quarta-feira, 30 de outubro de 2013

[Resenha] Ana Vichenstein - A feiticeira da mente

|

 Autora: Ana Crisóstomo
Ana Vichenstein é uma adolescente de 15 anos de idade, órfã de mãe, que estuda no mesmo colégio desde os seus seis anos de idade. Excelente aluna, óptima cantora e dançarina e ainda uma excelente pessoa.Tudoisto poderia ser comum a um grande numero de adolescentes, não fosse ela uma feiticeira da mente. No mundo de Ana existem três categorias de feiticeiras, todas elas com as suas qualidades e as suas limitações: as feiticeiras da mente, os feiticeiros com manopoderes (nas maos) e as feiticeiras da varinha. Não se pense que as feiticeiras conseguem ser aceites na sociedade. Eles vivem à margem, encobertos por detras de um colégio comum, onde estudam tanto alunos feiticeiros como os outros não-feiticeiros. Durante o dia convivem entre si com aulas comuns. A partir da hora de saida dos alunos não-feiticeiros, as aulas de magia são leccionadas numa secção especifica do colégio.
Ana entrou naquele colégio sem saber a verdadeira razão. A sua mãe foi morta para a conseguir colocar naquele sítio a estudas. O seu pai divorciara-se da sua mãe ainda antes deste acontecimento fatídico. Encontra-se sozinha no mundo. Tudo parece correr bem até que alguns acontecimentos insólitos assolam a vida de Cascais, próximo da zona de Sintra onde fica o Colégio... No meio de aulas, romance e desavenças, algumas intrigas e lutas serão travadas pelo meio, levando Ana a escolher entre dois lados de uma mesma realidade. A sua lealdade e os seus princípios vão ser testados até o limite, podendo mesmo vir a sofrer com tudo isto. Uma história do mundo do fantástico com partes hilariantes, românticas e até mesmo comoventes que levarão o leitor a querer ler até a última página.

Este livro chegou da editora parceira, Chiado, e para quem não lembra, ela é uma editora portuguesa. Tive certo receio com a linguagem, e até me arrisquei nessa parceria, já que podia não conseguir me adaptar e terminar de ler, rs. Mas, sabe que não tive nenhum problema? A leitura fluiu de uma forma surpreendente. Apenas o que não a fez ser mais rápida foi o fato da história ser parada no início. É claro que algumas palavras são totalmente diferentes do nosso vocabulário, mas conforme você as introduz no contexto é bem fácil de entender. Vou mostrar um quote onde há uma palavra diferente.

Eu própria fugi do peluche e fui a correr ter com a minha mãe, dizendo-lhe que o peluche se tinha mexido sozinho. 

Peluche é pelúcia para nós, e "ter com a minha mãe", seria algo como conversar. Além disso, as palavras são mais "coloquiais" e, a autora utiliza muito o "-te, -lhe, -me". Enfim, como eu disse a leitura não é de difícil entendimento.

Estás a tentar esconder-me alguma coisa, não consigo penetrar na tua mente como de costume. Não me digas que já consegues esconder pensamentos, mas ainda não desenvolveste a arte de ler?
  
E realmente o que fez que eu demorasse a terminar o livro foi a história em si. Ela é bem sem graça no início mas, conforme vamos descobrindo mais desse mundo de magia que a autora criou, as coisas começam a tomar outro rumo e a ficarem interessantes.

Ana foi obrigada aos 6 anos de idade à ir para um colégio próprio para feiticeiros em Sintra. Lá, não apenas pessoas com poderes são ensinadas, mas também pessoas normais. Na verdade acompanhamos sua história já com 13 anos. Sempre muito estudiosa e com poderes acima do esperado, ela pode cursar turmas de magia que seriam do secundário. Me surpreendi que com a pouca idade, ela já tem um namorado de 16 anos, Vicktor, que sempre foi seu grande amigo. E ok, apesar de ficar em choque, até que achei os dois fofos juntos. Um apoia o outro e, não há maldade na relação dos dois, é um companheirismo mútuo. Mas, algumas vezes enjoava desses dois juntos, rs, era muita melação sem necessidade.

Os feiticeiros são divididos em três tipos: os da mente, que utilizam apenas a mente para praticar magia, os que precisam da varinha para canalizar a magia e os em que o centro do poder se concentra nas mãos, sendo assim, só praticando algo pelo toque. Ana é uma feiticeira da mente, e sua história é um pouco triste, pois além de não saber porque o pai a abandonou, sua mãe foi assassinada na sua frente quando era criança.

