sexta-feira, 30 de setembro de 2016

[Resenha] Violetas na janela

| 7 comentários
Autora: Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho
Páginas 296
Editora: Petit Editora
Patricia desencarnou aos dezenove anos. No mundo dos espíritos, recorda que despertou tranquilamente no plano espiritual, sentindo-se entre amigos. Feliz com a acolhida, adaptou-se à nova vida auxiliada por espíritos benfeitores que a receberam na Colônia São Sebastião
Patrícia explica o que é a desencarnação. Descreve as belezas do plano espiritual, onde não faltam trabalho, estudo e diversão. No início, estava cheia de dúvidas... Do que se alimentaria? O que vestiria? Sentiria as mesmas necessidades? Enfrentaria o calor, o frio? Aos poucos, tudo se esclareceu ao conviver com outros jovens desencarnados.
Conheça o outro lado da vida: entenda como devemos proceder diante da morte de um ente querido – o que fazer para superar a separação e confortar aquele que partiu. Patrícia exemplifica a lição, relembrando a inesquecível ajuda que recebeu de familiares espíritas.

Violetas na janela é considerado um clássico da literatura espírita, e por conta disto, eu confesso que estava ainda mais animada para ler a obra. Eu adoro romances espíritas, pois são sempre leituras esclarecedoras e que passam mensagens bonitas. No entanto, por incrível que pareça, eu me decepcionei um pouco com Violetas na janela. Talvez por ser considerado um dos melhores livros do gênero eu acabei criando expectativas demais, e que não foram superadas. A história não é ruim, mas não é tudo aquilo, sabe? Eu esperava bem mais da leitura, confesso que já li romances espíritas mais emocionantes.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

[Resenha] Desastre fashion

| 14 comentários
Autora: Holly Smale
Páginas: 272
Editora: Fundamento
Série: Geek girl, 2
Ter entrado por acaso no mundo da moda não transformou Harriet em uma modelo perfeita da noite para o dia. E nem acabou com seus problemas. Na verdade, parece até que as confusões só aumentaram. Annabel, sua madrasta, está grávida e talvez o bebê tenha tirado literalmente de Harriet seu espaço na casa e até o carinho dos pais. Sua melhor amiga, Nat, foi despachada para a França pela mãe, arruinando os planos das duas adolescentes para o verão. E Harriet ainda luta para não pensar em Nick, mas tirar alguém da cabeça não é tarefa simples.
Então, quando surge uma oportunidade de estrelar uma campanha exclusivíssima no Japão, é hora de sacudir a poeira e dar a volta por cima. Mas será que vai dar certo? Pelo jeito, não... A avó de Harriet, escalada para acompanhá-la à Terra do Sol Nascente, praticamente some quando as duas chegam lá. Suas companheiras de apartamento parecem legais, mas a maquiagem esconde segredos e sentimentos que não podem ser revelados. Para completar, Nick está no Japão e aparece em todos os lugares aonde Harriet vai. E ele continua lindo!
Harriet está carregando um peso enorme nas costas, mas precisa ser delicada como uma flor de cerejeira se quiser pôr ordem no caos que se instalou em sua vida. Será que a geek favorita de todos vai mostrar do que é capaz? Aperte os cintos e embarque para o outro lado do mundo em uma história para lá de bacana!

1. Geek girl

Desastre fashion é o segundo volume da série Geek Girl, e temos de volta a personagem mais fofa e geek que se possa imaginar. Harriet chega a ser inocente demais, mas é isso o que faz o leitor se apaixonar pela sua personalidade e jeito de ser. Eu confesso que estava com saudades dela, a história é uma daquelas que te deixa com um sorriso bobo no rosto por ser tão cativante e até mesmo divertida. As questões comuns da adolescência são tratadas como em vários outros livros, porém, o grande destaque se dá pela personagem em si. Ela não tem o padrão de beleza que todos acham aceitável, não é rebelde, nem nada típco dos adolescentes, como eu falei, ela é geek, talvez estranha para alguns, mas é tudo isso que transforma a leitura em algo diferente e bastante envolvente.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

[Resenha] A garota do calendário - Abril

| 12 comentários
Autora: Audrey Carlan
Páginas: 160
Editora: Verus
Série: A garota do calendário, 4
Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... O cliente de abril é o astro do beisebol Mason Murphy, de Boston, que precisa de Mia a seu lado para melhorar sua imagem com os patrocinadores. Mason não está acostumado a ouvir “não” de mulher alguma, e Mia vai representar o desafio supremo para ele.


3. Março

E chegamos ao quarto volume de A garota do calendário. E eu não sei vocês, mas a cada livro eu estou adorando ainda mais esta série. A trama tem o lado mais erótico, mas ao mesmo tempo fala de situações sérias, e histórias que poderiam ser reais. Mia é uma personagem inconstante, mas que segue no rumo certo de amadurecer como pessoa e mulher. Algumas atitudes suas são meio absurdas, mas é impossível não gostar dela. Abril é mais um livro que nos mostra um lado de Mia que ainda não conhecíamos. Eu gostei bastante desse volume!

terça-feira, 27 de setembro de 2016

[Resenha] As vidas impossíveis de Greta Wells

| 7 comentários
Autor: Andrew Sean Greer
Páginas: 256
Editora: Jangada
Durante um tratamento psiquiátrico após perder seu irmão e o rompimento de seu relacionamento, Greta Wells se vê transportada para vidas que poderia ter tido se tivesse nascido em épocas diferentes. Sua consciência se alterna entre seu próprio tempo e sua vida em 1918, em que trai o marido, e outra em 1941, em que é mãe e esposa devotada. As três vidas de Greta são repletas de tensões familiares e escolhas difíceis. Cada realidade tem suas perdas, recompensas e desafios. Será que são efeitos do tratamento ou ela realmente está vivendo essas vidas? E se Greta descobrir como permanecer em um dos outros mundos, em qual época ela vai querer ficar?

As vidas impossíveis de Greta Wells era um livro que eu estava muito ansiosa para ler, mas eu confesso que não esperava uma trama tão peculiar e delicada. Eu realmente achei que era só mais uma história com viagem no tempo como elemento principal, porém é perceptível que o autor buscou trazer muito mais ao leitor. Com um tema bastante debatido hoje em dia, que é a depressão, Andrew proporciona ao leitor reflexões sobre a vida através de uma ficção que é quase uma metáfora da nossa existência. 

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

[Novidades] Jangada

| 0 comentários
A série Starling chega a seu desfecho épico neste terceiro volume. A ancestral profecia nórdica do Ragnarök está prestes a se cumprir. Mason Starling tem nas mãos o destino do mundo, enquanto Fennrys, seu amor, jaz a seus pés sangrando, com a vida por um fio. No entanto, o que quer que esteja por vir não ocorrerá por causa de uma profecia ou dos planos maquiavélicos do seu pai. Tudo depende apenas das decisões de Mason e Fenn. E o mundo deve torcer para que ambos alcancem aquilo que suas almas e suas espadas mais almejam: evitar o fim do mundo.





