sábado, 20 de setembro de 2014

[Resenha] Longe demais

|
Autora: Jennifer Echols
Tudo o que Meg sempre quis foi fugir. Fugir do colégio. Fugir da sua pacata cidade. Fugir de seus pais, que pareciam determinados a mantê-la presa em uma vida sem futuro. Mas, em uma noite louca envolvendo trilhos de ferrovia proibidos e desafiadores, ela vai longe demais... e quase não consegue voltar. John escolheu ficar. Para impor o cumprimento das leis. Para servir e proteger. Ele desdenha a rebeldia infantil e quer ensinar a Meg uma lição que ela não esquecerá tão cedo. Mas Meg o leva ao limite ao questionar tudo o que ele aprendeu na academia de polícia. E quando ele a pressiona para saber por que ela não se prende a nada, a resposta os levará a um caminho sem volta...



Longe demais estava há muito tempo na minha lista de desejados, até que o consegui em uma troca no Skoob. Não tinha lido nenhum livro da autora, mas sempre vi vários comentários positivos. Acho muito bonita as capas dos livros dela, isso foi outro motivo que também aumentou minha vontade e curiosidade quanto as suas obras. Minha primeira experiência com a narrativa da Jennifer Echols foi maravilhosa, espero continuar me surpreendendo e gostando quando for ler os outros livros dela.

O livro nos apresenta Meg, uma garota de cabelos azuis que está para se formar e não vê a hora de sair daquela cidade minúscula. Ela é a verdadeira rebelde, que bebe, se droga e está sempre desapontando os pais. Meg, Eric (seu "namorado"), Tiffany e Brian certo dia vão até a ponte em que dois jovens morreram anos atrás para beber e dar uns amassos. A ponte possui trilhos onde passa um trem, por isso é  tão perigosa e proibida, e por isso acabam sendo pegos. A polícia sempre investiga o local para ver se algum jovem estúpido não está se metendo em perigo desnecessário. Os quatro amigos ficam muito encrencados, e para Meg foi pior, pois seus pais desistiram da filha e nem vão buscá-la na delegacia. Mas tudo só piora quando o policial After, quem prendeu os jovens, para dar uma lição os coloca com o pessoal da ambulância, bombeiros e polícia para "trabalhar". Para azar de Meg ela fica com o mau humorado After, ela achou que ele tivesse 40 anos, mas que na verdade tem 19.

Meg é impulsiva, faz as coisas sem pensar ou se importar, adora ser sarcástica e transar casualmente. É difícil ler um livro com uma personagem tão marcante, estou acostumada a garotas fresquinhas e até achei que o livro seria o clichê do tipo "menina frágil e tímida que se apaixona por garoto", mas nossa protagonista não tem nada de frágil, ela sabe se impor e se cuidar.

Imaginei se eu estava desenvolvendo a Síndrome de Estocolmo, me identificando com meu captor, como fez Elizabeth Smart, ou se estava tendo alguma reação biológica pré-programada de mulher das cavernas a um homem das cavernas que me salvou de um tigre-de-sabre. Na ponte, quando ele me ameaçou, eu havia notado apenas o uniforme escuro do policial After, seu rosto branco e seus olhos escuros. E suas covinhas. Agora que ele me havia resgatado, de certa forma, posso dizer que notei muito mais.

A trama prende o leitor do início ao fim. O relacionamento de Meg e After, e não digo romanticamente, é à base de piadinhas, olhares de ódios e descobertas. Eles são o tipo de casal que você quer ver junto. A narrativa da autora é espetacular, ela escreve muito bem, e com diálogos fáceis faz o leitor se prender ainda mais na história, que é linda! Os personagens são bem construídos e reais. Só não gostei do jeito que a autora retratou a imagem de uma garota de cabelos pintados, acho que isso não é o que define alguém, mas claro que os outros sempre vão julgar, só achei exagerado. Apesar disso, me surpreendi com a trama, adorei poder, enfim, ler algo da Jennifer.

Longe demais tem sexo, álcool, drogas e mais outras coisas que tornam a trama delicada e que nos passa várias lições. Um romance diferente e peculiar que vai te encantar até a última página. Recomendo!

36 comentários:

  1. Apenas estou in love, preciso apenas ler esse livro agora. Eu tenho uma tara por policiais e cabelos azuis, e pelo jeito que você descreveu foge de todo aquele clichê das mocinhas que a literatura trás ao longo das décadas. Agora estou curiosa e não vou aquietar enquanto não ler. Obrigada pela resenha. Beijos
    http://sempreadormecidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a mocinha não é nada clichê! Ela é cheia de atitude e nos consquista por isso!

      Excluir
  2. Esse livro realmente não faz meu estilo..
    tudo bem que a trama tem uma história delicada e tals, mas tambem envolve todos esse temas de drogas, alcool e muito mais, entao nao é pra mim haha
    Pelo menos a parte do romance não me parece meloso (o que é bom).
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que pena! Essas partes não são tão pesadas ou focadas nisso sabe? São elementos da trama, mas o principal é todo drama familiar e romântico mesmo. rsrs

      Excluir
  3. É bom quando gostamos do casal do livro e torcemos por ele.
    Confesso que ainda não conhecia o livro e é a primeira resenha que vejo dele.
    Mas gostei da história e me interessei pela leitura do livro.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Esse livro foi lançado faz tempo! A autora é bem conhecida e tal :D

      Excluir
  4. Uau!!!!!
    Não conhecia a autora,mas lendo a resenha desse livro,fiquei bastante ansiosa para ler.
    E a "mocinha" da história,realmente é bem diferente da maioria que costumo ler.

    Ótima resenha e dica anotada!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Sabia que adoro quando autores desconhecidos me surpreendem assim?
    Adorei a resenha

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá, Dessa, tudo bem?
    Confesso que a trama e a personagem não me chamaram muito atenção. Não tenho tido muito paciência com personagens "jovenzinhos rebeldes"...rs.


    Beijos,
    Nina & Suas Letras

    ResponderExcluir
  7. Olha eu sinceramente tenho que confessar que sua resenha me agradou bastante por conta da história que o livro aborda, porque eu gosto desses que passam lições de vida. Mas o gênero jovem eu gosto bastante, embora seja com assuntos bastante importante e que são vividos hoje em dia pela nossa sociedade. E o pior que isso acontece com os jovens e isso é bacana ler em um livro. Vou procurar saber mais sobre ele.

    Lembra aquele livro PARALELA? Eu gostei da sua resenha e tudo mai sabe, mas quando eu vi na livraria eu não sei porque, mas não me senti atraida para comprar na hora. Deixei quieto e para um outro momento. Mas mesmo assim adoro ver os livros que vc resenha e espero que continue assim amiga. Está muito boa as suas resenhas. parabens =]

    Se cuida e tenha um bom final de semana
    lovereeadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito bom ler coisas reais nos livros mesmo. A trama é ótima, e só de ter uma personagem fora do clichê de menininha frágil já é muito bacana!

      Excluir
  8. Oi!
    Li esse livro acho que ano passado, e simplesmente adorei.
    A autora consegue nos prender de uma formar, com esse livro.
    Adorei a resenha.
    Beijos
    Construindo Estante || Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A autora nos prende mesmo! Li muito rápido esse livro.

      Excluir
  9. Oi Dessa!
    Não conhecia este livro, mas já ouvi falar muito da autora... e, depois da sua resenha, já fiquei interessada! É legal ler um livro com uma protagonista diferente, pra variar... e o relacionamento da Meg e do After parece bem interessante de se conhecer... vai para os desejados, com certeza!
    Bjus,
    Paty Algayer - Loucuras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É interessante mesmo, bem diferente! Só de ter uma personagem fora do comum também... rsrs

      Excluir
  10. Dessa!
    Me parece que o livro tentou retratar a adolescência inconsequente e tenta mostrar uma forma de recuperação através de serviço à comunidade.
    Quanto a retratar a protagonista com cabelos coloridos... acredito que foi apenas uma forma de acentuar a rebeldia adolescente, minha opinião, porque não é a cor do cabelo que define a personalidade, concorda?
    Boa semaninha!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, Rudy! Mostrou as consequências de um ato errado, achei bem bacana.
      Concordo, sim. Não define mesmo!

      Excluir
  11. Oii
    Admito que livros que tem os requisitos que você mencionou no último paragrafo, me agrada. kkk Sempre me interessei, e quando sei que um livro os possui, eu já quero ler. Com longe demais, não foi diferente. Achei a capa sensível, e a premissa incrível. Já estou louca pra descobrir mais sobre essa rebelde, e cá entre nós, ela quer nos matar colocando um policial como protagonista, né? kkk Adicionado ao Skoob!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, logo um policial? hahaha Muita sacanagem :P

      Excluir
  12. Eu li este livro a algum tempo ja, e gostei...
    So achei algumas atitudes dela muito impulsivas e sem noção e o policial ter 19 anos...forçado, Mas eu curti, mas confesso que eu esperava muito mais dele, por a autora ser tão elogiada, mas quem sabe eu goste mais de outros livros dela,
    beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ué, policial não pode ter 19 anos? rsrs :P
      Quero ler outros livros dela, espero que goste tanto quanto deste.

      Excluir
  13. Oi Dessa, como vai?
    Não conheço a autora e nem o livro.
    Achei interessante, mas ainda não sei se leria.
    Eu discordo de você, achei essa capa bem feinha.
    Beijos,
    www.enquantoestavalendo.com

    ResponderExcluir
  14. Me interessei bastante pelo livro Dessa, principalmente pela personagem, eu particularmente não curto menininhas muito fresquinhas e quando tem uma com personalidade forte e fora do padrão ,eu adoro.

    ResponderExcluir
  15. Não conhecia o livro, mas infelizmente não chamou minha atenção "/ Gostei da capa, mas não leria .

    ResponderExcluir
  16. Olá Dessa,
    Ainda não conhecia o livro mas, mesmo com sua resenha maravilhosa, não senti vontade de ler o livro. Não sei se toda essa mistura desses temas pode gerar confusão.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Não conhecia a autora nem o livro.Dei uma uma olhada no skoob e nossa ela tem muitos livros, mas eu realmente não conheço nenhum. Pela capa e pela sinopse acho q não me chamaria atenção, achei a capa meio fraquinha. Mas gostei da resenha, parece ser uma personagem bem forte. Parece que o Eric dançou né, e o policial é quem conquista a Meg, gostaria de saber como essa história se desenvolve, também não gostei muito da parte q fala das drogas, mas já vi nos comentários acima q esse não é o foco e nem são tão pesadas assim as cenas então não deixaria de ler por isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem bastante mesmo! Quero ler os outros livros da autora. *-*
      Não é o foco mesmo, só são pano de fundo

      Excluir
  18. Já li esse livro há algum tempo. Gostei, mas não tanto.
    A capa é bonita, gosto no título, mas a história é clichê.

    Beijos,

    -A.

    ResponderExcluir
  19. Já vi muitos elogios para esse livro, mas confesso que ainda não surgiu aquela vontade de ler. Talvez, seja porque não é o momento. E outra coisa, eu detesto a capa dele, acho bem feinha. De qualquer forma, sua resenha está ótima.

    Lucas - Carpe Liber

    ResponderExcluir
  20. Nossa que livro hein, é a primeira vez que vejo falar dele e já estou mega curiosa para ler ele, gosto de livros com personagens que possuem uma personalidade forte e marcante, fiquei mega curiosa para ler o livro, tenho certeza de que irei gostar muito.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  21. Então, tirando as drogas eu conheço muitas meninas iguais a Meg. Inclusive com o cabelo colorido (rosa, azul, roxo, bem assim mesmo *-*).
    Por conta disso fiquei muito a fim de ler.
    Claro que a questão das drogas deixa a trama mais delicada e Meg tem características únicas devido a isso (que as meninas que conheço não tem, hehe).
    Achei bacana Meg não ser mimizenta, mas espero que o amor a transforme... Sou muito melosa, eu sei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, o livro chama a atenção por causa desses detalhes, né?
      Mas a parte de drogas é bem leve, então não chega a ser o foco na trama.

      Excluir
  22. Gostei bastante da premissa da obra e da construção dos personagens. Eu detesto personagens cheio de mimimi, então acho que adoraria os protagonistas. Adoro personagens irritantes. haha

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de setembro

    ResponderExcluir
  23. Já pela sua resenha gostei da Meg, ultimamente esta faltando personagens fortes nos livros, são sempre garotas frágeis que são resgatadas por seu "herói", não conhecia o livro mais ele já foi para o top da minha lista de desejados <3

    Visite o blog "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  24. Já li este livro e adoro ele! Meg e After são muito engraçados juntos! vivem brigando tentando serem melhores do que o outro mas também são fofos juntos sempre que precisam um do outro se apoiam. A capa é legal e recomendo o livro para todos! Beijos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aham, me diverti muito com esses dois! rsrs

      Excluir