteceu com Corte de espinhos e rosas

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

[Lançamentos] Editora Arqueiro

| 3 comentários

Eu perdi o rumo: Freya perdeu a voz no meio das gravações de seu álbum de estreia. Harun planeja fugir de casa para encontrar o garoto que ama. Nathaniel acaba de chegar a Nova York com uma mochila, um plano elaborado em meio ao desespero e nada a perder. Os três se esbarram por acaso no Central Park e, ao longo de um único dia, lentamente revelam trechos do passado que não conseguiram enfrentar sozinhos. Juntos, eles começam a entender que a saída do lugar triste e escuro em que se acham pode estar no gesto de ajudar o próximo a descobrir o próprio caminho. Contado a partir de três perspectivas diferentes, o romance inédito de Gayle Forman aborda o poder da amizade e a audácia de ser fiel a si mesmo. Eu perdi o rumo marca a volta de Gayle aos livros jovens, que a consagraram internacionalmente, e traz a prosa elegante que seus fãs conhecem e amam.

domingo, 23 de setembro de 2018

[Lançamentos] Grupo Companhia das Letras

| 1 comentários


Uma coisa absolutamente fantástica: Enquanto volta para casa depois de trabalhar até de madrugada, a jovem April May esbarra numa escultura gigante. Impressionada com sua aparência — uma espécie de robô de três metros de altura —, April chama seu amigo Andy para gravar um vídeo sobre a aparição e postar no YouTube. No dia seguinte, a garota acorda e descobre que há esculturas idênticas em dezenas de cidades pelo mundo, sem que ninguém saiba como foram parar lá. Por ter sido o primeiro registro, o vídeo de April viraliza e ela se vê sob os holofotes da mídia mundial. Agora, April terá de lidar com os impactos da fama em seus relacionamentos, em sua segurança, e em sua própria identidade. Tudo isso enquanto tenta descobrir o que são essas esculturas — e o que querem de nós. Divertida e envolvente, essa história trata de temas muito relevantes nos dias atuais: como lidamos com o medo e o desconhecido e, principalmente, como as redes sociais estão mudando conceitos como fama, retórica e radicalização.

Declarar: O casamento de Dean e Olivia West sobreviveu a segredos, desilusões e uma tragédia devastadora, persistindo mais forte do que nunca apesar das mais inimagináveis ameaças, até que uma simples mentira inventada por uma pessoa cruel e vingativa se mostra capaz de colocar tudo a perder. Separado de seu lar pelo oceano Atlântico, Dean comanda uma escavação na Itália enquanto luta para salvar sua vida profissional. Mas a distância de sua esposa e do mundo à parte que construíram juntos é mais difícil do que ele imagina, principalmente quando ele descobre que Liv está passando por uma crise vinda do passado – um passado terrível do qual ele sempre tentou salvá-la... Mais forte e confiante do que nunca, Liv está determinada a andar com as próprias pernas e, acima de tudo, defender seu marido daqueles que desejam derrubá-lo. Mas a visita inesperada de sua mãe traz à tona uma série de questões mal resolvidas que a assombram há anos.

terça-feira, 18 de setembro de 2018

[Resenha] O dueto sombrio

| 7 comentários
Autora: Victoria Schwab
Páginas: 448
Editora: Seguinte
Duologia: Monstros da violência, 2
Na sequência final de A Melodia Feroz, Kate Harker precisa voltar para Veracidade e se unir ao sunai August Flynn para enfrentar um ser que se alimenta do caos.
Kate Harker não tem medo do escuro. Ela é uma caçadora de monstros — e muito boa nisso. August Flynn é um monstro que tinha medo de nunca se tornar humano, mas agora sabe que não pode escapar do seu destino. Como um sunai, ele tem uma missão — e vai cumprir seu papel, não importam as consequências.
Quase seis meses depois de Kate e August se conhecerem, a guerra entre monstros e humanos continua — e os monstros estão ganhando. Em Veracidade, August transformou-se no líder que nunca quis ser; em Prosperidade, Kate se tornou uma assassina de monstros implacável. Quando uma nova criatura surge — uma que força suas vítimas a cometer atos violentos —, Kate precisa voltar para sua antiga casa, e lá encontra um cenário pior do que esperava. Agora, ela vai ter de encarar um monstro que acreditava estar morto, um garoto que costumava conhecer muito bem, e o demônio que vive dentro de si mesma.


1. A melodia feroz

O dueto sombrio é o segundo, e último, volume da duologia Monstros da violência. Eu simplesmente adorei A melodia feroz, então minha empolgação por essa continuação estava extremamente alta. Porém, me vi um pouco decepcionada quando já estava na metade do livro e nada realmente muito surpreendente havia acontecido. Parece que a autora colocou todas as reviravoltas marcantes no primeiro livro, e nesse segundo usou apenas para finalizar as pontas soltas e mostrar um pouco das consequências das decisões dos personagens principais. 

sábado, 15 de setembro de 2018

[Resenha] Estilhaça-me

| 2 comentários
Autora: Tahereh Mafi
Páginas: 304
Editora: Universo dos Livros
Série: Estilhaça-me, 1
Um toque é o bastante. Com apenas um toque, Juliette Ferrars é capaz de fazer um homem adulto se ajoelhar de dor e implorar por misericórdia. Um único toque de Juliette pode matar. Ninguém sabe por que a garota tem um poder tão impressionante, o qual ela acredita ser uma maldição, um fardo que uma pessoa sozinha seria incapaz de carregar. Contudo, o Restabelecimento enxerga essa característica como um dom e passa a vê-la como uma oportunidade – uma oportunidade de usá-la como arma letal. Porém, Juliette tem seus próprios planos.




Estilhaça-me é o primeiro volume da série de mesmo nome, escrita por Tahereh Mafi, e republicada pela Universo dos livros. Eu li esse livro quando tinha sido lançado pela Novo Conceito, mas acabei não dando continuidade - por nenhuma razão em especial mesmo -, apesar da vontade de ler os próximos livros. Esse ano eu tive a oportunidade de reler esta obra, que agora eu pretendo continuar sem me demorar muito. A editora lançou o quarto livro, inédito aqui no Brasil, e pretende relançar todos os livros anteriores. Normalmente eu não gosto de reler livros, mas neste caso eu achei necessário para dar continuidade na leitura da série. 

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

[Resenha] A montanha

| 9 comentários
Autor: John Flanagan
Páginas: 360
Editora: Fundamento
Série: Brotherband, 5
Depois de enfrentar os comerciantes de escravos de Socorro, Hal e a tripulação do Garça-Real retornam a Araluen e recebem uma nova missão do rei Duncan: proteger sua filha, a princesa Cassandra. Ela sofreu um atentado que, felizmente, foi frustrado. Contudo, os assassinos pertencem à seita de Imrika, conhecida por caçar e perseguir suas vítimas até a morte – incansavelmente. Esses fanáticos precisam ser detidos antes que seja tarde e, assim, os Brotherbands e Gilan, o lendário arqueiro de Araluen, partem à procura do covil inimigo na temida Montanha do Escorpião, localizada no deserto de Ephesa.
Só que, quando religião e morte se misturam, nem mesmo a calmaria das águas mais profundas dará trégua aos corajosos aventureiros. No caminho, um tirano sedento por vingança e um grupo de cruéis mercenários unem forças para tomar o Garça-Real e impedir Hal e seus amigos de chegar a seu destino. É o início de uma sangrenta batalha por mar e por terra que pode sair muito caro à jovem tripulação. O perigo espreita entre as sombras. Contando com a experiência de Thorn e a agilidade de Gilan, Hal precisa combinar as habilidades de marinheiros e arqueiros para enfrentar adversários impiedosos. Mas será que Hal conseguirá comandar e proteger todos ao mesmo tempo? Ou sua jornada terminará antes de começar?


1. Os exilados
2. Os invasores
3. Os caçadores
4. Os escravos

A montanha é o quinto volume da série Brotherband, do John Flanagan. É muito difícil eu pegar uma série e ler um livro atrás do outro, mas com essa é simplesmente impossível não querer ler mais e mais. A escrita do autor é muito envolvente e o enredo é cheio de aventuras e perigos, o que deixa tudo ainda mais empolgante. Esse é um livro juvenil, mas não pense nem por um momento que a história tem um desenvolvimento fácil e bobo, pelo contrário, John trabalha muito bem tanto os personagens quanto a trama. 

domingo, 9 de setembro de 2018

[Resenha] Pacote completo

| 4 comentários
Autora: Lauren Blakely
Páginas: 240
Editora: Faro Editorial
Série: Big rock, 4
Chase levava uma vida tranquila como médico na movimentada Nova York, sucesso entre as mulheres, parecia que não faltava nada... até que descobre que seu contrato de aluguel está para vencer e se vê entre duas opções: morar na rua e dividir apartamento com a deslumbrante irmã do seu melhor amigo. O problema é que conseguir um bom apartamento em Nova York é mais difícil do que encontrar o amor verdadeiro.
E se eu tiver que dividir um espaço com alguém, que seja com uma garota tão maravilhosa como a irmãzinha do meu amigo. Só peço que os céus me ajudem. Eu posso resistir à Josie. Sou disciplinado, e, se me esforçar, consigo manter meus pensamentos sob controle, mesmo no minúsculo apartamento que dividimos. Mas, certa noite, bem atordoada com um dia difícil, ela insistiu para deitar-se ao meu lado, sob as mesmas cobertas. Isso a ajudaria a dormir, foi o que ela disse...
MAS COMO UM HOMEM COMUM PODE RESISTIR A UMA SITUAÇÃO COMO ESSA? O difícil vai ser segurar a tentação diante da tensão sexual que desperta toda vez que os dois dividem bons momentos. Entre conversas, pizzas e risadas, o clima esquenta e Chase percebe que aquela que em pouco tempo já se tornou uma amiga, pode ser algo mais... talvez um pacote completo.

1. Big rock
2. Mister O
3. Bem safado

Pacote completo
 é o quarto livro da série Big rock, da autora Lauren Blakely. Eu acabei lendo fora da ordem - ainda não li o terceiro volume -, mas as histórias são independentes, então não tem problema. O único porém é que apareceram personagens do livro anterior, e eu boiei um pouco. Mas, nada que afete a leitura. Eu gosto bastante da escrita dessa autora, principalmente quando o protagonista é homem e a narrativa é em primeira pessoa. Lauren tem o dom de criar diálogos divertidos, e a perspectiva masculina que ela coloca em suas obras é muito interessante. Dos livros que eu já li da série, eu conheci personagens galinhas, com um ego gigantesco, e como no caso de Pacote completo, conheci aquele que é mais sensível e aberto aos seus sentimentos. 

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

[Resenha] Homem-objeto e outras coisas sobre ser mulher

| 9 comentários
Autora: Tati Bernardi
Páginas: 256
Editora: Companhia das Letras
Reunião das melhores cronicas de uma das mais irreverentes escritoras contemporâneas. Desde que começou a escrever semanalmente para a Folha de S.Paulo, em 2013, Tati Bernardi não parou de conquistar leitores. Com sua prosa hilariante de inteligencia frenética, ela se tornou uma das principais criticas dos costumes da classe media meio intelectual, meio de esquerda usando aqui a expressão cunhada por Antonio Prata, autor da mesma geração. Homem-objeto reúne seus melhores textos e traz uma cronica inédita, Meu marido joga videogame , que retrata um dos temas que se sobressaem no conjunto, não apenas pela recorrência, mas pela originalidade e destemor com que e tratado: a experiencia de ser mulher no mundo contemporâneo. Tati diverte como poucos autores, e são muitos os leitores que abaixam o jornal para que a gargalhada possa ecoar como deve. Como dizia um velho filosofo, nos rimos porque doí. Talvez o elemento comum entre suas cronicas sobre constipação, espermograma ou taquicardia seja que todas tratam de sentimentos íntimos e profundos. O resultado, esperado ou não, e uma surpreendente dose de poesia. Tati Bernardi consegue transformar suas idiossincrasias cotidianas em literatura, numa mistura hilariante de desespero e humanidade. Ela seria cômica, se não fosse trágica. 


Admito que escolhi esse livro com um certo receio, tenho um histórico de amor e ódio com alguns autores cronistas de jornal. Mas grata surpresa, a autora que para mim era totalmente desconhecida se tornou umas das mais queridas.

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

[Resenha] A duquesa feia

| 11 comentários
Autora: Eloisa James
Páginas: 272
Editora: Arqueiro
Série: Contos de fadas, 4
Baseado na história O Patinho Feio, esse é o terceiro volume da série Contos de Fadas.
Como ela ousa achar que ele a ama, quando Londres inteira a chama de Duquesa Feia?
Theodora Saxby é a última mulher com quem se poderia esperar que o lindo James Ryburn, herdeiro do ducado de Ashbrook, se casasse. Mas depois de um pedido romântico feito na frente do próprio príncipe, até a realista Theo se convence de que o futuro duque está apaixonado.
Ainda assim, os tablóides dizem que a união não durará mais do que seis meses.
Em seu íntimo, Theo acredita que os dois ficarão juntos para sempre… até que ela descobre que o que James desejava não era seu amor, mas seu dote.
E a sociedade, que primeiro se chocou com seu casamento, se escandaliza com sua separação.
Agora James precisará enfrentar a batalha de sua vida para convencer Theo que ele amava a patinha feia antes que ela se transformasse em cisne. E Theo logo descobrirá que, para um homem com alma de pirata, vale tudo no amor – e na guerra.


1. Quando a Bela domou a Fera
2. Um beijo à meia-noite

A duquesa feia é o terceiro volume (na verdade é o quarto) da série Contos de fadas, e desta vez vamos conferir a releitura de O patinho feio. Eu confesso que quando penso em contos de fadas esse em questão nunca me vem à mente, e eu acho que por isso adorei quando soube que seria uma releitura dele, pois normalmente temos sempre os contos mais famosinhos. Eloisa James juntou duas coisas sensacionais: romance de época e contos de fadas. Eu penso que não tinha como dar errado, e realmente não deu. Os três livros que eu li dessa série são incríveis e muito envolventes. A autora consegue criar reviravoltas surpreendentes, e em A duquesa feia ela me surpreendeu mais ainda.

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Pilha de leitura #64

| 11 comentários

Boa noite, leitores! E vamos a mais uma pilha de leitura do ano, que já está quase acabando, socorro! Em agosto eu resolvi separar poucos livros para ler, e eu consegui ler os oito da pilha. ♥ Fiquei os cinco dias restantes dando continuidade na leitura de A libélula no âmbar, que agora já estou na metade. Vamos dar uma conferida no que eu andei lendo? :)

domingo, 2 de setembro de 2018

Caixinha de correio #133

| 2 comentários

Boa tarde, leitores! Essa vai ser a maior caixinha de correio do ano, até agora eu espero. Em agosto eu achei muitos livros em promoção nas Americanas, e acabei não resistindo. Vamos conferir tudo o que eu comprei e recebi de parceria?

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

[Resenha] Minha vez de brilhar

| 13 comentários
Autora: Erin E. Moulton
Páginas: 288
Editora: Novo Conceito
Em uma noite, Indie faz um pedido para uma estrela. Ela quer muito reencontrar a sua lagosta de estimação, e também quer que sua irmã Bibi volte a gostar dela. Mas ter os seus desejos realizados pode exigir dedicação integral! Indie trabalha no teatro durante o dia, mostrando a Bibi e seus amigos o quanto ela pode ser útil. À noite, ela procura sua lagosta perdida, e para isso conta com a ajuda de seu novo grande amigo, Owen. Tudo vai bem até que Bibi e sua turma começam a pegar no pé de Owen, o maior exemplo de nerd e futuro loser. Será que Indie vai conseguir manter em segredo sua amizade com Owen? Será que, para ser uma pessoa melhor, Indie precisa mesmo ser diferente?



Minha vez de brilhar faz parte do selo #irado, da Novo Conceito, e assim como os outros livros, tem uma trama juvenil fofinha e envolvente. Esta obra trata de maneira sutil sobre assuntos importantes na vida de uma criança/adolescente: amizades e bullying. O foco, no entanto, não é trazer uma história dramática, e sim, de forma descontraída apresentar uma personagem 'fora do padrão' em relação as outras garotas da escola, e sua própria irmã, e mostrar seus momentos de descobertas, novas amizades e também aventuras.

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

[Resenha] Adriana Sydor, toda prosa

| 0 comentários
Autora: Adriana Sydor
Páginas: 240
Editora: Travessa dos editores
Adriana Sydor, toda prosa é um livro de crônicas escritas em primeira pessoa e que falam sobre diferentes assuntos: insônia, lembranças, faxina, vizinhos, despedidas, piquenique, acampamento, chuva, amizade, filhos e outros tantos elementos presentes em nosso cotidiano. As crônicas foram tiradas do blog da autora, Mil Compassos, e conversam com o leitor de forma poética e descontraída.









Adriana Sydor, toda prosa é um livro de crônicas, escrito por Adriana Sydor, uma curitibana que gosta de conversar sobre o tempo e a vida. Elas não seguem uma ordem cronológicas, apenas vão surgindo conforme o que a autora sente, e cada uma das palavras encanta o leitor. Eu me vi extremamente envolvida em cada um dos assuntos tratados, e aos poucos fui sabendo um pouco mais quem é Adriana, que colocou em cada página sua essência.

Adriana é uma mulher de opinião forte, sorriso sincero (conseguimos perceber isso em sua escrita), que fala sobre seu cotidiano como se estivesse conversando diretamente com o leitor. É impossível não sorrir em alguma momentos, ou fazer uma discussão mental consigo mesmo em alguns assuntos.

a poesia está em mim como a música. sou uma amante submissa, que admira, se encanta, entende, alcança, e só. e já é muito.

A autora diz que não é poeta, mas a sensibilidade em suas palavras é muito marcante. Uma coisa que eu gostei bastante é que sua escrita não possui letras maiúsculas, e ela explica isso em um dos contos.

Com textos curtos, Adriana consegue nos fazer esquecer que estamos lendo um livro. Parece que você está lendo mensagem de uma amiga. Esse é aquele tipo de leitura que você pode fazer em poucas horas, e ao mesmo tempo, é bom para ler aos poucos.

de vez em quando meu passado vem me visitar. chega, bate à porta, nem espera resposta e entra. não diz a que veio, mas me revira, chacoalha, joga pro alto e espera que, como gata, eu caia em pé.
coisas que não lembrava mais, sentimentos que julgava perdidos, peças desse tabuleiro que é minha vida ressurgem.

Eu gostei muito da obra. Apesar de gostar bastante de ler crônicas, eu não tenho o hábito de pegar livros desse tipo. Então, foi uma grata surpresa essa leitura, eu fiquei encantada com a delicadeza da autora e sua facilidade em prender o leitor com assuntos tão comuns.

terça-feira, 28 de agosto de 2018

[Resenha] Harry Potter e a pedra filosofal

| 5 comentários
Autora: J. K. Rowling
Páginas: 208
Editora: Rocco
Série: Harry Potter, 1
Harry Potter é um garoto cujos pais, feiticeiros, foram assassinados por um poderosíssimo bruxo quando ele ainda era um bebê. Ele foi levado, então, para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural. Pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo. No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais. O menino de olhos verde, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer; ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder natural entre os sobrenaturais. A fábula, recheada de fantasmas, paredes que falam, caldeirões, sapos, unicórnios, dragões e gigantes, não é, entretanto, apenas um passatempo.

Eu nunca fui dessas pessoas que tem várias edições do mesmo livro/série, mas quando a Editora Rocco anunciou que iria relançar Harry Potter em capa dura, eu simplesmente não pude resistir. Eu ainda não consegui completar a coleção com essas capas novas, mas já tenho os dois primeiros livros. E, aproveitando isso, resolvi reler a série toda. Eu perdi a conta de quantas vezes li Harry Potter e a pedra filosofal, mas confesso que pensar em reler após tantos anos me deixou com certo receio de que eu acabasse não gostando da mesma forma de antes. E, eu me enganei completamente, pois mesmo sabendo como tudo iria se desenvolver, a leitura conseguiu ser tão marcante quanto da primeira vez.

sábado, 25 de agosto de 2018

[Resenha] Os escravos

| 9 comentários
Autor: John Flanagan
Páginas: 360
Editora: Fundamento
Série: Brotherband, 4
Tranquilidade é uma palavra que não combina com a tripulação do navio Garça-Real. Depois de algum tempo fazendo apenas atividades de rotina, Hal e seus companheiros estão entediados e loucos por alguma agitação. E esse desejo é realizado: eles são chamados a Araluen, onde vão patrulhar a costa e proteger o reino de piratas e outros inimigos.
Inicialmente, a tarefa parece fácil, mas logo eles voltam à ação em grande estilo: alguns moradores de Araluen foram sequestrados para serem vendidos como escravos no infame mercado de Socorro. E o sequestrador é um velho conhecido do grupo: Tursgud, capitão do Nightwolf. Esse antigo rival e agora inimigo declarado de Hal está manchando a reputação dos escandinavos ao cometer diversos crimes. Por isso mesmo, não há ninguém melhor para perseguir o bandido do que os homens do Garça-Real. E desta vez eles terão uma ajuda mais que especial – a de Gilan, um dos lendários Arqueiros de Araluen, mestre no uso do arco e em se mover sem deixar rastros. Mas será que os jovens marujos são páreo para os comerciantes de escravos de Socorro, capazes de tudo para manter a prosperidade de seu negócio? E a união de forças muito diferentes será o bastante para o sucesso dessa arriscada missão?

1. Os exilados

Os escravos é o quarto volume de Brotherband, do autor John Flanagan. A Editora Fundamento é quem está publicando a série no Brasil, e se você ainda não conhece, pode tratar de conferir a resenha do primeiro livro aqui no blog. Os livros são cheios de aventura, amizade e alguns perigos. Quem já conhece a escrita do autor por conta da série Rangers, com certeza vai gostar ainda mais dessa, pois os personagens são extremamente cativantes. E, se por um acaso ainda não conhece nada do autor, está esperando o quê?!

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

[Resenha] Asiáticos podres de ricos

| 13 comentários
Autor: Kevin Kwan
Páginas: 490
Editora: Record
Best-seller internacional que inspirou uma das mais aguardadas adaptações cinematográficas do ano. Quando Rachel Chu chega a Cingapura com o namorado para o casamento de seu melhor amigo, imaginava passar dias tranquilos com uma simpática família. Só que Nick não mencionou alguns detalhes, como o fato de sua família ter muito, muito dinheiro, que ela viajaria mais em jatinhos particulares do que de carro e que caminhar de mãos dadas com um dos solteiros mais ricos da Ásia era como ter um alvo nas costas. Logo, Rachel percebe que não será poupada das fofocas e intrigas. Isso sem falar na mãe de Nick, uma mulher com opiniões bem fortes sobre com quem o filho deve – ou não – se casar. Um passeio pelos cenários mais exclusivos do Extremo Oriente – das luxuosas coberturas de Xangai às ilhas particulares do mar da China Meridional –, Asiáticos Podres de Ricos é uma visão do jet set oriental por dentro. Com seu olhar satírico, Kevin Kwan traça um retrato engraçadíssimo do conflito entre os novos-ricos e as famílias tradicionais em seu romance de estreia, que já fez milhares de leitores chorarem de tanto rir no mundo todo.


Eu recebi Asiáticos podres de ricos em uma das caixinhas V.I.B, e agora escrevendo a resenha descobri que é o primeiro livro da série Rich. Eu fiquei bem 'oi?' quando descobri isso, porque o final desse livro não tem nada que nos faça pensar em uma continuação. Ele termina bem ok, apesar de um pouco decepcionante. Enfim, pense em um gossip girl oriental, mas com muito mais ostentação. Essa foi uma leitura interessante, mas que ao mesmo tempo eu me perguntei qual o propósito. Kevin Kwan fala bastante sobre a cultura oriental, mas de forma mais sarcástica e crítica. 

terça-feira, 21 de agosto de 2018

[Resenha] Um pedido às estrelas

| 15 comentários
Autora: Priscille Sibley
Páginas: 320
Editora: Benvirá
Após um grave acidente, Elle sofre um trauma cerebral irreversível, mas em seu ventre cresce uma vida. Apesar da fragilidade da situação, há uma possibilidade de ela dar à luz o tão aguardado filho. No entanto, com a mesma força com que desejou um filho, Elle se opunha a manter uma vida artificialmente. Se ela pudesse decidir, o que falaria mais alto? Escrito com sensibilidade e compaixão, Um pedido às estrelas é uma emocionante história que levanta profundas reflexões sobre vida e morte, fé e ciência, e ilumina o poder do amor para ferir... e curar.





Um pedido às estrelas é um dos livros que eu coloquei na minha meta de 2018 - de livros que eu já quero ler desde antes de ter na estante -, e que eu me arrependo profundamente de não ter lido antes. Pela sinopse eu já sabia que a história seria dramática e emocionante, mas na verdade, ela é muito mais do que isso. Ela fala muito sobre questões éticas e morais, que fazem você refletir bastante. A autora fala sobre a vida e a morte de forma sensível e envolvente. Parecia muito que era uma história real, de alguém próximo, de tão profundo que ela foi no desenvolvimento do enredo e dos personagens.

sábado, 18 de agosto de 2018

[Resenha] Se não houver amanhã

| 6 comentários
Autora: Jennifer L. Armentrout
Páginas: 384
Editora: Universo dos Livros
Lena Wise está sempre ansiosa pelo dia seguinte, especialmente porque está começando o último ano da escola. Ela está decidida a passar o máximo de tempo possível com os amigos, completar as inscrições da faculdade e talvez informar seu melhor amigo de infância, Sebastian, sobre o que realmente sente por ele. Para Lena, o próximo ano vai ser épico — um ano de oportunidades e conveniências.
Até que uma escolha, um instante… destrói tudo.
Agora Lena não está ansiosa pelo dia seguinte. Não quando o tempo que dedica aos amigos pode nunca mais ser o mesmo. Não quando as inscrições para a faculdade podem ser qualquer coisa, menos viáveis. Não quando há o risco de Sebastian jamais perdoá-la pelo que aconteceu.
Pelo que ela permitiu que acontecesse.
À medida que sua culpa aumenta, Lena está ciente de que sua única esperança é superar o ocorrido. Mas como é possível seguir em frente quando a existência inteira, tanto dela quanto a de seus amigos, foi transformada?
Como seguir em frente quando o amanhã sequer é garantido?

Se não houver amanhã é aquele tipo de leitura que te faz refletir sobre suas escolhas, e a pensar em tudo que você deseja fazer, pois nunca sabe como será o amanhã. Eu já conheço a escrita da autora, e já esperava uma história sensível e com uma boa dose de drama. E essa leitura é realmente emocionante, daquele tipo que te destrói aos pouquinhos, e que quando você menos espera, está te roubando algumas lágrimas. A trama tem alguns clichês que encontramos no gênero young adult, porém, ela é muito mais que um romance arrebatador ou o dia a dia na escola e dramas adolescentes. A autora toca em um assunto realmente importante para os jovens de hoje, e mostra as consequência de uma decisão impensada. 

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

[Resenha] Em pedaços

| 8 comentários
Autora: Lauren Layne
Páginas: 248
Editora: Paralela
Série: Recomeços
Uma garota com segredos corrosivos. Um ex-soldado com cicatrizes externas e internas. Um amor que pode salvar ambos... ou destrui-los de vez.
Aos vinte e dois anos, Olivia Middleton tem Nova York aos seus pés. Por fora, ela é a garota perfeita — linda, inteligente e caridosa — mas, por dentro, guarda um segredo terrível: um erro que a afastou das duas únicas pessoas que realmente importavam na sua vida. Determinada a esquecer o passado, ela deixa Manhattan e vai trabalhar como cuidadora de um soldado recém-saído da guerra. O que ela não esperava era que seu paciente seria um jovem enigmático de vinte e quatro anos tão amargurado quanto atraente.
Paul Langdon está furioso — com o mundo, com a vida, com o seu pai e, principalmente, consigo mesmo. Depois de sofrer na pele os horrores da Guerra do Afeganistão, a última coisa que ele quer é a companhia de uma princesinha nova-iorquina linda, mimada e irritante. A presença de Olivia parece tóxica para Paul: ela o incomoda, mas ele não consegue afastá-la, por mais que tente.
Nessa recontagem moderna de A Bela e a Fera, Lauren Layne nos traz uma história irresistível de perdão, cura e, acima de tudo, amor.

Em pedaços é o primeiro volume da série Recomeços, da autora Lauren Layne. Eu peguei esse livro para ler logo após finalizar Mais que amigos, e depois de ter me decepcionado um pouco com esse outro livro da autora, Em pedaços foi tudo o que eu estava esperando - e mais um pouco. Eu tenho um fraco por releituras de contos de fadas, sejam elas modernas, de época ou distópicas, não importa! Eu a-m-o releituras! Então... eu estava bem animada por essa leitura, que tem uma história tão amorzinho e que aquece o coração. ♥

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

[Resenha] Mais que amigos

| 19 comentários
Autora: Lauren Layne
Páginas: 224
Editora: Paralela
Série: Love unexpectedly, 1
Aos vinte e dois anos, a jovem Parker Blanton leva a vida que sempre sonhou. Tem um namorado inteligente e responsável, um emprego promissor e a companhia de seu melhor amigo, Ben Olsen, com quem divide um lindo apartamento. Parker e Ben são tão grudados que muita gente duvida que eles morem sob o mesmo teto sem nunca ter vivido um caso, mas eles não se importam com o que as pessoas pensam. Sabem que não foram feitos um para o outro — pelo menos não para se envolver.
Por isso, quando um acontecimento inesperado faz com que Parker se veja sem namorado e com o coração partido, ela sabe que pode contar com Ben para ajudá-la a sacudir a poeira e partir para outra. Afinal, ninguém seria mais ideal do que seu melhor amigo para lhe mostrar os prazeres da vida de solteiro… certo? 


Mais que amigos é o primeiro livro da série Love Unexpectedly, escrito por Lauren Layne e publicado no Brasil pela Paralela. A trama é aquele clichê que você encontra em outros livros, e até mesmo em filmes, e apesar de não me importar com isso, eu senti falta de algo mais marcante dentro do enredo. A leitura não me envolveu o suficiente, apesar disso, é boa para passar o tempo. Eu realmente não me arrependi de ler, porque a trama é tão leve e gostosinha, que ficou difícil me importar tanto assim com o fato de não ter nenhum diferencial.

domingo, 12 de agosto de 2018

[Resenha] No mundo dos cavaleiros e dragões

| 0 comentários
Vários autores
Páginas: 140
Editora: All print
No Mundo dos Cavaleiros e Dragões é uma coletânea de contos épicos e contemporâneos, uma reunião com alguns dos melhores contistas brasileiros. Magos, bruxas, reis, princesas, cavaleiros, incríveis dragões, batalhas, duelos, aventuras e muito mais é o que o leitor encontrará nestas páginas. Faça parte deste mundo e aventure-se conosco.








No mundo dos cavaleiros e dragões é uma coletânea de contos, organizada por Ademir Pascale. O livro possui vinte e três contos, de diversos autores, com um tema em comum: cavaleiros e dragões. Eu simplesmente adoro uma ambientação medieval, principalmente quando há dragões no meio. No entanto, poucos contos me interessaram. 

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

[Resenha] Jogador nº 1

| 12 comentários
Autor: Ernest Cline
Páginas: 464
Editora: Leya
Jogador Nº 1, de Ernest Cline, o livro de ficção científica mais amado e cultuado dos últimos tempos, chega agora aos cinemas numa superprodução dirigida por Steven Spielberg e estrelada por Tye Sheridan e Simon Pegg! Não perca a chance de conhecer todos os detalhes dessa história fantástica.
O ano é 2044 e a Terra não é mais a mesma. Fome, guerras e desemprego empurraram a humanidade para um estado de apatia nunca antes visto. Wade Watts é mais um dos que escapa da desanimadora realidade passando horas e horas conectado ao OASIS – uma utopia virtual global que permite aos usuários ser o que quiserem; um lugar onde se pode viver e se apaixonar em qualquer um dos mundos inspirados nos filmes, videogames e cultura pop dos anos 1980. Mas a possibilidade de existir em outra realidade não é o único atrativo do OASIS: o falecido James Halliday, bilionário e criador do jogo, escondeu em algum lugar desse imenso playground uma série de Easter Eggs, e premiará com sua enorme fortuna – e poder – aquele que conseguir desvendá-los. E Wade acabou de encontrar o primeiro.


Jogador nº 1 é um livro que eu conheci há muitos anos, mas que sinceramente nunca tinha chamado a minha atenção. Quando eu soube do lançamento do filme fiquei muito empolgada para encarar a leitura. Então, resolvi deixar o filme para depois, e embarquei nessa jornada distópica e com muitas referências geek dos anos oitenta. E que bela nostalgia, apesar de ter nascido só em noventa, quando eu era criança muitos dos jogos, bandas, filmes e desenhos ainda eram bastante conhecidos na época. 

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

[Resenha] A mulher na janela

| 10 comentários
Autor: A. J. Finn
Páginas: 352
Editora: Arqueiro
Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e... espionando os vizinhos. Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir. Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle? Neste thriller diabolicamente viciante, ninguém – e nada – é o que parece.


A mulher na janela é um thriller psicológico intenso e cheio de reviravoltas. Desde que eu soube sobre o lançamento deste livro eu quis conferir a história. E conforme eu fui lendo as resenhas, a minha empolgação só aumentava. Como podem perceber, demorei um pouco para fazer a leitura da obra, mas finalmente li, e me arrependo de não ter feito isso antes. Thrillers em geral estão sempre no topo dos gêneros que eu gosto de ler, mas fazia um bom tempo que eu não pegava uma leitura tão boa quanto essa foi. O autor inicia a narrativa de forma lenta, e os mais críticos podem até acabar querendo desistir da leitura, mas conforme as coisas se desenrolam, e você não sabe mais o que é real ou imaginação, é difícil querer largar o livro.

domingo, 5 de agosto de 2018

Pilha de leitura #63

| 3 comentários

Bom dia, leitores! Vim mostrar para vocês minha pilha de leitura com o que eu li em julho e quais as metas para agosto. Em julho eu não consegui ler O navio arcano, então fechei em oito livros lidos; em comparação com o ano passado a quantidade de livros por mês está bem baixa, não sei se eu estou com ressaca literária ou é falta de tempo mesmo. :( Não consegui nem finalizar o segundo livro de Outlander do projeto que estou participando (e que já deve ter até terminado, rs)... Enfim, vamos conferir o que eu andei lendo?

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Caixinha de correio #132

| 2 comentários

Boa noite, leitores! Atrasou um pouco, mas finalmente está no ar o post de caixinha de correio. Confiram tudo o que eu recebi/comprei em julho! A pilha está bem grande e eu só estou pensando nas minhas férias para colocar tudo em dia. :)

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

[Resenha] O fundo é apenas o começo

| 5 comentários
Autor: Neal Shusterman
Páginas: 272
Editora: Valentina
Uma poderosa jornada da mente humana, um mergulho profundo nas águas da doença mental..
CADEN BOSCH está a bordo de um navio que ruma ao ponto mais remoto da Terra: Challenger Deep, uma depressão marinha situada a sudoeste da Fossa das Marianas.
CADEN BOSCH é um aluno brilhante do ensino médio, cujos amigos estão começando a notar seu comportamento estranho.
CADEN BOSCH é designado o artista de plantão do navio, para documentar a viagem com desenhos.
CADEN BOSCH finge entrar para a equipe de corrida da escola, mas na verdade passa os dias caminhando quilômetros, absorto em pensamentos.
CADEN BOSCH está dividido entre sua lealdade ao capitão e a tentação de se amotinar.
CADEN BOSCH está dilacerado.


O fundo é apenas o começo é uma daquelas leituras que você precisa ler calmamente para conseguir captar cada nuance da trama. Eu iniciei esse livro um tanto confusa, apesar de saber um pouco sobre o que esperar. O autor, de forma sensível, nos mostra como é a mente de uma pessoa com doença mental. Mas, o mais impactante é ver que o personagem até então era alguém normal: um ótimo filho, excelente estudante e com amigos divertidos com quem passava o tempo. Até que ele se fecha em seu mundinho, onde a realidade é totalmente diferente, e ninguém sabe o que se passa lá dentro.

terça-feira, 31 de julho de 2018

[Resenha] Fraude legítima

| 13 comentários
Autora: E. Lockhart
Páginas: 273
Editora: Seguinte
Jule West Williams é uma garota capaz de se adaptar a qualquer lugar ou situação. Imogen Sokoloff é uma herdeira milionária fugindo de suas responsabilidades. Além do fato de serem órfãs, as duas garotas têm pouco em comum, mas isso não as impede de desenvolver uma amizade intensa quando se reencontram anos depois de terem se conhecido no colégio. Elas passam os dias em meio a luxo e privilégios, até que uma série de eventos estranhos começa a tomar curso, culminando no trágico suicídio de Imogen e forçando Jule a descobrir como viver sem sua melhor amiga. Mas, talvez, as histórias das duas garotas tenham se unido de maneira inexorável — e seja tarde demais para voltar atrás.




Fraude legítima, da autora E. Lockhart, é um livro do ano passado que eu estava louca para ler. Eu sempre li críticas positivas de Mentirosos, outro livro da autora, então minha curiosidade para ler algo dela era imensa. Resolvi iniciar por essa obra, apesar de já ter Mentirosos na estante, por conta da sinopse com todo esse ar de mistério e suspense. Fiquei muito animada para conhecer a história de Jule e Imogen. O engraçado é que teve momentos em que eu pensei que a leitura não era o que eu esperava, para logo em seguida a autora me surpreender. 

sábado, 28 de julho de 2018

[Lançamentos] Faro Editorial

| 1 comentários
Boa noite, leitores! Em agosto a Faro Editorial vai lançar dois livros muito esperados: o último livro da série As crônicas dos mortos (já estou chateada que vai ser o último!) e o novo lançamento do Charlie Donlea, mesmo autor de A garota do lago e Deixada para trás; pela sinopse já estou esperando outro thriller de tirar o fôlego! 


Grace Sebold e Julian Crist estavam apaixonados. Foram passar um final de semana na paradisíaca baía de Sugar Beach, na ilha de Santa Lúcia, Caribe. Eles estavam cercados de amigos, pois tratava-se de um final de semana de casamento de uma amiga de Grace. Depois, o casal iria para Nova York para concluir uma das residências numa das Universidade de neurologia mais disputadas do país. Julian estava a ponto de pedir Grace em casamento. E ela queria se casar com Julian. Mas os caminhos deles se separaram... definitivamente. Agora, Julian estava morto. E Grace fora condenada pelo seu cruel assassinato. Sugar Beach agora tinha gosto de sangue.
A Faro Editorial lança em agosto o novo livro do fenômeno Charlie Donlea. Criador de histórias de tirar o folego e o sono dos leitores com suas protagonistas femininas fortes e crimes de arrepiar, Charlie virá ao Brasil para o lançamento de seu novo livro “Não confie em ninguém” durante a Bienal Internacional do Livro de São Paulo.
Grace Sebold fora condenada pelo brutal assassinato de seu namorado Julian Crist. A história ficou famosa nos Estados Unidos pelos requintes de crueldade do caso, e mesmo após 10 anos do julgamento, o nome de Grace ainda era lembrado. Sidney Ryan, uma documentarista de sucesso, conhecida por seus filmes sobre crimes reais, conhecia a história de Grace, mas do que qualquer outra pessoa. E quando a carta dela chegou a sua mesa pedindo ajuda, ela soube que precisava conhecer mais da verdadeira história. Quem afinal era essa mulher e porque ela foi condenada? Seria mesmo culpada? Será que a Grace que ela conhecera um dia havia mesmo se tornado uma assassina cruel ou mais uma vez ela estava diante de uma injustiça?
Com muitas perguntas em mente, Sidney decidiu mergulhar na história desse crime em busca de mais respostas e o que ela encontrou foi uma trama de intrigas, injustiças, ódio e amores maior do que ela poderia imaginar. Logo que começou a ir ao ar, seu documentário seriado,A garota de Sugar Beach, se tornou um sucesso. Mas será que realmente o que Sidney estava descobrindo era toda a verdade? Muitas vezes nem sempre o diretor é quem dá a palavra final sobre o enredo, e Sidney poderia descobrir isso da pior maneira possível!

Zumbis, tiranos e rebeldes travam sua derradeira batalha pela sobrevivência da espécie humana. Os trágicos acontecimentos que dizimaram os habitantes da Serra Catarinense levaram Sarah e Fernando a caminhos diferentes, o que só reforçou o desejo de derrubar o terrível ditador Otávio a qualquer custo.
Prepare-se para a guerra e vivencie o desfecho da maior e mais original saga de zumbis desde The WalkingDead.
A Faro Editorial lança este mês “A Era dos mortos vol.2” o sétimo e último livro da saga “As crônicas dos mortos” de Rodrigo de Oliveira. Finalmente a série chega ao seu final, e a batalha derradeira entre humanos e mortos-vivos está marcada!
Separados, os jovens Sarah e Fernando enfrentam uma odisseia pela sobrevivência, em meio a navios abandonados, grupos em guerra e trabalho escravo. Então... numa das maiores comunidades de sobreviventes, ocorre uma tragédia devastadora...
Agora, todos sabem que Otávio detém as mais poderosas armas de guerra já concebidas e está disposto a usá-las contra qualquer um que fique em seu caminho. A sensação de segurança desaba e qualquer comunidade pode ser o próximo alvo.
Enquanto isso, os zumbis atingem um novo patamar de evolução, tão letal que nenhum exército será capaz de detê-los. Finalmente, o ser humano não tem mais como combater os mortos-vivos. |Será uma corrida contra o tempo.


sexta-feira, 27 de julho de 2018

[Resenha] Um verão na Itália

| 12 comentários
Autora: Carrie Elks
Páginas: 280
Editora: Verus
Série: As irmãs Shakespeare, 1
Férias de verão gratuitas em uma bela villa na Itália. A condição? Dividir a casa com seu maior inimigo... O primeiro volume da série As irmãs Shakespeare. Cesca Shakespeare chegou ao fundo do poço. Depois de escrever uma peça de teatro premiada que acabou em desastre, o bloqueio criativo se instalou, sem previsão de ir embora. Seis anos mais tarde, ela acabou de perder mais um emprego pavoroso e está prestes a ser despejada de seu apartamento. Pior ainda, suas irmãs não fazem ideia de como sua vida vai mal.
Assim, quando seu padrinho lhe arruma uma temporada de verão em uma bela villa italiana, sem ter de pagar nada por isso, Cesca concorda, meio a contragosto, em ir para lá e tentar escrever uma nova peça. Isto é, antes de descobrir que a casa pertence a seu arqui-inimigo, Sam Carlton.
Tendo acabado de ver seu nome em todas as manchetes pelas razões erradas ― mais uma vez ―, o galã de Hollywood Sam Carlton precisa de um lugar para se esconder. Que opção melhor do que a linda villa desocupada de sua família à beira do Lago Como? Só que, quando ele chega, descobre que a casa não está tão desocupada quanto ele esperava. Ao longo do quente verão italiano, Cesca e Sam terão de confrontar o passado. E o que começa como uma hesitante amizade rapidamente se torna uma atração intensa ― e depois uma aventura ardente.
Uma coisa é certa: este será um verão abrasador... Esta é a nova e deliciosa série da autora best-seller Carrie Elks. Você vai conhecer a família Shakespeare: quatro irmãs, quatro histórias... quatro maneiras de encontrar o amor verdadeiro.


Um verão na Itália é o primeiro volume da série As irmãs Shakespeare, da Carrie Elks. Eu recebi o livro na caixinha do V.I.B, e iniciei a leitura já esperando uma história fofa e envolvente. E sim, a história é tudo isso e mais um pouco. Me envolvi muito com os personagens, e quando eu percebi, não consegui desgrudar do livro. O romance é um daqueles que aquece seu coração e te faz dar vários suspiros. O melhor de tudo é a ambientação: Itália! ♥ É possível imaginar todos os cenários, e ficamos com muita vontade de conhecer todos os lugares descritos.

quarta-feira, 25 de julho de 2018

[Resenha] De espaços abandonados

| 0 comentários
Autora: Luisa Geisler
Páginas: 416
Editora: Alfaguara
De espaços abandonados é um mosaico narrativo de várias vozes, um livro sobre procurar alguém e se perder no processo. Nele, Luisa Geisler constrói com maestria uma trama complexa com personagens envolventes que desafiam os limites das páginas.
Maria Alice é introspectiva e míope; muito míope. Sua mãe, que sofria de distúrbio bipolar, desapareceu sem deixar pistas, e Maria Alice está disposta a viajar o mundo para reencontrá-la. Posts em um blog sobre espaços abandonados e exploração urbana a levam a Dublin, onde passa a viver com brasileiros que decidiram ganhar a vida no exterior, mas que perderam (ou ignoraram) o rumo. Em sua incerta busca, ela acaba seguindo o próprio desejo de se perder.
Ao mesclar cartas, trechos de livros, manuais de escrita, depoimentos e arquivos perdidos em computadores, Luisa Geisler costura a vida de uma série de brasileiros autoexilados na Irlanda, em busca de um futuro melhor, ainda que não saibam o que procuram.
Este livro não traça apenas a jornada de uma mulher em busca da mãe. Ele refaz, também, a história de personagens perdidas, que buscaram uma vida melhor em outros países, mas acabaram reencontrando antigos problemas nelas mesmas. São pessoas que por anos ouviram histórias sobre ganhar em euro e a mítica da sorte irlandesa, mas que agora estão entre tentar achar uma forma de fugir da vida ou encará-la de frente.


Segundo a contracapa do livro: “De espaços abandonados é um mosaico narrativo de várias vozes, um livro sobre procurar alguém e se perder no processo. Nele, Luisa Geisler constrói com maestria uma trama complexa com personagens envolventes que desafiam os limites das páginas.” E em certos aspectos é uma descrição precisa, pois esse mosaico narrativo de vozes faz com que o leitor um pouco se perca no processo de leitura, o que não é uma critica, mas apenas uma característica observada no livro.

segunda-feira, 23 de julho de 2018

[Resenha] A casa dos pesadelos

| 17 comentários
Autor: Marcos DeBrito
Páginas: 144
Editora: Faro Editorial
Dez anos depois de estar cara a cara com aquela assombração, Tiago finalmente concorda em voltar à mesma casa para visitar sua avó. Agora adolescente, ele pretende provar para si mesmo, que a terrível imagem que o aterrorizara nas madrugadas por tanto tempo, não passava de uma criação tenebrosa da infância. Mas, ao chegar no casarão, o jovem se depara com o misterioso quarto de seu falecido avô, agora mantido fechado, e tratado como espaço proibido. As restrições com relação ao aposento, as sensações e barulhos no meio da noite logo alimentam nele a suspeita de que algo terrível habita o local. Tomado por uma estranha coragem e desejo de ver-se finalmente livre do medo, tudo que o rapaz deseja é descobrir o que há por trás daquela porta. Então, o pesadelo toma novo impulso quando a figura sombria da infância mostra-se real novamente... mas, desta vez, ela quer atacar o seu irmão mais novo. Determinado a impedir que o caçula passe por terror semelhante, Tiago, mesmo apavorado, decide enfrentar a criatura. E o que descobre expõe terríveis segredos do passado que ninguém poderia imaginar.

A casa dos pesadelos é o meu primeiro contato com o autor, eu ainda não li O escravo de capela, e depois de finalizar essa leitura é algo que eu preciso fazer urgente, pois adorei a escrita do Marcos DeBrito! A sinopse me chamou a atenção, mas eu preciso confessar que eu achei o livro tão fininho que bateu um medo de a história não ter um desenvolvimento bacana. E eu me enganei completamente, pois o autor consegue em poucas páginas prender o leitor e fazer nossa imaginação pensar em muitas possibilidades. A obra não é um terror, daqueles que te faz não querer ler à noite, e sim, um suspense muito bem trabalhado, que traz à tona monstros ainda mais assustadores do que nossa imaginação pode criar.

sexta-feira, 20 de julho de 2018

[Resenha] Star Wars: O valentão fantasma

| 6 comentários
Autor: Jeffrey Brown
Páginas: 176
Editora: Aleph
Série: Academia Jedi, 3
É difícil acreditar que este é o último ano de Roan na Academia Jedi. Ele tem estado mais ocupado do que nunca aprendendo a voar (e a lavar) naves espaciais, nadando na Região dos Lagos em Naboo, estudando para o exame do desafio de obstáculos Jedi e rastreando dezenas de clones de vorpak (nem pergunte). Mas agora, alguém está fazendo ele ter problemas com todos na escola, inclusive com o mestre Yoda. Se Roan não descobrir quem é, e rápido, pode ser expulso da escola! Porque a escola secundária não pode ser mais fácil? Essa história incrível e original captura todo o humor, estranheza, diversão e frustrações do ensino fundamental. As histórias são narradas através do diário de Roan, um aprendiz de Jedi, que registra seu dia a dia em cartas, desenhos, e-mails e muito mais.


1. Academia Jedi
2. O retorno de padawan

O valentão fantasma é o terceiro livro da série Academia Jedi, de Jeffrey Brown. A obra é narrada em forma de diário por Roan, e possui muitos quadrinhos - feitas pelo próprio garoto - para ilustrar as cenas. A série é voltada para o público infantil, mas consegue encantar até mesmo os adultos. Eu pelo menos adorei a leitura desses três livros que já foram lançados pela Aleph.