terça-feira, 24 de janeiro de 2017

[Resenha] Dois irmãos (Livro + HQ)

|
Autor: Milton Hatoum
Páginas: 200
Editora: Companhia de Bolso
Dois irmãos é a história de como se constroem as relações de identidade e diferença numa família em crise. O enredo desta vez tem como centro a história de dois irmãos gêmeos - Yaqub e Omar - e suas relações com a mãe, o pai e a irmã. Moram na mesma casa Domingas, empregada da família, e seu filho. Esse menino - o filho da empregada - narra, trinta anos depois, os dramas que testemunhou calado. Buscando a identidade de seu pai entre os homens da casa, ele tenta reconstruir os cacos do passado, ora como testemunha, ora como quem ouviu e guardou, mudo, as histórias dos outros. Do seu canto, ele vê personagens que se entregam ao incesto, à vingança, à paixão desmesurada. O lugar da família se estende ao espaço de Manaus, o porto à margem do rio Negro: a cidade e o rio, metáforas das ruínas e da passagem do tempo, acompanham o andamento do drama familiar. Prêmio Jabuti 2001 de Melhor Romance.


Uma história sobre a intimidade de uma família; segredos e momentos narrados por quem tenta entender sua origem e seu presente; um retrato transparente sobre os pecados, erros, e toda a convivência de uma família onde o ódio, a vingança, o medo, o ciúme e um amor doentio se misturam e imperam. 

Uma mãe, Zana, que depois da morte do pai, quer muito ter três filhos pra encher a casa; seu esposo Halim, não quer filhos, pois não quer perder a liberdade de aproveitar a vida sem preocupações com a esposa, mas Zana ficou muito abalada, e Halim faz tudo por ela. Os primeiros filhos do casal são gêmeos, Yaqub e Omar, e assim que eles começam a crescer, Halim já percebe a tendência de Zana de mimar e ter cuidados em excesso por um dos gêmeos, pois o mais novo por poucos minutos, nasceu um pouco debilitado. Isso vai se intensificando, e mesmo depois do nascimento da mais nova, Rânia, a mãe ainda continua a ter uma atenção redobrada por apenas um dos irmãos, e isso vai crescendo a cada ano, Halim vê sua vida de sonhos com sua mulher ser totalmente tomada e direcionada para os caprichos e dengos de um dos gêmeos.

Um panorama de uma vida cheia de conflitos, embates, um amor que cresce e que toma proporções que contamina e dilacera toda uma família.

O que dizer de um livro onde tudo de mais libidinoso, devasso, libertino e cruel é retratado com muita maestria, onde as palavras são narradas de forma imersiva. Um livro que fala sobre tudo, e você acaba fazendo paralelos com o que conhece e reflete sobre suas atitudes e relações da vida.

Sinto como se tivesse lido um livro da minha época de escola, um clássico brasileiro, pois a mesma sensação que tive ao ler livros do Machado, José de Alencar, etc, revivi nesse relato da vida de dois irmãos que se odeiam.

Andar nas ruas de uma Manaus depois da Segunda Guerra; conhecer suas plantas, rios, natureza, e comidas típicas; o crescimento e a influência dos imigrantes na formação de uma cidade; a vida de uma família que nunca teve paz, sempre cercada das sombras do ciúme e de amores doentios e por vezes proibidos.

É um retrato tão fiel de uma família, parece um relato de uma história que aconteceu. A cada volta no tempo, a cada passagem dos anos, tudo que se entrelaça, tudo que vai e volta, nada se esquece, aquele ressentimento escondido no peito, aquela amargura na voz, aquela saudade de algo que não aconteceu.

Experiência maravilhosa, que foi acentuada com a adaptação para os quadrinhos, uma extensão daquilo que pode ser lido de diversas formas, desde que a essência seja mantida, e foi exatamente o que aconteceu.

Autores: Fábio Moon e Gabriel Bá
Páginas: 232
Editora: Quadrinhos na Cia.
Um dos livros mais importantes da literatura brasileira contemporânea, Dois irmãos vem, desde seu lançamento há quinze anos, conquistando novas gerações de leitores. E foi com o mesmo entusiasmo desses leitores que Fábio Moon e Gabriel Bá embarcaram na missão de adaptar o romance de Milton Hatoum para uma graphic novel. Os irmãos quadrinistas vêm igualmente arrebatando fãs e trazendo uma legião de leitores às HQs. Suas obras foram publicadas em diversos países, atravessando fronteiras culturais e políticas. Preservando a força narrativa de Hatoum, esta adaptação evidencia o talento de Bá e Moon na construção de histórias que alternam entre a tragédia, a delicadeza, a brutalidade e o humor.




Nunca havia lido um quadrinho adaptado de uma obra literária, e posso dizer que trouxe ainda mais profundidade para a história desses Dois Irmãos. Quando eu havia terminado o capítulo 7 do livro, resolvi me aventurar no quadrinho pra chegar na mesma parte que estava, e que surpresa perceber o quanto os traços contam ainda mais daquilo que eu só imaginava na minha cabeça.

Ler um livro e o quadrinho, praticamente ao mesmo tempo, foi maravilhoso. Com um total de 10 capítulos, o quadrinho conseguiu acompanhar os 12 capítulos do livro, sendo que teve o acréscimo do epílogo. Acredito que a leitura para quem não leu o livro vai fazer o leitor querer saber ainda mais, pois percebi que alguns detalhes na sequência entre os quadros ficaram subtendidos e pra quem leu a obra dá pra saber o que tem por trás, mas pra quem não leu, deve ficar apenas a dúvida e a curiosidade, que deve ser sanada com a leitura do livro.


Não sou entendida de análise de traços, mas achei interessantíssima a forma como retrataram cada personagem, a similaridade entre os parentes, as ruas, as lojas, o porto, os barcos, as pessoas, a vida na cidade, e os personagens conforme ficavam mais velhos... A história deve ter uma grande importância para os quadrinistas Fábio Moon e Gabriel Bá, pois são irmãos gêmeos - assim como os protagonistas - e dedicaram esse trabalho à Zana deles. 

Poder ler e conhecer duas formas de contar uma mesma história foi fascinante; ainda pude acompanhar o embate entre esses irmãos gêmeos na tela da TV, e achei que muito do que eu li, estava presente na adaptação em minissérie, só achei muito exagerado, dramático demais. Tudo bem que no livro tem muito drama, brigas e tensão, mas o Milton Hatoum não se estende e nem prolonga muito as cenas na narrativa, sua poesia nas palavras faz tudo acontecer no tempo certo; já na série, aqueles gritos e extremismo, meio que me sufocavam, e considero o início da minissérie muito bom, mas depois que o Omar começa a fazer loucuras, fica difícil assistir, e lendo foi muito mais interessante. 

O que posso exaltar, é o reconhecimento do autor; pois ele poder presenciar sua obra sendo levada a várias pessoas, em várias plataformas, com diferentes pontos de vista, deve ser uma alegria sem tamanho para ele. Pois a partir do momento em que ele escreve suas linhas e lança para o mundo, as pessoas podem querer fazer com que essa história se transforme em algo delas também, intensificando e acrescentando aquilo que no início era apenas a história de Dois Irmãos, mas que no fundo acaba sendo sobre todos nós.

P.S: Por isso recomendo: se você não gostou da série, leia o livro. O livro sempre é melhor :)

19 comentários:

  1. Esse e o livro no qual a globo ira passar uma mini série baseado nele? Pois quando li o título já pensei logo nisso. O fato do livro retratar uma família onde o convívio e bem deturpado de maneira compreensivo, além de conseguir descrever todos esses momentos, foi o que mais chamou atenção nessa leitura.Também nunca li nenhum livro em quadrinhos adaptado de um livro, porém esse me chamou muito a atenção, e por isso pretendo lê-lo.

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?

    Sua resenha com toda a certeza me cativou! Sua opinião, junto com a descrição da trama, me fisgaram de tal forma que fiquei imensamente curiosa para conhecer essa história. Me parece um enredo incrível e intenso, capaz de prender o leitor de todas as formas possíveis. Eu não vi a série, até porque, ela não me chamou a atenção, o que aconteceu com o livro, por isso, já a anotei sua super dica. Achei bem legal o livro em quadrinho! ;)

    Beijos,
    Dai | Virando a Página

    ResponderExcluir
  3. Eu achei a história muito interessante, quando fui assistir a série acabei desistindo, mas como você mesma aconselho a ler o livro mesmo não tendo gostado da série talvez eu faça isso e mude meu pensamento. Deve ter sido muito bom lê o livro e o quadrinho ao mesmo tempo, nunca tinha pensado nisso, tenho o livro e o quadrinho do livro "Memórias de um Sargento de Milícias", vou tentar fazer isso, e vê se funciona.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos!!!

    http://follow-and-breath.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?
    Adorei saber que esse livro é um quadrinho adaptado de uma obra literária e acho legal quadrinhos porque estimular ainda mais a nossa imaginação, não é mesmo? Que bom que foi fascinante conhecer a estória por outro ângulo e quanto a mim, eu fiquei fascinada pela mesma e não vejo a hora de poder ler também pra saber se vou gostar tanto quanto você.
    beijinhos.

    http://leiturize-se.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ah, nem sempre o livro é bem melhor. Rs.. teve um ou dois casos pra mim que o filme foi melhor, mas é opinião né. Não sou muito de ler obra nacional, mas eu fiquei curiosa pra ler o livro, não os quadrinhos, porque não sou muito fã. Parece ser muito bem escrito e o enredo bem diferente do que a gente costuma ver sendo lançado atualmente.

    ResponderExcluir
  6. Eu já ouvi falar bastante dessa história mas ainda não tive a oportunidade de ler o livro. A minissérie eu não estou assistindo por não estar com tempo, mas a vontade eu tenho. Fiquei bem curiosa para saber como que é essa história em quadradinho, saber se vai me agradar também já que adoro histórias em quadrinhos. E quero ler o livro também pra ver as duas formas de contar a história.

    ResponderExcluir
  7. Não estou assistindo a minissérie mas fiquei muito curiosa, principalmente pela relação da mãe com os filhos e como isso influencia na personalidade deles quando adultos. Gostei das imagens dos quadrinhos e leria a HQ antes do livro

    ResponderExcluir
  8. Nossa, que incrível isso de você ter visto ainda mais profundidade no quadrinho, nunca imaginaria uma coisa dessas. E achei bem legal ele e o livro meio que se complementarem. Sinceramente, desisti de ler quando você disse que "tudo de mais libidinoso, devasso, libertino e cruel é retratado com muita maestria", coisas do tipo não me atraem nem um pouco em um enredo.

    ResponderExcluir
  9. Ficou muito boa a análise ^^
    Gosto bastante desse livro e é interessante ver todos os seus aspectos tão bem detalhados, mostrando os diversos conflitos que a obra apresenta: a rivalidade entre os gêmeos, e esses quadrinhos lindos meu Deus, quero demais ler!

    ResponderExcluir
  10. Oi Dandra!
    Quando vi o livro na livraria estava aquele alvoroço todo por conta do lançamento da minissérie na Globo. Li a sinopse pra saber um pouco sobre o livro e achei bem interessante. Bateu vontade de ler, mas foi aquela coisa mais moderada, sabe? Mas quando meus olhos bateram na HQ quase surto! Eu amo quadrinhos e esse achei lindo demais! Não é o traço mais bonito que já vi, mas a composição ficou super bacana e foi parar na lista dos desejados na hora.
    A história parece ser muito boa e, até agora, só tenho lido pontos positivos a respeito de ambos (livro e Hq). Fico feliz em saber que foi uma experiência tão bacana.
    Não sei quando lerei, mas acredito que farei o caminho inverso: primeiro Hq e depois o livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Adorei a resenha dupla... Estava super curiosa em ver se os quadrinhos tinham sido bem adaptados pois ele me chamou muito a atenção.
    É um que está na minha lista, mas agora não somente os quadrinhos, o livro também - que eu meio que já deveria ter lido ou pelo menos ter ele na lista de 'quero ler'.
    Por melhor que possa ser uma adaptação, o livro vai ser sempre melhor, né? Acho que foi isso que aconteceu com a série...
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
  12. Que resenhas maravilhosas!!!
    Quero muito ler esse livro, porque já li a HQ e achei muitos interessante, gostei demais e adorei o traço dos desenhos. A série eu não assisti, vi apenas flashes e acho que os atores deram um show, tanto o Cauã, quanto o ator fazendo a fase adolescente. Quero ler o livro e quem sabe um dia assistir a série...

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro, mas aparece ter uma historia bem densa e cheia de reflexão e com certeza pensei que também fosse um cassico, adorei saber que temos a historia também em HQ, pois podemos ver ela sobre mais de uma plataforma e fiquei sabendo que teve uma minissérie sobre essa historia !!

    ResponderExcluir
  14. Oii! eu não conhecia o livro, e também não sabia que tinha Hq e uma minissérie sobre ele, apesar de não ser o tipo de livro que estou acostumada a ler e nem ser um dos meus gêneros preferidos, é um livro que despertou bastante o meu interesse por se tratar da familia e a relação que eles tinham, essa coisa de a mãe amar mais um filho que o outro é tão ruim, isso chega a dar um trauma na gente, mas quero saber como tudo ocorreu e espero gostar tanto da história assim como você !

    ResponderExcluir
  15. Muito interessante ler duas obras iguais mas de formas diferentes, um livro "normal" e um quadradinho. Acho que nunca fiz isso, mas até que me bateu uma vontade de fazer um teste assim, com essa casadinha. A história é bem interessante e fico querendo saber como que vai ser o desenrolar da trama devido a essa rivalidade entre os irmãos que ao invés de serem amigos não se gostam.

    ResponderExcluir
  16. Nossa que experiência bacana, ler o livro e o HQ, não conhecia o livro ainda, e que interessante esse sentimento de que leu um clássico da literatura nacional como Machado de Assis, não pretendo ler o livro agora, mas quem sabe mais para frente.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  17. Dandra, fiquei conhecendo esse livro por causa da minissérie da Globo, e posso dizer que gostei bastante da escrita do Milton. Logo pela resenha odiei o que aconteceu com o Yaqub e fiquei com raiva do Omar e da Zana.
    A trama é tão envolvente, abordando assuntos tão delicados, e ainda possui gêmeos que se dizem extremos opostos um do outro. Logo que pude apreciar o trailer procurei o livro para poder ler (prefiro ler do que assistir às adaptações), mas até agora não comecei a leitura.

    ResponderExcluir
  18. Não costumo ler muitos nacionais. Não cheguei a assistir a série, mas dei uma folheada na HQ na livraria e gostei bastante. Achei bem legal você ler ao mesmo tempo os dois, nunca fiz nada assim, me deu vontade agora. Não sei se vou ler o livro, mas a HQ sem dúvidas está me chamando a atenção. Assim como você não sou super conhecedora de traços, só sei que acho alguns lindos.

    ResponderExcluir
  19. Olá,
    Eu fiquei extremamente curiosa com o livro quando comecei a ver algumas resenhas sobre. Gostei bastante dá sua resenha porque eu não sabia por onde começar a ler e você indicou uma direção. Gostei do fato de analisar duas obras com a mesma história, porém diferentes e quero ter a mesma experiência. Sobre o seriado, eu ainda não assistir, mas como sua crítica foi negativo, acho que não verei.
    Beijos,
    Delírios Literários da Snow

    ResponderExcluir