sábado, 14 de outubro de 2017

[Resenha] Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra

|
Autora: Leigh Bardugo
Páginas: 400
Editora: Arqueiro
Série: Lendas da DC, 1
Antes de se tornar a Mulher-Maravilha, ela era apenas Diana.
Filha da deusa Hipólita, Diana deseja apenas se provar entre suas irmãs guerreiras. Mas quando a oportunidade finalmente chega, ela joga fora sua chance de glória ao quebrar uma lei das amazonas e salvar Alia Keralis, uma simples mortal.
No entanto, Alia está longe de ser uma garota comum. Ela é uma semente da guerra, descendente da infame Helena de Troia, destinada a trazer uma era de derramamento de sangue e miséria. Agora cabe a Diana salvar todos e dar seu primeiro passo como a maior heroína que o mundo já conheceu.




Esse ano é dela. Saiu o filme que bateu recordes de bilheteria, e aproveitando a onda, uma editora americana revolveu chamar grandes escritores do mercado de livros jovem adulto para reescrever histórias com uma perspectiva jovem para os famosos heróis da DC Comics. 

Encabeçando e iniciando essa série, temos a história da amazona mais famosa de Temiscira, a Diana Prince, filha de Hipólita, que vive em uma ilha protegida pelos deuses, onde grandes guerreiras que perderam suas vidas em guerras no mundo humano, têm a chance de ter uma vida imortal, pois na hora da morte recorreram às grandes deusas protetoras das amazonas para terem misericórdia delas.

No livro da autora Leigh Bardugo, famosa pela Trilogia Grisha e a duologia Six Of Crows, a Diana é uma jovem de 17 anos que salva uma outra adolescente de um naufrágio que ocorre perto da ilha de Temiscira. 

Diana não sabe se fez o certo, pois coisas estranhas começam a acontecer na ilha logo após a garota ser salva, uma ilha que até então era pacífica e livre do contato externo. Mas ao resgatar uma humana, Diana coloca toda sua família e seu lar em perigo, e só lutando e salvando a vida da jovem Alia - a tal garota que foi parar na ilha - Diana poderá talvez trazer o sossego e a paz que suas irmãs amazonas merecem. 

Minha curiosidade pelo livro cresceu quando foi anunciado que a Editora Arqueiro lançaria o livro no Brasil na mesma data do lançamento dos Estados Unidos; e também por eu ter lido o primeiro capítulo do livro Six of Crows e ter gostado da escrita e da forma como a autora conduz o enredo.

Mas acabei por me decepcionar. Esperava algo como foi o excelente filme somado com a expectativa que tive com a escrita da autora, que me pareceu madura e forte, e também pelas altas recomendações dos seus livros.


No fim das contas, a história é mais juvenil e muito mais simples do que eu poderia imaginar. A narrativa alterna sutilmente entre o ponto de vista da Diana e da Alia, a garota que é uma semente da guerra, descendente de Helena de Tróia, e portanto carrega no seu sangue a linhagem da discórdia. A autora aposta em elementos e narrativas atuais e consegue reunir um grupo de jovens em busca da salvação do mundo. Com uma dinâmica ágil e sem rodeios, faz a história ficar leve, e conduz o leitor rapidamente entre as páginas. Mas a espera por algo inovador e com reviravoltas impressionantes, deixa a desejar. Mesmo sendo alguns adolescentes e outros um pouco mais velhos, não tem desculpa para tornar os diálogos bobos. Achei a leitura sem grandes impactos, com uma boa narrativa de ação, mas nada como foi O Ceifador, onde me surpreendi em cada passagem do livro.

Pela autora ter que seguir uma narrativa de uma personagem que outra pessoa criou e que possui um grande legado por trás, talvez a liberdade que ela teria de aprofundar da mesma forma que faria caso fosse com seus próprios personagens, tenha dado esse efeito ao livro. Mas isso é uma questão de opinião mesmo, pois vejo que muitas pessoas estão gostando do livro, o que mostra que momento e gosto interferem na classificação.

O livro deve conquistar mais às adolescentes e jovens aficionados pela Mulher-Maravilha, uma personagem forte e guerreira que inspira tantas garotas. Sua aventura começa na ilha de Temiscira, vai parar em Nova York, e chega até a Grécia. Grandes lutas, viagens, amizade, amor, família, legado, e a luta pelo o que se acredita, confirmam as abordagens que estão sempre presentes em livros juvenis. Mas a surpresa e a inovação, não foram muito impressionantes, o que poderia ter marcado o início da série de forma excepcional. 

O filme foi uma excelente marca, e eu gostei demais do que vi; já o livro é leve, muito mais simples e lembrou-me um pouco do Rick Riordan - por conta da mitologia grega - mas não teve a graça e a leveza peculiares que esse autor possui, pois a Leigh Bardugo, em Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra, fez apenas uma boa história, mas não transmitiu uma essência que me contagiou ou me fez ficar torcendo e imaginando cada detalhe da história.

13 comentários:

  1. Dandra!
    Além de ser muito fã dos super heróis, A Mulher Maravilha é minha heroína há mais de 20 anos e não posso me furtar de fazer a leitura desse livro que traz a origem de como surgiu e por qual percalços teve de passar para chegar a ser quem é...
    E ainda tem toda a mitologia envolvida por trás do nascimento e crescimento dela, preciso ler.
    Uma pena que ficou decepcionada com a leitura...
    Um final de semana alegre e feliz!
    “Não há nada que faça um homem suspeitar tanto como o fato de saber pouco.” (Francis Bacon)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  2. Pena que a leitura tedecepcionou, chato quando isso acontece...
    Eu não conheço muito a história da Mulher Maravilha, então não sei se a história do livro é a mesma do filme ou se é uma releitura; mas essa história do livro até que parece boa.
    Mas é provável que eu não leia, não sou fã da Mulher maravilha, e pelo que está na resenha...

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Dandra,
    Diana é uma guerreira, é corajosa e não mede esforços para ajudar quando é preciso, mas ao mesmo tempo ela é tão pura e inocente, não conhece nada do nosso mundo e ainda assim, se aventura em uma jornada cheia de obstáculos. O livro tem uma premissa muito boa, mas acho que faltou a base da Mulher Maravilha para o enredo agradar a todos os leitores. Entendi que a história é voltada para um publico mais jovem e, por isso, há algumas coisas que não batem como esperado, mas para quem assistiu ao filme e amou (como eu) as expectativas ara este livros são outras e bem maiores.

    ResponderExcluir
  4. Eu adoro a Mulher Maravilha acho a história dele super legal!
    Nunca li nada da autora, mas sei que ela escrever super bem.
    Ao que parece era para ser um livro com muita ação, porém ficou muito no juvenil.
    Não sei se vou ler.
    Kisses.

    ResponderExcluir
  5. Eu não curto muito livros de super-heróis, prefiro mais assistir os filmes, então não pretendo ler este livro, mas para quem gosta de ler histórias de super-heróis, Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra é uma ótima dica de leitura, pois por sua resenha, parece ser um ótimo livro.

    ResponderExcluir
  6. Oi.
    Eu sou muito fã da Mulher Maravilha, por isso eu confesso que quando do livro gostei, porém concordo com você ele realmente eu tem essa escrita mais juvenil e não é todo o público que agradaria e eu achei uma pena o fato de que você não gostou muito, mas acontece, eu ainda não conheço a escrita do Rick Rordan, por isso não sei muito em relação a comparação, enfim gosto muito dessa capa.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Olá,confesso que não sou tão fã assim de livros ou filmes de super heróis.
    E talvez se o livro fosse direcionado mais para o público adulto,eu até que leria se tivesse uma oportunidade. Mas não é uma história que me deixa curiosa em conhecer e adquirir...
    Mas por outro lado,acho legal conhecer uma heroína forte e corajosa como a Mulher Maravilha.

    Para quem gosta do gênero,esse livro é uma boa dica. :)

    ResponderExcluir
  8. Eu já tinha visto comentários dizendo que o livro era mais para infantojuvenil mesmo.
    Eu também esperava que o livro fosse receber milhares de elogios assim que a Arqueiro publicou.
    Eu comprei o Ceifador e estou tão ansiosa pela leitura! Espero me surpreender com a história.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu já li resenhas desse livro e sempre me deixa bem curiosa para ler e ver o filme. Eu fiquei super feliz em saber que essa heroina terá uma historia só para si, onde podemos conhecer mais sobre ela. O livro em si, tem uma premissa muito boa. Espero ler em breve!

    Meu Blog: https://tempoliterarios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Desde o lançamento quero muuuuito ler !
    Eu sou apaixonada por todo esse universo, e quero muito saber como era quando ela era apenas Diana.
    Adorei a resenha!

    beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Dandra!
    Li outras resenhas sobre o livro e gostei bastante, fora que só ou o elogios, me empolguei com a leitura e já aguardo ansiosa o lançamento dos próximos.
    Gosto de super heróis, é um ponto que eu percebi é que no livro não há tanto machismo como nas hq's, assim que tiver oportunidade irei ler.
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  12. Não sou tão fã da mulher maravilha, porém gostei muito do filme, ela demonstra muita simplicidade ao mesmo tempo que é guerreira. Não sabia do livro, acho legal da uma chance a essa leitura.

    ResponderExcluir