quarta-feira, 7 de junho de 2017

[Resenha] Tropas estelares

|
Autor: Robert A. Heinlein
Páginas: 352
Editora: Aleph
Alistar-se no Exército foi a primeira – e talvez a última – escolha livre que Juan Rico pôde tomar ao sair da adolescência. Apesar do árduo e rigoroso treinamento pelo qual é obrigado a passar, o perseverante recruta está determinado a tornar-se um capitão de tropas. No acampamento militar, ele aprenderá a ser um soldado. Mas apenas ao final de seu treinamento, quando, enfim, a guerra chegar (e ela sempre chega), Rico saberá por que se tornou um. Vencedor do prêmio Hugo e um dos maiores clássicos da ficção científica mundial, Tropas estelares traz um enredo repleto de ação, tecnologia, superação de desafios, guerras espaciais e complexas relações políticas e humanas. A obra foi adaptada para o cinema pelo diretor Paul Verhoeven.




Muitas pessoas buscaram ler o livro, depois de ter visto o filme, mas eu não fazia ideia da existência dele (acabei de ver o trailer e achei tão tosco. Bem que poderiam fazer um remake, não é?) então foi tudo novidade pra mim. Nem a sinopse parei pra ler, apenas queria conhecer a história do livro, pois é uma ficção científica.

Neste mundo, as viagens interplanetárias são comuns, pois o homem disputa com outras espécies a dominação de novos planetas, não importando os anos-luz para chegar lá. Na Terra, pelo que eu pude entender, existe um comando em prol de todo o planeta, e o novo sistema permite que jovens se alistem ao completar 18 anos (tanto homem, quanto mulher), quando terminam o colégio e assim conquistam o direito - depois de servir pelo período permitido em lei - ao voto. Você conquista esse direito, depois de provar que uma responsabilidade tão grande como essa, só é entregue àqueles que estão dispostos a entender o equilíbrio que mantêm a autoridade e a responsabilidade como forças fundamentais para a funcionalidade de toda a sociedade Terrana.

Juan Rico, mais conhecido como Johnnie, decide se alistar quando seu melhor amigo compartilha essa intenção com ele, e mesmo relutante no começo, sabendo que sua família não iria apoiá-lo, ele se alista, e ao perder contato com seus pais, uma nova vida começa depois dos testes que mostram o caminho e o perfil no qual ele se enquadra dentro de toda a hierarquia militar.


O que ele esperava ser, acaba não saindo como planejado: o sonho de ser piloto não é muito compatível com seus conhecimentos (matemática não é muito seu forte), então suas habilidades levam-no para o Exército, mais exatamente para a Infantaria Móvel, onde apenas aqueles que suportam passar pelo treinamento do acampamento, entende o que é ser um soldado, se sacrificar pela ordem e entender além o que é servir e desbravar o universo.

Sua intenção era apenas conquistar o voto, pois depois do tempo permitido para o serviço, você pode pedir baixa, mas durante o treinamento no Acampamento Currie, quando Johnnie recebe seu certificado de soldado, já não é mais um tempo de paz.

O primeiro capítulo te joga dentro de uma batalha em curso, e eu fiquei meio perdida em como os soldados se movimentavam e as armaduras e armas eram utilizadas durante a batalha, mas no segundo capítulo já fui surpreendida com o personagem principal contando sua trajetória e seus motivos de ter ido parar numa guerra com insetos e bichos estranhos.

Achei muito instigante e ágil a forma como autor narra a história do personagem, suas dúvidas, seus dilemas, e considero a parte do treinamento no acampamento até sua designação para a nave onde ele fará os saltos já formado como soldado, como as partes mais interessantes (e a maior do livro) pois é ali onde você entende e aprende junto com o Johnnie o que levou o mundo a se tornar o que é neste livro; porque todos os sistemas políticos anteriores falharam e qual foi a razão de precisar existir um alistamento militar, para se conquistar o direito ao voto. 

Dá para encarar o livro apenas como uma boa aventura militar, mas como é uma ficção científica das boas, aqui você encontra todos os questionamentos e críticas sobre a sociedade, além de perceber as nuances que sempre estão presentes nessas obras e que nunca deixam de ser atuais. E como os seres humanos fazem parte da história, as falhas não vão deixar de existir, mas tem algo que só nós somos capazes de fazer, e isso precisamos preservar.

13 comentários:

  1. Não faz muito meu estilo de leituras, por isso não leria o livro no momento.
    Mas acredito que seja uma boa pedida pra quem curte o gênero.
    Parece ser uma obra bem completinha, que envolve mesmo o leitor.
    Achei a capa bem interessante!
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  2. Achei interessante a ideia de ganhar o voto depois de ter feito algo em prol da sociedade.
    Admito não ser muito meu estilo o livro aventura militar, mas gostei da ideia!!
    Espero que tenha curtido!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Dandra ;)
    Não me interessei muito pelo livro infelizmente... a premissa não me incentivou a querer ler.
    Acho que pelo fato de eu não gostar de livros de ficção científica, mas que bom que o livro te surpreendeu!
    Obrigada pela indicação.
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Oi Dandra, eu gosto muito da adaptação para o cinema desse livro, mesmo sendo tosco e antigo haha, amei a primeira vez que vi (a alguns bons anos rsr :D) e continuo gostando até hoje e ainda tem um desenho que passava na globo pelas manhãs que eu curtia também, ainda assim e apesar de achar essa uma história ótima, ainda não li o livro e tô me recriminando aqui por isso. Curti a resenha e acho que vou gostar muito de ler essa história assim que surgir a oportunidade ;)

    ResponderExcluir
  5. Pela sinopse dá pra ver que o livro traz muita ação mesmo, além, acredito eu, de algumas cenas emocionantes. Ser um soldado na guerra não é fácil, e passar isso numa leitura deve ser uma aventura e tanto!
    Acho que é muito raro um filme ser à altura do livro, por isso q nem vou com muita sem ao pote.
    Não tinha percebido que era uma aventura intergaláctica até chegar na sua resenha, o livro deu um mudada de foco na minha mente, mas acho que ele continua sendo bom.
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Oi.
    Eu adorei a premissa do livro Apesar de ele não fazer muito Meu gênero literário a coisa toda da Batalha já me encantou já que sou apaixonada por livros que falem sobre batalhas lutas entre outros assuntos.
    Apesar de tudo achei a história interessante e leria com certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Gostei do livro, a premissa do livro é bem interessante e como se estivesse dando uma aula de história para nós é algo incrível isso. Ao ler você aprender um pouco do nosso sistema real é bem legal isso.

    ResponderExcluir
  8. Olá
    Amei a premissa do livro , da para ver na sinopse que o livro tem bastante cenas emocionantes que é uma das coisas que mais me cativam em um livro !! Mas ficcão cientifica nao é muito minha praia . Achei a capa Linda
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde!
    Bem interessante — e tenebroso, ao mesmo tempo — esse universo onde é preciso se alistar para esse exército intergaláctico para poder votar. Fiquei curioso para ver como o protagonista se sairá quando esta batalha eclodir.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Dandra!
    Nem sabia que existia o livro e fiquei com vontade de ler, principalmente por amar ficção e por ter assistido o filme.
    Adoro essa batalhas intergaláticas e acompanhar o drama do protagonista é instigante.
    Desejo um ótimo final de semana!
    “É preciso já ser sábio para amar a sabedoria.” (Friedrich Schiller)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  11. Oi Dandra,
    Já assisti ao filme há muitos anos, mas não fazia ideia que havia sido adaptado de um livro. Não sou a maior fã de ficção científica, mas me lembro que quando assisti ao filme gostei da proposta, mas agora lendo a resenha não sei se teria a mesma reação. Obviamente que lutar com insetos gigantes é algo diferente, requer treinamento e armamento especial para tal atividade e é aí que o autor inova na história. Heinlein trás uma trama cheia de ação e batalhas, pois ambas raças querem a mesma coisa: conquistar outros planetas. Só não entendi se estes são possível de habitar pelos humanos. Acho que Tropas Estrelares é uma boa referência ao gênero e uma ótima indicação para os fãs de ficção científica.

    ResponderExcluir
  12. Oi Dandra, tudo bem?
    Eu não tenho o costume de ler/assistir coisas do gênero, mas acho muito legal. Quem dera existisse uma sociedade na qual as pessoas precisem provar que são dignas de votar, talvez não existisse tanto erro político como ocorre. Não conhecia o livro, mas já quero conhecer.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Eu não conhecia este livro e nem o filme, geralmente gosto de ler livros do gênero ficção científica então acabei me interessando em ler este livro, sua resenha está muito boa e acredito que irei gostar muito de ler a história do livro, adicionei ele em minha lista de leituras.

    ResponderExcluir