E é claro que em toda história tem que existir o vilão: Pedro, primo de Ana, tem o intuito de juntar seguidores para impor ao resto do mundo a verdade sobre eles. Porém, ele quer fazer isso matando inocentes e impondo sua condição como alguém superior comparado aos simples humanos. Ana é a única que pode encontrá-lo, já que possui um raro dom: consegue saber o futuro.

A premissa é essa, parar Pedro e treinar Ana para aumentar seus poderes, e, sinceramente a achei bem fraca. A trama só começa a ficar boa mesmo lá pela metade do livro. Mas, apesar disso, gostei da história. Vemos a evolução de Ana tanto quanto na magia quanto como pessoa. E achei interessante como a autora trabalha com alguns assuntos como o perdão, a vingança, enfim... E o final? Não espere muito por ele, pois o desfecho se deu de forma simples, entretanto, confesso que fiquei horrorizada com o que a autora fez com um personagem aí. haha Não esperava mesmo.

Tudo o que é feito de forma recorrente, passa a ser comum e perde toda a intensidade.


42 comentários:

  1. Não sei se conseguiria ler um livro assim, eu iria ficar empacando toda hora para ver o significado de certas palavras e isso acabaria fazendo com que a leitura não fluísse para mim. Mas eu gostei da história, apesar de achar um pouco fraca a história, acho que leria o livro.

    http://alguns-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas são poucas palavras que são diferentes, e como eu disse, no contexto você acaba entendendo. ^^

      Excluir
  2. Hey querida!

    Mesmo sendo de fácil entendimento, não sei se me arriscaria a ler no português deles. Meu cérebro ia acabar interpretando "automaticamente" pelo nosso e eu deixaria passar alguns significados diferentes. Sei lá... Um dia eu tento! E aí já sei por onde começar. O livro parece ótimo, apesar da trama demorar a ficar boa, é bem meu estilo!

    Um beijo
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dessa,
      tudo bem?
      Que coragem assumir uma parceria com Editora Portuguesa. Mas parece que conseguiu se virar com o vocabulário e tudo correu bem.
      Eu gosto muito de fantasia, magia, aventura, então, mesmo o início não sendo muito bom, parece que no final a história valeu a pena. Eu leria.
      beijinhos.
      Cila- Leitora Voraz
      http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

      Excluir
    2. Hey!
      Entendo, rs. Mas é muito simples a leitura, sério. :P
      Quando tiver oportunidade, leia mesmo.
      beijos

      Excluir
    3. Oi, Cila, tudo e você? :D
      Consegui me virar mesmo, rs. Agora vou ler o outro que chegou deles. *-*
      Leia mesmo. ^^

      Excluir
  3. Oi,
    Nossa a história parece interessante, mas não acho que ler em português de portugual super complicado pq nem tudo de o mesmo significado?
    Bjs!
    Viciados Pela Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii!
      Não é complica ler, como eu disse, você acaba colocando palavras diferentes no contexto e dá tudo certo no fim. rs
      ;D
      beijos

      Excluir
  4. O livro não me chamou atenção com sua resenha e ainda me lembrou um pouco Clã dos Magos (arrepios). Eu ainda tenho dificuldades de ler em português de Portugal. Por enquanto não vai entrar pra minha lista de desejados.

    Espiral dos Sonhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena, Erica. :/
      Ah, Clã dos magos. *-* Li o primeiro só, e curti rs

      Excluir
  5. Olha, mesmo sendo protuguês de Portugal, eu achei a história super interessante.Eu arriscaria a procurar no pai dos burros na blogosfera ( Google), para saber o significado!

    Parabéns pela resenha!

    Beijinhos

    As Leituras da Mila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom saber. Então quem sabe não traga uma promo do livro? rs
      Obrigada! *O*
      beijos

      Excluir
  6. A história até parece legal, apesar do inicio lento. Mas, não conseguiria ler português de Portugal com todas essas diferenças na linguagem, além dessa forma de escrever. Com certeza eu me irritaria com isso.
    Poxa, ela é bem nova pra ter um namorado, não? rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No fim acabamos nos acostumando com essa linguagem. hahaha
      Poisé, 13 anos é criança ainda. ;o

      Excluir
  7. Só eu que acho a modelo da capa desse livro parecida com a Avril Lavigne ?
    Amo livros que tenham essa temática de pessoas com super poderes e escolas de magias, não é atoa que sou louca por Harry Potter :$
    A História eu acho que vai me agradar, só espero que mais do que a você rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não! Também achei. Sempre que olhava pra ela lembrava da Avril. hahaha
      Então iria adorar a história mesmo. ^^
      beijos

      Excluir
  8. Como ainda não tenho muita quilometragem em leitura, e esse português que você mostrou do livro, seria complicado eu lê-lo. Eu leria se tivesse lido mais coisas e não tiro ele da minha lista. É meio que "eu leria, mas não agora". Talvez um dia eu dê uma chance, mas tenho que me aprofundar mais. e.e

    silborgue.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, um dia dê sim. Adorei poder ler este livro. *-*

      Excluir
  9. Não conhecia o livro, gostei demais da capa.

    http://simpleseagradavel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. estou afim de ler desde que vc mostrou na sua caixa de correio, e realmente também tenho esse receio com relação a linguagem, mais sou louca pelo sotaque português o/
    acervo-de-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha, então você irá adorar o livro. *O*

      Excluir
  11. Oie
    Achei bem interessante a estória do livro.
    Mas apesar de adoro esse tipo de livro, não sei se o leria.
    Adorei a resenha <3

    Beijocas
    http://cupcakedeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. É, tem algumas coisas na linguagem que são bem mais formais mesmo. As vezes esse ponto pode tornar a leitura chata ou cansativa em alguns pontos, mas se acostumando, a leitura flui com mais naturalidade.
    Quanto ao enredo, achei interessante, cheio de clichês, mas interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois então, se acostuma mesmo. E com o tempo até as palavras diferentes já lemos com o significado mesmo.rs

      Excluir
  13. Poxa, mas eu fiquei tão interessada nessa premissa. Estou querendo ler porque adoro histórias com magias. Só estou meio preocupada com o idioma, achei bem formal mesmo, talvez fiquei um pouco cansativo para mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é formal, mas dá para se acostumar. Nada muito ruim, não. rs
      beijos

      Excluir
  14. Adorei o livro mas não sei se conseguiria me adaptar a leitura. Acho que sempre pararia para ficar vendo o que certa palavra significa ou coisas assim... Mesmo assim, adorei a resenha.

    PARICIPE DA PROMOÇÃO: The Selection - AUTOGRAFADO!
    http://maravilhosasdescobertas.blogspot.com.br/2013/10/promocao-selection-autografado.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem dá tempo de parar para ver o significado, rsrs. Conforme você lê, já entende no contexto. ^^

      Excluir
  15. Caraca, deve ser bem estranho, no começo, ler um livro em português de Portugal. hehe
    Fiquei curiosa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É estranho no início, mas são poucas coisas diferentes, daí a leitura engrena. haha

      Excluir
  16. Eu costuma ler histórias de escritores portugueses em seus blogs de histórias, então não me incomodaria muito em ler um livro de uma editora portuguesa por já conhecer um pouco da forma de escrita desse povo.
    O livro parece ser bem interessante, e chamou a minha atenção. Mas odeio quando pego um livro pra ler e ele é meio parado no começo. Sempre demoro séculos pra ler, e a minha lista de leitura nunca para de aumentar, então é bem tenso.
    E quando eu comecei a namorar com meu namorado também tinha apenas 15 anos... u.u Idade não quer dizer nada. Sempre soube lidar bem com o nosso relacionamento, e hoje estamos juntos há quase 13 anos. Então... pq o preconceito? u.u
    Brincadeiras a parte, gostei da premissa do livro e o lerei com certeza, se tivever a oportunidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre tive curiosidade de ler livros de lá, então aproveitei, né. rsrs
      Verdade, é ruim quando a leitura já não fica dinâmica desde o início. :/
      Mas a Ana tem 13! hahaha É muito novinha. Fora que é incomum ver casal tão novinho em livros, pelo menos não lembro de nenhum. E não é preconceito não. rs Também já namorei com 15. :P
      Só achei incomum em um livro mesmo.

      Excluir
  17. Achei a estória muito fraquinha, acho que não leria não. Além de ser em português de Portugal. Até poderia ler livros de lá, nada contra, mas ultimamente só leio o que vou resenhar no blog e ele é voltado para o mercado literário brasileiro, então... Mas vou esperar para ver as resenhas de outros livros da editora, quem sabe algum me interesse.

    Beijo!
    fantasiandocomoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espere mesmo. Ainda vou ler Dois mundos e quem sabe você goste. ^^
      beijos

      Excluir
  18. Olá!
    A história parece meio fraca, mas é algo que eu até leria sim. Em relação ao idioma é que eu teria problemas, eu acho que não pegaria pra ler por não ter a paciência de ir pesquisar as tais palavras diferentes! rs E olha que minha família é portuguesa, eu deveria ser mais familiarizada com o idioma, mas simplesmente não me acostumei! hahahaha

    Beijos.
    http://viciosemtres.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!
      Ela é fraquinha mesmo, mas tem pontos que acabam prendendo o leitor bastante.
      Gente, mas tem coisas que nem precisa pesquisar. Não sei porque o receio. rsrs

      Excluir
  19. Ai meu deus, esse comentário sobre o final me matou!

    Beijos, http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir