sexta-feira, 26 de julho de 2013

[Resenha] Sangue quente

|

Autor: Isaac Marion
R é um jovem vivendo uma crise existencial, ele é um zumbi. Após vivenciar as memórias de um adolescente enquanto devorava seu cérebro, R faz uma escolha inesperada, que começa com uma relação tensa, desajeitada e estranhamente doce com a namorada de sua vítima. Julie é uma explosão de cores na paisagem triste e cinzenta que envolve a vida de R e sua decisão de protegê-la irá transformar não só ele, mas também seus companheiros mortos-vivos, e talvez o mundo inteiro. Assustador, engraçado e surpreendentemente comovente, Sangue Quente fala sobre estar vivo, estando morto, e a tênue linha que os separa.





Minha irmã estava há meses me incomodando para assistir Meu namorado é um zumbi, mas como sou dessas que prefere ler o livro antes só para depois poder falar mal do filme, resolvi começar a leitura de Sangue Quente logo, e... é OK. Não sei o que eu esperava e juro que não comecei a ler com o preconceito que alguns (namorado cofcof) têm com esse tipo de história de zumbi - blablablá, zumbi não fala e não sei o que... u_u - mas, sinceramente não me surpreendi tanto, ainda mais com aquele final.

R, o zumbi principal, é diferente dos outros de sua "espécie", depois que ele come humanos se sente melancólico e se pergunta do porque de ter que fazer aquilo. Em uma de suas caçadas - os zumbis caçam em bando - ele encontra Julie, e após comer o cérebro de seu namorado, Perry, ele passa a ter lembranças da vida dele e muitas delas aparecem ela. R acaba criando um instinto protetor pela garota, algo incomum em zumbis que só querem comer cérebros, e a leva para sua "casa", uma cabine de avião destruída.
Os zumbis são divididos em Carnudos e Ossudos, e esses Ossudos são como anciões, eles criam as regras, por assim dizer. Então depois de levar Julie à colmeia e mostrar aos outros zumbis que ela não é comida e sim alguém para se proteger, começa-se uma "rebelião" entre os zumbis pelo seguinte motivo: os anciões são contra essa mudança. 

A narrativa intercalada entre R e as lembranças de Perry faz a leitura fluir facilmente, e apesar de não ter gostado do final que o autor deu, achei a premissa do livro fascinante. Ninguém sabe como começou essa "praga", nem porque alguns estão mudando, e percebemos que tem muito Vivo que poderia ser considerado um "zumbi" (irracional e cruel) sem estar realmente Morto.

O amigo de R, M - como eles não lembram de todo nome pegam só a inicial - , é muito engraçado. Ele é grandão e sempre solta piadinhas, não sei se por andar com R que ele parece mais inteligente que o resto também, só sei que apesar de ele não ter um coração - batendo, pelo menos - ele parece preservar muito a amizade, tanto que ajuda várias vezes R com suas ideias malucas.

Às vezes fico pensando se ele tem uma filosofia, talvez até uma visão do mundo. Gostaria de me sentar com ele e pegar um pedacinho de seu cérebro, apenas uma pequena mordiscada no lóbulo frontal para ter uma ideia de seus pensamentos. Mas ele é um cara durão demais para ficar em uma posição vulnerável dessas.

Um livro bom para passar o tempo, e para quem gosta de zumbis é uma boa pedida, mas não vão com muita sede ao pote, rs. Leiam com calma e se envolvam com a narrativa, mas, sem esperar muito.

20 comentários:

  1. Vi o filme e não gostei muito, mas a ideia é boa, então penso em ler o livro sim. A resenha ficou bem legal. Sei lá, mas acho esse enredo muito necrófilo. rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha, poisé. Estou curiosa para assistir o filme agora. :~

      Excluir
  2. Vi o filme e é meio chato, meio legal. Acho que sentiria o mesmo com o livro. Até mais.
    http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah é? Pelo trailer achei meio comédia. hahaha D:

      Excluir
  3. Oi..

    Também prefiro sempre conferir a obra que deu origem a algum filme. Me parece ser o mais correto a ser fazer, enfim..
    Apesar de não ter muita vontade de ler esse livro - confesso que a premissa é mesmo fascinante e bem diferente -, gosto de zumbis e talvez, algum dia, eu compre o livro em alguma promoção por aí.
    E sobre o filme? Não.. não sei se um dia irei assisti-lo. Quem sabe?!

    Ótima resenha :)

    João Victor - Amigo do Livro
    http://amigodolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Se tiver oportunidade, leia mesmo. Mas, só se não tiver nenhum livro para ler mesmo. rsrs
      Obrigada. :D

      Excluir
  4. não conhecia esse livro mas olha parece ser bem legal
    lamourmonage.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para quem gosta de zumbis, é bom ler algo diferente. XD

      Excluir
  5. Fiquei curiosa....
    Não conhecia o livro, na verdade nem sou fã de zumbis... mas fiquei curiosa mesmo assim!
    hahahahaha
    Beiijos,
    Paula
    http://psicosedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha, que bom. :P
      Se ficou curiosa, dê uma chance então! :D
      beijos

      Excluir
  6. Dessa, o meu problema é assistir o filme primeiro que o livro. Aí eu perco toda a vontade de ler :C

    Beijos,
    Caroline.
    http://criticandoporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Retribui dando uma passadinha no meu blog e seguindo-o? Espero que goste dos textos, qualquer coisa deixe seus pedidos e palpites sobre o blog nos comentários. Agradeço desde já...

    papodeconfidente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Eu não acredito que exista alguém que tenha gostado do livro/filme do zumbi emo.
    Que investimento péssimo da editora e de Hollywood.
    Quem patrocinou isso e quem diabos tava chapado o bastante pra escrever tamanha porcaria? DDD:

    Por tudo que tu me contou,
    esse livro é o ápice do ruim,
    juro que só colocaria a mão nele se o resto dos livros do mundo tivessem sido queimados!
    Iracema é uma baita história perto disso u_u ehuehueh
    E EI BLOGUEIROS, ELA DESISTIU DE IRACEMA DDD; q

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHA, menos, que tu ficou horas olhando para o livro quando eu estava lendo, e disse que até ficou curioso. u__u
      E já te disse, qual a graça de zumbi ser sempre a mesma coisa? As histórias iam ser todas iguais daí. u_u
      E ei, Iracema tem uma narrativa muito cansativa, é chato de ler. u_u

      Excluir
  9. Quero muito ler esse livro, me falaram muito bem dele.
    Eu gostei muito da explicações dadas pelo filme em relação ao o que é ser um zumbi e como isso funciona. Tirando que o filme também é uma metáfora linda da timidez.
    Beijos

    diariosdeumafangirl.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah é? Não sabia que explicavam no filme, fiquei curiosa para assistir agora. rs
      beijos

      Excluir
  10. vi esse livro em uma revista, como dica, li um pouco e enloqueci querendo, depois vi ele em promoção na submarino o/ mas taca sem grana, porém com toda a certeza um dia lerei ele o/
    acervo-de-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir