domingo, 5 de novembro de 2017

[Resenha] Trago seu amor de volta sem pedir nada em troca

|
Autor: Ique Carvalho
Páginas: 240
Editora: Sextante
A vida de Ique Carvalho era tranquila e parecida com a de muitos jovens de Belo Horizonte, sua cidade natal. Ele morava com os pais e os irmãos, era apaixonado pela namorada e trabalhava na agência de publicidade da qual era sócio. Suas impressões sobre o cotidiano iam para o blog The Love Code, onde podia dar vazão ao seu talento para escrever. Até que, em 2013, dois fatos fizeram tudo virar de ponta-cabeça.
Na mesma semana, seu namoro teve um fim traumático e o pai recebeu o diagnóstico de uma doença degenerativa grave, que o mataria aos poucos. Sem chão e em meio a um turbilhão, foi no blog que encontrou refúgio para expressar seus sentimentos.
Os textos fortes e genuínos acabaram viralizando, popularizando o site e dando a Ique milhares de fãs e seguidores. Suas palavras possuem o incrível dom de ser, ao mesmo tempo, simples e profundamente verdadeiras, traduzindo o que há de mais puro e desejável no amor. Essa mesma capacidade de causar impacto e despertar as emoções dos leitores permeia as reflexões tocantes de Trago seu amor de volta, seu aguardado segundo livro solo. Ique mais uma vez demonstra sua vocação única como cronista do amor em todas as suas expressões.

Eu iria começar a postagem com um não: "não li o primeiro livro do Ique...", mas como poderia iniciar esse texto com uma palavra negativa, se o livro do Ique Carvalho é uma brisa leve e suave sobre o amor? Ficaria bem feio da minha parte, vocês não acham?

Pois bem, o livro trata do amor, através de escritos simples e singelos, como uma conversa boa que você precisa quando não tem outra pessoa para te aconselhar; daquele amigo gente fina que sabe o que fala e gosta de compartilhar o que aprendeu.

Não sou super fã desse tipo de livro, e já citei aqui que ler sobre as experiências da vida de alguém, em livros considerados de autoajuda, são na maioria das vezes quase uma biografia, e assim, ler dessa forma essas histórias, acaba por se tornar uma oportunidade de conversar com a pessoa mesmo sem conhecê-la.

Com esse livro foi isso que aconteceu. Nas partes onde o autor falava sobre momentos com seu pai, histórias de decepções e corações partidos - tanto dele quanto de seus leitores - a conexão era imediata, pois amo ouvir o que as pessoas têm a dizer, mesmo que não tenha nada a ver comigo. Mas nos momentos em que os poemas apareciam, carregados de paixão e expectativa, ali o autor não me fisgava.

Nossos sentimentos são importantes, mas não ficar dependente deles e saber lidar com as frustrações, mostra o amadurecimento de uma pessoa.


O amor é mais pelos outros do que por nós mesmos. Pois quando nos preenchemos de amor, principalmente do Amor Verdadeiro que salva, você começa a enxergar no outro - alguém da sua família; alguém com quem você quer constituir uma vida; ou até um estranho que precisa de você no momento - aquilo que vai além da necessidade de satisfazer seus próprios desejos e vontades; e então, ao vencer o medo que te aprisiona e te impede de fazer a sua parte e seu dever no mundo, você se liberta de qualquer amarra mundana, que só aparece pois você é imperfeito.

Quando o Ique fala do pai, o amor mais lindo do mundo aparece através das suas palavras, e ali eu me encantava com sua forma simples, e às vezes sem jeito, de expressar o mais importante exemplo que ele teve na vida.

Com a curiosidade pela leitura desse livro - classificado pelo autor como se fosse uma continuação do Faça Amor, Não Faça Jogo, lançado em 2014 pela Gutemberg - procurei ler um texto do seu primeiro livro, para saber se a mesma estrutura foi mantida no segundo; e sim, a essência foi mantida, pois na sua explicação de como conseguiu o contrato com a editora, e as escolhas que fez, mostra muito a pessoa que ele é, e muito disso vem de um pai amoroso, que colocava seu amor pela esposa e pela família acima de tudo.

Para quem já é fã do autor e sente falta de seus escritos, esse livro reafirma sua essência e fará corações apaixonados se emocionarem mais uma vez. 

7 comentários:

  1. Aaah, ainda não tive a oportunidade de conhecer o trabalho do Ique, mas esse já vi ótimos comentários sobre este livro e fico curiosa.
    Li poucos livros de crônicas, gostei bastante mas não é um gênero que eu ame.
    A capa desse livro é muito bacana.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Dandra,
    eu achei o título super legal e fiquei curiosa.
    Tenho lido resenhas mt boas desse livro, tô com vontade de lê-lo

    Bjoooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Dandra.
    Eu tenho uma queda por títulos longos, por isso quando vi o anuncio desse lançamento sabia que precisava ler. A premissa me chamou bastante a atenção, em especial pelo fato de que ele levanta esse questionamento a cerca do amor, eu não costumo ler esse tipo de livro, com esse toque de auto ajuda ou desabafo pessoal, porém quero muito ler essa obra, porque sei que irei adorar.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Confesso que o livro não me chamou a atenção, pois não gosto de livros neste estilo. Mas, para quem gosta parece ser uma boa pedida.

    ResponderExcluir
  5. Dandra!
    Um livro que fala de amor não pode de forma alguma ser ruim, ainda mais quando fala de damília também, a entidade principal de nossas vidas.
    E saber que a cada início de capítulo, tudo começa com uma música, torna o livro uma delícia!
    Que conferir!
    “É prova de inteligência saber ocultar a nossa inteligência.” (François La Rochefoucauld)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Um livro para ler e reler, principalmente naqueles momentos em que a vida parecer um pouco nublada e sem cor. Recomendo!

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Eu não li nada do autor mas esse livro me deixou curiosa por causa do título. A forma dele mostra e fala sobre o amor abertamente no livro é bem legal, e mas para autoajudar e isso com certeza seria uma leitura incrível.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir