segunda-feira, 4 de setembro de 2017

[Resenha] Quem era ela

|
Autor: JP Delaney
Páginas: 336
Editora: Intrínseca
É preciso responder a uma série de perguntas, passar por um criterioso processo de seleção e se comprometer a seguir inúmeras regras para morar no nº 1 da Folgate Street, uma casa linda e minimalista, obra-prima da arquitetura em Londres. Mas há um preço a se pagar para viver no lugar perfeito. Mesmo em condições tão peculiares, a casa atrai inúmeros interessados, entre eles Jane, uma mulher que, depois de uma terrível perda, busca um ponto de recomeço. Jane é incapaz de resistir aos encantos da casa, mas pouco depois de se mudar descobre a morte trágica da inquilina anterior. Há muitos segredos por trás daquelas paredes claras e imaculadas. Com tantas regras a cumprir, tantos fatos estranhos acontecendo ao seu redor e uma sensação constante de estar sendo observada, o que parecia um ambiente tranquilo na verdade se mostra ameaçador.
Enquanto tenta descobrir quem era aquela mulher que habitou o mesmo espaço que o seu, Jane vê sua vida se entrelaçar à da outra garota e sente que precisa se apressar para descobrir a verdade ou corre o risco de ter o mesmo destino. Com um suspense de tirar o fôlego e um clima de tensão do início ao fim, JP Delaney constrói um thriller brilhante repleto de reviravoltas até a última página. Uma história de duplicidade, morte e mentiras.

Ganhei o livro no início do ano da minha incrível mãe, mas tinha outras prioridades e assim fui deixando o tempo passar. Então recentemente percebi que precisava de uma leitura diferente, e como suspense é um gênero que não leio muito resolvi me aventurar e sem sombra de dúvida não me arrependi.

A sinopse informa que o livro vai nos contar a estória de Jane, que sofre uma perda recente e precisando de uma mudança para recomeçar encontra essa casa incrível em Londres, mas para ser selecionada para alugar a casa, os interessados precisam cumprir um sem número de estranhas regras, responder um extenso e incomum questionário e ser aprovado pelo excêntrico arquiteto idealizador da casa e dono da mesma. Também na sinopse temos a informação de que Jane descobre que Emma, a antiga inquilina morreu de forma suspeita e suas vidas se entrelaçam quando Jane começa a investigar por conta própria as circunstâncias da vida e morte de Emma.

O que a sinopse não conta é que os capítulos são na verdade intercalados entre essas duas personagens, o que torna tudo mais interessante. Fica claro desde o começo que uma das estórias é passado e outra o presente. E dessa forma o autor nos atualiza dos motivos das duas mulheres para buscar um novo começo e de seus relacionamentos pessoais e profissionais, o que convenientemente torna o mistério mais intrigante ainda. Esse é uma daquelas tramas em que o enredo mais provável já começou bem diante dos meus olhos, sendo eu uma pessoa que tem péssimo poder de dedução com relação a suspenses. Mas a verdade é que na metade do livro a autora muda a direção dos holofotes, deixando o leitor desavisado e com mais dúvidas que certezas.

Contar mais detalhes seria possivelmente estragar a experiência de leitura de quem tiver a pretensão de se aventurar por esse suspense, na minha opinião perturbador. Eu particularmente gostei muito dessa leitura e recomendo sem hesitação, mas se você não tiver certeza pode consultar o Skoob que aponta a avaliação geral como 4.1 estrelas. E boa sorte tentando juntar as peças, porque eu certamente fui surpreendida.

11 comentários:

  1. Eu não leio muito suspense; mas fico fascinada com as resenhas e com uma vontade louca de ler. Apesar de que acho que eu não teria estrutura para aguentar o suspense. Só se eu devorar o livro né...
    Fiquei interessada em Quem era ela.
    Me desculpa, Jane, mas tantas regras para alugar uma casa é no mínimo algo suspeito. E o que aconteceu com Emma e qual é das regras? 🤔 Estou imaginando uma coisa, mas é bem provável que eu esteja errada. Não sei... Momento Sherlock kkkkkkk
    Achei legal intercalar o passado e presente, vê o ponto de vista da Emma.
    É, preciso me aventurar no suspense.
    Gostei da resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Suspense é um gênero que adoro mas que quase nunca leio, normalmente quando pego um para ler não consigo largar até terminar, também sou péssima com deduções, quase sempre penso que resolvi o problema, mas quando descubro qual realmente era o problema, me deparo com algo totalmente diferente do que imaginei.
    Quem era ela achei interessante pelo fato do suspense relacionar a casa também, afinal, não é normal ter tantas regras para alugar um imóvel. Enfim, quero muito ler esse livro e espero não ter que esperar muito.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ana!
    Vi apenas alguns comentários por alto do livro, a maioria realmente positivo e ressaltando essas surpresas que a narrativa traz. Sempre bom dar uma fugida dos gêneros mais comuns e ler algo novo, eu mesma tenho tentado fazer mais isso esse ano com policiais na listinha, mas esse em particular, não sei bem porquê, não me atraiu antes durante seu lançamento. Agora, porém, já conhecendo a sinopse de novo, fiquei visivelmente intrigada com a forma como as duas personagens estão interligadas e o porquê da famosa casa ser tão melindrosa para receber um novo morador, por parte do dono. A parte perturbadora que você citou, confesso, me deixa um pouco com pé atrás, mas parece interessante ainda, quem sabe em um outro momento?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Olá,adoro histórias que me surpreendem. Principalmente quando um filme,ou livro é de suspense.Que é um dos meus gêneros favoritos!
    E o que tornou tudo mais interessante,é exatamente essa reviravolta que acontece na metade do livro que nos contou em sua resenha.
    Como é bom o autor nos " pegar" de surpresa! :)

    Eu não conhecia o livro,e fiquei bastante interessada.

    Bela dica!

    ResponderExcluir
  5. OI Ana.
    Que legal da sua mãe te dar o livro, eu sei bem como é isso de ter muitas leituras acumuladas e ir deixando para depois, adorei saber que o livro se passa entre presente e passado, isso torna tudo mais interessante, adoro que tem todo um cenário de mistério envolvido, enfim eu estou super ansiosa para desfrutar do livro.
    bjs.

    ResponderExcluir
  6. Ana!
    Acredito que seja a primeira vez em que vejo um enredo onde o cenário, no caso a casa, é uma das protagonistas e a principal responsável por toda trama que se desenvolve no livro.
    Gosto demais quando há uma história no passado e outra no presente e depois as duas se entrelaçam.
    Deve mesmo ser um tremendo thriller e quero poder ler.
    Desejo um ótimo feriado!!
    “A sabedoria consiste em ordenar bem a nossa própria alma.” (Platão)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Já tenho essa imensa vontade de ler esse livro. No momento não tive oportunidade de ler um belo suspense mas pretendo me aventura nesse gênero. Esse livro é bem intrigante, te deixa curiosa e devorar a cada página do livro para descobrir a história.

    ResponderExcluir
  8. Eu adoro livros de suspense. E para mim o mais gostoso é ler o livro sem saber quase nada a respeito, por isso que quando pego um livro deste gênero para ler eu mergulho sem saber muito sobre a história.

    ResponderExcluir
  9. Os livros de suspense são os meus queridos,e esse me parece fantastico.

    Achei legal o misterio envolvendo a casa e a série de coisas estranhas, como o teste a cumprir para conseguir alugar a casa.

    ResponderExcluir
  10. Nossa pra que tantas regras pra alugar uma simples casa? Ai tem coisa em... E quero saber mais sobre essas regras meio que “loucas” e o que aconteceu com a Emma e o que a fez morrer. Adoro livros de suspenses e que o final seja surpreendente, adorei saber disso. Já adicionei na minha listinha e quero lê-lo em breve.
    Adorei, beijos.

    ResponderExcluir
  11. Não sou fa desse genero de livro.
    Ate que pela sinopse esse livro parece ser interessante.
    Achei curiosa a ideia do autor de intercalar a narração da estória entre a inquilina do presente e a que vivia na casa antes de morrer.
    Quem sabe se um dia eu decidi me aventurar nesse gênero eu leio esse livro.

    ResponderExcluir