sexta-feira, 8 de julho de 2016

[Resenha] A guerra dos mundos

|
Autor: H. G. Wells
Páginas: 296
Editora: Suma de Letras
Eles vieram do espaço. Eles vieram de Marte. Com tripés biomecânicos gigantes, querem conquistar a Terra e manter os humanos como escravos. Nenhuma tecnologia terrestre parece ser capaz de conter a expansão do terror pelo planeta. É o começo da guerra mais importante da história. Como a humanidade poderá resistir à investida de um potencial bélico tão superior? Publicado pela primeira vez em 1898, A guerra dos mundos aterrorizou e divertiu muitas gerações de leitores. Esta edição especial contém as ilustrações originais criadas em 1906 por Henrique Alvim Corrêa, brasileiro radicado na Bélgica. Conta também com um prefácio escrito por Braulio Tavares, uma introdução de Brian Aldiss, membro da H. G. Wells Society, e uma entrevista com H. G. Wells e o famoso cineasta Orson Welles — responsável pelo sucesso radiofônico de A guerra dos mundos em 1938 —, que fazem desta a edição definitiva para fãs de Wells.


Quando aparecem livros sobre o mundo sendo arrasado por doenças, desastres naturais, ataques, e por seres de outros planetas, pode ter certeza que vou querer ler. Isso vale pra filmes também. Não sei por qual razão, mas preciso conhecer através do ponto de vista de diversos escritores ou roteiristas e diretores, como o ser humano reagiria em situações como essa.

Em A Guerra dos Mundos de H. G. Wells, o precursor de livros de ficção científica em que conseguiu dar aos seres de outros planetas uma ordem de superioridade, Wells foi o grande influenciador dos grandes nomes da literatura da ficção científica, como George Orwell, Asimov, Bradbury, Arthur C. Clarke, Aldous Huxley, sendo que Wells teve o avô de Huxley como professor quando estudou Biologia; e nada como começar a leitura de clássicos de ficção científica do que por ele. 

Levando em consideração que a história foi idealizada e publicada no final do século XIX, fica a admiração por alguém que conseguiu ter uma criatividade capaz de criar algo como a primeira história de invasão da Terra, que deixou o mundo em polvorosa na época, sendo um grande sucesso principalmente no rádio em 1938, depois chegou a vez do cinema em 1953, e em 1988 virou uma série de tv, e em 2005 um novo filme, que é de onde tive uma certa influência imaginativa conforme o decorrer da leitura.

Um cara narra todo o processo de invasão da Terra, sendo essa invasão centrada em Londres e seus arredores, pois afinal a potência econômica na época era a Inglaterra e tudo acontecia na Europa, e nada de comunicação instantânea que as nossas tecnologias atuais proporcionam. No livro até alguém acreditar que o planeta estava sendo atacado por marcianos, sem verificar com os próprios olhos, mostra como o ser humano é cego perante situações críticas, que não percebe coisas que estão debaixo do próprio nariz. Hoje ler um livro que se sabe que em Marte não tem marcianos e nem vida, e tendo lido o livro Perdido em Marte e as aventuras de um cara por lá, e já sabendo mais ou menos pra onde o enredo se encaminha, com base na adaptação de 2005 por Steven Spielberg; mesmo assim o Wells conseguiu me levar a analisar sua história, tentando abstrair qualquer conhecimento que tivesse, como se eu fosse uma fanática por aventuras no final do século XIX e estivesse super curiosa pra conhecer mais um livro do famoso autor.

O único problema que tive na narrativa descritiva de Wells foi em razão de não conseguir visualizar e me sentir mergulhada de cabeça no mundo ou ter aquela angústia pela situação vivida pelo personagem, isso somente acontecia quando o personagem tinha seus questionamentos filosóficos sobre a vida e eu me sentia representada por ele, ou quando os diálogos do protagonista eram superinteressantes perante situações extremas com outros personagens, e quando ele analisava a vida, falando com o leitor sobre suas dúvidas e de como tudo ia ficar.

Uma foto publicada por @dandramedeiros em


A história é contata pelo cara que melhor testemunhou, segundo ele mesmo, a invasão dos marcianos, dialogando constantemente com o leitor. Mas o Wells deixa passar um personagem que ele não explica o que aconteceu com ele (eu gostaria de saber), descreve situações caóticas em que os desenhos incríveis inseridos nessa edição especial conseguiram dar uma noção que às vezes a escrita do Wells não conseguia. Constatei com outras resenhas lidas no skoob, que a narrativa do Wells em seus primeiros livros, (A Máquina do Tempo, A Ilha do Dr Moreau, e O Homem Invisível) é muito melhor do que o que eu encontrei em A Guerra dos Mundos.

O que tenho aqui pra exaltar, repito, são os questionamentos do personagem, as reações em momentos de destruição total, reflexões sobre vida, morte, fé, coragem, futuro, superpopulação, fome, histeria, extremismo, isso tudo está presente e vale a pena em toda a leitura, e mostra uma forte crítica a sociedade de um modo geral, que continua tão atual e nos leva a reflexão de pra onde caminha a humanidade. 

Não existem explicações do porquê a catástrofe assolar apenas a Inglaterra (isso foi questionado por Asimov. No livro você encontrará esta parte no prefácio.), assim como hoje todos os ataques fictícios acontecem nos Estados Unidos e em Nova York. O autor era inglês, e como dito acima, a Inglaterra era uma potência dominadora na época, e neste livro acada sendo dominada.

Uma foto publicada por @dandramedeiros em

A edição em capa dura é tão linda, e considero a edição mais bonita que tenho hoje na minha estante. Os extras são maravilhosos, mas só aconselho aos leitores que não leiam a introdução escrita por Brian Aldiss antes de efetivamente terminar a leitura do livro, pois assim que li o prefácio e fui seguindo a ordem partindo pra introdução, comecei a pegar spoilers onde o autor descreve sua opinião e análise do livro citando alguns capítulos e relatando um pouco da vida do Wells. Portanto resolvi pular e deixar para ler depois (maravilhoso o texto, não deixem de ler).

Se você, assim como eu, quer começar a conhecer um pouco mais de ficção científica, leia A Guerra dos Mundos. Li poucos livros clássicos ou contemporâneos nessa temática, mas do ano passado pra cá, estou caindo de cabeça nesse universo e adorando conhecer vários escritores incríveis.

Leia, porque nossa insignificância é gritante, mas algumas pessoas não enxergam isso.

19 comentários:

  1. Olá
    amo livros de ficção científica e é claro que já me interessei por esse título, especialmente depois de ler seus comentários a respeito. E o mais interessante é que podemos refletir bastante nesse cenário. Estou bem curiosa quanto a edição também, imagino mesmo que deve ser linda. Obrigada pela indicação.

    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Dandra

    Sua resenha está excelente. Acredita que até outro dia, lendo uma outra resenha deste mesmo livro, eu não sabia que o filme de 2005 tinha sido uma adaptação, pensei que fosse um roteiro original.
    Que pena que você não mergulhou na história, mas mesmo assim a leitura foi super válida, né?

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Realmente, ficção científica é o gênero que eu menos leio por ano, acho que não passa de 2 ou 1, rsrs, agora em sinto envergonhado por isso,pois é um gênero legal e que curto muito. Então, eu ainda não tinha visto resenhas sobre essa obra, mas já a conhecia e quero muito poder ler essa incrível obra prima, e depois de ler a sua resenha só me deixou com mais curiosidade. É bom saber que eu deixe pra ler a introdução só depois, valeu por isso. Até mais ve
    Bjss

    ResponderExcluir
  4. Não leio muito ficção científica, mas acho que este livro funcionaria bem para mim em função dos questionamentos que você diz que o personagem tem. Acho que isso agrega muito a narrativa. Achei a edição belíssima, e olha que não curto a cor vermelha... rs
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu lembro que tentei ler esse livro depois que assisti o filme, que amei. Mas não curti o livro de jeito nenhum por vários motivos que você citou na resenha. Realmente não consegui entrar no universo, se tornou uma leitura arrastada e que eu queria que acabasse logo, não de uma maneira boa.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Oie, eu não gosto de livros de ficção científica por isso esse passa direto na minha lista, mas bacana saber que o personagem faz reflexões filosóficas que nos levam a refletir junto. Acho que me irritaria isso de não conseguir mergulhar bem no mundo do livro e no que acontece.

    ResponderExcluir
  7. Oi Dandra, tudo bem?
    Desde que a editora lançou essa edição, fiquei doida para ler esse livro. Quando era mais nova, já tinha visto o filme e ele realmente mexeu bastante comigo. Não estou habituada em ler ficção científica, mas histórias que envolvem alienígenas invadindo a Terra me agradam bastante e estou ansiosa para ver como as pessoas irão sobreviver a partir da invasão e a reação delas sobre o mundo que elas conheciam sendo cada vez mais destruído e perigoso. Além de ser um clássico, também parece ser um desses livros que fará o leitor refletir diante de algumas questões. Espero ler esse livro em breve e realmente, a edição está linda.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Amo livros que tenham como tema o fim do mundo, assim como você adoro saber a versão dos autores de como seria a reação das pessoas. Já li esse livro há alguns anos, quando ainda estava no ensino médio, e não me lembro muito bem do conteúdo e da minha opinião final sobre o livro, mas lembro de ter gostado e acho que essa desculpa já é boa o suficiente pra eu adquirir essa versão linda haha.
    Adorei sua resenha, foi bem sucinta e direta.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Apesar de gostar muito de livros de ficção científica, tenho lido poucos ultimamente =[
    Gostei bastante da sua resenha, acho a premissa desse livro bem bacana e embora tenha uma narrativa descritiva (coisa que não gosto muito), fiquei curiosa sobre os questionamentos do personagem e as reflexões de vida.
    É uma pena que a escrita do autor tenha sido melhor nos outros dois livros dele.
    Eu acho essa edição maravilhosa! Está muito bem feita, deve ficar linda mesmo na estante!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oii!
    Não se leria porque não curto muito ficção cientifica, mas parece ser um ótimo livro para quem curte o gênero! E pelo jeito a edição realmente está lindíssima ♥ De fato invasões de marcianos não me deixa nenhum pouco curiosa para ler o livro :/

    Beijão!
    http://cantinhodosrabiscos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Eu amei o filme e adorei quando comecei a ver sobre essa edição, que está maravilhosa! Amo ficção científica, sempre com muito conhecimento para o leitor, é realmente uma pena que a narrativa não tenha sido capaz de te inserir no universo do livro, gostei do fato de conseguirmos ter algumas reflexões pelo narrador e seus pensamentos, fiquei mega interessada

    ResponderExcluir
  12. Cara, que edição linda. Tu sabe que vi uma notícia que na década de 50 quando falaram sobre o livro e a história na rádio britânica, algumas pessoas acreditaram tanto na história que alguns se suicidaram! Pois é. Eu amei o filme e achei muito criativo e olha que ele escreveu super lá atrás e com uma visão bem futurística mesmo.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.blogandolivros.com

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Confesso que não sou muito fã de ficção científica, mas também adoro livros que tratem de 'catastrofes' e invasões na Terra, pois como vc disse é mto bacana ver como o ser humando reage com cada situação, principalmente com et's.
    Mesmo sendo um livro que tem algumas teorias derrubadas, acredito que deve realmente ser uma ótima leitura.

    ResponderExcluir
  14. Oiii
    A se o filme ja foi ótimo imaginem o livro como não seria ótimo tbm,eu como ja assisti o filme quero muito ler o livro por diversão mesmo gosto de leituras assim ficção cientifica,vlw muito indicar esse espetáculo de livro.

    Abraços.
    http://rillismo.blogspot.com.br/p/resenhas.html

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bom?
    Ao contrário de você, não curto muito ficção científica nem livros que abordem catástrofes, invasão da terra e coisas assim... não sei, eu não consigo me conectar com histórias assim rs Uma pena que a narrativa não conseguiu te inserir plenamente na história do livro, mesmo você gostando tanto do gênero. Fiquei curiosa para conhecer as reflexões e questionamentos dos personagens e sim, essa edição está linda!

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  16. Oii

    Já vi o filme inumeras vez, e mesmo adorando o gênero em filmes, em livro acho bem entediante. Mesmo assim me arriscaria em ler justamente por amar o filme. Achei uma pena ele não ter te envolvido na narrativa, é bem chato quando isso acontece. Mas enfim, se um dia tiver oportunidade com certeza irei ler.

    Bjos

    ResponderExcluir
  17. Olá!! :)

    Eu nao conhecia o livro... mas fiquei bem curioso depois da resenha!! :) Eu quero muito ler agora!! :) ahah

    Que pena que ficaram algumas pontas soltas como essa de ser em inglaterra... Mas acho bom que tenhas gostado, claro! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Eu adoro distopias, porém as clássicas eu não consigo ler. Não me envolvo como deveria com o enredo e tudo se torna cansativo na leitura.
    Já havia ouvido falar desse livro, mas nunca li, e não assisti o filme... Acho que essa é uma leitura que vale a pena sim para quem consegue entrar de cabeça nas histórias. Pode ser que, se eu tentasse, a experiência com esse livro fosse diferente do que com a dos outros, porém por enquanto não vou arriscar.

    Abraços, Lara.
    Império Imaginário

    ResponderExcluir
  19. Olá, tudo bem?
    Eu já ouvi falar bastante desse livro e para ser sincera não é uma obra que chame minha atenção, talvez pelo gênero de ficção científica que não me agrada muito. Mas adorei saber da sua opinião e de ver que você gostou, talvez um dia eu leia, mas não no momento.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir