domingo, 18 de janeiro de 2015

[Resenha] Willow

|
Autora: Julia Hoban
Páginas: 352
Editora: Leya
Sete meses atrás, em uma noite chuvosa de março, os pais de Willow acabaram bebendo muito durante o jantar e pediram a ela que guiasse o carro até em casa. Por uma fatalidade, Willow perdeu o controle do veículo e seus pais morreram no acidente.Consumida pela culpa, Willow deixa para trás sua casa, amigos e escola e, enquanto tenta retomar a relação de afeto e companheirismo com o irmão mais velho, secretamente bloqueia a dor da perda cortando a si mesma. Mas quando Willow encontra Guy, um rapaz tão sensível e complexo quanto ela, mudanças intensas começam a acontecer, virando seu mundo de cabeça para baixo.
Contado de modo cativante e doce, Willow é um romance inesquecível sobre a luta de uma jovem para lidar com a tragédia familiar e com o medo de se deixar viver uma linda história de amor e cumplicidade.


Willow é um livro que desde que saiu lá fora, e todo mundo comentou tanto sobre, eu estava ansiosa para ler. Como não sei ler em inglês, esperei a boa vontade de alguma editora, e não é que a Leya trouxe para nós? ♥ Finalmente! Sério, só lia resenhas falando bem, outras não, claro, mas que mesmo assim tinham me deixado muito curiosa para conhecer a trama. Só fiquei chateada que a editora não utilizou a capa original, pois ela é linda e combina muito bem com a história, não que a brasileira não tenha ficado bonita também...

É a primeira vez que leio um livro onde a personagem se corta. Honestamente, só tinha assistido filmes com isso, mas ler mesmo, nada. Então desta forma acabei conhecendo profundamente os sentimentos de uma autoflageladora. E preciso dizer que é um enredo bem intenso e triste. Algumas pessoas podem achar que quem faz isso consigo mesmo só quer chamar a atenção, e alguns realmente devem fazer por isso, mas acredito que há pessoas que passam por algo que as quebra, como foi com Willow. Se machucar é uma forma de se punir, ou então de tentar sentir outro tipo de dor. Acho que cada caso é um caso.

Willow perdeu seus pais, ou melhor, os matou, como diz. Ela estava dirigindo certa noite quando bateu o carro e os pais morreram. Desde então ela mora com o irmão, David, a cunhada e a sobrinha. O relacionamento dela com o irmão é muito dramático. Ela acha que David a culpa pela morte dos pais, e até mesmo a odeie. Mas conforme vamos lendo, na realidade não notamos esse tipo de sentimento da parte dele.

É difícil manter um segredo quando ele está escrito por todo o seu corpo.

Fiquei muito triste apenas com o distanciamento dos dois. Willow sente meio que um ciúmes da relação dele com a filhinha, afinal ele é pai, e queria que ele fosse assim com ela. Agora ela não tem mais ninguém para ter essa relação pai/filha, e cada vez que ela menciona isso, e da dor de ter seu irmão tão distante, me parte o coração. Fiquei com muita raiva de David em alguns momentos, pois por mais que ele não culpasse a irmã, poderia ter dado mais apoio, palavras de carinho, e ter tratado melhor.

Enfim, nesse meio tempo aparece um garoto: Guy, ele estuda na mesma escola que ela e conhece seu irmão, porém nunca tinham conversado. Guy acaba descobrindo os cortes, mas depois de Willow implorar, ele resolve não contar para David, porém, se sente responsável e acaba passando a maior parte do tempo com ela. Guy é um garoto adorável, carinhoso e de arrancar suspiros. É maravilhoso como o relacionamento dos dois começa. Primeiro com ele se sentindo obrigado a ficar por perto, para depois os dois conversarem sobre tudo, como se fossem velhos amigos.

Willow é narrado em terceira pessoa, e por isso, temos por cima um aprofundamento do que Willow sente. Mas, mesmo assim, a autora consegue nos transmitir muito bem todo esse drama da vida dela, e seus sentimentos mais profundos. Com uma leitura rápida, o leitor não consegue desgrudar do livro. Gostei bastante da história, sofri junto com Willow. Agora, o final... não pareceu bem um final. Ficou meio vazio, mas tudo bem, não estragou a história em si. Real e intenso, recomendo para quem curte drama, ou como dizem, o tal do sick lit.

32 comentários:

  1. Willow é um dos livros mais sensíveis que li ano passado. Bom, o fato de ser em terceira pessoa distancia um pouco da trama. Porém, o drama e seus sentimentos são bem aflorados, né? Tive a mesma sensação que você ao final... final? hahaha

    beijos,

    Amy - Macchiato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Distancia mesmo, acho que se fosse em primeira pessoa seria muito mais profundo. Mas curti mesmo assim. *-*
      Pois é, fiquei chateada com aquele "final" hahaha.

      Excluir
  2. Oi, Dessa!

    Desde que vi a capa no site da LeYa fiquei super interessada no livro! Acho que a história deve ser incrível, super real. Sua resenha só confirmou. Continuo com ele na lista dos desejados *-*

    bjos,
    Bianca

    www.blogsomaisum.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Eu adorei este livro. Nunca tinha lido nada que retratasse tão bem um drama psicológico como este livro.
    Fico feliz que tenha gostado também.
    Entendi sua raiva em relação ao irmão, mas é impossível saber o quanto ele também sofreu, ainda mais porque estava longe, talvez ele também se culpasse pela ausência... Enfim, o livro é assim, faz a gente divagar mesmo. Não temos como entender o sentimento de cada um. Assim é a vida e assim foi o livro.

    Adorei a resenha ♥

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que li poucos livros que fossem tão reais e emocionantes assim.:O
      Pois é, ninguém sabe o que realmente se passa com ele, mas acho que esse era um momento para se apoiar mais ainda, sabe? :/

      Excluir
  4. Olá,
    Teve uma época em que eu lia tudo que encontrava de sick-lit, mas acabei desencanando do gênero e hoje em dia leio pouqíssimas obras assim. Mas essa me deixou curiosa.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto bastante do gênero, são sempre tão reais e envolventes, me emociono muito. ;-;

      Excluir
  5. Oi, Dessa.

    Prefiro falar dramas do que "o tal de Sick Lit", povo fica arrumando nome em inglês pra tudo. =/'
    Tenho muito interesse de ler esse livro desde que ele foi lançado. Não sei como é a capa americana e até gosto dessa nacional. Prefiro livros em terceira pessoa e esse parece que vai ser muito legal. Quero saber por tudo que a Willow passa.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books BR // Sorteio Fim de ano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, mas pegou esse nome, fazer o que... :/

      Excluir
  6. Oie! Parece ser um livro muito bom, adorei a capa espero lê-lo em breve!
    bjs, se puder comentar nessa resenha ajudaria muito:
    http://resenhasteen.blogspot.com.br/2015/01/assassinato-na-torre-eiffel.html
    e tem promoção no ar:
    http://resenhasteen.blogspot.com.br/2015/01/promocao-ferias-com-leituras.html

    ResponderExcluir
  7. Olá, Dessa. Tudo bem?
    Ainda não li a obra, mas pretendo, principalmente por causa do lado psicológico que a autora aborda. Adoro quando os autores se encaminham por esse lado.
    O enredo parece ser bem emocionante, principalmente por causa das tantas perdas que a protagonista sofreu.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de janeiro. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia esse livro ainda. Achei a capa bem intrigante. E a sinopse é interessante. Não é um dos meus gêneros favoritos, mas quem sabe eu leia.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Conheci e li Willow já tem um bom tempo. Ainda lembro do quanto ele me tocou na época, tanto pelo conteúdo quanto pela felicidade de ter conseguido concretizar o desejo de começar a ler livros em inglês com sucesso. É realmente intenso e bonito, talvez até na mesma medida em que é triste. Bem, agora bateu até uma vontade de reler. Quem sabe não consigo conferir o trabalho que a LeYa dedicou a ele em breve?

    Beijos,
    Kim.

    http://www.ultimoromance.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, tenta conferir mesmo, até para relembrar o que você sentiu com o livro. ♥
      beijos

      Excluir
  10. Amiga uns tempos atrás eu estava doida para comprar esse livro, mas acabei que deixando ele de lado. Mas gostei bastante de tudo que você falou da história, até porque mesmo sendo um drama, tem um pouco de romance né?
    E outra coisa, essa parte da menina se cortar e do garoto ajudar ela me chamou atenção, porque me lembrou um pouco de uma parte do livro de Quando eu era Joe que eu li. Tem algo parecido sabe. Mas da maneira que você contou parece que foi retirado de um livro para o outro. Nossa, quando eu li isso no livro eu fiquei chocada e o pior que isso acontece mesmo. Tanto no fato da pessoa ser sozinha como também sofrer bullying que é o pior =/ Enfim...Mas adorei amiga. parabens

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem sim, pouco mas tem! *-*
      Então, é muito comum pessoas fazerem isso escondidos e acabar não tendo nenhuma ajuda.
      Ainda bem que ela teve alguém para apoia-lá.

      Excluir
  11. Oi Dessa, tudo bem?
    Esse livro parece ser bem intenso. Não sei se leria no momento, pois sai de uma leitura recentemente que mexeu muito comigo. Mas a dica está anotada.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    Você é o que lê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando a "poeira" tiver baixado dê uma lida mesmo. rsrs

      Excluir
  12. Dessa, o autoflagelo, infelizmente, é um drama que atinge MUITOS jovens. Acho que muitos jovens se identificarão. :)

    Beijocas,
    Blog | Youtube | Instagram

    ResponderExcluir
  13. Oi Dessa, tudo bom?
    A protagonista possui uma história de vida bem triste e pesada. Já li muitas resenhas desse livro e confesso que tenho curiosidade para conhecer essa história. Fiquei com o pé atrás com o final, mas ainda fico com vontade de conhecer a narrativa.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O final não muda a beleza da obra nem nada, só decepciona mesmo. hahaha :/

      Excluir
  14. Oi, Dessa!
    Eu já tinha lido um livro em que a protagonista se corta, o Garotas de Vidro, esse tipo de leitura é mesmo intensa.
    Acho que o romance aí é mesmo lindo, por Guy querer ajudar a Willow quando ela está passando por um momento tão difícil.
    Amei a resenha! Um abraço!

    ResponderExcluir
  15. Nossa, quanta tristeza!
    Que livro tenso. Mas eu gosto de de vez em quando ler algo assim diferente.
    Já li um livro que tinha uma personagem que se corta, o Morte Subita da J. K. Rowling, mas ela não era protagonista e o livro tem 90 personagens, então não dá de aprofundar ou se compadecer muito.
    Achei a capa linda! Vou procurar a original, já que você disse que é linda também.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, quanto personagem! Realmente não dá para se aprofundar assim. rsrs

      Excluir
  16. Quero muito esse livro.
    Coitada da Willow deve ter sofrido muito com a morte de seus pais, fiquei muito triste por ela.

    ResponderExcluir
  17. Oii
    Confesso que não tenho muita vontade de ler este livro.
    Apesar de gostar de acompanhar dramas, e ter gostado da resenha.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Sempre tive um certo interesse pelo livro por causa da capa. Eu nunca li nada de personagem do tipo como Willow. Guy parece uma graça mesmo. O livro parece ser bem sentimental e também um tanto intenso. Talvez algumas pessoas entendam e outras não. Não foi meu caso, nem li ainda. Mas quero conhecer.
    Bjs Andressa.
    ThayQ.
    http://leituras-insanas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Olá Dessa!
    Esta capa fala por si só. Muito misteriosa, amei, amei e amei.
    Gosto de livros intensos, e esse me ganhou logo de cara.
    Quero ler logo... beijos

    ResponderExcluir
  20. Oi Dessa.
    Já vi comentários positivos e negativos sobre esse livro mas é sempre bom ouvir/ver os dois lados né?
    A história me chama a atenção, nunca li nenhum livro em que a pessoa se corte mas já tive uma amiga que fazia isso e não é fácil. Acho o tema bem interessante e gostaria de ler esse livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Eu adoro saber dois tipos de opinião, até porque não me importo muito se é algo negativo, só se eu já estou com o pé atrás com o livro, dai nem pego pra ler... rsrs

      Excluir
  21. Olá!

    Desde que fui a um encontro de blogueiros da editora ano passado, estou louca para ler Willow! Essa parece ser uma história muito tocante!

    Bjs

    ResponderExcluir
  22. Oi !
    Não conhecia esse livro mas fiquei muito tocada pela willow e por tudo que passa acho que e aquele tipo de livro que torcemos do começo ao fim para as coisas darem certo pra a willow!!!
    A capa ficou muito linda !

    ResponderExcluir