quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

[Resenha] Hazel Wood: A origem do azar

| 1 comentários

Autora: Melissa Albert
Páginas: 444
Editora: Plataforma21
Série: Hazel Wood, 1
Alice Proserpine tem 17 anos e, desde que se lembra, passou a maior parte da vida na estrada com sua mãe. Perseguidas por uma onda de azar quase sobrenatural e sempre dependendo de favores alheios, elas nunca conseguiram permanecer muito tempo no mesmo lugar.
Mas, quando a avó de Alice – reclusa autora de um cultuado livro de contos de fadas sombrios – morre sozinha na mansão Hazel Wood, a jovem descobrirá o tamanho de sua má sorte: sua mãe é sequestrada. Além disso, o rapto foi feito por alguém que diz ter saído de Recôndito, o cruel e fantástico mundo onde as histórias de sua falecida avó são ambientadas. E a mãe de Alice deixou apenas uma pista: "FIQUE BEM LONGE DE HAZEL WOOD"
Entretanto, para salvá-la, Alice não terá escolha a não ser desbravar esse universo desconhecido – e quem sabe descobrir porque, afinal, tudo em sua vida tem dado tão errado.

Hazel Wood: A origem do azar é o primeiro livro da série Hazel Wood, e estreia da autora Melissa Albert. Lançado nesse semestre pela Plataforma21, esse era um dos livros mais aguardados por mim. Eu li a sinopse e fiquei simplesmente encantada pelo enredo. Eu adoro contos de fadas, principalmente quando são mais sombrios, e a proposta da autora de unir fantasia com realidade dentro da trama era ainda mais atrativa. Eu iniciei a leitura desse obra com as expectativas bem altas, e torcendo para que todas fossem superadas. E, de certa forma, elas foram. 

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

[Resenha] Aru Shah e o fim dos tempos

| 0 comentários
Autora: Roshani Chokshi
Páginas: 440
Editora: Plataforma21
Série: Saga Pândava, 1
Aru Shah é uma garota cheia de imaginação e, para se sentir aceita na escola, sempre aumenta a verdade. Ter um elefante de estimação, ser da realeza, fazer viagens imaginárias a Paris, ter um chofer... Bem, as mentiras que conta não são poucas, mas Aru tem lá suas razões.
Nestas férias, por exemplo, enquanto os outros alunos estarão viajando para lugares super exóticos em suas casas chiques de veraneio, ela terá que ficar plantada no Museu Arqueológico de Arte e Cultura Indiana, onde sua mãe trabalha. Um dia, três colegas resolvem aparecer no museu para pegá-la em uma de suas mentiras. E eles não acreditam de jeito nenhum que a Lâmpada de Bharata realmente seja amaldiçoada. Apenas uma acendida rápida, Aru pensa, contrariando as regras do lugar. Daí, nada de mentir novamente na escola... Entretanto, acender a lâmpada traz consequências catastróficas. Sem querer, Aru Shah liberta Sono, um demônio ancestral cujo objetivo é despertar o Deus da Destruição. Além disso, sua mãe e seus colegas ficaram congelados no tempo.
Agora, Aru deve dar um jeito em toda essa bagunça, e a única forma de impedir Sono é encontrando as reencarnações dos lendários irmãos Pândava numa jornada pelo Reino da Morte. Mas como uma garota usando seu pijama do Homem-Aranha será capaz de enfrentar tudo isso?

Aru Shah e o fim dos tempos é o primeiro volume da Saga Pândava, da autora Roshani Chokshi. Esse é o livro de estreia do selo Rick Riordan apresenta, um selo que se dedica a mitologia, em geral, para o público jovem. Eu fiquei bastante animada quando soube sobre o selo, pois é uma forma de conhecer outras mitologias e culturas. E, quem adora as séries do Rick com certeza vai gostar de Aru Shah. A obra é sobre mitologia hindu, algo que até então eu nunca tinha lido e fiquei admirada e encantada. Roshani nos apresenta uma história que permite conhecer além de tudo um pouco da cultura indiana.

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

[Resenha] Um dia em dezembro

| 4 comentários
Autora: Josie Silver
Páginas: 392
Editora: Bertrand Brasil
Laurie não acredita em amor à primeira vista. Afinal de contas, a vida não é a cena de um filme romântico. Mas, então, em uma manhã de dezembro fria e com neve, o ônibus de dois andares em que voltava para casa para em um ponto. Ao olhar para baixo, ela o vê. Por um segundo transcendental, seus olhos se encontram... e então o ônibus começa a andar. Depois de muitos meses com a esperança de cruzar novamente com ele, Laurie acha que nunca mais verá o garoto do ônibus.
No entanto, um ano depois, em uma festa de Natal, sua melhor amiga, Sarah, apresenta o novo namorado, o grande amor de sua vida. Para seu profundo desespero e surpresa, ele é ninguém menos que o garoto do ônibus. Determinada a esquecê-lo, Laurie segue com sua vida. Mas e se o destino tiver outros planos?


Eu recebi Um dia em dezembro na última caixinha do V.I.B que o Grupo Editorial Record me enviou, e esse não poderia ser um mês melhor para postar a resenha. ♥ Eu resolvi não ler a sinopse dessa obra e me surpreendi bastante. Essa é uma daquelas histórias que você pensa que nada poderia ficar pior, até que fica. Entre momentos de frustração e ansiedade você consegue se envolver nessa história fofa, um pouco louca e que aquece o coração. O melhor de tudo é que a ambientação tem esse clima Natalino e muita neve, lembrando muitos aqueles filmes de sessão da tarde.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

[Resenha] Stalker

| 4 comentários
Autora: Tarryn Fisher
Páginas: 288
Editora: Faro Editorial
Deprimida após sofrer um aborto espontâneo, Fig Coxbury passa seu tempo em praças observando as crianças que poderiam ser a sua filha. Até que uma menininha brincando com a mãe desperta uma obsessão. Logo, Fig se vê mudando de casa e de bairro não por necessidade, mas porque a casa vizinha oferece tudo o que ela mais deseja: a filha, o marido e a vida que pertence a outra pessoa.








Stalker é mais um livro da autora Tarryn Fisher que me pega de jeito, e dessa vez ela nos trouxe um thriller psicológico narrado por três pontos de vistas que nos mostra que nem tudo é o que parece. Eu recebi esse livro na caixinha da TAG Inéditos, e ele foi lançado mês passado pela Faro Editorial (que está com uma capa muito bonita!), então quem não assina a TAG já pode conferir a obra. Eu iniciei essa leitura já esperando gostar, e não me decepcionei nem um pouco. A trama ser narrada por três personagens consegue deixar a leitura ainda mais envolvente, porque conseguimos entender melhor os defeitos de cada um.

domingo, 9 de dezembro de 2018

[Resenha] Vingança

| 7 comentários
Autora: Catherine Doyle
Páginas: 288
Editora: Agir now
Série: Sangue por sangue, 1
Para Sophie, aquele seria só mais um verão lento e abafado em Cedar Hill, fazendo um bico como garçonete no restaurante da família e passando o tempo com sua melhor amiga, Millie. Mas isso foi só até uma família se mudar para o casarão abandonado no fim da rua — cinco irmãos italianos, um mais gato que o anterior. Sem conseguir resistir aos olhos cor de caramelo de Nicoli, Sophie acaba se apaixonando — e propositalmente ignorando os sinais de perigo que envolvem os misteriosos irmãos. Por que as mãos de Nic estão sempre tão machucadas? Por que ele sempre carrega consigo um canivete monogramado? E por que seu irmão mais velho, o arrogante e irritante Luca, quer proibir os dois de ficarem juntos? Quando os segredos sombrios dos rapazes começam a vir à tona, Sophie precisa enfrentar dolorosas verdades em relação à própria família. De repente, ela se vê no meio de uma vendeta entre duas dinastias rivais: a família em que nasceu e a pela qual se apaixonou. Sophie vai precisar escolher entre lealdade e paixão, e, quando o fizer, sangue vai rolar e corações serão partidos, porque, quando se trata de amor, a desonra pode ser uma questão de vida ou morte. Uma mistura ideal de ação, reviravoltas e romance, Vendeta é uma estreia épica que mistura Romeu e Julieta e O poderoso chefão na Chicago dos dias atuais.

Vingança é o primeiro livro da trilogia Sangue por sangue, da autora Catherine Doyle. Eu consegui esse livro em uma troca do Skoob há alguns meses, mas quando eu resolvi ler já não me lembrava de absolutamente nada do enredo. E, resolvi deixar assim, o que no fim se mostrou uma experiência bem diferente. Como eu iniciei a leitura totalmente no escuro, ela não conseguiu fazer muito sentido para mim nas primeiras páginas. Eu não conseguia entender se era uma história sobrenatural ou o quê. E, no fim acabei me surpreendendo bastante quando enfim entendi onde tudo ia chegar. A obra é realmente uma mistura de Romeu e Julieta e O poderoso chefão, o que se mostrou algo envolvente e me deixou tensa na maior parte da narrativa.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

[Resenha] Os arteiros mágicos

| 3 comentários
Autor: Neil Patrick Harris
Páginas: 260
Editora: Plataforma21
Série: Os arteiros mágicos, 1
Carter é mais habilidoso do que imagina, mas ele não acredita em mágica de verdade. Quando os pais do garoto desaparecem, seu tio Velhaco o obriga a viver de trapaças nas ruas – até que Carter resolve escapar.
Ao fugir, porém, ele jamais esperava encontrar amigos e magia numa cidadezinha pacata da Nova Inglaterra. Mas, como num passe de mágica, tudo muda assim que o ambicioso B. B. Bosso e sua trupe de palhaços ladrões chega tocando o terror no lugar.
Depois de um fatídico encontro com Dante Vernon, o provedor local de truques de mágica, Carter encontra outros cinco jovens ilusionistas. Com trabalho em equipe e muita magia, eles farão de tudo para livrar a cidade das garras de Bosso. Os seis arteiros mágicos descobrirão, juntos, a amizade, a aventura e a autoconfiança nesta nova série que vai além de qualquer truque. Sim, respeitá-veis leitores, a magia existe – e ela está nas suas mãos.

Os arteiros mágicos é o primeiro livro da série de mesmo nome, do autor Neil Patrick Harris. Eu fiquei muito contente quando soube que Neil iria lançar um livro, eu adoro ele como ator e como pessoa. E, eu amei imensamente esse livro. Ele tem uma daquelas histórias infanto juvenil que leitores de qualquer idade conseguem se envolver e apaixonar pelo enredo e personagens. Minhas expectativas em relação a esse lançamento estavam muito alta, e todas foram superadas. Neil se mostrou mais uma vez fantástico, e trouxe muito do seu bom humor para a trama.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

[Resenha] Mais lindo que a lua

| 9 comentários
Autora: Julia Quinn
Páginas: 272
Editora: Arqueiro
Série: Irmãs Lyndon, 1
Foi amor à primeira vista. Mas Victoria Lyndon era a filha do vigário, e Robert Kemble, o elegante conde de Macclesfield. Foi o que bastou para os pais dos dois serem contra a união. Assim, quando o plano de fuga dos jovens deu errado, todos acreditaram que foi melhor assim.
Sete anos depois, quando Robert encontra Victoria por acaso, não consegue acreditar no que acontece: a garota que um dia destruiu seus sonhos ainda o deixa sem fôlego. E Victoria também logo vê que continua impossível resistir aos encantos dele. Mas como ela poderia dar uma segunda chance ao homem que lhe prometeu casamento e depois despedaçou suas esperanças?
Então, quando Robert lhe oferece um emprego um tanto incomum – ser sua amante –, Victoria não aceita, incapaz de sacrificar a dignidade, mesmo por ele. Mas Robert promete que Victoria será dele, não importa o que tenha que fazer. Depois de tantas mágoas, será que esses dois corações maltratados algum dia serão capazes de perdoar e permitir que o amor cure suas feridas?


Mais lindo que a lua é o primeiro livro da série Irmãs Lyndon, da autora Julia Quinn. Eu simplesmente adoro os romances de época dessa autora, porém, esse não é o melhor que eu já li até agora. A trama tem algumas ressalvas, infelizmente. Mas, de forma geral, a história é agradável. Há quem não acredite em amor à primeira vista, eu inclusive, mas não vejo nenhum mal em acontecer isso em um livro. Nessa obra, no entanto, percebemos que o que ocorre não é bem um amor à primeira vista, mas uma paixão avassaladora entre duas pessoas muitos jovens e que ainda não conhecem muito bem a vida.

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

[Resenha] Como num filme

| 8 comentários
Autora: Lauren Layne
Página: 224
Editora: Paralela
Série: Recomeços, 0.5
As regras são claras... até o momento em que são quebradas. Neste livro da série Recomeços, conheça a história de Ethan. As únicas coisas que o mauricinho Ethan e a rebelde Stephanie têm em comum são o curso de cinema na Universidade de Nova York e o roteiro que precisam desenvolver juntos. Mas, quando a proposta de recriar clássicos de Hollywood se confunde com a realidade, eles acabam se tornando os protagonistas de uma história de amor digna de Oscar! Ela quer um quarto confortável em uma boa casa. Ele quer ficar longe de sua ex. Eles precisam de uma boa nota. Convencidos a ajudar um ao outro, os dois entram em um acordo: Stephanie será a namorada de mentirinha de Ethan enquanto ele a deixa morar em seu apartamento. Para isso, ela deverá fingir ser uma perfeita lady: discreta, arrumadinha e, claro, completamente apaixonada… igualzinha à personagem do filme que estão criando. Contudo, à medida que os dois se aproximam, Ethan se vê completamente apaixonado pela garota cheia de mistérios e contradições ao seu lado. Agora, ele vai ter que decidir: será que seus sentimentos são pela Stephanie de verdade? Ou apenas pela versão que ele criou?

1. Em pedaços

Como num filme é um prequel da série Recomeços, da autora Lauren Layne. Essa é a minha terceira experiência com a escrita da autora, e eu gostei bastante do que eu li. Em pedaços, que é o primeiro livro da série, me agradou bastante, então eu fiquei muito empolgada para conhecer melhor a história de um personagem que faz parte do passado da protagonista do primeiro livro. Mais uma vez Lauren nos traz uma trama que toca em assuntos importantes e pesados, mas com certa leveza consegue construir sua história de maneira com que o leitor se apaixone pela trama e personagens.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Pilha de leitura #67

| 11 comentários

Boa noite, leitores! Vamos para a penúltima pilha de leitura do ano? Em novembro eu consegui ler os nove livros que eu tinha separado, e só. Infelizmente não consegui terminar o segundo livro de Outlander que comecei uns meses atrás. Anyway, vamos dar uma conferida no que eu andei lendo?

domingo, 2 de dezembro de 2018

Caixinha de correio #136

| 2 comentários

Boa noite, leitores! Hoje é dia de mostrar tudo o que eu recebi de parceria e comprei no mês de novembro. Eu queria ter passado por essa Black Friday sem ter comprado nada, mas não consegui resistir a algumas promoções. Vamos conferir tudo o que chegou por aqui?

sábado, 1 de dezembro de 2018

[Resenha] Peter Pan

| 6 comentários
Autor: J. M. Barrie
Páginas: 253
Editora: Zahar
Peter Pan transporta crianças e adultos pra um mundo mágico, povoado pela família Darling e pelos habitantes da Terra do Nunca - Peter Pan, os meninos perdidos, Sininho, o Capitão Gancho e seus piratas...








Peter Pan é um clássico da literatura, escrito por J. M. Barrie e publicado pela Editora Zahar. A história é inspirada no seu irmão que morreu ainda criança e nunca chegou a crescer. Essa é a primeira vez que eu tenho contato com a obra do autor, até então só conhecia o desenho e filme, mas me recordo que sempre achei Peter Pan uma criança bastante rebelde, no entanto, esse clássico se mostra bem mais sombrio. Peter Pan é um personagem traiçoeiro, mau e autoritário, bem diferente da adaptação da Disney. Fiquei bastante surpresa de encontrar uma história que fala sobre morte e crueldades sem nenhum medo. Eu realmente não me recordo de ter encontrado alguma essência disso nas adaptações que eu assisti, talvez porque era criança e não via maldade em certas coisas.

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

[Resenha] O tempo desconjuntado

| 4 comentários
Autor: Philip K. Dick
Páginas: 272
Editora: Suma
Com edição especial em capa dura e projeto gráfico arrojado, uma obra inédita de Philip K. Dick chega ao Brasil, trazendo um retrato único da construção do medo, da desconfiança e da própria realidade.
Ragle Gumm tem um trabalho bastante peculiar: ele sempre acerta a resposta para um concurso diário do jornal local. E quando ele não está consultando seus gráficos e tabelas para o trabalho, ele aproveita a vida tranquila em uma pequena cidade americana em 1959. Pelo menos, é isso que ele acha.
Mas coisas estranhas começam a acontecer. Primeiro, Ragle encontra uma lista telefônica e todos os números parecem ter sido desconectados. Depois, uma revista sobre famosos traz na capa uma mulher belíssima que ele nunca tinha visto antes, Marilyn Monroe. E para piorar, objetos do dia a dia começam a desaparecer e são substituídos por pedaços de papel com palavras escritas, como “vaso de flores” e “barraca de refrigerante”. A única alternativa que Ragle encontra para descobrir o que está acontecendo é fugir da cidade e de todos esses acontecimentos bizarros, contudo, nem a fuga nem a descoberta serão tão fáceis quanto ele imaginava.

Segundo livro do autor Philip K. Dick que eu leio; o primeiro contato foi com um livro de contos chamado Realidades Adaptadas (resenhado aqui no blog) que reúne dentre os sete contos, alguns que fizeram sucesso em suas adaptações para o cinema. Dessa vez, a leitura de uma narrativa maior e mais detalhista, deu-me a oportunidade de perceber similaridades com seus contos e a possibilidade de conhecer a capacidade do autor em sustentar suas ideias mirabolantes por mais de 200 páginas.

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

[Resenha] Um artista do mundo flutuante

| 10 comentários
Autor: Kazuo Ishiguro
Páginas: 232
Editora: Companhia das Letras
Masuji Ono, protagonista e narrador deste primoroso romance do vencedor do prêmio Nobel de literatura, é um homem de seu tempo. Pintor de grande renome do Japão antes e durante a Segunda Guerra Mundial, ainda jovem Masuji desafiou o pai para seguir a vocação artística e, durante seu desenvolvimento criativo, lutou contra as amarras da arte tradicional japonesa para dar lugar a uma produção propagandística a serviço de seu país. Usando a influência de que gozava perante as autoridades do governo imperial, Ono buscava ajudar pessoas de bem em situações menos favorecidas do que a sua.
Ambientado nos anos imediatamente após a rendição, o romance descortina a vida de Masuji já aposentado, procurando entender as mudanças vividas pelo país e impressas na mentalidade da geração mais jovem, da qual fazem parte suas duas filhas. Ao procurar entender por que as negociações para o casamento da mais nova delas foram abruptamente interrompidas, o protagonista se vê levado a rememorar sua vida de artista e professor respeitado e a enfrentar a consequência dos próprios atos no destino de seus descendentes.
Retrato comovente de um momento histórico cujos desdobramentos se veem até os dias de hoje, Um artista do mundo flutuante é também um poderoso romance sobre a velhice, a culpa e a passagem do tempo.

Uma primeira leitura de um livro de algum autor consagrado - e agora laureado com o Nobel de Literatura -, sempre gera uma certa expectativa e receio de que a mesma não será como o esperado. A indicação é que se esqueça esse tipo de atitude - que mais atrapalha do que ajuda - e inicie o quanto antes. Nesse caso, a demora foi por falta de tempo e um resquício de vontade de ler algo contemporâneo. 

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

[Resenha] A coroa da vingança

| 4 comentários
Autora: Colleen Houck
Páginas: 416
Editora: Arqueiro
Trilogia: Deuses do Egito, 3
Em A Coroa da Vingança, terceira e última aventura da série Deuses do Egito, Colleen Houck nos presenteia com um desfecho tão surpreendente e inspirador quanto o elaborado universo mitológico que criou.Meses após sua pacata vida como herdeira milionária sofrer uma reviravolta e ela embarcar numa vertiginosa jornada pelo Egito, Liliana Young está praticamente de volta à estaca zero.
Suas lembranças das aventuras egípcias e, especialmente, de Amon, o príncipe do sol, foram apagadas, e só resta a Lily atribuir os vestígios de estranhos acontecimentos a um sonho exótico. A não ser por um detalhe: duas estranhas vozes em sua mente, que pertencem a uma leoa e uma fada, a convencem de que ela não é mais a mesma e que seu corpo está se preparando para se transformar em outro ser.
Enquanto tenta dar sentido a tudo isso, Lily descobre que as forças do mal almejam destruir muito mais que sua sanidade mental – o que está em jogo é o futuro da humanidade.
Seth, o obscuro deus do caos, está prestes a se libertar da prisão onde se encontra confinado há milhares de anos, decidido a destruir o mundo e todos os deuses. Para enfrentá-lo de uma vez por todas, Lily se une a Amon e seus dois irmãos nesta terceira e última aventura da série Deuses do Egito.



A coroa da vingança é o terceiro livro da trilogia Deuses do Egito, da Colleen Houck. Eu tinha ficado muito empolgada com o primeiro livro, a premissa me pareceu muito promissora, no entanto, o segundo livro foi um balde de água fria. Eu fiquei um bom tempo pensando se eu iria finalizar essa trilogia ou não, e depois de alguns meses resolvi dar uma chance. Esse terceiro livro consegue ser melhor que o segundo, mas de forma geral, a série acabou se perdendo no meio do caminho. A leitura desse último livro teve seus altos e baixos, e ainda bem que foi o último, eu sinceramente acho que não aguentaria mais.

terça-feira, 20 de novembro de 2018

[Resenha] A caçadora de dragões

| 6 comentários
Autora: Kristen Ciccarelli
Páginas: 398
Editora: Seguinte
Série: Iskari, 1
Quando era criança, Asha, a filha do rei de Firgaard, era atormentada por sucessivos pesadelos. Para ajudá-la, a única solução que sua mãe encontrou foi lhe contar histórias antigas, que muitos temiam ser capazes de atrair dragões, os maiores inimigos do reino. Envolvida pelos contos, a pequena Asha acabou despertando Kozu, o mais feroz de todos os dragões, que queimou a cidade e matou milhares de pessoas — um peso que a garota ainda carrega nas costas. Agora, aos dezessete anos, ela se tornou uma caçadora de dragões temida por todos. Quando recebe de seu pai a missão de matar Kozu, Asha vê uma oportunidade de se redimir frente a seu povo. Mas a garota não vai conseguir concluir a tarefa sem antes descobrir a verdade sobre si mesma — e perceber que mesmo as pessoas destinadas à maldade podem mudar o próprio destino.


A caçadora de dragões é o primeiro livro da série Iskari, da autora Kristen Ciccarelli. Essa é uma fantasia young adult, com uma ambientação medieval e um desenvolvimento muito empolgante, eu pelo menos adoro livros com dragões, e o universo criado pela autora está muito bacana de explorar. Há muitas lendas, principalmente que envolvem esses seres místicos, e de forma gradativa a narrativa vai nos apresentando um pouco sobre eles e o relacionamento com os humanos.

domingo, 18 de novembro de 2018

[Resenha] A sutil arte de ligar o f*da-se

| 1 comentários
Autor: Mark Manson
Páginas: 224
Editora: Intrínseca
Chega de tentar buscar um sucesso que só existe na sua cabeça. Chega de se torturar para pensar positivo enquanto sua vida vai ladeira abaixo. Chega de se sentir inferior por não ver o lado bom de estar no fundo do poço.
Coaching, autoajuda, desenvolvimento pessoal, mentalização positiva - sem querer desprezar o valor de nada disso, a grande verdade é que às vezes nos sentimos quase sufocados diante da pressão infinita por parecermos otimistas o tempo todo. É um pecado social se deixar abater quando as coisas não vão bem. Ninguém pode fracassar simplesmente, sem aprender nada com isso. Não dá mais. É insuportável. E é aí que entra a revolucionária e sutil arte de ligar o foda-se.
Mark Manson usa toda a sua sagacidade de escritor e seu olhar crítico para propor um novo caminho rumo a uma vida melhor, mais coerente com a realidade e consciente dos nossos limites. E ele faz isso da melhor maneira. Como um verdadeiro amigo, Mark se senta ao seu lado e diz, olhando nos seus olhos: você não é tão especial. Ele conta umas piadas aqui, dá uns exemplos inusitados ali, joga umas verdades na sua cara e pronto, você já se sente muito mais alerta e capaz de enfrentar esse mundo cão.
Para os céticos e os descrentes, mas também para os amantes do gênero, enfim uma abordagem franca e inteligente que vai ajudar você a descobrir o que é realmente importante na sua vida, e f*da-se o resto. Livre-se agora da felicidade maquiada e superficial e abrace esta arte verdadeiramente transformadora.


Esse livro foi na verdade um presente, presente esse que a princípio me deixou ofendida. O que exatamente minha mãe queria me dizer me dando um livro de autoajuda, ainda mais com esse título? Mas fiz cara de paisagem e dei uma chance para a leitura. E admito, acabei surpresa por essa autoajuda ao avesso.

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

[Resenha] O guia do cavalheiro para o vício e a virtude

| 5 comentários
Aurtora: Mackenzi Lee
Páginas: 434
Editora: Galera Record
Série: Montague Sibilings, 1
Uma aventura romântica do século XVIII para a era moderna. Simon Versus a Agenda Homo Sapiens, encontra os anos 1700.
Henry "Monty" Montague nasceu e foi criado para ser um cavalheiro, mas nunca foi domado. Os melhores internatos da Inglaterra e a constante desaprovação do pai não conseguiram conter nenhuma das suas paixões - jogos de azar, álcool e dividir a cama com mulheres e homens.
Mas agora sua busca constante por uma vida cheia de prazeres e vícios está em risco. O pai quer que ele tome conta dos negócios da família. Mas antes Monty vai partir em seu Grand Tour pela Europa, com a irmã mais nova, Felicity, e o melhor amigo, Percy - por quem ele mantém uma paixão inconsequente e impossível. Monty decide fazer desta última escapada uma festa hedonista e flertar com Percy de Paris a Roma. Mas quando uma de suas decisões imprudentes transforma a viagem em uma angustiante caçada através da Europa, isso faz com que ele questione tudo o que conhece, incluindo sua relação com o garoto que ele adora.

O guia do cavalheiro para o vício e a virtude é o primeiro livro da série Montague Siblings. Eu recebi ele na caixinha do V.I.B, e resolvi pegar para ler sem saber muito sobre o enredo. E, no final, foi uma surpresa e tanto. Para começar, é de um gênero que eu adoro: romance de época! Mas, o melhor de tudo é que é um romance de época LGBT! Eu nunca, até agora, tinha lido um livro de época com essa temática, por isso, eu achei muito maravilhoso! ♥ A autora criou uma trama que mescla libertinagem, humor, um romance apaixonante e personagens extremamente carismáticos. 

terça-feira, 13 de novembro de 2018

[Resenha] Um acordo e nada mais

| 10 comentários
Autora: Mary Balogh
Páginas: 304
Editora: Arqueiro
Série: Clube dos sobreviventes, 2
Embora Vincent, o visconde Darleigh, tenha ficado cego no campo de batalha, está farto da interferência da mãe e das irmãs em sua vida. Por isso, quando elas o pressionam a se casar e, sem consultá-lo, lhe arranjam uma candidata a noiva, ele se sente vítima de uma emboscada e foge para o campo com a ajuda de seu criado.
No entanto, logo se vê vítima de outra armadilha conjugal. Por sorte, é salvo por uma jovem desconhecida. Quando a Srta. Sophia Fry intervém em nome dele e é expulsa de casa pelos tios sem um tostão para viver, Vincent é obrigado a agir. Ele pode estar cego, mas consegue ver uma solução para os dois problemas: casamento.
Aos poucos, a amizade e o companheirismo dos dois dão lugar a uma doce sedução, e o que era apenas um acordo frio se transforma em um fogo capaz de consumi-los.
No segundo volume da série Clube dos Sobreviventes, você vai descobrir se um casamento nascido do desespero pode levar duas pessoas a encontrarem o amor de sua vida.
Um acordo e nada mais é o segundo volume da série Clube dos sobreviventes, e eu estou amando demais esses livros! Eu gosto bastante da escrita da autora, o enredo e personagens são sempre bastante maduros. E, Balogh me ganhou ainda mais ao trazer um personagem cego para o enredo. É extremamente difícil pegar um romance de época em que o personagem tenha alguma deficiência mais séria, e não apenas um "mancar". Pelo menos essa é a primeira vez que encontro isso em um livro do gênero. 

sábado, 10 de novembro de 2018

[Resenha] Irmãos de sangue

| 7 comentários
Autora: Nora Roberts
Páginas: 288
Editora: Arqueiro
Série: A sina dos sete, 1
A misteriosa Pedra Pagã sempre foi um local proibido na floresta Hawkins. Por isso mesmo, é o lugar ideal para três garotos de 10 anos acamparem escondidos e firmarem um pacto de irmandade. O que Caleb, Fox e Gage não imaginavam é que ganhariam poderes sobrenaturais e libertariam uma força demoníaca.
Desde então, a cada sete anos, a partir do sétimo dia do sétimo mês, acontecimentos estranhos ocorrem em Hawkins Hollow. No período de uma semana, famílias são destruídas e amigos se voltam uns contra os outros em meio a um inferno na Terra.
Vinte e um anos depois do pacto, a repórter Quinn Black chega à cidade para pesquisar sobre o estranho fenômeno e, com sua aguçada sensibilidade, logo sente o mal que vive ali. À medida que o tempo passa,
Caleb e ela veem seus destinos se unirem por um desejo incontrolável enquanto percebem a agitação das trevas crescer com o potencial de destruir a cidade.
Em Irmãos de Sangue, Nora Roberts mostra uma nova faceta como escritora, dando início a uma trilogia arrebatadora em que o amor é a força necessária para vencer os sombrios obstáculos de um lugar dominado pelo mal.


Irmãos de sangue é o primeiro livro da série A sina dos sete, da Nora Roberts. Eu já tive contato com outras histórias sobrenaturais da autora e sou apaixonada por sua escrita. E, outro ponto que me faz gostar muito dos livros desse gênero dela é que já no primeiro livro sabemos o contexto geral: como tudo começou, quem são os personagens, o vilão e tudo mais. A história não é nem um pouco introdutória, a autora já chega com tudo nesse primeiro volume, e logo sabemos que uma maldição é o começo de tudo para os personagens desse enredo. No entanto, não imagine que já saber de tudo isso acaba com a magia da leitura, porque é bem pelo contrário. Há todo um mundo a explorar, com muitos perigos, sustos e obstáculos. 

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

[Resenha] A química que há entre nós

| 5 comentários
Autora: Krystal Sutherland
Páginas: 272
Editora: Globo alt
Grace Town é esquisita. E não é apenas por suas roupas masculinas, seu desleixo e a bengala que usa para andar. Ela também age de modo estranho: não quer se enturmar com ninguém e faz perguntas nada comuns.
Mas, por algum motivo inexplicável, Henry Page gosta muito dela. E cada vez mais ele quer estar por perto e viver esse sentimento que não sabe definir. Só que quanto mais próximos eles ficam, mais os segredos de Grace parecem obscuros.
Mesmo que pareça um romance fadado ao fracasso, Henry insiste em mergulhar nesse universo misterioso, do qual nunca poderia sair o mesmo. Com o tempo, fica claro para ele que o amor é uma grande confusão, mas uma confusão que ele quer desesperadamente viver.



Eu li A química que há entre nós, da Krystal Sutherland, na maratona 24h que teve no feriado de outubro. Eu queria ler esse livro desde que lançou, e uns meses atrás eu consegui ele em uma promoção das Americanas, então quando eu fui montar minha TBR para a maratona não pensei duas vezes em adicioná-lo na pilha de leitura. Essa obra é um daqueles young adult que consegue envolver o leitor, mesmo não sendo exatamente alegre o tempo todo. Eu gostei bastante da leitura, eu confesso que não estava dando muito por esse livro, mas ele me surpreendeu profundamente.

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Pilha de leitura #66

| 14 comentários

Boa noite, leitores! Vamos para mais uma pilha de leitura, a penúltima do ano! Eu li nove livros em outubro, e gostei de todas as leituras, consegui diversificar bastante os gêneros. E, claro, não podia faltar romance de época na lista. ♥ Vamos conferir o que eu andei lendo?

domingo, 4 de novembro de 2018

Caixinha de correio #135

| 1 comentários

Boa tarde, leitores! Hoje é dia de mostrar tudo o que eu recebi/comprei no mês de outubro. A caixinha está recheada e eu só estou 'vem férias!' para poder ler tudo. Vamos conferir o que eu recebi?

sábado, 3 de novembro de 2018

[Resenha] Will & Will

| 4 comentários
Autores: John Green e David Levithan
Páginas: 352
Editora: Galera Record
Em uma noite fria, numa improvável esquina de Chicago, Will Grayson encontra... Will Grayson. Os dois adolescentes dividem o mesmo nome. E, aparentemente, apenas isso os une. Mas mesmo circulando em ambientes completamente diferentes, os dois estão prestes a embarcar em um aventura de épicas proporções. O mais fabuloso musical a jamais ser apresentado nos palcos politicamente corretos do ensino médio.








Will & Will, da Galera Record, é um livro escrito por dois autores: John Green e David Levithan. Eu conheço a escrita de ambos, e gostei de todos os livros que eu já li dos dois até o momento, no entanto, essa obra não é considerada, por mim, a melhor deles. Sim, foi uma leitura divertida, descontraída e rápida. Porém, alguns assuntos não foram tão aprofundados e alguns personagens não me envolveram completamente. E. para começar, fui totalmente enganada com esse título, eu realmente esperava que os dois Will's fossem ter algum relacionamento, e eu acho que se fosse isso mesmo ia ser até mais interessante.

terça-feira, 30 de outubro de 2018

[Resenha] Dark divine

| 7 comentários
Autora: Bree Despain
Páginas: 376
Editora: Vergara & Riba
Série: Dark divine, 1
A trama envolvente, que mistura romance, suspense e mistério, entrelaça elementos do passado e do presente. Primeiro livro da trilogia sobre a família Divine - a obra leva o leitor a refletir até que ponto vale o sacrifício por um grande amor. Neste seu romance de estréia, Bree Despain resgata os tempos das Cruzadas e dos Cavaleiros Templários para compor a história de um clã amaldiçoado, que sobrevive através dos tempos em busca de salvação. Segundo a autora, Dark Divine - Paixão Proibida é uma exploração moderna sobre o filho pródigo com um toque de romance paranormal..
A ideia inicial da autora ganhou contornos ainda mais misteriosos nas figuras de Grace Divine e Daniel, dois adolescentes que se encontram na escola anos depois do sumiço misterioso do garoto durante a época de infância. Esta reaproximação irá desencadear o lado mais obscuro de Daniel, colocando o amor entre eles em xeque. A narrativa se desenvolve em torno de um terrível segredo que transformará a vida da família de Grace para sempre e ela descobre que a salvação de Daniel dependerá de um ato de sacrifício dela. 

Dark divine é o primeiro livro da série de mesmo nome, da autora Bree Despain, e publicado pela Vergara & Riba. Eu descobri essa série há algum tempo, e apesar de ter o livro na estante há meses, eu sempre passava outras leituras na frente. Graças ao TBR Jar que eu fiz esse ano, ele foi um dos sorteados de outubro, e eu finalmente li! Eu sabia que se tratava de um romance sobrenatural, mas não lembrava de maiores detalhes da trama. E que surpresa boa foi essa leitura. Ela é bem jovem adulto, sem muito complexidade, mas que conseguiu me envolver bastante.

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

[Resenha] O beijo das sombras

| 6 comentários
Autora: Richelle Mead
Páginas: 320
Editora: Agir
Série: Academia de vampiros, 1
Lissa Dragomir é uma adolescente especial, por várias razões: ela é a princesa de uma família real muito importante na sociedade de vampiros conhecidos como Moroi. Por causa desse status, Lissa atrai a amizade dos alunos Moroi mais populares na escola em que estuda, a São Vladimir. Sua melhor amiga, no entanto, não carrega consigo o mesmo prestígio: meio vampira, meio humana, Rose Hathaway é uma Dampira cuja missão é se tornar uma guardiã e proteger Lissa dos Strigoi - os poderosos vampiros que se corromperam e precisam do sangue Moroi para manter sua imortalidade.
Pressentindo que algo muito ruim vai acontecer com Lissa se continuarem na São Vladimir, Rose decide que elas devem fugir dali e viver escondidas entre os humanos. O risco de um ataque dos Strigoi é maior, mas elas passam dois anos assim, aparentemente a salvo, até finalmente serem capturadas e trazidas de volta pelos guardiões da escola.
Mas isso é só o começo. Em O Beijo das Sombras, Lissa e Rose retomam não apenas a rotina de estudos na São Vladimir como também o convívio com a fútil hierarquia estudantil, dividida entre aqueles que pertencem e os que não pertencem às famílias reais de vampiros. São obrigadas a relembrar as causas de sua fuga e a enfrentar suas temíveis consequências. E, quem sabe, poderão encontrar um par romântico aqui e outro ali. Mais importante, Rose descobre por que Lissa é assim tão especial: que poderes se escondem por trás de seu doce e inocente olhar? 


O beijo das sombras é o primeiro livro da série Academia de vampiros, da Richelle Mead. Eu gosto muito da escrita dessa autora, mas essa série até então não estava entre as que eu queria ler desesperadamente, tanto que o primeiro livro foi lançado em 2010 e eu fui ler só agora. E, eu me arrependo de não ter lido antes, confesso. Ano passado eu assisti a adaptação que fizeram do livro, e eu sinceramente achei a história muito idiota, e fiquei com ainda mais receio de fazer a leitura da obra. O filme tinha um humor forçado e não focou realmente no universo criado pela autora de forma mais séria e intensa. O drama adolescente é muito mais presente, e apesar de a obra também ter um pouco disso, esse drama acabou sendo o foco. Ainda bem que eu resolvi ler mesmo assim, o livro é infinitamente melhor que a adaptação (o que já é o esperado, mas nesse caso é mais ainda!). 

sábado, 20 de outubro de 2018

[Resenha] Bem safado

| 4 comentários
Autora: Lauren Blakely
Páginas: 240
Editora: Faro Editorial
Série: Big rock, 3
O empreiteiro Wyatt é bem-sucedido, inteligente, engraçado, bem... servido, mas nada organizado! Para lidar com a burocracia do negócio e ajudar na expansão de sua empresa, ele contrata a super eficiente Natalie.
Os dois tem uma forte atração sexual, mas mantêm a relação apenas no âmbito profissional.... SEMPRE LEVO AS MULHERES À LOUCURA, SEJA NAS OBRAS QUE CUIDO OU DEBAIXO DOS LENÇÓIS.Isso até eles se verem num bar de Las Vegas e receberem uma notícia desastrosa. Para salvar a noite eles resolvem curtir tudo que a cidade do pecado tem a oferecer... desde uma certa montanha-russa até uma capela para casamentos rápidos. E o problema é que o que aconteceu em Vegas, não ficou em Vegas...E a cada dia me sinto mais tentado a mudar o status do meu relacionamento com a Natalie. Não sei se a trato como minha ex-esposa ou se coloco um anel de verdade no dedo dela.


Bem safado é o terceiro livro da série Big Rock, da autora Lauren Blakely. Eu simplesmente não consigo enjoar dessa série. As histórias seguem sempre o mesmo padrão, mas mesmo assim é impossível não se apaixonar pela história de cada personagem, assim como a personalidade de cada um. Fora que, a escrita da autora é muito envolvente. Então, pode mandar mais Lauren!

terça-feira, 16 de outubro de 2018

[Resenha] Tudo aquilo que nos separa

| 11 comentários
Autora: Rosie Walsh
Páginas: 336
Editora: Record
Imagine a seguinte situação: você conhece um homem, vocês passam sete dias maravilhosos juntos, e você fica apaixonada. E o que é melhor: o sentimento é recíproco. Você nunca teve tanta certeza de algo na vida.
Então, quando ele parte numa viagem de férias agendada há muito tempo e promete te ligar para o aeroporto, você não tem nenhum motivo para duvidar disso. Mas ele não liga. Seus amigos dizem que você deve desencanar, que deve esquecer o cara, mas você sabe que eles estão errados. Eles não sabem de nada. Algo de ruim deve ter acontecido, deve haver um motivo sério para explicar o silêncio dele.
O que você faz quando finalmente descobre que tem razão? Que existe um motivo ― e que esse motivo é a única coisa que vocês não compartilharam um com o outro? A verdade.


Eu recebi Tudo aquilo que nos separa na caixa do V.I.B (very important book), e quando eu vi a caixinha de lenços e o título fiquei imediatamente interessada na leitura. Eu peguei o livro para ler sem tentar descobrir sobre o que se tratava, e no fim, foi uma leitura muito surpreendente. A trama não é um suspense policial, mas a autora conseguiu me enganar bonito em algumas partes, eu fiquei chocada com as revelações que surgiram e que eu estava imaginando de outra forma. Esse foi um dos melhores livros que eu li neste ano, a história é dramática e com acontecimentos que gradativamente vão explorando mais os personagens, deixando o leitor extremamente curioso para saber como tudo vai terminar.

domingo, 14 de outubro de 2018

[Resenha] Poseidon

| 3 comentários
Autora: Anna Banks
Páginas: 288
Editora: Novo Conceito
Série: O legado de Syrena, 1
Além da beleza fora do comum, com seu cabelo quase branco e seus olhos cor de violeta, Emma chama a atenção por ser um pouco desajeitada.
Ela não se sente muito à vontade em lugar nenhum... e não sabe que sua misteriosa origem é a fonte dessa sensação.
Galen, príncipe dos Syrenas, vasculha a terra procurando uma garota especial, capaz de se comunicar com os peixes — e que poderá salvar seu reino. Quando ele se encontra com Emma, a conexão é imediata: embora não saiba, Emma parece ter o dom que Galen procura. Mas, então, por que ela não conseguiu salvar sua melhor amiga do ataque do tubarão?
Cabe ao príncipe convencer a teimosa Emma a enfrentar sua real natureza e aceitar o desafio. E nada pode impedi-lo de alcançar seu objetivo.


Poseidon é o primeiro livro da série O legado de Syrena, da Anna Banks. Eu adoro qualquer tipo de mitologia, e essa me chamou ainda mais a atenção por ter como foco sereias. Eu li poucos livros com esses seres mitológicos, e no final fiquei bem satisfeita com a história que a autora criou. Ela mescla mitologia com romance, transformando a leitura em algo leve, jovem e descontraído. Esse primeiro volume, no entanto, é bem introdutório. Conhecemos os personagens e lendas que cercam as syrenas e temos poucas reviravoltas na narrativa, mesmo assim, a leitura se mostrou muito prazerosa.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

[Resenha] Pobre não tem sorte, 2

| 0 comentários
Autora: Leila Rego
Páginas: 341
Editora: All Print
Série: Pobre não tem sorte, 1
Mariana Louveira precisou cair do salto (parcelado em várias vezes no cartão) para aprender que a vida pode não ser lá tão glamorosa como sempre quis, e que sentimentos valem muito mais do que uns óculos Prada. Tarde demais! Mari é abandonada pelo noivo Edu horas antes do casamento.Sem casório, Mari só encontra uma solução: ir para São Paulo em busca de seus sonhos, ao lado da amiga Clara.
Agora, a nossa protagonista, munida de um Bilhete Único, precisa arregaçar as mangas de um de seus terninhos chiques e batalhar por uma oportunidade.
Em uma história pra lá de gostosa e divertida, Leila Rego narra todas as aventuras de Mariana em Sampa, desde as entrevistas de emprego, até as baladas mais malucas e cheias de confusão.
E, no vir das mudanças, será que ela finalmente vai esquecer Edu e dar a volta por cima? As dificuldades da vida valem mesmo como aprendizado?

1. Pobre não tem sorte, 1

Pobre não tem sorte, 2 é a continuação da história de Mariana Louveira. Eu li o primeiro livro há muitos anos, e lembro que me diverti muito com a leitura. Leila Rego tem uma escrita leve e fácil de se envolver. Eu peguei esse livro já aguardando muitas risadas, e não me decepcionei. A personagem é daquelas sem noção que acaba nos conquistando eternamente. Eu gostei muito de poder continuar essa história, eu lembrava de pouca coisa do livro anterior, mas a autora consegue colocar o leitor no rumo nas primeiras páginas, e logo consegui relembrar algumas coisas.

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

[Resenha] Eu perdi o rumo

| 11 comentários
Autora: Gayle Forman
Páginas: 272
Editora: Arqueiro
Freya perdeu a voz no meio das gravações de seu álbum de estreia. Harun planeja fugir de casa para encontrar o garoto que ama. Nathaniel acaba de chegar a Nova York com uma mochila, um plano elaborado em meio ao desespero e nada a perder.
Os três se esbarram por acaso no Central Park e, ao longo de um único dia, lentamente revelam trechos do passado que não conseguiram enfrentar sozinhos. Juntos, eles começam a entender que a saída do lugar triste e escuro em que se acham pode estar no gesto de ajudar o próximo a descobrir o próprio caminho. 





Eu perdi o rumo, da Gayle Forman, é o terceiro livro que eu leio da autora e o meu favorito até agora. A história não é daquelas que te faz chorar horrores ou com grandes reviravoltas, mas com sua escrita única Gayle nos apresenta personagens que poderiam muito bem ser alguém próximo da gente, e de forma sincera e delicada, a autora vai explorando a vida desses três personagens. No fim, essa é uma leitura que faz o leitor refletir, muito. Você já perdeu algo que te deixou sem rumo? Nessa história você vai encontrar alguém que perdeu a voz, um a casa e outro o amor. 

domingo, 7 de outubro de 2018

[Resenha] Uma noiva para Winterborne

| 1 comentários
Autora: Lisa Kleypas
Páginas: 336
Editora: Arqueiro
Série: Os Ravenels, 2
Rhys Winterborne conquistou uma fortuna incalculável graças a sua ambição ferrenha. Filho de comerciante, ele se acostumou a conseguir exatamente o que quer - nos negócios e em tudo mais.
No momento em que conhece a tímida aristocrata lady Helen Ravenel, decide que ela será sua. Se for preciso macular a honra dela para garantir que se case com ele, melhor ainda.
Apesar de sua inocência, a sedução perseverante de Rhys desperta em Helen uma intensa e mútua paixão.
Só que Rhys tem muitos inimigos que conspiram contra os dois. Além disso, Helen guarda um segredo sombrio que poderá separá-los para sempre. Os riscos ao amor deles são inimagináveis, mas a recompensa é uma vida inteira de felicidade.

1. Um sedutor sem coração

Uma noiva para Winterborne é o segundo livro da série Os Ravenels, da autora Lisa Kleypas. Neste volume o foco é em um casal diferente do primeiro livro, mas mesmo assim aconselho a ler a série na ordem, para não perder nada. Bem, como eu esperava, meu ranço com Rhys Winterborne não permaneceu neste livro, ainda bem! No anterior eu simplesmente fiquei com muito raiva das atitudes idiotas dele, principalmente por serem direcionadas para a personagem mais meiga da série: Helen Ravenel. Rhys ainda tem algumas atitudes babacas, porém, algumas são justificáveis e acabamos amolecendo nosso coração para ele.

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

[Resenha] Não confie em ninguém

| 8 comentários
Autor: Charlie Donlea
Páginas: 352
Editora: Faro Editorial
O destino de Grace Sebold toma um rumo inesperado durante uma tranquila viagem com onamorado. O rapaz é assassinado... e ela é condenada pelo crime. Depois de dez anos na prisão, surge a chance de Grace provar sua inocência ao conhecer a cineasta Sidney. Em um documentário que exibe as falhas do processo, a cineasta questiona se a condenação foi fruto de incompetência policial ou se a jovem foi vítima de uma conspiração. Antes do término das filmagens, o clamor popular leva o caso ser reaberto, mas um novo fato provoca uma reviravolta: Sidney recebe uma carta anônima afirmando que ela está sendo enganada pela assassina. A cineasta começa a investigar o passado de Grace e quanto mais se aprofunda na história, mais dúvidas aparecem. No entanto, agora, o que está em jogo não é apenas a repentina fama e carreira, mas sua própria vida.


Não confie em ninguém é um dos últimos lançamentos da Faro Editorial, escrito pelo incrível Charlie Donlea, que já possui outros livros publicados pela editora aqui no Brasil. Eu estou a cada livro mais apaixonada pela escrita desse autor, eu juro! Eu amo um bom thriller, e Charlie tem uma capacidade enorme de escrever histórias desse tipo, que atrai e pega você totalmente de surpresa. Eu gosto de todas as obras que eu já li dele, mas esse é de longe o melhor livro até agora. Charlie ganhou muitos pontos comigo ao dar um final ousado e inesperado.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Pilha de leitura #65

| 1 comentários

Boa noite, leitores! E vamos para mais uma pilha de leitura... Em setembro eu li, com muito custo, os oito livros que eu tinha separado. Ultimamente o sono tem me vencido e não consigo ficar muito tempo lendo de noite. :( Mas, pelo menos consegui ler todos os livros da pilha. Vamos conferir quais foram as minhas leituras?

domingo, 30 de setembro de 2018

Caixinha de correio #134

| 1 comentários

Boa noite, leitores! Esse mês a caixinha de correio não está tão recheada (meu cartão agradece), mas tem só livro lindo, e é isso o que importa. ♥ Vamos conferir o que eu recebi em setembro?

sábado, 29 de setembro de 2018

[Resenha] Ele

| 4 comentários
Autoras: Elle Kennedy e Sarina Bowen
Páginas: 256
Editora: Paralela
Série: Him, 1
James Canning nunca descobriu como perdeu seu melhor e mais próximo amigo.
Quatro anos atrás, seu tatuado, destemido e impulsivo companheiro desde a infância simplesmente cortou contato.
O maior arrependimento de Ryan Wesley é ter convencido seu amigo extremamente hétero a participar de uma aposta que testou os limites da amizade deles.
Agora, prestes a se enfrentarem nos times de hóquei da faculdade, ele finalmente terá a oportunidade de se desculpar. Mas, só de olhar para o seu antigo crush, Wes percebe que ainda não conseguiu superar sua paixão adolescente.
Jamie esperou bastante tempo pelas respostas sobre o que aconteceu com seu relacionamento com Wes, mas, ao se reencontrarem, surgem ainda mais dúvidas.
Uma noite de sexo pode estragar uma amizade? Essa e outras questões sobre si mesmos vão ter que ser respondidas quando Wesley e Jamie se veem como treinadores no mesmo acampamento de hóquei.


Ele é o primeiro livro da série Him, escrito por Elle Kennedy e Sarina Bowen. Eu já conhecia a escrita da Elle com a série Amores improváveis, por isso fiquei muito empolgada por esse livro. Outro ponto que me interessou em querer ler esta obra foi o fato de que é um romance gay, uma temática que li poucos livros até agora. Ele é um livro que possui diversas cenas de sexo, então já aviso que se você não curte muito esse tipo de leitura (independente da orientação sexual dos personagens), talvez acabe não curtindo tanto a história, pois as autoras usam e abusam dessas cenas.

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

[Resenha] Corte de espinhos e rosas

| 14 comentários
Autora: Sarah J. Maas
Páginas: 434
Editora: Galera Record
Série: Corte de espinhos e rosas
Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar um féerico transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação.
Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira que ela só conhecia através de lendas , a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... Ou Tamlin e seu povo estarão condenados.


Corte de espinhos e rosas é o primeiro livro da série de mesmo nome, e é meu primeiro contato com a escrita da Sarah J. Maas. Eu adoro livros de fantasia, mas ainda não tinha tido oportunidade de ler nada dessa autora. Algum tempo atrás recebi esse livro da editora, mas ele acabou ficando esquecido na estante, até eu colocá-lo na TBR desse ano, e finalmente consegui ler o primeiro livro dessa série. Eu sempre tive muita curiosidade para conhecer o trabalho da Maas, pois a grande maioria só tece elogios a escrita dela. Então, ao mesmo tempo que eu ficava cada vez mais empolgada para embarcar na leitura, batia certo receio de eu acabar não gostando, pois eu já tenho um histórico de livros que foram super hype não me agradarem tanto assim. Mas, ainda bem, não foi o que aconteceu com Corte de espinhos e rosas

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

[Lançamentos] Editora Arqueiro

| 3 comentários

Eu perdi o rumo: Freya perdeu a voz no meio das gravações de seu álbum de estreia. Harun planeja fugir de casa para encontrar o garoto que ama. Nathaniel acaba de chegar a Nova York com uma mochila, um plano elaborado em meio ao desespero e nada a perder. Os três se esbarram por acaso no Central Park e, ao longo de um único dia, lentamente revelam trechos do passado que não conseguiram enfrentar sozinhos. Juntos, eles começam a entender que a saída do lugar triste e escuro em que se acham pode estar no gesto de ajudar o próximo a descobrir o próprio caminho. Contado a partir de três perspectivas diferentes, o romance inédito de Gayle Forman aborda o poder da amizade e a audácia de ser fiel a si mesmo. Eu perdi o rumo marca a volta de Gayle aos livros jovens, que a consagraram internacionalmente, e traz a prosa elegante que seus fãs conhecem e amam.

domingo, 23 de setembro de 2018

[Lançamentos] Grupo Companhia das Letras

| 1 comentários


Uma coisa absolutamente fantástica: Enquanto volta para casa depois de trabalhar até de madrugada, a jovem April May esbarra numa escultura gigante. Impressionada com sua aparência — uma espécie de robô de três metros de altura —, April chama seu amigo Andy para gravar um vídeo sobre a aparição e postar no YouTube. No dia seguinte, a garota acorda e descobre que há esculturas idênticas em dezenas de cidades pelo mundo, sem que ninguém saiba como foram parar lá. Por ter sido o primeiro registro, o vídeo de April viraliza e ela se vê sob os holofotes da mídia mundial. Agora, April terá de lidar com os impactos da fama em seus relacionamentos, em sua segurança, e em sua própria identidade. Tudo isso enquanto tenta descobrir o que são essas esculturas — e o que querem de nós. Divertida e envolvente, essa história trata de temas muito relevantes nos dias atuais: como lidamos com o medo e o desconhecido e, principalmente, como as redes sociais estão mudando conceitos como fama, retórica e radicalização.

Declarar: O casamento de Dean e Olivia West sobreviveu a segredos, desilusões e uma tragédia devastadora, persistindo mais forte do que nunca apesar das mais inimagináveis ameaças, até que uma simples mentira inventada por uma pessoa cruel e vingativa se mostra capaz de colocar tudo a perder. Separado de seu lar pelo oceano Atlântico, Dean comanda uma escavação na Itália enquanto luta para salvar sua vida profissional. Mas a distância de sua esposa e do mundo à parte que construíram juntos é mais difícil do que ele imagina, principalmente quando ele descobre que Liv está passando por uma crise vinda do passado – um passado terrível do qual ele sempre tentou salvá-la... Mais forte e confiante do que nunca, Liv está determinada a andar com as próprias pernas e, acima de tudo, defender seu marido daqueles que desejam derrubá-lo. Mas a visita inesperada de sua mãe traz à tona uma série de questões mal resolvidas que a assombram há anos.

terça-feira, 18 de setembro de 2018

[Resenha] O dueto sombrio

| 9 comentários
Autora: Victoria Schwab
Páginas: 448
Editora: Seguinte
Duologia: Monstros da violência, 2
Na sequência final de A Melodia Feroz, Kate Harker precisa voltar para Veracidade e se unir ao sunai August Flynn para enfrentar um ser que se alimenta do caos.
Kate Harker não tem medo do escuro. Ela é uma caçadora de monstros — e muito boa nisso. August Flynn é um monstro que tinha medo de nunca se tornar humano, mas agora sabe que não pode escapar do seu destino. Como um sunai, ele tem uma missão — e vai cumprir seu papel, não importam as consequências.
Quase seis meses depois de Kate e August se conhecerem, a guerra entre monstros e humanos continua — e os monstros estão ganhando. Em Veracidade, August transformou-se no líder que nunca quis ser; em Prosperidade, Kate se tornou uma assassina de monstros implacável. Quando uma nova criatura surge — uma que força suas vítimas a cometer atos violentos —, Kate precisa voltar para sua antiga casa, e lá encontra um cenário pior do que esperava. Agora, ela vai ter de encarar um monstro que acreditava estar morto, um garoto que costumava conhecer muito bem, e o demônio que vive dentro de si mesma.


1. A melodia feroz

O dueto sombrio é o segundo, e último, volume da duologia Monstros da violência. Eu simplesmente adorei A melodia feroz, então minha empolgação por essa continuação estava extremamente alta. Porém, me vi um pouco decepcionada quando já estava na metade do livro e nada realmente muito surpreendente havia acontecido. Parece que a autora colocou todas as reviravoltas marcantes no primeiro livro, e nesse segundo usou apenas para finalizar as pontas soltas e mostrar um pouco das consequências das decisões dos personagens principais. 

sábado, 15 de setembro de 2018

[Resenha] Estilhaça-me

| 2 comentários
Autora: Tahereh Mafi
Páginas: 304
Editora: Universo dos Livros
Série: Estilhaça-me, 1
Um toque é o bastante. Com apenas um toque, Juliette Ferrars é capaz de fazer um homem adulto se ajoelhar de dor e implorar por misericórdia. Um único toque de Juliette pode matar. Ninguém sabe por que a garota tem um poder tão impressionante, o qual ela acredita ser uma maldição, um fardo que uma pessoa sozinha seria incapaz de carregar. Contudo, o Restabelecimento enxerga essa característica como um dom e passa a vê-la como uma oportunidade – uma oportunidade de usá-la como arma letal. Porém, Juliette tem seus próprios planos.




Estilhaça-me é o primeiro volume da série de mesmo nome, escrita por Tahereh Mafi, e republicada pela Universo dos livros. Eu li esse livro quando tinha sido lançado pela Novo Conceito, mas acabei não dando continuidade - por nenhuma razão em especial mesmo -, apesar da vontade de ler os próximos livros. Esse ano eu tive a oportunidade de reler esta obra, que agora eu pretendo continuar sem me demorar muito. A editora lançou o quarto livro, inédito aqui no Brasil, e pretende relançar todos os livros anteriores. Normalmente eu não gosto de reler livros, mas neste caso eu achei necessário para dar continuidade na leitura da série. 

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

[Resenha] A montanha

| 12 comentários
Autor: John Flanagan
Páginas: 360
Editora: Fundamento
Série: Brotherband, 5
Depois de enfrentar os comerciantes de escravos de Socorro, Hal e a tripulação do Garça-Real retornam a Araluen e recebem uma nova missão do rei Duncan: proteger sua filha, a princesa Cassandra. Ela sofreu um atentado que, felizmente, foi frustrado. Contudo, os assassinos pertencem à seita de Imrika, conhecida por caçar e perseguir suas vítimas até a morte – incansavelmente. Esses fanáticos precisam ser detidos antes que seja tarde e, assim, os Brotherbands e Gilan, o lendário arqueiro de Araluen, partem à procura do covil inimigo na temida Montanha do Escorpião, localizada no deserto de Ephesa.
Só que, quando religião e morte se misturam, nem mesmo a calmaria das águas mais profundas dará trégua aos corajosos aventureiros. No caminho, um tirano sedento por vingança e um grupo de cruéis mercenários unem forças para tomar o Garça-Real e impedir Hal e seus amigos de chegar a seu destino. É o início de uma sangrenta batalha por mar e por terra que pode sair muito caro à jovem tripulação. O perigo espreita entre as sombras. Contando com a experiência de Thorn e a agilidade de Gilan, Hal precisa combinar as habilidades de marinheiros e arqueiros para enfrentar adversários impiedosos. Mas será que Hal conseguirá comandar e proteger todos ao mesmo tempo? Ou sua jornada terminará antes de começar?


1. Os exilados
2. Os invasores
3. Os caçadores
4. Os escravos

A montanha é o quinto volume da série Brotherband, do John Flanagan. É muito difícil eu pegar uma série e ler um livro atrás do outro, mas com essa é simplesmente impossível não querer ler mais e mais. A escrita do autor é muito envolvente e o enredo é cheio de aventuras e perigos, o que deixa tudo ainda mais empolgante. Esse é um livro juvenil, mas não pense nem por um momento que a história tem um desenvolvimento fácil e bobo, pelo contrário, John trabalha muito bem tanto os personagens quanto a trama. 

domingo, 9 de setembro de 2018

[Resenha] Pacote completo

| 4 comentários
Autora: Lauren Blakely
Páginas: 240
Editora: Faro Editorial
Série: Big rock, 4
Chase levava uma vida tranquila como médico na movimentada Nova York, sucesso entre as mulheres, parecia que não faltava nada... até que descobre que seu contrato de aluguel está para vencer e se vê entre duas opções: morar na rua e dividir apartamento com a deslumbrante irmã do seu melhor amigo. O problema é que conseguir um bom apartamento em Nova York é mais difícil do que encontrar o amor verdadeiro.
E se eu tiver que dividir um espaço com alguém, que seja com uma garota tão maravilhosa como a irmãzinha do meu amigo. Só peço que os céus me ajudem. Eu posso resistir à Josie. Sou disciplinado, e, se me esforçar, consigo manter meus pensamentos sob controle, mesmo no minúsculo apartamento que dividimos. Mas, certa noite, bem atordoada com um dia difícil, ela insistiu para deitar-se ao meu lado, sob as mesmas cobertas. Isso a ajudaria a dormir, foi o que ela disse...
MAS COMO UM HOMEM COMUM PODE RESISTIR A UMA SITUAÇÃO COMO ESSA? O difícil vai ser segurar a tentação diante da tensão sexual que desperta toda vez que os dois dividem bons momentos. Entre conversas, pizzas e risadas, o clima esquenta e Chase percebe que aquela que em pouco tempo já se tornou uma amiga, pode ser algo mais... talvez um pacote completo.

1. Big rock
2. Mister O
3. Bem safado

Pacote completo
 é o quarto livro da série Big rock, da autora Lauren Blakely. Eu acabei lendo fora da ordem - ainda não li o terceiro volume -, mas as histórias são independentes, então não tem problema. O único porém é que apareceram personagens do livro anterior, e eu boiei um pouco. Mas, nada que afete a leitura. Eu gosto bastante da escrita dessa autora, principalmente quando o protagonista é homem e a narrativa é em primeira pessoa. Lauren tem o dom de criar diálogos divertidos, e a perspectiva masculina que ela coloca em suas obras é muito interessante. Dos livros que eu já li da série, eu conheci personagens galinhas, com um ego gigantesco, e como no caso de Pacote completo, conheci aquele que é mais sensível e aberto aos seus sentimentos. 

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

[Resenha] Homem-objeto e outras coisas sobre ser mulher

| 9 comentários
Autora: Tati Bernardi
Páginas: 256
Editora: Companhia das Letras
Reunião das melhores cronicas de uma das mais irreverentes escritoras contemporâneas. Desde que começou a escrever semanalmente para a Folha de S.Paulo, em 2013, Tati Bernardi não parou de conquistar leitores. Com sua prosa hilariante de inteligencia frenética, ela se tornou uma das principais criticas dos costumes da classe media meio intelectual, meio de esquerda usando aqui a expressão cunhada por Antonio Prata, autor da mesma geração. Homem-objeto reúne seus melhores textos e traz uma cronica inédita, Meu marido joga videogame , que retrata um dos temas que se sobressaem no conjunto, não apenas pela recorrência, mas pela originalidade e destemor com que e tratado: a experiencia de ser mulher no mundo contemporâneo. Tati diverte como poucos autores, e são muitos os leitores que abaixam o jornal para que a gargalhada possa ecoar como deve. Como dizia um velho filosofo, nos rimos porque doí. Talvez o elemento comum entre suas cronicas sobre constipação, espermograma ou taquicardia seja que todas tratam de sentimentos íntimos e profundos. O resultado, esperado ou não, e uma surpreendente dose de poesia. Tati Bernardi consegue transformar suas idiossincrasias cotidianas em literatura, numa mistura hilariante de desespero e humanidade. Ela seria cômica, se não fosse trágica. 


Admito que escolhi esse livro com um certo receio, tenho um histórico de amor e ódio com alguns autores cronistas de jornal. Mas grata surpresa, a autora que para mim era totalmente desconhecida se tornou umas das mais queridas.

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

[Resenha] A duquesa feia

| 15 comentários
Autora: Eloisa James
Páginas: 272
Editora: Arqueiro
Série: Contos de fadas, 4
Baseado na história O Patinho Feio, esse é o terceiro volume da série Contos de Fadas.
Como ela ousa achar que ele a ama, quando Londres inteira a chama de Duquesa Feia?
Theodora Saxby é a última mulher com quem se poderia esperar que o lindo James Ryburn, herdeiro do ducado de Ashbrook, se casasse. Mas depois de um pedido romântico feito na frente do próprio príncipe, até a realista Theo se convence de que o futuro duque está apaixonado.
Ainda assim, os tablóides dizem que a união não durará mais do que seis meses.
Em seu íntimo, Theo acredita que os dois ficarão juntos para sempre… até que ela descobre que o que James desejava não era seu amor, mas seu dote.
E a sociedade, que primeiro se chocou com seu casamento, se escandaliza com sua separação.
Agora James precisará enfrentar a batalha de sua vida para convencer Theo que ele amava a patinha feia antes que ela se transformasse em cisne. E Theo logo descobrirá que, para um homem com alma de pirata, vale tudo no amor – e na guerra.


1. Quando a Bela domou a Fera
2. Um beijo à meia-noite

A duquesa feia é o terceiro volume (na verdade é o quarto) da série Contos de fadas, e desta vez vamos conferir a releitura de O patinho feio. Eu confesso que quando penso em contos de fadas esse em questão nunca me vem à mente, e eu acho que por isso adorei quando soube que seria uma releitura dele, pois normalmente temos sempre os contos mais famosinhos. Eloisa James juntou duas coisas sensacionais: romance de época e contos de fadas. Eu penso que não tinha como dar errado, e realmente não deu. Os três livros que eu li dessa série são incríveis e muito envolventes. A autora consegue criar reviravoltas surpreendentes, e em A duquesa feia ela me surpreendeu mais ainda.