domingo, 6 de outubro de 2019

[Resenha] Uma mulher na escuridão

| 0 comentários
Autor: Charlie Donlea
Páginas: 304
Editora: Faro Editorial
Ao limpar o escritório de seu pai, falecido há uma semana, a investigadora forense Rory encontra pistas e documentos ocultados da justiça que a fazem mergulhar num caso sem solução ocorrido 40 anos atrás. No verão de 1979, cinco mulheres de Chicago desapareceram. O predador, apelidado de Ladrão, não deixou nenhum corpo ou pista — até que a polícia recebeu um pacote enviado por uma mulher misteriosa chamada Angela Mitchell, cujas habilidades não-ortodoxas de investigação levaram à sua identidade. Mas antes que a polícia pudesse interrogá-la, Angela desapareceu. Agora, Rory descobre que o Ladrão está prestes ser posto em liberdade condicional pelo assassinato de Angela: o único crime pelo qual foi possível prendê-lo. Sendo um ex-cliente de seu pai, Rory reluta em representar o assassino, que continua afirmando não ser o assassino de Angela. Agora o acusado deseja que Rory faça o que seu pai prometeu: provar que Angela ainda está viva. Enquanto Rory começa a reconstruir os últimos dias de Angela, outro assassino emerge das sombras, replicando o mesmo modus operandi daqueles assassinatos. A cada descoberta, Rory se enreda mais no enigma de Angela Mitchell, e na mente atormentada do Ladrão.Traçar conexões entre passado e presente é a única maneira de colocar um ponto final naquele pesadelo, mas até Rory pode não estar preparada para a verdade...


Uma mulher na escuridão é mais um livro do Charlie Donlea, lançado pela Faro Editorial. E ele tem um total de zero defeitos, não que eu duvidasse disso, afinal, os livros do autor são sempre marcantes e de tirar o fôlego. Eu solicitei esse lançamento sem nenhum medo no coração e mais uma vez fui surpreendida com um enredo cheio de suspense e reviravoltas. Eu terminei a leitura querendo mais livros do autor!

domingo, 29 de setembro de 2019

[Resenha] Onde mora o coração

| 1 comentários
Autora: Jill Shalvis
Páginas: 304
Editora: Faro Editorial
Série: Heartbreaker Bay, 2
Em meio a amigos e filhotinhos de seu pet shop, Willa Davis leva uma vida de enorme realização profissional. Mas falta algo: a seção de sua vida “relacionamentos amorosos” anda paralisada. E nada parece estar a caminho para mudar esse destino.
Keane também anda desiludido depois de muitos desencontros. Mas após receber a tarefa de cuidar da temperamental gata de sua tia-avó, ele procura uma especialista no assunto, e o destino joga suas cartas.
Ele não faz a mínima ideia de quem seja a proprietária da loja de animais, mas Willa sabe exatamente quem ele é… Alguém que no passado já partiu seu coração.
E nada é fácil quando se trata de duas pessoas que se fecharam para o amor.
Os amigos entram em ação. Mas tão diferentes? Tão improváveis? Será que Keane mudou? Será que Willa é capaz de perdoar?


Onde mora o coração é o segundo volume da série Heartbreaker Bay, da autora Jill Shalvis. Eu nunca tinha lido nada da autora e acabei me apaixonando por sua escrita leve e personagens cativantes. A trama é daquelas que aquece o coração, sabe? E o melhor de tudo é que a personagem principal é apaixonada por animais, só amor! Esse é um daqueles clichês que já sabemos como vai terminar, mas que consegue nos envolver por todo o caminho.

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

[Resenha] A criança do fogo

| 1 comentários
Autor: S. K. Tremayne
Páginas: 368
Editora: Bertrand Brasil
O marido perfeito. O enteado perfeito. A mentira perfeita? Quando Rachel se casa com o maravilhoso David Kerthen e se muda para Carnhallow, sua vida é tomada por luxos, romance e um carinhoso enteado, Jamie. Porém, sua nova casa e sua nova família estão cercadas de segredos e mistérios que ela nem sequer consegue imaginar. O comportamento de Jamie começa a mudar, e suas perturbadoras profecias ameaçam abalar a sanidade de Rachel. À medida que o passado da família vem à tona, ela passa a questionar a verdade por trás da trágica morte da primeira esposa de David, temendo que a predição feita por seu enteado, de que ela irá morrer no dia de natal, se torne realidade. Fantasmas habitam os corredores de Carnhallow, mil anos de história ecoam nos frios túneis, antes ricas minas de estanho e cobre, que se expandem sob a propriedade, e a vida que Rachel acreditava ser perfeita de repente se torna um terrível pesadelo.


A criança do fogo, do S. K. Tremayne, é o segundo livro que eu leio do autor. E, mais uma vez, sou surpreendida com um enredo de tirar o fôlego, o suspense e mistério que o autor cria te faz não querer mais largar o livro para saber logo o que vai acontecer, ao mesmo tempo que você só quer fechar os olhos por medo do que está por vir. Eu fico completamente angustiada quando esse tipo de história tem alguma criança envolvida, porque eu sempre fico pensando e esperando o pior: 'será que é agora que essa criança vai matar todo mundo ou me dar um susto?'. 

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

[Resenha] Vilão

| 0 comentários
Autora: V. E. Schwab
Páginas: 364
Editora: Record
Duologia: Villains, 1
Victor e Eli, dois jovens brilhantes, arrogantes e solitários, se conheceram na Universidade de Merit e logo se deram bem, identificando um no outro a mesma sagacidade e a mesma ambição. No último ano da faculdade, o interesse em comum numa pesquisa sobre adrenalina, experiências de quase morte e poderes sobrenaturais lhes oferece uma possibilidade antes inimaginável: de que uma pessoa, sob as condições certas, seja capaz de desenvolver habilidades extraordinárias. No entanto, quando colocam em prática essa teoria, as coisas dão muito errado.
Dez anos depois, Victor foge da prisão, determinado a encontrar seu antigo amigo ― agora inimigo. Para localizá-lo, ele conta com a ajuda de uma garotinha, Sydney, cuja natureza reservada esconde uma habilidade sem igual, mas extremamente perigosa. Enquanto isso, há dez anos Eli tem uma única missão: erradicar todas as pessoas ExtraOrdinárias que encontra ― exceto sua ajudante, Serena, uma mulher enigmática e persuasiva, capaz de impor sua vontade a qualquer um.
Armado com poderes terríveis e movido pela lembrança da traição e da perda, Victor caça seu arqui-inimigo em busca de vingança e de um embate no qual sabe que um dos dois deve morrer.

Vilão, da V. E. Schwab, foi um dos melhores livros que eu li esse ano. Eu já gostava muito da escrita da autora, desde A melodia feroz, mas esse lançamento tem tudo o que eu gosto em uma leitura: fantasia, ficção científica, suspense e personagens nada perfeitos. O mais incrível dessa história é que não há um lado bom ou ruim, tudo depende do ponto de vista, e a autora explora bem isso ao nos apresentar dois personagens tão imperfeitos, cativantes à seu modo, e que são mais parecidos do que imaginavam.

domingo, 25 de agosto de 2019

[Resenha] Na boca do leão

| 0 comentários
Autora: Anne Holt
Páginas: 400
Editora: Fundamento
Série: Hanne Wilhelmsen, 4
Um crime misterioso abala um país.E, até que se descubra o culpado, todos são suspeitos.
Birgitte Volter era conhecida por governar com mãos de aço, ocupando com sua personalidade forte o cargo de primeira-ministra da Noruega. Quando, em uma tarde qualquer, ela é encontrada assassinada em seu gabinete, atrás de portas fechadas, o choque toma conta da nação. Determinada a elucidar esse mistério, a detetive Hanne Wilhelmsen interrompe suas férias para acompanhar o caso. No entanto, parece não haver pistas suficientes que levem ao assassino. Seria um crime político? Ou um assassinato por razões pessoais?
O jogo político bate de frente com a investigação criminal. A imprensa, em busca de respostas, acaba se tornando um empecilho para que a justiça seja feita. A disputa pelo poder e os segredos do passado são ingredientes que se somam à trama e tornam a missão de Hanne ainda mais complexa. Ela precisa descobrir quem é o assassino e sua motivação, antes que mais sangue seja derramado e o país convulsione. E o tempo está correndo. Será possível deter o criminoso antes que ele faça mais vítimas?

2. Números de azar
8. 1222

Na boca do leão é o quarto livro da série Hanne Wilhelmsen, da autora Anne Holt. Eu gosto muito dos livros dessa autora, porém, esse volume foi para mim o mais parado. Não consegui me apegar muito ao crime, que acabou ficando meio que em segundo plano. E, a detetive Hanne é uma personagem que tem pouco destaque nessa trama, o que foi uma pena, pois ela é incrível.