Após uma catástrofe que matou milhões de pessoas, uma fenda se abre entre as dimensões e as cidades passam a ser assombradas por fantasmas. Verônica não passa um dia sem ver um fantasma, mas eles não a assustam. Porém, os fantasmas estão ganhando força e começam a aparecer com muito mais frequência. Ela e seu colega de classe Kirk, investigam por quê e descobrem uma história sinistra: August, seu professor de história, não se conforma que a sua filha não voltou do mundo dos mortos como fantasma e acha que para isso acontecer ela precisa primeiro se apossar de um corpo, e que Verônica é a pessoa certa para abrigar o espírito da filha. Mesmo que esteja errado, que mal há em criar mais um fantasma, se já existem tantos!




Eu estou muito ansiosa para ler Transcendente, pois a série é muito boa, e no volume anterior as coisas ficaram bem tensas! Gostaram dos lançamentos?!

[Novidades] Rocco

| 0 comentários
Boa noite, pessoal! Como vocês devem saber, o blog agora é parceiro da Editora Rocco!! ♥♥ Esse post é para mostrar os lançamentos da editora para setembro. Tem muita coisa boa! Confiram. ;)


Rocco

Autora de romances e contos que conjugam sucesso de público e de crítica, Emma Straub narra, em seu primeiro livro lançado no Brasil, uma história sobre família, amizade, afetos e frustrações, sob o sol da paradisíaca Maiorca.
Franny e Jim comemoram 35 anos de casamento e o diploma de segundo grau da filha, Sylvia. Na encantadora casa alugada na ilha espanhola, os três contam ainda com a companhia de Bobby, o filho que mora na Flórida com a namorada dez anos mais velha, e do casal de amigos Charles e Lawrence.
A promessa de dias leves e tranquilos, no entanto, é quebrada pelas tensões que envolvem as relações familiares. Franny e Jim na verdade vivem uma crise no casamento, e cada um dos demais personagens é confrontado com seus próprios dramas, à medida que se relacionam com o outro.
Romance de estreia da escritora australiana M. L. Stedman, A luz entre oceanos mostra como a necessidade de amar também pode destruir vidas. Tom Sherbourne é um ex-combatente que, buscando reconstruir sua vida, se torna o novo faroleiro de uma ilha isolada na costa oeste da Austrália. Ele e sua mulher Isabel vivem bem até ela descobrir que não pode ser mãe. Mas um fato trágico e inusitado reacende a esperança de Isabel de ter um filho quando um barco à deriva aporta na ilha, fazendo o casal tomar uma decisão que marcará suas vidas para sempre.



Autora de A vítima perfeita, lançado pela Rocco na FLIP 2015, e escolhida pelos herdeiros de Agatha Christie para dar vida nova ao célebre detetive Hercule Poirot, a inglesa Sophie Hannah constrói,
em A outra casa, uma trama sofisticada em que o suspense é apenas um dos elementos da narrativa.
Na história, os detetives Simon Waterhouse e Charlie Zailer são obrigados a interromper sua lua de mel para atuar num caso sombrio envolvendo o casal Connie e Kit Bokskill e um corpo de mulher revelado em circunstâncias inusitadas, quando Connie resolve pesquisar casas à venda num site imobiliário na internet. Com doses equivalentes de humor, aventura e mistério, Sophie Hannah entretém o leitor e, ao mesmo tempo, o convida a uma instigante reflexão sobre relacionamentos familiares, profissionais e amorosos.

Em Os desejos da Bela Adormecida, primeiro volume da trilogia erótica de Anna Rice assinada sob o pseudônimo de A. N. Roquelaure, a protagonista era apenas uma jovem princesa libertada de seu sono de cem anos por um príncipe para se tornar escrava sexual. Inspirada no tradicional conto de fadas, a série narra as aventuras e descobertas de Bela num mundo que mistura prazer e dor, desejo e subserviência.
Agora, em O reino da Bela, 20 anos se passaram. Bela e Laurent há muito deixaram de ser escravos sexuais. Mas com a morte da rainha Eleanor e a pedido de velhos amigos e amantes da época do cativeiro, eles assumem o trono, instituindo a servidão erótica voluntária e dando início a uma nova era de luxúria e prazer infinitos.




domingo, 25 de setembro de 2016

Caixinha de correio #107

| 0 comentários
Boa noite, pessoal! Eu sei que estou há um bom tempo sem postar a caixinha de correio, mas finalmente saiu! Eu recebi bastante coisa tanto das editoras quanto de compras que eu fiz! ♥ Vamos conferir?


Parceria



Eu recebi da DarkSide a revista deles, o conteúdo está muito lindo e bacana, vou tentar trazer para vocês algumas fotos no Instagram do blog! ;)



Recebi da Companhia Editora Nacional o primeiro livro da série Patrick Bowers, eu já li outros livros desse autor e gostei bastante, então estou ansiosa pela leitura.



Recebi do Grupo Pensamento o segundo livro da saga Ao anoitecer. Amor roxo chegou de surpresa, mas eu adorei e estou curiosa para ler. <3

sábado, 24 de setembro de 2016

[Resenha] Belgravia

| 10 comentários
Autor: Julian Fellowes
Páginas: 368
Editora: Intrínseca
Uma nova saga histórica, fascinante e irresistível, repleta de segredos e escândalos
Ambientada nos anos 1840, quando os altos escalões da sociedade londrina começam a conviver com a classe industrial emergente, e com um riquíssimo rol de personagens, a saga de Belgravia tem início na véspera da Batalha de Waterloo, em junho de 1815, no lendário baile oferecido em Bruxelas pela duquesa de Richmond em homenagem ao duque de Wellington.
Pouco antes de uma da manhã, os convidados são surpreendidos pela notícia de que Napoleão invadiu o país. O duque de Wellington precisa partir imediatamente com suas tropas. Muitos morrerão no campo de batalha ainda vestidos com os uniformes de gala.
No baile estão James e Anne Trenchard, um casal que fez fortuna com o comércio. Sua bela filha, Sophia, encanta os olhos de Edmund Bellasis, o herdeiro de uma das famílias mais proeminentes da Bretanha. Um único acontecimento nessa noite afetará drasticamente a vida de todos os envolvidos. Passados vinte e cinco anos, quando as duas famílias estão instaladas no recente bairro de Belgravia, as consequências daquele terrível episódio ainda são marcantes, e ficarão cada vez mais enredadas na intrincada teia de fofocas e intrigas que fervilham no interior das mansões da Belgrave Square.

Eu recebi um e-mail da Intrínseca com a proposta de resenhar Belgravia aqui no blog, e nem precisei pensar muito, pois sou apaixonada por romance de época. Apesar de ainda não ter assistido Downton Abbey, eu sei o quanto a crítica dessa série é positiva, então saber que o criador dela é o autor da obra me fez ter mais expectativas ainda pela leitura. Eu me assustei bastante com o tamanho do livro, pois estou acostumada com romances curtos, e outro ponto que me chamou a atenção é que a trama não é focada no romance. Bem no início quando Sophia e Edmund são apresentados eu já estava imaginando o romance de sempre do que já vemos em livros do gênero, no entanto, o autor me surpreendeu bastante quando mostrou que além de esse casal não ser protagonista, a história passaria vinte e cinco anos na frente e trataria de intrigas e revelações, não focando nem um pouco em um romance de tirar o fôlego ou algo do tipo. E sinceramente? Eu amei!

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

[Resenha] Adolescer

| 6 comentários
Autora: Eva Zooks
Páginas: 108
Editora: Ler Editorial
Jô faz questão de ser a ovelha negra da família, mas seus irmãos, Tom e Jú, estão dispostos a fazer de tudo para salvá-la do caminho que ela decidiu seguir.Uma história cheia de amizade e amor, que revela de forma divertida todas as transformações da adolescência.
Um livro para toda a família.







Adolescer é uma obra tão curta que é até difícil fazer a resenha, ainda mais pela trama não ter nada que seja considerada uma reviravolta incrível ou segredos e dramas daqueles que animam o leitor. A obra trata sobre a adolescência, como o título já diz, e apresenta de forma bastante rápida - talvez até demais - sobre o cotidiano de uma família. Eva Zooks escreve de forma bastante objetiva e simples, e apesar de ter sentido falta de uma profundidade maior, a leitura consegue conquistar por ser bastante rápida.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

[Resenha] A garota do calendário - Março

| 21 comentários
Autora: Audrey Carlan
Páginas: 144
Editora: Verus Editora
Série: A garota do calendário, 3
Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Mia vai passar o mês de março em Chicago com o empresário Anthony Fasano, que a contrata para fingir ser noiva dele. A princípio Mia não entende por que um homem tão lindo e másculo precisa de uma falsa noiva.



Março é o terceiro livro da série A garota do calendário, e para quem não sabe, a série nos apresenta Mia, uma garota que precisa de dinheiro para pagar o agiota do pai. Após o pai ser espancado e entrar em coma, Mia se desespera e resolve pedir ajuda a sua tia. A ajuda é um pouco inesperada, pois Mia vai trabalhar de acompanhante de luxo. A palavra em si nos remete a algo sujo e vulgar, mas não é a intenção da autora com essa trama. Sim, tem cenas de sexo, Mia transou com os dois primeiros clientes, mas ela não faz isso aproveitando seu rótulo de 'acompanhante', ela faz isso como mulher. Como alguém que foi machucada por outros homens e tem necessidade de se sentir desejada e amada.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

[Resenha] Divertida mente - A história do filme em quadrinhos

| 0 comentários
Páginas: 60
Editora: Coquetel
Divertida Mente é o sucesso do cinema agora em versão HQ! Conta a história de Riley, uma menina de 11 anos guiada por suas emoções: Alegria, Medo, Nojinho, Raiva e Tristeza. Diretamente da Sala de Comando da menina, Alegria sabe exatamente o que fazer para que tudo corra bem. Nada de errado pode acontecer. Certo?






Eu recebi essa belezura faz um tempo, e até cheguei a folhear um pouco o livro, mas só agora realmente consegui ler tudo. Não, não tem muitas páginas, na verdade é bem curtinho, mas sabe quando outras obras acabam roubando espaço da sua pilha de livros para ler? Pois é. Infelizmente eu não assisti o filme, mas desde que vi o trailer fiquei louca para conferir esta animação. Eu fiquei muito feliz quando recebi da Coquetel a obra, pois ela é muito linda, toda colorida, e o melhor: conta a história do filme em quadrinhos, o que eu simplesmente adoro!

terça-feira, 20 de setembro de 2016

[Resenha] A guerra não tem rosto de mulher

| 1 comentários
Autora: Svetlana Aleksiévitch
Páginas: 392
Editora: Companhia das Letras
A história das guerras costuma ser contada sob o ponto de vista masculino: soldados e generais, algozes e libertadores. Trata-se, porém, de um equívoco e de uma injustiça. Se em muitos conflitos as mulheres ficaram na retaguarda, em outros estiveram na linha de frente.
É esse capítulo de bravura feminina que Svetlana Aleksiévitch reconstrói neste livro absolutamente apaixonante e forte. Quase um milhão de mulheres lutaram no Exército Vermelho durante a Segunda Guerra Mundial, mas a sua história nunca foi contada. Svetlana Alexiévitch deixa que as vozes dessas mulheres ressoem de forma angustiante e arrebatadora, em memórias que evocam frio, fome, violência sexual e a sombra onipresente da morte.


Esse é o segundo livro de história que eu leio este ano, e apesar de Náufragos, Traficantes e Degredados ser um livro interessantíssimo, devo admitir que minha leitura mais recente e objeto dessa resenha me deixou de queixo caído. Diferente de qualquer outro livro de história, esse não contém uma narrativa sucinta de batalhas vencidas e perdidas na Segunda Guerra Mundial pelos olhos dos homens que costumam escrever a história, mas sim relatos impressionantes que a autora passou vinte e seis anos colhendo em entrevistas de mulheres que participaram ativamente, seja em nome da pátria que amavam ou simplesmente pelo futuro em que acreditavam.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

[Resenha] Pecados no inverno

| 9 comentários
Autora: Lisa Kleypas
Páginas: 288
Editora: Arqueiro
Série: As quatro estações do amor, 3
Agora é a vez de Evangeline Jenner, a Wallflower mais tímida que também será a mais rica quando receber sua herança. Mas primeiro ela tem que escapar das garras de seus ambiciosos parentes, Evie recorre a Sebastian, visconde de St Vincent, um conhecido mulherengo, com uma proposta incrível: que se case com ela!A fama de Sebastian é tão perigosa que trinta segundos a sós com ele arruínam o bom nome de qualquer donzela. Mesmo assim, esta cativante jovenzinha se apresenta em sua casa, sem acompanhante, para lhe oferecer sua mão.
Mas a proposta impõe uma condição: depois da noite da lua-de-mel, o casal não voltará a ter relações íntimas. Evie não deseja torna-se apenas mais uma que Sebastian descarta sem piedade, o que significa que Sebastian simplesmente tem que trabalhar mais duro na sua sedução... ou, talvez entregar seu coração pela primeira vez em nome do verdadeiro amor.

1. Segredos de uma noite de verão
2. Era uma vez no outono

Pecados no inverno era o livro que eu mais estava esperando dessa série. Como eu falei na resenha do livro anterior, eu fiquei muito curiosa para conhecer melhor Evangeline, ela é uma moça delicada, muito tímida e bastante insegura. Quando eu descobri quem seria seu par romântico fiquei ainda mais animada, pois é um personagem que também me chamou a atenção, e eu achei o relacionamento dos dois bastante improvável, pois o homem é o maior libertino de todos, ou seja, os dois não combinam nem um pouco! E após terminar a leitura não me decepcionei com absolutamente nada, essa é uma história bastante envolvente. Esse é o terceiro volume da série As quatro estações do amor, e apesar de ser uma história de cada casal por livro, ele contém alguns spoilers dos anteriores, então aconselho a ler na ordem.

domingo, 18 de setembro de 2016

[Resenha] A colônia

| 2 comentários
Autor: Ezekiel Boone
Páginas: 272
Editora: Suma de Letras
Série: A colônia, 1
Nas profundezas de uma floresta no Peru, uma massa negra devora um turista americano. Em Mineápolis, nos Estados Unidos, um agente do FBI descobre algo terrível ao investigar a queda de um avião. Na Índia, estranhos padrões sísmicos assustam pesquisadores em um laboratório. Na China, o governo deixa uma bomba nuclear cair “acidentalmente” no próprio território. Enquanto todo tipo de incidente bizarro assola o planeta, um pacote misterioso chega em um laboratório em Washington... E algo está tentando escapar dele. O mundo está à beira de um desastre apocalíptico. Uma espécie ancestral, há muito adormecida, finalmente despertou. E a humanidade pode estar com os dias contados.

Acalme-se, fique tranquilo, é apenas a capa de um livro, e sei que dá um pouco de agonia ficar olhando por bastante tempo, mas é uma capa linda, sim, linda. Esse tom de rosa e é meio emborrachada e, sério, gostei bastante, mas enfim, preciso falar da estória e do medo que venci para encarar esse livro, que depois no final das contas não é tão assustador assim. Apesar de ser classificado como terror, ele também tem ficção científica: no Peru é encontrada uma bolsa de ovos calcificada com datação de mais de mil anos; uma especialista em aranhas faz parte do enredo; a China solta uma bomba "sem querer"; a presidente dos Estados Unidos começa a tomar medidas de segurança nacional; e em várias partes do mundo as pessoas estão seguindo suas vidas e tentando entender o que realmente está acontecendo ou se tudo não passa de mais uma teoria da conspiração.

sábado, 17 de setembro de 2016

[Resenha] A perversa

| 9 comentários
Autora: Tarryn Fisher
Páginas: 256
Editora: Faro Editorial
Série: Amor e mentiras, 2
Leah Smith finalmente vive um momento muito especial. Conquistou aquele que considera o “homem da sua vida”, mas não está completamente feliz.Leah se sente insegura, como se fosse sempre a segunda opção e sua vida atual, como um castelo de cartas, pudesse desabar a qualquer momento...
E, mais do que sentir, ela sabe que Caleb nunca a olhou com aquele brilho especial que dirigia a Olivia. Então, se por um lado se sente vitoriosa, por outro, percebe quanto é desgastante e trabalhoso manter a sua conquista.
Agora, oficialmente casada com Caleb, ela vai até as últimas consequências para manter unidos os pedaços de uma vida construída por segredos, mentiras e trapaças. E, quem sabe, amor.
Mas não é assim que devemos fazer para lutar por quem amamos?



A perversa é o segundo livro da trilogia Amor e mentiras, e traz a história de uma personagem que eu tenho certeza que todos odiaram em A oportunista, mas que nessa obra eu acabei simpatizando. Eu sei, Leah é uma vaca e todos os palavrões do mundo. É egoísta, má, manipuladora, insensível e... bem, se eu continuar vou longe. Mas, eu senti pena dela. Muito mesmo. Eu sei que ela é uma pessoa terrível, mas ao mesmo tempo eu entendi como alguém como ela fez tudo o que fez. Não é desculpa, mas são motivos, e eles me fizeram torcer para que algo desse certo em sua vida. O que foi difícil, a personagem nasceu para sofrer!

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

[Novidades] DarkSide

| 0 comentários


Depois de passar algumas décadas fechada, a propriedade no número 112 da Ocean Avenue no subúrbio de Nova York finalmente abre as portas para os leitores da DarkSide® Books. Cercada pela natureza, com janelas amplas e uma sacada espaçosa, ela poderia ser uma casa de bairro tranquila como todas as outras, não fosse seu passado devastador e sangrento.

No sugestivo dia 13 de novembro de 1974, a polícia do condado de Suffolk foi surpreendida por um crime brutal que chocou os eua e se tornou assunto em todo o mundo envolvendo a pacata família Defeo. Alguns dias depois, Ronald Defeo Jr. admitiu ter matado seus pais e quatro irmãos com tiros nas costas, alegando ter sido influenciado por vozes que ouvia dentro de sua cabeça. O crime chocou a população, que começou a tecer teorias; algumas pessoas estranhavam o fato de que todas as vítimas foram encontradas de bruços, outras questionavam como nenhuma delas acordou com os barulhos dos tiros. Não demorou muito para a casa ser considerada mal-assombrada, virando inclusive objeto de estudo dos investigadores paranormais Ed e Lorraine Warren.

Treze meses depois da chacina, George e Kathleen Lutz resolveram recomeçar a vida em uma nova residência que compraram por uma pechincha. Vinte e oito dias depois, os cinco membros da família fugiram aterrorizados, deixando a maior parte de seus pertences para trás. Estranhos eventos começaram a acontecer, afetando a vida dos Lutz e indicando que uma presença maligna habitava a casa. Embora tenha sido amplamente divulgada pela mídia, em especial nos jornais e nas revistas da época, muitas vezes de maneira sensacionalista, a história da casa nunca havia sido contada com riqueza de detalhes — até Jay Anson decidir reconstruí-la e transformar seu livro de não-ficção em um dos relatos paranormais mais importantes e conhecidos de todos os tempos.


Baseado nas experiências sobrenaturais reportadas pelos Lutz durante o mês de dezembro de 1975, Amityville é um dos livros mais aguardados pelos leitores da Caveirinha. Por isso mesmo, muito mais do que dar apenas aquela demão de tinta, a DarkSide® Books vai fazer uma reforma completa na casa, apresentando a sombria construção em detalhes, do quarto secreto no porão às verdadeiras manchas nas portas e nas paredes escondidas pelas tintas do tempo — tudo exatamente como aconteceu, com todos as entidades e vozes que habitaram o sótão, o porão e demais cômodos da casa —, em uma edição assustadora e com o cuidado quase sobrenatural da editora mais dark do Brasil.

Adaptada várias vezes para o cinema e contando também com diversos spin-offs, a história de Amityville hoje é amplamente conhecida e é considerada um dos mais importantes relatos sobre casas mal-assombradas da cultura popular. No entanto, diversos detalhes da casa permanecem em segredo. Que presença maligna é essa que estava lá dentro? Só lendo Amityville para descobrir. As nossas portas estão abertas e vocês são nossos convidados de honra.



Jay Anson nasceu em 4 de novembro de 1921, em Nova York. Escritor e roteirista de diversos curtas de documentários, sua fama chegou ao ápice com Amityville, publicado originalmente em 1977. Após isso, chegou a escrever 666, livro que também lidava com a temática de casas mal-assombradas. Faleceu em 12 de março de 1980, aos 58 anos.


Título | Amityville
Autor | Jay Anson
Tradutor | Eduardo Alves
Editora | DarkSide®
Edição | 1a
Idioma | Português
Especificações | 240 páginas, Limited Edition (capa dura) Dimensões | 14 x 21 cm
ISBN | 978-85-9454-012-6



[Novidades] Aleph

| 0 comentários
Considerada a obra precursora do movimento cyberpunk e um clássico da ficção científica moderna, Neuromancer conta a história de Case, um cowboy do ciberespaço e hacker da matrix. Como punição por tentar enganar os patrões, seu sistema nervoso foi contaminado por uma toxina que o impede de entrar no mundo virtual. Agora, ele vaga pelos subúrbios de Tóquio, cometendo pequenos crimes para sobreviver, e acaba se envolvendo em uma jornada que mudará para sempre o mundo e a percepção da realidade. Evoluindo de Blade Runner e antecipando Matrix, Neuromancer é o romance de estreia de William Gibson. Esta obra distópica, publicada em 1984, antevê, de modo muito preciso, vários aspectos fundamentais da sociedade atual e de sua relação com a tecnologia. Foi o primeiro livro a ganhar a chamada “tríplice coroa da ficção científica”: os prestigiados prêmios Hugo, Nebula e Philip K. Dick. Essa nova edição traz capa ilustrada po rJosan Gonzalez - artista espanhol conhecido por retratar a forma humana de maneira intensa, expressiva e sem censura.

Uma caravela portuguesa naufragada com mais de 500 anos é descoberta no litoral brasileiro. Dentro dela, uma estranha caixa de prata lacrada esconde um segredo. Apesar do aviso grafado, com a recomendação de não abri-la, a equipe de mergulhadores que a descobriu decide seguir em frente, e encontra sete cadáveres. Esses corpos misteriosos e cadavéricos são levados para estudos e tudo parece estar sob controle até o despertar do primeiro deles. Em Os Sete, André Vianco atualiza o mito dos Vampiros, apresentando ao leitor seres poderosos, cada um com uma característica única, mas todos com natureza monstruosa e sanguinária. O resultado é um livro envolvente, repleto de ação e reviravoltas, que em pouco tempo ocupou seu merecido lugar entre os mais importantes livros de terror e fantasia brasileiros.


Eu sempre quis ler essa série do Vianco, e agora com a Aleph relançando essas edições lindas não tenho mais desculpas! Olha que capa maravilhosa, gente! ♥

[Novidades] Coquetel e Pixel

| 0 comentários
Criado por Mort Walker, em 1950, Beetle Bailey era um personagem universitário sem grande apelo. Suas tiras estavam com os dias contados quando seu idealizador teve a brilhante ideia de alistar a personagem no exército. O pulo do gato garantiu a Bailey, agora Recruta Zero, uma popularidade imediata. No Quartel Swampy, de onde jamais saiu, conheceu os seus companheiros de farda , que neste 4o volume da coleção “O Livro de Ouro do Recruta Zero” ganham mais espaço ao lado de nosso protagonista . São eles: Quindim, Dentinho, Platão, Julius, Rocky e Cosmo, que serviam sob as ordens do Sargento Tainha e oficiais atrapalhados como o General Dureza, Tenente Escovinha, Capitão Durindana e Tenente Mironga. Isso sem falar no elenco de apoio que inclui até o cão Oto e a estonteante secretária do General, Miss Buxley (mais conhecida como Dona Tetê). Este livro é um passeio pelas cinco décadas iniciais da série, desde as primeiríssimas tiras até o período áureo nos anos 1980 e 1990. São alguns dos melhores momentos dessa turma de militares trapalhões.

Baseada no videogame de sucesso mundial, a HQ conta o que aconteceu antes de Garden Warfare 2! Como começou a invasão zumbi em Suburbia? E de onde surgiram as novas plantas e os novos zumbis? Você descobre aqui! Com roteiro de Paul Tobin (Bandette, Banana Sunday) e desenhos de Jacob Chabot (Mighty Skullboy Army, SpongeBob Comics), essa batalha antizumbi é hilária e repleta de ação para todas as idades!Algo de sinistro tomou conta de Suburbia. Seus... miolossssss... estão preparados para a infestação zumbi?






Os guerreiros do universo Star Wars estão de volta em uma nova versão. Han Solo, Luke Skywalker, Mestre Yoda, entre outros heróis e vilões da saga estão reunidos, neste livro, em divertidos passatempos. Divirta-se com Caça-palavra, Jogo dos Erros, Código Secreto e muitos outros jogos de uma galáxia muito, muito distante. Resolva cada um dos desafios e prove que a Força está com você.





Dê vida à sua imaginação! Ao baixar o aplicativo gratuito Disney Color and Play, em seu celular ou tablet, você transforma os desenhos desta revista em figuras 3D animadas! São diversas imagens das suas princesas Disney favoritas para colorir. Divirta-se também com Caça-palavra, Labirinto, Jogo dos Erros, entre outros passatempos inspirados nesse grande sucesso da Disney.



quarta-feira, 14 de setembro de 2016

[Resenha] O mundo perdido

| 13 comentários
Autor: O mundo perdido
Páginas: 488
Editora: Aleph
Série: Jurassic Park, 2
Seis anos se passaram desde os terríveis acontecimentos no Jurassic Park. Seis anos, desde que o sonho extraordinário, nos limites entre a ciência e a imaginação humana, acabou se tornando um trágico pesadelo. A Isla Nublar não era o único lugar usado por John Hammond em suas pesquisas genéticas de ponta. Agora, o matemático Ian Malcolm e uma equipe de cientistas – além de certos “pequenos clandestinos” – devem explorar outra ilha na Costa Rica, repleta dos mais perigosos dinossauros que já caminharam pela Terra.



1. Jurassic Park

O mundo perdido, continuação de Jurassic Park, era um livro que eu estava muito ansiosa para ler. Eu amei a leitura do anterior, e minhas expectativas por essa continuação estavam bastante altas. E apesar de ser o segundo livro, a história é tão boa quanto a do primeiro. A trama se passa seis anos após Jurassic Park, então não chega a ser uma continuação daquelas em que é necessário ler na ordem, porém, eu recomendo que seja feito desta forma. Nesse novo livro temos um personagem já visto no anterior, e bastante querido, Ian Malcolm. É bastante empolgante voltar nesse mundo onde existem dinossauros. A leitura não tem ação do início ao fim, mas possui uma trama bastante envolvente.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

[Resenha] Mais uma chance

| 8 comentários
Autores: Gutti Mendonça e Federico Devito
Páginas 440
Editora: Generale
Uma banda formada por três amigos e dois irmãos,no auge da fama e do sucesso, decide que, após quatro anos longe de sua pequena cidade natal, finalmente é hora de voltar para casa. A princípio, viajam apenas para descansar e se recuperar da desgastante vida de artista e, para mais tarde, voltar à impiedosa rotina. Mas não é necessário muito tempo para que o passado venha resgatar histórias, conflitos, lembranças e um sentimento de nostalgia que havia sido deixado para trás. Os valores esquecidos voltam a fazer parte do cotidiano dos integrantes da banda, que passam a enxergar tudo aquilo de que abriram mão em nome da fama. São colocados diante de todos os casos mal resolvidos do passado, desde relacionamentos amorosos e família até suas amizades. Assim, são obrigados a lidar com a culpa, o arrependimento, a saudade, a raiva e com tantos outros sentimentos. Em meio a todo esse ambiente improvável e diferente, Ana, ou Aninha, uma garota perfeitamente comum, é imersa em uma realidade completamente diferente de qualquer uma que já tenha vivido. Será que essa mudança causará muito impacto em sua vida? Ou será que ela se tornará o caminho de volta dos integrantes da banda para o sossego e a normalidade?

Esse é meu primeiro contato com os autores, e posso dizer que Mais uma chance foi uma leitura bastante envolvente e interessante. É óbvio que todo mundo aqui tem algum ídolo, certo? E essa trama se trata exatamente sobre isso, ser muito fã de alguém, e ao mesmo tempo, saber que a vida dos famosos é igual a de qualquer outra pessoa - tirando a parte de ser reconhecido em tudo que é lugar, claro -. Nossos personagens são, sim, muito famosos, porém, percebemos que possuem sentimentos e inseguranças como qualquer um. Também possuem família, amigos e amores. Este livro faz o leitor refletir bastante sobre o quanto elevamos tanto uma pessoa, quando essa idolatria ultrapassa o limite, pois na trama vemos que há defeitos no meio de tanta beleza e charme. 

domingo, 11 de setembro de 2016

[Promoção] Renovando a estante

| 5 comentários



A Bienal acabou.
E você nem conseguiu participar da Bienal, porque a grana tá curta...a passagem tava muito cara... a crise no país tá sinistra....então, você ficou em casa babando enquanto via geral gastando em livros novinhos. E você sem "unzinho" pra contar história... que tristeza....

Mas não tema! Porque nós vamos ajudar você a consertar este terrível erro... basta seguir as regras abaixo.

sábado, 10 de setembro de 2016

[Resenha] Os desejos da Bela Adormecida

| 6 comentários
Autora: Anne Rice
Páginas: 352
Editora: Rocco
Série: Trilogia Erótica, 1
A princesa condenada a dormir por 100 anos, depois de furar o dedo em uma roca de fiar enfeitiçada, se torna vítima de um segundo feitiço - seu coração e seu corpo estão sob controle do príncipe que a despertou, que a declara sua escrava sexual e a leva para a corte de sua mãe, a rainha Eleanor, um universo que mistura prazer, dor e subserviência.






Os desejos da Bela Adormecida é o primeiro livro da Trilogia erótica, da autora Anne Rice. Eu terminei a leitura sem saber muito bem o que eu achei. Eu gosto de romances eróticos, mas esse vai muito além de cenas de sexo. A autora recria o conto de fadas de Bela Adormecida de forma perversa, sensual e violenta. Eu não lembro de ter lido muitos livros do gênero BDSM (bondage, disciplina, dominação, submissão, sadismo e masoquismo), e em um primeiro momento não curti tanto. Achei muito bizarro, e confesso que sou mais de um romance hot com romance realmente, coisa que é inexistente nessa obra. Eu li uma história com o tema, porém, perto de Os desejos da Bela Adormecida a trama era muito leve.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

[Resenha] Amante sombrio

| 13 comentários
Autora: J.R. Ward
Páginas: 448
Editora: Universo dos Livros
Série: Irmandade da adaga negra, 1
Nas sombras da noite, em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra, entre vampiros e seus carrascos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Ainda assim, nenhum deles deseja a aniquilação de seus inimigos mais que Wrath, o líder da Irmandade da Adaga Negra. Wrath é o vampiro de raça mais pura dentre os que povoam a terra e possui uma dívida pendente com os assassinos de seus pais. Ao perder um de seus mais fiéis guerreiros, que deixou órfã uma jovem mestiça, ignorante de sua herança e destino, não lhe resta outra saída senão levar a bela garota para o mundo dos não mortos. Traída pela debilidade de seu corpo, Beth Randall se vê impotente em tentar resistir aos avanços desse desconhecido, incrivelmente atraente, que a visita todas as noites envolto em sombras. As histórias dele sobre a Irmandade a aterrorizam e fascinam. Seu simples toque faísca, um fogo que pode acabar consumindo a ambos.

Eu comprei o box com os três primeiros livros de Irmandade da Adaga Negra em 2012, e li todos no mesmo ano, porém, como demorei para comprar mais livros da série, eu acabei esquecendo um pouco da trama, por isso resolvi fazer a releitura de Amante sombrio, tanto para lembrar do que eu esqueci quanto para poder resenhar aqui no blog. Amante sombrio é apenas o primeiro livro de IAN, mas já consegue arrebatar o leitor rapidamente. Até mesmo eu que reli me apaixonei pela segunda vez com a trama criada pela Ward. Eu gosto bastante de romance sobrenatural, e não tenho absolutamente nada contra vampiros - mesmo aqueles que não seguem o padrão conhecido pela maioria -, porém, digo que essa série é muito mais que um romance de vampiros. 

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

[Resenha] Essa luz tão brilhante

| 10 comentários
Autora: Estelle Laure
Páginas: 208
Editora: Arqueiro
O pai dela surtou e foi internado. A mãe disse que ia viajar por uns dias e nunca mais voltou. Wren, sua irmãzinha, parece bem, mas já está tendo problemas na escola.
Lucille tem só 17 anos, e todos os problemas do mundo. Se não conseguir arrumar um emprego para pagar as contas e fingir para os vizinhos que está tudo em ordem, pode perder a guarda da irmã. Sorte a dela ter Eden, uma amiga tão incrível que se dispõe a matar aulas para ajudá-la. Azar o dela se apaixonar perdidamente justo agora, e justo por Digby, o irmão gêmeo de Eden, que é lindo, ruivo... mas comprometido.
Essa luz tão brilhante é a história de uma garota que descobre uma grande força dentro de si enquanto aprende que a vida e o amor podem ser imprevisíveis, assustadores e maravilhosos – tudo junto e misturado.


Um livro onde em poucas páginas consegue mostrar todas as transformações de uma personagem forte que consegue se reerguer das derrapadas que a vida lhe dá e continua apesar de todos os percalços. A Lucille é tão inspiradora e esse livro consegue transmitir essa força de forma tão leve e tocante, que eu realmente não estava acreditando que em 199 páginas (o número exato onde se lê a última frase do livro) a autora conseguiria mostrar todo o mundo da Lucille, nos convencer que ela é uma guerreira, nos fazer gostar dela, da sua irmã, da sua amiga e do irmão da sua melhor amiga, e viver junto com ela todas as etapas de uma vida que se transformou depois que seu pai foi internado.

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Bienal 2016 !

| 13 comentários


Eu fui na Bienal de São Paulo em 2012, mas esse ano foi a primeira vez como blogueira. Então, vou contar um pouco como foi a minha experiência. Para quem não sabe, eu moro em Porto Alegre, então essa foi uma viagem que precisou ser programada com bastante antecedência. Eu fui junto com a minha irmã, a Isabel (colunista do blog, mesmo estando sumida, rsrs), e a primeira coisa que eu deixo registrado aqui é que: como o ano passou rápido. Antes de abril estava vendo hotel e passagens, e quando pisquei, já estávamos no mês da Bienal. A ansiedade foi enorme, e então o dia finalmente chegou...

 

Sábado, dia 27, chegamos em São Paulo, deixamos as malas no hotel e partimos para a Bienal. Nós conseguimos nossas credenciais de blogueiras, então precisamos retirar antes de entrar no pavilhão. E nossa, eu achei bem confuso na hora de buscar a credencial, nossa sorte é que tinha algumas pessoas ajudando e no fim conseguimos entrar. A primeira coisa que eu procurei foram as livrarias com promoções, na verdade, eu nem procurei muito, dei de cara com uma cheia de livros baratos, então fui atraída imediatamente.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

[Resenha] Terra amaldiçoada

| 12 comentários
Autor: Douglas Lobo
Páginas: 165
Editora: Independente
Demitido de seu emprego em São Paulo, Fabrício Machado retorna a sua terra natal, no interior do Piauí. Ali, espera reavaliar sua vida para decidir o rumo a seguir. Logo porém ele descobre que o ambiente rural arcaico onde cresceu está em extinção. O progresso chegou, ameaçando sua fazenda, sua família e todo um modo de vida. Quando uma série de assassinatos começa a ocorrer, Fabrício desconfia que uma presença maligna assombra sua terra. Uma força aterrorizante que não cessará de matar até que se vingue do mundo que a criou.



Recebi Terra amaldiçoada de surpresa do autor, e fiquei bem contente, pois a premissa me interessou de imediato, ainda mais por ser ambientada no interior do Piauí, local que eu nunca tinha encontrado em nenhuma obra, então foi muito bom saber sobre outra cultura. Já pela capa e título é possível saber que a trama pende para o terror, porém, já adianto que não é nada tão assustador. O autor nos mostra bastante como é a vida dos fazendeiros no interior, a briga com os indígenas e os sem terra, e também as crendices populares da região.

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

[Resenha] O papel de parede amarelo

| 11 comentários
Autora: Charlotte Perkins Gilman
Páginas: 113
Editora: José Olympio
Este clássico da literatura feminista foi publicado originalmente em 1892, mas continua atual em suas questões. Escrito pela norte-americana Charlotte Perkins Gilman, ele narra, em primeira pessoa, a história de uma mulher forçada ao confinamento por seu marido e médico, que pretende curá-la de uma depressão nervosa passageira. Proibida de fazer qualquer esforço físico e mental, a protagonista fica obcecada pela estampa do papel de parede do seu quarto e acaba enlouquecendo de vez. Charlotte Perkins Gilman participou ativamente da luta pelos direitos das mulheres em sua época e é a autora do clássico tratado Women and Economics, uma das bíblias no movimento feminista. Esta edição de O papel de parede amarelo, que chega às livrarias pela José Olympio, traz prefácio da filósofa Marcia Tiburi.


Assim como comentei em uma resenha anterior, Flores, também sinto que este livro exige uma avaliação mais profunda do que eu me considero capaz de oferecer, afinal, segundo a capa, este é um clássico da literatura feminista. Mas diferente de Flores, O papel de parede amarelo conta com uma apresentação da Marcia Tiburi, uma autora brasileira e professora de filosofia, bem como um posfácio de Elaine R. Hedges, autora, professora e expert em Contribuições das mulheres americanas para literatura e artes. Ou seja, apesar das 112 páginas, o livro traz, tanto um conteúdo capaz de causar um mal-estar no leitor, quanto faz menção ao período histórico e político em que a autora viveu. E com essa “ajuda” da apresentação e posfácio foi possível para mim como leitora compreender o que Gilman estava apresentando, ao invés de simplesmente ver o livro como uma simples estória de delírio e perturbação à la Edgar Allan Poe.

domingo, 4 de setembro de 2016

[Resenha] À sombra da figueira

| 8 comentários
Autora: Vaddey Ratner
Páginas: 360
Editora: Geração Editorial
Para a menina Raami, de sete anos de idade, o fim abrupto e trágico da infância começa com os passos de seu pai voltando para casa na madrugada, trazendo detalhes da guerra civil que invadiu as ruas de Phnom Pehn, a capital do Camboja. Logo o mundo privilegiado da família real é misturado ao caos da revolução e ao êxodo forçado. Nos quatro anos seguintes, enquanto o Khmer Rouge tenta tirar da população qualquer traço de sua identidade individual, Raami se apega aos únicos vestígios de sua infância - lendas míticas e poemas contados a ela pelo seu pai. Em um clima de violência sistemática em que a lembrança é uma doença e a justificativa para execução sumária, Raami luta pela sua sobrevivência improvável. Apoiada no dom extraordinário da autora pela linguagem, À Sombra da Figueira é uma história brilhantemente intricada sobre a resiliência humana. Finalista do Prêmio PEN Hemingway este livro vai levá-lo às profundezas do desespero e mostrar horrores abomináveis. Vai revelar uma cultura maravilhosamente rica, lutando para sobreviver através de pequenos gestos. Vai fazer com que jamais sejam esquecidas as atrocidades cometidas pelo regime Khmer Rouge. Vai lhe encher de esperança e confirmar o poder que há ao se contar uma história de nos elevar e nos ajudar não somente a sobreviver, mas à transcendência do sofrimento, da crueldade e da perda.

A história de Raami, uma menina cambojana de 7 anos, com uma vida repleta de histórias, lendas, sonhos e muito carinho, acaba tendo mudanças do mundo que conhece de uma forma repentina, onde de um dia que parecia normal, no outro começa a enfrentar injustiças e situações abomináveis para qualquer pessoa, imagina para uma criança que ainda enfrenta o desafio diário para andar, pois possui poliomelite.

sábado, 3 de setembro de 2016

[Novidades] Tordesilhas

| 1 comentários
Título: A Santa Aliança
Autor: A. J. Kazinski
Título original: Enhellig aliance
Tradução: Mário Vilela
Gênero: Thriller policial

Eva Katztenta recomeçar a vida após o fim de sua carreira como jornalista e a morte do namorado na guerra do Afeganistão. Em seu primeiro dia de trabalho numa creche em Copenhague, ela não resiste à tentação de investigar a verdade sobre um crime relatado em um desenho infantil. Entretanto, na busca da verdade, Eva acaba mexendo com instâncias muito poderosas da sociedade dinamarquesa, e o que antes parecia um incidente isoladose revela como parte de uma rede de segredos que remontam à formação da Santa Aliança, uma coligação monárquica criada no século XIX.Este thrillereletrizante é o terceiro da dupla A. J. Kazinski,que já lançou os livros O último homem bom e O sono e a mortepela Tordesilhas.


SOBRE O AUTOR:

A. J. Kazinski é o pseudônimo dos escritores dinamarqueses Anders RønnowKlarlund e Jacob Weinreich, que colaboram pela segunda vez numa produção literária. Seu dois primeiro livros, O último homem bom e O sono e a morte, foram publicados pelo Tordesilhas em 2012 e 2013, respectivamente.


PONTOS RELEVANTES:

– Este é o terceiro livro da dupla que escreve sob o pseudônimo de A. J. Kazinski. Os dois primeiros títulos, O último homem bom e O sono e a morte contam duas histórias envolvendo o herói NielsBentzon, negociador da polícia. Dessa vez, o livro conta a história de Eva Katz. 

– Ao mesmo tempo que o estilo de escrita de Kazinski atrai os leitores de O último homem bom e O sono e a morte, como o livro apresenta uma nova protagonista, também trata-se de um bom primeiro livro introdutório à obra do autor. 

– A protagonista passa longe do estereótipo de romances policiais. Enquanto acompanha o desenrolar da trama, ao mesmo tempo o leitor tem a oportunidade de testemunhar o desenvolvimento de Eva como investigadora e refazer sua trajetória como uma mulher independente. 

– A Santa Aliança é um thriller eletrizante, de leitura dinâmica e cheio de reviravoltas, que mescla ficção e realidade com um toque de teoria conspiratória. Dessa forma, promete agradar aos fãs de autores como Dan Brown e Ken Follett. 

– Já em seu livro de estreia a dupla dinamarquesa A. J. Kazinski alcançou o sonho de muitos escritores: produzir um best-seller. O último homembom trazia uma trama intrigante que teve seus direitos de venda comercializados para mais de vinte países.

[Novidades] Butterfly Editora

| 0 comentários

Num futuro distópico, Marina é uma jovem brasileira que carrega a força e os poderes de três grandes deusas celtas. Ela é aquela que cria, acolhe e mata. Protegida por guerreiros, perseguida por mortais e desejada por deuses, precisa encontrar os míticos tesouros da Tribo de Dana se quiser salvar o que restou do mundo...
Ano de 2021. A Terra está devastada e poucos são os sobreviventes. No Brasil, grupos se reúnem em pequenas vilas em torno da água potável. O oásis neste caos fica na Chapada dos Veadeiros, na Fazenda Tribo de Dana, onde vive um povo guerreiro que acredita tudo ser parte dos planos da Grande Mãe. Neste paraíso vive Marina. Considerada o avatar de três grandes deusas celtas, precisa lidar com poderes diversos de cura, vida e morte. Ao abrir o véu que separa o mundo dos mortais do Outro Mundo, a jovem liberta antigos deuses. E dois mundos distintos estão prestes a colidir, quando ela descobre que detém nas mãos o destino da humanidade.


O consagrado escritor Lauro Trevisan, desta vez, quer provocar no leitor a reflexão e o sorriso. Com uma linguagem bem-humorada, ele nos apresenta uma espécie de “guia do alto-astral”, com 52 capítulos, que podem ser lidos a cada semana do ano, convidando-nos a desenvolver um olhar positivo perante a vida e a descobrir sempre o lado bom das coisas. Entre outras palavras de ânimo, o autor dá dicas de como se libertar do estresse cotidiano e como ter pensamentos positivos diante dos obstáculos da vida. Ele deixa claro que apesar de ser uma tarefa desafiadora, é possível sim, superar os obstáculos da vida. Afinal, rir é o melhor remédio, sempre

Eu gostei bastante da premissa de Dois mundos, adoro mitologia em geral, e saber que é ambientada no Brasil só me deixou mais curiosa ainda. E a capa está linda demais! ♥

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

[Resenha] Os vivos e os mortos

| 16 comentários
Autora: Susan Beth Pfeffer
Páginas: 336
Editora: Bertrand Brasil
Série: Os últimos sobreviventes, 2
Um meteoro em rota de colisão com a Lua: um evento astronômico previsto com antecedência pelos cientistas. Só que para surpresa de todos, o impacto da colisão é bem maior do que o esperado, e a Lua sai de órbita, aproximando-se da Terra e alterando de modo catastrófico o clima do planeta. À medida que Nova York é devastada e tanto comida quanto ajuda tornam-se escassas, o adolescente porto-riquenho Alex Morales luta para manter suas irmãs, Bri e Julie, de 14 e 12 anos, a salvo. Com os pais desaparecidos, cabe a ele assumir responsabilidades inimagináveis e dar o seu melhor para sobreviver enquanto reza para que o restante de sua família volte com vida para casa.


1. A vida como ela era

Os vivos e os mortos é o segundo volume da série Os últimos sobreviventes, mas pode ser lido de forma independente já que conta a história de outra família. Eu realmente estava esperando a continuação da história de A vida como ela era, e ao mesmo tempo que me decepcionei um pouco ao perceber que seriam outros personagens, me surpreendi com mais um enredo envolvente e intenso. E no fim, gostei muito mais dessa família e das situações enfrentadas. Susan Pfeffer criou uma trama extremamente impactante, pois o apocalipse recém iniciou, e enquanto alguns livros narram o depois, nessa obra temos o durante. Como tudo iniciou e como aos poucos o mundo está desmoronando e ficando difícil de sobreviver.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Pilha de leitura #40

| 12 comentários

Terminei agosto com onze livros lidos, e não consegui ler dois da pilha, o que eu meio que já esperava por conta da Bienal. Mas, eu gostei das minhas leituras! De fora ficaram Mais uma chance e Amor de cordel, que eu vou colocar novamente na pilha. Esse mês foi difícil de escolher o melhor livro, pois vários me surpreenderam. Vamos conferir o que eu andei lendo?!