quarta-feira, 26 de outubro de 2016

[Resenha] O problema dos três corpos

|
Autor: Cixin Liu
Páginas: 320
Editora: Suma de Letras
Série: O problema dos três corpos, 1
China, final dos anos 1960. Enquanto o país inteiro está sendo devastado pela violência da Revolução Cultural, um pequeno grupo de astrofísicos, militares e engenheiros começa um projeto ultrassecreto envolvendo ondas sonoras e seres extraterrestres. Uma decisão tomada por um desses cientistas mudará para sempre o destino da humanidade e, cinquenta anos depois, uma civilização alienígena a beira do colapso planeja uma invasão. O problema dos três corpos é uma crônica da marcha humana em direção aos confins do universo. Uma clássica história de ficção científica, no melhor estilo de Arthur C. Clarke. Um jogo envolvente em que a humanidade tem tudo a perder.

Começo a escrever essa resenha um pouco antes de terminar o livro (mas finalizo depois de ter lido tudo, óbvio), isso porque simplesmente muitas reflexões passam por minha cabeça no decorrer da leitura - e nem todas estão aqui nesta postagem, tenha certeza. Quando leio livros assim, percebo quantas ideias somos capazes de produzir, e deveríamos dar mais atenção a elas, anotá-las, e torcer pra não sermos malucos. 

Pela primeira vez a famosa expressão que costumam utilizar ultimamente “blow my mind” surtiu efeito em mim, pois a falta de palavras para definir a cacofonia de pensamentos e admiração pelo enredo no transcorrer da leitura, me faz recorrer a esse termo clichê que antes eu não havia encontrado sentido para usar.

O livro me fez imaginar, criar, sentir e me permitir ter tantos questionamentos, tantas possibilidades... Em muitas passagens, por mais difíceis de imaginar por serem fantasiosas demais, e às vezes tão insanamente loucas para pessoas comuns - sem o conhecimento teórico e prático da física, sem ter uma mente privilegiada capaz de entender concepções tão fantásticas, como o autor - podem fazer sentido? É como se as conexões fossem feitas mecanicamente em seu subconsciente, e conforme você vai lendo, vai ficando abismado que consegue entender (mesmo precisando reler algumas vezes) e assim é transportado a um outro nível. 

Se não fosse por este blog, não leria esse livro tão cedo. Na realidade, se eu não tivesse começado a me desafiar a ler mais ficção científica, não leria também. E como sempre gostei muito disso nos filmes, porquê não mergulhar na fonte mais incrível que são livros especificamente sobre esse tema? Agora, estou contagiada. 

O que o Cixin Liu faz… Sei que ele é engenheiro, é chinês (absurdamente inteligentes), mas fico abismada como temos pensamentos tão pequenos às vezes, com questões e problemas tão ínfimos, quando a mente humana é capaz de criar algo tão extraordinário como esse cara faz, e me fez até duvidar se ele é do nosso planeta mesmo (Haha). 

O conhecimento, a base, a noção e as experiências de vida, vão dar a cada pessoa que se permitir a leitura, uma viagem diferente (como se fizesse um novo login no jogo Três Corpos). Aliás não teve uma linha desse livro que não tenha me feito pensar, pensar e pensar sem fronteiras.

Não adianta eu tentar fazer aquele breve resumo que sempre faço para tentar fazer você entender o enredo (acredito que não teria capacidade pra resumir algo que fizesse jus a obra), a sinopse dá uma ideia, mas o autor buscou memórias de sua vida, história do seu país inserido no contexto do livro, problemas matemáticos ainda por resolver, política, filosofia, astrofísica, teorias, extraterrestres, jogo de realidade virtual, avanço das ciências, da tecnologia, da física; os seres humanos, sua natureza, a vida: uma vida repleta de impasses, imposições.

Fica o questionamento: a falta de esperança na humanidade faria você desistir da confiança e da capacidade na nossa espécie, para jogar tudo pro alto e esperar que algo externo à nossa compreensão viesse com seu olhar neutro e de fora para julgar e definir o que melhor seria para o futuro da vida na Terra?

Você realmente poria em risco tudo pra esperar que algo que achamos ser “evoluído”, que fosse isento de concepções tão mesquinhas como a que conhecemos, mostrasse um caminho melhor e correto segundo o que seria considerado o princípio deles?

Um livro cheio de matemática, de teorias, de cálculos e raciocínio lógico. Uma complexidade de elementos que compõe uma aventura que ultrapassa barreiras.

Não espere que eu apenas diga: “Um livro incrível, leitura rápida e viciante”. Não, esse livro tem tudo pra ser além do incrível. Não venha com expectativas de ler super-rápido, de devorar o livro para classificá-lo como mais um na sua estante, afinal será como uma bela barra de chocolate que você consome depressa e depois sente falta e pondera tarde demais que deveria ter guardado um pedaço. (Só se no caso você for tipo astrofísico, engenheiro espacial, gênio da matemática e tudo mais, que daí esse livro, com certeza, será um entretenimento que fará cosquinhas no seu cérebro).

Nesse livro, permita-se degustar paulatinamente, viajar entre mundos, entre possibilidades, se desafiar… E quer saber? Pode levar o tempo que você quiser, afinal VOCÊ escolheu ler esse livro, portanto quem disse que existe um prazo definido para que uma boa aventura termine? (Aliás, está apenas começando, afinal esse é o primeiro de uma trilogia.)

P.S.: Quer uma resenha com mais detalhes sobre o enredo? Leia a crítica no portal Literatura em Pauta.

13 comentários:

  1. Dandra, agradeço muito a referência ao meu site, Literatura em Pauta. =D

    De fato, ficção científica (e ainda mais desse estilo) é um gênero em grande parte negligenciado no mercado brasileiro, que prefere mais os clássicos, óperas espaciais (Star Wars) e ficção científica militar (Guerra do Velho). É sempre bom ver mais espaços para discussão sobre esse livro, como sua resenha proporcionou.

    ps. Confesso ter rido do (Haha)

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Olá Dandra, tudo bem?

    Esse é um livro que quer ler o quanto antes, tenho visto diversas resenhas bem positivas e a sua me instigou ainda mais. Eu amo ficção científica, então pode imaginar o quanto ansioso estou. Parabéns pela resenha, ficou muito boa!
    Bjus

    ResponderExcluir
  3. Adorei sua resenha mas esse não é um livro que eu lerei tão cedo. Apesar de adorar matemática e raciocínio lógico como você comentou que ele tem, ficção científica não faz o meu estilo, então com certeza ele não será uma prioridade na minha lista de leituras. De qualquer forma, acredito que ele deve ser muito bom para quem gosta do estilo, pois até agora só vi resenhas positivas a respeito.

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Já tinha ouvido falar do livro, mas não tinha dado muita bola.
    Lendo sua resenha, confesso que fiquei bem curiosa para ler a obra e pensando até em passá-la na frente de algumas leituras que preciso fazer rsrs
    Sou apaixonada por ficção científica e estou bem intrigada para conferir como é abordada essa parte que envolve raciocínio lógico.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. E de pensar que tive esse livro nas mãos, e o Victor tomou de mim hahaha. Parece incrível!! Quero me desafiar a ler mais ficção científica e essa sinopse super chamou a minha atenção. O jeito que você fala do livro confirma que eu estava certa: parece uma obra INCRÍVEL. Darei um jeito de lê-lo algum dia, com certeza...


    Participe do sorteio de O ERRO no Instagram: @ourbravenewblog
    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Não sou muito fã de ficção científica, mas leio quando a premissa me atrai, o que não foi o caso de O problema dos três corpos.
    Lendo sua resenha percebi que é uma leitura que sairia totalmente da minha zona de conforto, e não é isso que eu quero no momento, futuramente, quem sabe?
    Mas gostei muito dos pontos que você ressaltou e da maneira como você abordou a história.
    Ótima resenha.
    Beijos.

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Dandra.

    Apesar da sua resenha está bacana de ler, esse livros não iria ter uma oportunidade tão cedo entre as minhas leituras. Porque eu leio ficção científica, mas não é um gênero preferido e quando arrisco em ler é uma leitura que me tira da zona de conforto. Desta vez vou deixar a dica para quem realmente gosta do gênero.

    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Ganhei esse livro de uma amiga mas não sabia bem o que esperar... Agora não tenho certeza que sei, rs, mas me pareceu bem complexo e eu não sabia que era trilogia. A única coisa de que tenho certeza é que só lerei quando todos forem lançados. Muita coisa é abordada e eu não conseguiria me lembrar nem da metade quando os próximos livros saíssem.

    ResponderExcluir
  9. UAU...
    Eu tinha lido uma resenha desse livro que me deu a certeza de que ele não era para mim. E a resenha era meio negativa e e fez pensar que o livro focava somente no lado mais cientifico e tal.
    Agora, lendo sua resenha, fiquei com uma certa curiosidade em conhecer a história do livro - mas sei que será um desafio dos bem grandes para mim, pois ficção cientifica não é meu estilo, e algo com muita matemática e teorias também não é, mas acredito que seja bem interessante fazer esse desafio a mim mesma :)
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  10. Oi Dandra, sua linda, tudo bem?
    Eu adoro ficção científica. Também fico impressionada com a inteligência e a capacidade dos autores desse gênero. Nada se igual aos livro nessa área. Não conhecia esse ainda, mas depois da sua resenha fica impossível não querer ler. Você levantou um questionamento muito importante a atual. Sabe,às vezes eu fico muito descrente, não consigo mais enxergar uma solução, tudo parece apenas piorar, acho que o homem está fora de controle. Fiquei louca para ler o livro. Sua resenha ficou ótima!!!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Dandra, não sei o que pensr por enquanto, o que me parece um insulto a sua resenha já que você diz que livro é tão reflexivo. Estou com ele em casa e tenho certa curiosidade, mas também receio ficar perdida no enredo. No entanto depois de tanto elogio tenho certeza que não existe a possibilidade de eu deixar essa leitura passar e vou seguir seu conselho e degustar a obra ao em vez de devorá-la

    ResponderExcluir
  12. Hum, um livro curioso, gostei da sua resenha e o quanto elogiou o livro, mas ainda sim, talvez eu não leria, não acredito que eu seja o tipo de publico da obra, apesar de ter ficado curiosa, acho que não iria gostar tanto, pois parece ser uma leitura mais densa, dessas que faz o leitor pensar mesmo, como você descreveu, e não que eu não curta exatamente isso, somente acho que no momento que estou, não seria uma leitura válida ou estimulante, ando bem chata quanto aos livros que leio, então, melhor não arriscar. Mas ainda sim, gostei da forma como você expôs o quanto o livro foi significativo e atraente para você!

    http://www.daimaginacaoaescrita.com/

    ResponderExcluir
  13. Oii, Dandra. Tudo bem?
    Não conhecia o livro ainda, mas fiquei curiosa :)
    Sabe que eu gosto bastante de resenhas assim? Em que o leitor conta o que sentiu, suas experiências e tudo o mais. Mesmo que não tenha um resumo do livro.
    Não costumo ler FC, mas sempre que leio gosto. E nem sei dizer porque quase não leio... Vou me desafiar a ler mais esse gênero também hahah e com certeza esse será um livro que vou querer ler.
    Beijooos
    https://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir