segunda-feira, 29 de julho de 2013

[Novidades] Landmark

|

Considerado como um dos principais trabalhos da escritora inglesa Virginia Woolf, «AO FAROL: TO THE LIGHTHOUSE» apresenta o cotidiano da família Ramsay e de seus amigos em sua casa de veraneio nas ilhas Hébridas, tendo como pano de fundo os acontecimentos e os traumas da Primeira Guerra Mundial. Escrito a partir de inúmeras perspectivas, alternando entre personagens e períodos de tempo com grande elegância poética, o romance não se centra em apenas uma trama, pelo contrário, apresenta um painel verbal sobre cada um dos membros da família, seus amigos e suas viagens à Escócia entre 1910 e 1920, desvendando as recordações de infância de seus personagens e como essas influenciaram suas relações na vida adulta.
O romance, dividido em três partes, apresenta em sua primeira seção a personagem de Mrs. Ramsay, a lente através da qual se organiza a maioria dos pontos-de-vista da história, além de também apresentar seu filho, em cujo desejo de seguir “ao farol” repousa todo o ímpeto narrativo. Na segunda parte, o Farol permanece vazio como um marco narrativo para a passagem do tempo e para a morte de vários personagens. Na terceira e última parte, o restante da família finalmente segue para seu destino e o romance transforma-se em um libelo sobre o amor, a perda e a criatividade.
Publicado em 1927, a obra seria um verdadeiro marco na reconhecida bibliografia da escritora e no desenvolvimento da literatura modernista na Inglaterra. Geralmente apontada como uma de suas mais elegantes realizações, «AO FAROL: TO THE LIGHTHOUSE» recebeu o Prix Femina em 1928 e propiciou à escritora o reconhecimento em vida como uma das mais importantes escritoras inglesas de sua geração. A obra não foi somente um sucesso de crítica, mas também um sucesso de vendas atingindo um amplo espectro de todas as classes sociais. Desde o suicídio de Woolf em 1941, «AO FAROL: TO THE LIGHTHOUSE» tem crescido em importância como um discurso preciso contra os temas do imperialismo, da luta de classes e do reconhecimento do papel da mulher.

VIRGINIA WOOLF (1882-1941) uma das mais representativas escritoras inglesas do século XX foi integrante do grupo de Bloomsbury, círculo de intelectuais que, após a Primeira Guerra Mundial, se posicionaria contra as tradições literárias, políticas e sociais da Era Vitoriana. Sua obra, classificada como modernista, é caracterizada principalmente pelo fluxo de consciência, uma de suas marcas mais conhecidas e da qual é considerada uma das criadoras. Sua primeira obra foi “A Viagem”, publicada em 1915. Sua obra mais conhecida é “Orlando”, publicada em 1928, uma fantasia histórica sobre a era elisabetana. Sua última obra foi “Entre Atos”, publicada em 1941, posterior à sua morte.
Suas reflexões sobre a arte da Literatura (da liberdade de criação ao prazer da leitura) baseadas em obras-primas de Joseph Conrad, William Defoe, Jane Austen, James Joyce, Liev Tolstoi entre outros, foram reunidas em dois volumes publicados em 1925 e 1932 sob o título de “O Leitor Comum”, homenagem explícita da autora àquele que, livre de qualquer tipo de obrigação, lê para seu próprio desfrute pessoal. 


AO FAROL: TO THE LIGHTHOUSE

VIRGINIA WOOLF
EDIÇÃO BILÍNGUE – PORTUGUÊS/ INGLÊS
2013  CAPA DURA – 16 CM X 23 CM  256 PÁGINAS
ISBN 978-85-8070-027-5: PREÇO DE CAPA: R$ 35,00
LITERATURA INGLESA: ROMANCE TRADUÇÃO: DORIS GOETTEMS

Nunca li nada da autora e confesso que fiquei bastante curiosa pela história. *-*


18 comentários:

  1. Também fiquei curioso com a história. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá! Nossa, realmente desperta o interesse viu? Quero ler, rs... Incrível como a lista de desejos nunca pára de crescer!

    Abraços!

    www.universodosleitores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, sempre um livro bom sendo lançado, assim fica difícil. hahaha
      beijos

      Excluir
  3. eu não tnha visto esse livro
    ukma pergunta, como fez parceria com autores? e com editoras?
    bj
    lamourmonage.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi,
    Nossa fiquei curiosa!!

    Já está disponível nas livrarias?

    Bjs!

    Viciados Pela Leitura

    ResponderExcluir
  5. Me interessei por essa novidade.
    Pela capa nem tanto, mas depois que eu li a sinopse, acredito que irei gostar da leitura.
    Antigamente eu fugia de livros que retravam as Grandes Guerras, mas hoje, eu percebi que estou gostando cada vez mais dessas leituras.
    Beijinhos Dessas,
    Segredo de um Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, a capa é sem graça mesmo. HAHAHA
      beijos, Bru

      Excluir
  6. Concordo com a Bruna, a capa não é tão legal assim, mas a sinopse mudou tudo.
    Fiquei curiosa pelo livro, talvez procure saber mais sobre ele depois!

    Beijos,
    Letícia - Literature Diary

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente a capa é feinha. hahaha :P
      beijos

      Excluir
  7. Eu entendi o farol da capa mas aquelas manchas verde e vermelho não. Não me interessei em lê-lo pela sinopse do livro. Acho que nem conhecia a editora, kkk.

    Érica Martins
    Espiral dos Sonhos

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia esse livro, é super interessante, amei a dica!

    Beijos! ♥
    http://viajantesdaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Adoooreii não conhecia a escritora, mais parece um ótimo livro o/
    acervo-de-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir